publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

Receita da quinzena: “Espaguete de atum”

Leve, saboroso e bonito de se ver… Eis um prato perfeito! Neste fim de semana, aproveite a dica do nosso chef Manoelzinho:

Ingredientes:

250 gramas de espaguete
2 colheres de sopa de azeite
1 colher de sopa de alho picado
2 anchovas picadas (opcional)
¼ colher de chá de malagueta esmagada
750 gramas de tomate (de lata)
150 gramas de atum (de lata)
2 colheres de sopa de manjericão fresco

 

Preparação:

Cozinhe o espaguete numa panela com água fervente até ficar al dente; enquanto isso, vá aquecendo o azeite numa frigideira em fogo médio;

Junte o alho e deixe refogar até libertar odores;

Junte as anchovas (caso decida usar) e a malagueta esmagada e deixe cozinhar por mais um minuto;

Acrescente os tomates pelados e deixe cozinhar até amolecer, por cerca de dez minutos;

Ao molho, acrescente o atum em lascas até que fique bem incorporado;

Sirva o espaguete em quatro pratos e despeje o molho por cima da massa;

Salpique com manjericão fresco e pronto.

 

Rendimento: quatro porções
Tempo de preparação: 25min
Grau de dificuldade: fácil

Informação nutricional por porção:

350 calorias
8g de gordura (1g saturada, 6g monoinsaturadas e 29mg de colesterol)
52g de hidratos de carbono
21g de proteína
9g de fibras
32mg de sódio
140mg de potássio
60% da Dose Diária Recomendada (DDR) de selênio
21% da DDR de magnésio

Postado por flaviocure às 10:23

Compartilhe:

Nenhum comentário

Para enxergar melhor, que tal chocolate?

No início desse mês, falamos das últimas pesquisas sobre o impacto do consumo de chocolate na redução dos riscos de desenvolvimento de doenças do coração. Agora, novos estudos indicam que os flavonóides contidos no chocolate escuro podem nos ajudar a enxergar melhor em situações de baixo contraste, como a leitura com pouca luz e de legendas amarelas em telas brancas, por exemplo, na condução ao anoitecer ou em condições de neblina.

Está aí uma ótima notícia principalmente para adultos mais velhos, mas para os mais jovens também. Afinal, os olhos são bastante exigidos nessas ocasiões, independente da idade.

A pesquisa descobriu que aqueles que mordiscaram um pedaço de chocolate escuro tiveram uma performance 17% melhor em testes de visão que os participantes do estudo que consumiram chocolate branco. Os voluntários precisaram de pouco mais de 28g do alimento para colher os benefícios, que apareceram em duas horas e meia depois.

Embora o teor de flavonóides possa variar de marca para marca, quanto mais escuro o chocolate, mais flavonóides contém. Por isso, procure por barras de chocolate com pelo menos 70% de cacau, ou chocolates em pó não alcalinizados.
A boa e “velha” cenoura…

Se o chocolate escuro pode ajudar a ver melhor em situações de baixo
contraste, a cenoura pode ajudar em todas as situações. Os carotenos
responsáveis por sua cor laranja são transformados em vitamina A
quando absorvidos pelo organismo, e essa vitamina é um importante
componente dos pigmentos visuais responsáveis pela recepção de luz na
retina dos olhos. Também contribuiu para uma pele mais saudável e nas
funções reprodutivas, e ainda no desenvolvimento ósseo das crianças.

A cenoura também tem vitamina E, ácido fólico, potássio e cálcio, além de
um considerável teor de fibra. Por conta da vitamina E, tem ação
antioxidante (como o cacau), evitando os danos nos tecidos; o ácido fólico é fundamental para o bom funcionamento dos sistemas imunológico, nervoso e cardiovascular, enquanto a fibra ajuda no funcionamento intestinal e na redução dos níveis de colesterol do sangue. E, ao contrário do que é comumente dito, o valor energético da cenoura é bem baixo (o que não pode se dizer do chocolate…).

Já deu para perceber a proporção que cada um deve ter na sua dieta…

Postado por flaviocure às 17:47

Compartilhe:

Nenhum comentário

Quanto mais difícil for fumar, menos fumantes haverá?

A porcentagem de adultos fumantes em Nova Iorque em 2010 alcançou o mais baixo patamar da história: apenas 14 em cada cem nova-iorquinos ainda fumam. A notícia foi dada ontem, dia 15 de setembro, pela prefeitura da cidade. De acordo com o comunicado, cerca de meio milhão dos seus habitantes pararam de fumar desde 2002.

Explica-se: o ano de 2002 foi marcado pelo início de uma agressiva campanha contra o cigarro, lançada pelo então recém-empossado prefeito Michael Bloomberg, um ex-fumante. Segundo ele, esta diminuição de tabagistas evitará 50 mil mortes prematuras que aconteceriam até 2052.

Notícias como essas deveriam levar os que ainda fumam a investir em um tratamento especializado, sem medo de ser feliz. É que parar de fumar, sem ajuda, é para poucos… Em 2008, quando foi lançado o ótimo documentário Fumando espero, da diretora carioca Adriana Dutra, de cada mil pessoas que tentavam parar de fumar pela primeira vez, 172 conseguiam largar o vício, mas 828 falhavam, segundo ela.

Não é preciso temer um tratamento anti-tabágico, que dura apenas poucos meses e significa toda uma vida livre do cigarro. Antes, porém, é preciso derrubar os mitos que cercam o ato de para de fumar, como o dito fatídico ganho de peso, a fissura incontrolável e as contra-indicações dos medicamentos usados para ajudar a interromper o vício. O Rio de Janeiro, como todo o país, têm ótimas clínicas anti-tabágicas que oferecem acompanhamento nutricional, psicológico e, claro, todo suporte médico. É só pedir a indicação de um serviço tradicional e com bons resultados ao seu médico.

Parando de fumar, você vai diminuir bastante as chances de desenvolver doenças cardíacas e pulmonares, melhorar sua autoestima, a capacidade de concentração e a produtividade no ambiente de trabalho e, ainda, ter muito mais qualidade na vida
pessoal. Fora a economia… Quantas viagens você poderá fazer com o dinheiro que gastaria com os maços de cigarro todos os
anos?!

No Brasil o número de fumantes também caiu, para 15,1%, segundo a pesquisa “Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para
Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel)”, do Ministério da Saúde em parceria com o Núcleo de Pesquisa em
Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo (NUPENS/USP). O avanço mais expressivo ocorreu entre os homens, que em
geral fumam mais do que as mulheres: passou de 20,2% para 17,9%.

Que tal fazer parte desses números? Você pode se orgulhar disso daqui a alguns meses…

Postado por flaviocure às 18:32

Compartilhe:

2 Comentários