publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

Estudo é incentivo à prática de exercícios

Mais um incentivo àqueles que buscam desculpas para iniciar a prática de exercícios físicos foi dado esta semana com a divulgação pela revista médica Lancet de uma pesquisa que mostra que o sedentarismo causa tantas mortes quanto o tabagismo. Ou seja, são 5,3 milhões de mortos anualmente, contra 5,1 milhões que morrem por causa do fumo.

Portanto, é hora de levantar da cadeira, abandonar a preguiça e partir para o exercício, o que, segundo o estudo, não é feito por um terço dos adultos em todo o mundo. Os dados revelam que 10% das mortes por problemas cardíacos, diabetes e câncer de mama e do cólon, são consequências da inatividade física. Os pesquisadores falam em pandemia, que é a classificação de uma “epidemia” que se propaga pelo mundo de forma desequilibrada.

Aqui no Brasil, as mortes decorrentes do sedentarismo que acarreta as doenças acima citadas alcançam o total de 13,2%, acima da média da América Latina e Caribe, que fica em 11,4%. Ao detalhar por doenças, o estudo identifica que a inatividade provoca 8,2% das doenças cardíacas, 10,1% dos diabetes tipo 2, 14,6% dos casos de câncer de cólon e 13,4% do câncer de mama. A coordenadora do estudo, a Dra. I-Min Lee, do Hospital Brigham e da Escola Médica da Universidade de Harvard, assegura que maior atividade física reduziria esses números mundialmente.

Diferentes fatores determinam esse quadro, dos fatores econômicos à tecnologia. As crianças e adolescentes em todo o mundo têm substituído brincadeiras que exigem esforço físico pelo computador. Muitos adultos têm o mesmo problema. Além disso, a alimentação tomada por produtos de baixa qualidade nutricional, com muita gordura, sal e açúcar.
É um conjunto de difícil enfrentamento. Aqui neste espaço tenho falado sempre da necessidade da prevenção, da importância do exercício físico, da alimentação balanceada, de hábitos saudáveis. Mas a disputa é árdua. É muito mais fácil encontrar um refrigerante à disposição do que um suco. É mais prático um salgadinho engordurado ou um fast food, do que uma carne com salada. É mais fácil pegar o elevador do que subir dois lances de escada, pegar um carro do que andar dois quarteirões. Com isso, pequenas ações que ajudam a exercitar o corpo são relegadas.

Popularizar a prática esportiva é um desafio que as autoridades devem enfrentar. Aqui na Zona Sul do Rio, com sua natureza privilegiada, embora os dados da pesquisa não revelem, talvez sejamos um ponto fora da curva. Nossas áreas de lazer, como toda a orla marítima, o Parque do Flamengo, a Lagoa, o Horto, ou ainda um pouco mais adiante na Zona Norte a Quinta da Boa Vista, a Floresta da Tijuca e na Oeste toda a orla da Barra e Recreio, por exemplo, são convites à prática de exercícios, razoavelmente aproveitados.

Mas, mesmo aqui na cidade, a maior parte das vezes são áreas sem espaços apropriados. Faltam pistas para caminhadas ou equipamentos. A dificuldade se agrava com a dificuldade de mobilidade urbana, que tem feito os cariocas e fluminenses do grande Rio reféns do trânsito, com demora superior a uma hora para chegar ao trabalho, ou seja, praticamente três horas nesta verdadeira missão. Então, o tempo que resta é, realmente curto, o que exige que os governos assumam o problema como responsabilidade de política pública e ofereçam maiores facilidades.

Entre os países mais sedentários, o líder é Malta, com 71,9% da população, seguido da Suazilândia, com 69%, a Arábia Saudita, com 68,8%; a Sérvia e nossa vizinha Argentina, com 68,3%; No outro extremo está Bangladesh, onde apenas 4,7% foram considerados inativos.

Ainda segundo a pesquisa, as mulheres são mais inativas do que os homens, com 33,9% delas que não fazem exercícios, contra 27,9% deles. Um dos pesquisadores, o brasileiro da Universidade de Pelotas, Pedro Hallal, lembrou que este dado refletem questões culturais, como o fato de no sul da Ásia as mulheres não irem às ruas. Nesse caso, não se leva em consideração as atividades domésticas, que, muitas vezes podem equivaler a exercícios.

O importante do estudo e sua divulgação é o caráter de alerta. Sempre é hora de colocar em prática o plano de iniciar a atividade. Aproveite o fim de semana e comece. Não precisa esperar segunda-feira chegar, afinal já sabemos no que dá isso. Minha sugestão se você está parado: de uma caminhada leve, sem grande esforço, só para sair da inatividade. Na segunda-feira, se for o caso, vá pra seu clube ou academia e procure a orientação necessária. Caso você prefira fazer sua caminhada sozinho, procure seu médico e fale da sua decisão. Ele recomendará os exames básicos para que você comece sua prática com segurança.

Essa é a hora.

Bom fim de semana.

 

Postado por flaviocure às 19:21

Compartilhe:

Nenhum comentário