publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

Fim de ano pode ter azeite à mesa

As festas de fim de ano são risco garantido para as dietas. Alimentos gordurosos fazem parte da tradição, mas temos que manter o cardápio sob controle.  Entre as diferentes gorduras o azeite se destaca por seus aspectos positivos.  Rico em antioxidantes, principalmente vitamina E, contribui para impedir a formação de placas ateroscleróticas. Outro aspecto é a contribuição para o retardamento do envelhecimento provocado pelos radicais livres de oxigênio. Com isso os tecidos do corpo humano têm melhor conservação.

Segundo estudos diferentes estudos, o azeite é a gordura melhor tolerada pelo estômago, com efeitos positivos nas gastrites e na úlcera gastroduodenal. Nas vias biliares, que atua na digestão de gorduras, tem papel de melhorar o funcionamento da vesícula. Contribui, também, para o melhoramento da fase digestiva posterior à ingestão de alimentos ao proporcionar uma ação mais eficaz da bílis.

Ou seja, podemos ficar mais tranquilos para comer aquela bela posta de bacalhau regada ao azeite ou, para os mais comedidos, aquela suculenta salada verde.

O azeite é uma gordura vegetal extraída da azeitona e que conserva o sabor, aroma e todas as suas propriedades. Mas não pensem que ele é um bom negócio para quem está em regime para perder peso. O seu valor calórico é de nove Kcal/g, a mesma proporção de qualquer outra gordura, animal ou vegetal.

Segundo os estudos disponíveis, o ácido oleico, cuja concentração no azeite chega a ser superior a 70%, tal como os ácidos gordos poli-insaturados, diminuem os níveis sanguíneos de colesterol-LDL, que é um fator de risco na ocorrência das doenças cardiovasculares, com a vantagem de não baixar os níveis de colesterol-HDL (com papel protetor), como aqueles fazem.

Crianças e idosos têm benefícios específicos com o azeite. Para os primeiros,oferece quantidade de ácidos gordos semelhante à parte gorda do leite materno e, por meio do seu principal constituinte – ácido oleico – exerce uma ação benéfica no crescimento, na calcificação e no desenvolvimento dos ossos, afirmam os especialistas.

Já os idosos se beneficiam dos efeitos antioxidantes, sobre o envelhecimento das células. Outro fator é a melhora da digestão e da absorção dos nutrientes, mais favorecida do que com outras gorduras.

Portanto cuide-se e controle a dieta, mas não se prive de um bom extra virgem.

 

Postado por flaviocure às 15:10

Compartilhe:

Nenhum comentário

Verão, use e abuse da água!

Que a água é fundamental aos seres vivos, todo mundo já sabe, mas nunca é demais reforçar que a chegada do verão, associada para muitos ao aumento da carga de exercícios físicos, requer uma atenção especial para a ingestão do líquido. A água não serve “só para matar a sede”, como muitos pensam. Ela é essencial em diferentes funções. Por exemplo, em combinação com diversas proteínas, para a lubrificação das articulações e na proteção contra os choques mecânicos entre os vários órgãos do corpo humano como os pulmões, intestinos, olhos e o coração. Assim como ajuda na limpeza do corpo por meio das eliminações feitas na urina e fezes.

A Água (H2O) representa dois terços do corpo humano e 75% do material que envolve o núcleo das células. As estimativas mais acreditadas são de que um ser humano sobreviva entre três e cinco dias sem ingerir água. Já sem alimentos sólidos pode sobreviver até mais de um mês.  A necessidade de ingestão e absorção do líquido varia de pessoa a pessoa, assim como a perda de cada um.  Estão envolvidos nesta equação as variantes orgânicas e condições ambientais.

Então, se você vai para a praia sob um sol de 400, ou vai fazer compras no SAARA ou no Calçadão de Bangu ao meio dia, previna-se.

A necessidade de água, mesmo pra quem não pratica atividades físicas, mas que vive em regiões quentes, chega a ser três vezes superior a daqueles que estão em regiões temperadas, segundo estudos de Maughan e Burke publicados em 2004.

A alimentação também tem um papel importante. Alguns alimentos têm em suas composições um volume de líquidos que contribui consideravelmente para a reposição requisitada pelo corpo. Frutas são fontes de primeira para ajudar nessa dieta. Um bom e suculento abacaxi, uma melancia e laranja são ótimos neste papel.

Em geral, recomenda-se que a reposição de líquidos seja , pelo menos, igual à que é execrada em forma de suor. A saída é beber líquidos, para prevenir a desidratação. Quem faz exercícios não deve economizar. Precisa se hidratar antes, durante e depois das atividades, mesmo que não esteja com sede. Inclusive, porque, alertam nossos pesquisadores, sede não é um indicador preciso da necessidade de ingestão de água. Muitas vezes a pessoa pode não ter sede e estar com o nível de hidratação abaixo do necessário.

Segundo o Colégio Americano de Medicina do Esporte uma hidratação correta após a atividade física (ou seja, andar, correr, levantar etc) envolve, entre outras dicas, consumir cerca de 500ml de líquidos duas horas antes da atividade; durante a atividade o máximo possível  de  líquidos em intervalos regulares. Esses líquidos, recomendam devem ter temperaturas entre  8° e 13° C.

Cuidado também com os trajes. Roupas leves, tecidos que permitam ao corpo respirar são fundamentais. De preferencia cores claras, que não absorvem a energia da luz. E água sobre a pele, que facilita a evaporação.

Para aqueles que tentam se enganar, vale lembrar que suar não emagrece, apenas desidrata, já que gordura não se dissolve em água, portanto, continua retida no corpo. O suor é um alerta e uma defesa para que o corpo não superaqueça. Caso isso aconteça, fenômeno conhecido como hipertermia, as consequências podem ser dor de cabeça, tontura e secura na boca,  insuficiências cardíaca e circulatória, aumento da frequência cardíaca e da temperatura interna, câimbras, perda de coordenação motora, confusão mental  e morte.

A hidratação correta permite o equilíbrio de todo o corpo prevenindo fatores como  diminuição da pressão arterial; redução do fluxo sanguíneo ou aumento da frequência cardíaca. No caso de exercícios mais pesados, praticados por atletas, a grande perda de água provoca vasodilatação de artérias e veias periféricas e constrição de outras regiões, como fígado, rins e músculos em atividades. Isto interfere diretamente no desempenho do atleta.

Portanto beba água. Use e abuse do líquido.

 

Postado por flaviocure às 15:22

Compartilhe:

1 Comentário

Disfunção erétil é alerta de doença coronária

Homens e mulheres podem ter vidas sexuais saudáveis e prolongadas quando deixam de lado as inibições e vergonhas e buscam apoio médico quando percebem qualquer tipo de alteração em suas relações.

Um exemplo é o da disfunção erétil (DE) masculina, que pode ter diferentes origens e indicar a existência de doença arterial coronária (DAC). O machismo que leva os homens a fugir do tema e não admitirem que a ereção não aconteceu na hora “H” deve ser deixado de lado dentro do consultório médico. E, caso o homem não tenha a inciativa, podem as mulheres incentivá-los ou pressioná-los para que busquem o tratamento.

Sabemos que a DE masculina pode ter origens psicogênicas, mistas ou orgânicas, sendo a maior parte, cerca de 80%, do último tipo. O problema ocorre porque a ereção do pênis, fruto de um fluxo sanguíneo adequado, não ocorre. As artérias penianas são estreitas, com 1 a 2mm, enquanto as artérias coronárias, têm 3 a 4 mm, as carótidas de 5 a 7mm e iliofemorais de 76 a 8mm. Além disto, ocorre uma conjunção de fatores entre os sistemas hormonal, vascular e nervoso, para tudo funcionar corretamente.

No caso da aterosclerose, a causa mais comum da DE, as placas que se formam diminuem o diâmetro interno dos vasos nas artérias penianas, resultando na dificuldade de manutenção do fluxo sanguíneo.

Outra causa importante é o cigarro. O hábito de fumar durante muitos anos provoca a DE, pois as substâncias tóxicas do cigarro provocam danos na camada celular interna dos vasos sanguíneos e diminuem os níveis de óxido nítrico no pênis. Além da nicotina, que faz a musculatura lisa dos vasos (que irrigam os corpos cavernosos) se contrair, reduzindo o fluxo sanguíneo.

O diabetes também é um fator de risco, principalmente porque conta com a aterosclerose mais acelerada, alterações nos tecidos dos corpos cavernosos e neuropatia diabética. A DE ocorre em cerca da metade dos homens diabéticos.

A hipertensão arterial e os medicamentos que ela exige para seu controle são também são responsáveis pela disfunção. Há estudos que indicam que representa 43% dos pacientes com DE.

O colesterol elevado, a depressão, o álcool, as drogas, alguns medicamentos como os diuréticos, os betabloqueadores, simpatolíticos, sedativos, hipnóticos, tranquilizantes e os problemas de próstata também devem ser observados.

No grupo da DE de origem psicológica a vilã é a adrenalina. Os homens ficam ansiosos, nervosos, com medo de falhar e, pronto, falham. Isso porque a adrenalina diminui o fluxo sanguíneo e provoca a dificuldade de ereção. Também o estresse, o sentimento de culpa, a falta de desejo são fatores significativos para a disfunção erétil.

É importante, portanto, a procura do seu médico em caso de DE, pois ela pode ser um sintoma doença arterial coronariana.

 

Postado por flaviocure às 14:26

Compartilhe:

3 Comentários