publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

Atividade física contra diabetes infantil

A prevenção é uma das chaves da saúde e quanto antes começa, melhor. Um estudo feito por três pesquisadores da Universidade de Geórgia e Carolina do Sul, nos Estados Unidos, e publicado no periódico da Associação Medica Americana ratifica esta orientação. Ficou demonstrado que crianças que se exercitam mais têm maior redução de resistência insulina. Se praticarem diariamente 40 minutos de atividades físicas, além de reduzirem os índices de gordura, diminuem o risco da diabetes.

A pesquisa buscou aferir o efeito da duração dos exercícios aeróbicos sobre a resistência à insulina pelo organismo, uma vez que já há consenso sobre os benefícios das atividades. A conclusão foi de que aqueles que fizeram 40 minutos de exercícios tiveram 22% de redução da resistência. Já os que fizeram 20 minutos, ficaram em 18%. O primeiro grupo também perdeu mais gordura corporal e visceral.

O estudo envolveu 222 crianças entre sete e onze anos. Todos com sobrepeso e sem o hábito de atividades físicas regulares.

A principal conclusão que deve nos servir como orientadora é que devemos incentivar a prática de exercícios durante toda a vida. Nas crianças, a possibilidade de prevenir doenças, como a própria obesidade, que é um problema mundial, é um fator a mais.

A obesidade provoca limitações no cotidiano, problemas psicológicos, além de ser agravante ou desencadeadora de outras doenças futuras. O diabetes é uma delas, mas devemos lembrar também das ortopédicas, apneia do sono, aterosclerose, cardíacos e, mesmo, das consequências futuras relativas à longevidade.

A questão psicológica pode gerar um ciclo vicioso, pois, muitas vezes, com vergonha do próprio corpo, a criança com sobrepeso evita se exercitar junto a outras pessoas. Com isso agrava o problema. Cabe aos pais, professores, amigos, responsáveis, buscar formas de fazê-la se integrar e abrir espaço aos exercícios. Um bom caminho, no caso dos pais e responsáveis, é o do exemplo, com o inventivo e a prática de exercícios ao ar livre. Mesmo que seja um jogo de peteca na varanda já é alguma coisa.

É importante também um esforço coletivo para ajudar no fator alimentação.  Hábitos alimentares sadios devem ser cultivados desde cedo. Com um pouco de dedicação é possível oferecer cardápios sadios e evitar os produtos industrializados e gordurosos.

Compartilho aqui uma boa animação feita pelo Hospital Albert Einstein sobre o tema.

 

Postado por flaviocure às 19:18

Compartilhe:

Nenhum comentário

Nova técnica contra enxaqueca

Apagar as luzes, fechar as janelas, desligar o som são medidas rotineiras para quem sofre de enxaqueca. Uma notícia promissora anunciada nos EUA na semana passada, foi a aprovação pelo Food and Drug Administration (FDA), órgão de saúde americano que regula alimentos e medicamentos de um adesivo corporal, batizado de Zecuity. Ele contém a substância sumatriptano, medicamento já de uso antigo para combater a doença, mas que passa a ser ministrado de outra forma.

O adesivo deverá ser colado na perna ou no braço e durante cerca de cinco horas liberará o sumatriptano, num volume total de 6,5 miligramas. Embora demore todo este tempo, os efeitos – assegura o fabricante, a empresa NuPathe – serão percebidos em até 30 minutos após a aplicação. A novidade deve chegar ao Brasil no próximo ano.

Um diferencial destacado pelos fabricantes em relação ao adesivo é que ele permite melhor absorção do medicamento. Entre os problemas provocados pela enxaqueca, muitas vezes, estão os gástricos com enjoos e vômitos. Com a aplicação do adesivo o organismo absorve o medicamento sem seu trânsito pelo sistema digestivo, com melhores resultados.

Um alerta importante após os estudos da FDA com 800 pacientes é que aqueles com histórico de doença cardíacas não devem utilizá-lo.  Outro problema é o custo anunciado por enquanto. Cada dose, para curar apenas uma manifestação da enxaqueca, fica em U$80 (cerca de R$200,00). O que pode resultar em muito mais dor de cabeça na hora de pagar a conta.

Vale lembrar que as crises agudas de enxaqueca são três vezes mais comuns nas mulheres do que nos homens, segundo a Sociedade Americana de Dor de Cabeça.

Segundo dados apresentados no 24º Congresso Brasileiro de Cefaleia, em Gramado, em 2010, 25% das mulheres que têm enxaqueca relacionam as dores de cabeça com o período menstrual.

Vale lembrar que a enxaqueca é um desequilíbrio químico que ocorre no cérebro e envolve hormônios e substâncias chamadas de peptídeos. As dores de cabeça da enxaqueca podem se apresentar de diferentes formas. Algumas vezes são latejantes, de outras apresentam uma sensação de pressão, como se a cabeça fosse explodir, e ainda há os momentos que a cabeça fica “pesada”. Além disso, a dor pode passear de uma crise para outra. Pode doer na região dos dentes, em diferentes partes da cabeça, na face etc.

Alguns sintomas, além dos citados na abertura deste artigo, são a sensibilidade extrema do couro cabeludo, visão embaçada, aversão a odores, variação de humor e do apetite e lacrimejamento.

As crises de enxaqueca variam entre três horas e três dias. Mas não espere muito tempo. Procure logo seu médico e minimize as consequências.

 

Bom fim de semana!

 

Postado por flaviocure às 16:35

Compartilhe:

Nenhum comentário

Previna-se contra o “pé diabético”

Uma das mais comuns consequências da diabetes mellitus é o chamado “pé diabético”, resultado de problemas circulatórios que retardam a cicatrização de feridas provocadas por infecções e que entre 14 e 24% das vezes podem ocasionar a amputação do membro ou da perna. Por isso, é fundamental a prevenção, com o controle regular dos níveis de glicose no sangue, para evitar a ocorrência de índices elevados por longo tempo. Ou seja, com prevenção é possível evitar a doença.

Os exames regulares para controle do diabetes são fundamentais. As estatísticas revelam que cerca de 50% dos diabéticos não são diagnosticados, dessa forma, a doença segue silenciosa por alguns anos. Segundo o Ministério da Saúde, 70% das cirurgias para retirada de membros no Brasil têm como causa o diabetes mal controlado: são 55 mil amputações anuais.

Segundo estudo da Associação Médica de Podiatria Americana, mesmo com a amputação, metade dos pacientes têm risco de morrer em até cinco anos após o procedimento.  Aqui no Brasil a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV – www.sbacv.com.br) distribui um manual com 40 páginas que apresenta os cuidados necessários com o pé diabético.

Sempre recomendo exames periódicos, afinal, embora conheçamos nossos corpos, não somos especialistas. A diabetes provoca diferentes problemas. Por vezes pode ser uma insuficiência renal que exija a hemodiálise, cegueira ou risco maior de infarto. No caso dos “pés diabéticos”, os nervos lesionados podem provocar formigamentos, agulhadas, queimação e a insensibilidade dos pés.

Na conversa com o profissional de saúde ele saberá identificar indícios e sintomas e pedirá os exames necessários. É fundamental não deixar alcançar um estágio avançado, como ocorre na maioria das vezes. Infelizmente é comum que as pessoas só recorram ao médico quando já estão cum uma ferida ou infecção, sentem dores e já não conseguem resolver sozinhas.  Este é o pior quadro.

Quem já sabe que é diabético deve manter a glicemia sob controle e realizar exame visual dos pés diariamente. Preferencialmente em lugar iluminado. Qualquer sintoma deve ser observado, sejam frieiras, cortes, calos, rachaduras, mudanças de cor. Se for difícil verificar sozinho, peça a ajuda de alguém. E, nas consultas, certifique-se de que o médico o examine.

Cuidados gerais devem ser observados, como manter os pés sempre limpos. Para lavá-los utilizar água morna, para não ter riscos de queimaduras com água quente. Na hora de enxugar, também cuidado. Use toalhas macias e evite esfregar a pele, que deve estar hidratada. Mas mesmo aí cuidados devem ser tomados, como não passar creme entre os dedos ou no entorno das unhas.

A preocupação de não ferir o pé deve ser permanente. Mesmo a meia a ser calçada, preferencialmente, deve ser de algodão ou lã, nada de tecidos  sintéticos, como nylon. Na hora de cortar as unhas, certifique-se de que estão limpas e secas e tenha cuidado para evitar possíveis ferimentos. Existem recomendações como o de adotar o corte quadrado, com as laterais levemente arredondadas, e sem tirar a cutícula.

Para evitar riscos maiores, a recomendação é de manter os pés sempre protegidos, com calçados fechados, com tamanhos confortáveis e formatos que não sacrifiquem os pés.

Prevenção é a palavra chave.

 

Postado por flaviocure às 16:58

Compartilhe:

1 Comentário