publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

Por que os fãs de doce tem mais problemas no coração?

Durante as últimas décadas, estudos apontam a gordura saturada e o colesterol como os principais vilões em doenças de coração.

O açúcar tem efeitos prejudiciais no coração e é importante prestar atenção.

O impacto negativo em lipídios, peso corporal, risco de diabetes e ganho de calorias sem valor nutricional são uns dos efeitos do açúcar.

Efeitos do consumo exacerbado de açúcar:

 

– Dietas com alto nível de açúcar aumentam a síntese de lipoproteína de baixa densidade (colesterol ruim).

– Um alto nível de açúcar no sangue diminui a quantidade de lipoproteína de alta densidade no organismo (colesterol bom).

– A ingestão excessiva e constante de açúcar aumenta os níveis de triglicéridos (tipo de gordura no sangue) no corpo.

Quanto mais se come açúcar, maior é a quantidade de insulina liberada e maior a quantidade de gordura ganha.

O corpo que possui mais gordura se torna mais resistente a insulina. Quanto mais insulina liberada maior o acúmulo de gordura corporal.

Estudos sobre dietas sempre produzem dados conflitantes, porém uma dieta que sempre aponta para dados positivos é a dieta mediterrânea.

Essa dieta foca em fontes de gordura como peixes, grãos, azeite de oliva, vegetais, e legumes.

Dietas drásticas só são efetivas em curto prazo e as pessoas que as fazem recuperam os quilos perdidos rapidamente.

Os adoçantes artificiais não são recomendados para o emagrecimento.

Teorias sobre adoçantes artificiais:

 

– A ingestão de açúcar ativa uma parte do cérebro que traz a sensação de recompensa. Adoçantes artificiais não ativam essas partes, fazendo com que se coma mais.

– Quando se consome refrigerantes com açúcar, o corpo libera insulina, peptídeos e outros hormônios para ajudar a manter o balanço biológico corporal. O consumo de refrigerantes dietéticos não irá restaurar o balanço biológico corporal.

– Pessoas que consomem produtos dietéticos podem se sentir mais a vontade para ingerir produtos mais calóricos.

Os produtos dietéticos são indicados para quem tem diabetes e tem a necessidade de controlar picos de açúcar no sangue.

O melhor substituto para bebidas doces é a água.

Uma dieta balanceada e exercícios diários podem prevenir diversas doenças e melhorar a qualidade de vida.

Para mais informações procure o seu médico.

Postado por joaoflavio às 13:17

Compartilhe:

Nenhum comentário

Você tem mau hálito?

O mau hálito, também chamado de halitose, pode ser embaraçoso e em alguns casos até causar ansiedade.

Chicletes e balas podem melhorar a halitose de forma temporária, porém não tratam a origem do problema.

Certas comidas, condições de saúde e certos hábitos estão entre as maiores causas de mau hálito.

Na maior parte das vezes o mau hálito pode ser curado com uma higiene bucal apropriada. Se a higiene não resolver, é indicado a consulta médica ou odontológica.

Os odores da halitose variam, bem também como sua intensidade. Algumas pessoas se preocupam mesmo não possuindo halitose e outras não percebem que o tem. Perguntar para um amigo próximo pode tirar sua dúvida.

Se você possui um boa saúde bucal, escova os dentes após as refeições e passa fio dental, porém ainda possui mau hálito, é recomendado que se vá a um dentista para diagnosticar origem do problema.

Causas:

 

– Alimentos. Partículas de comida nos dentes podem causar bactéria e cheiro desagradável. Certos alimentos, como cebolas e alho, também podem causar mau hálito ( após a digestão, esses alimentos entram na corrente sanguínea e são levados para o pulmão, afetando o hálito).

– Tabaco.

– Má higiene bucal. É recomendado a escovação após cada refeição e passar fio dental pelo menos uma vez ao dia.

– Boca seca. A saliva ajuda na limpeza da boca, removendo partículas que causam o mau odor. Uma condição conhecida como xerostomia pode contribuir com a halitose devido a baixa produção de saliva.

– Remédios. Alguns medicamentos podem deixar a boca seca ou liberar substâncias químicas que influenciam o hálito.

– Infecções na boca. Traumas e machucados originados de cirurgias podem causar mau hálito.

– Outras condições na boca, nariz e garganta. Infecções ou inflamações crônicas podem afetar o hálito.

– Outras causas. Doenças como o câncer e desordens metabólicas podem causar um odor químico específico no hálito. Em crianças é comum que a causa da halitose seja um corpo estranho, como um pedaço de comida alojado na narina.

Para diagnosticar o problema, o dentista irá sentir o odor da boca e nariz e avaliar a intensidade. A fonte mais comum de mau hálito é a parte de trás da língua, o dentista irá raspar essas região para também avaliar o odor.

– Enxaguantes bucais e pastas de dente:

 

Se o mau hálito é devido a uma bactéria no dente, o dentista pode sugerir um enxaguante bucal que mate as bactérias causadoras dos maus odores. Uma pasta de dente antibacteriana também pode ser indicada.

– Tratamento para doença bucal:

 

A limpeza profissional bucal pode ser a única solução para doenças nas gengivas. O dentista também pode recomendar a substituição de restaurações de dentes defeituosos.

A limpeza bucal adequada é a melhor forma de prevenir a halitose.

 

Para mais informações procure o seu dentista.

 

Fonte:MAYOCLINIC.

Postado por joaoflavio às 14:22

Compartilhe:

Nenhum comentário

Vamos nos atualizar sobre alergia?


Alergias ocorrem quando o sistema imunológico reage à substâncias externas, como o pólen, veneno de abelha, pelos de animais e etc.

Esse sistema produz anticorpos, os quais, identificam um alérgeno específico que pode ser prejudicial, mesmo não sendo.

Como resposta, o sistema imunológico pode danificar a pele, seios paranasais, vias aéreas e o sistema digestivo.

A gravidade de uma alergia pode variar de pessoa para pessoa ( desde uma pequena irritação até uma anafilaxia).

Mesmo que a maioria das alergias não tem cura, tratamentos podem ajudar a aliviar e prevenir os sintomas.

Sintomas:

 

– Febre do feno (rinite alérgica). Causa espirro, coceira no nariz, olhos e céu da boca, nariz entupido e olhos vermelhos.

– Alergia a comida. Causa formigamento na boca, inchaço nos lábios, língua, cara e garganta, urticária e anafilaxia.

– Alergia a picada de inseto. Causa inchaço na área aonde ocorreu a picada, coceira no corpo, tosse e dificuldades na respiração e anafilaxia.

– Alergia a remédios. Causa urticária, coceira na pele, assaduras, inchaço da face, respiração debilitada e anafilaxia.

– Dermatite atópica (eczema). Faz com que a pele coce, descasque e fique avermelhada.

Alguns tipos de alergia podem desencadear uma reação grave conhecida como anafilaxia (uma emergência médica que apresenta risco de morte).

Sinais e sintomas de anafilaxia incluem:

 

– Perda de consciência.

– Pressão sanguínea baixa.

– Forte falta de ar.

– Erupção cutânea.

– Tonturas.

– Pulsação rápida e fraca.

– Enjoo e vômitos.

Uma alergia começa quando o sistema imunológico confunde uma substância normal e inofensiva por uma substancia perigosa. São produzidos então anticorpos que ficam em alerta para aquele alérgeno em particular. Quando a exposição ao alérgeno ocorre de novo, os anticorpos liberam produtos químicos do sistema imunológico, como a histamina, que causam os sintomas alérgicos.

Os gatilhos alérgicos comuns incluem:

 

– Alérgenos aéreos, como o pólen, pelos de animais, ácaros e mofo.

– Certos alimentos, como amendoins, nozes, trigo, soja, peixe, ovos e leite.

– Picadas de insetos, como abelhas ou vespas.

– Remédios, como penicilina ou derivados da mesma.

– Látex ou outras substancias tocadas, as quais, podem causas reações alérgicas.

Fatores de risco:

 

– Histórico familiar de asma ou alergia.

– Crianças podem desenvolver mais alergias que os adultos, porém podem supera-las ao envelhecerem.

– Ter asma ou outra condição alérgica.

Alergias aumentam o risco de outros problemas médicos:

 

– Anafilaxia.

– Asma.

– Sinusite e infecções nos ouvidos e pulmão.

– Complicações fúngicas dos seios paranasais ou pulmão.

O exame de sangue e de pele irão ajudar o médico a entender a origem alérgica.

Tratamento:

 

– Evitar as substancias que causam alergia.

– Remédios.

– Imunoterapia.

– Epinefrina de emergência.

O tratamento alternativo pode incluir acupuntura e a ingestão de produtos alérgicos em grávidas para que seus filhos se previnam de futuras alergias.

É muito importante se conhecer e entender o que pode causar alergia.

Para mais informações procure o seu médico.

 

Fonte:MAYOCLINIC

Postado por joaoflavio às 14:06

Compartilhe:

Nenhum comentário