publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

O que são os efeitos colaterais

Ler as letrinhas miúdas das bulas dos remédios não é tarefa fácil. Diria mesmo que é desanimadora, tanto pela dificuldade para enxergar, como pela complexidade da linguagem ou pela quantidade de possíveis efeitos que cada medicamento potencialmente pode provocar. Mas essa deveria ser uma tarefa levada mais a sério pelos consumidores, especialmente aqueles que desobedecem à regra básica de buscar a consulta de um médico.

As reações positivas dos medicamentos, os chamados efeitos terapêuticos, muitas vezes podem ser acompanhados por efeitos colaterais, que podem ser de pequena ou grande monta. Por isso, sempre é necessário reportar ao médico as reações e não é aconselhável interromper a medicação sem a consulta prévia. Muitas vezes os efeitos colaterais são esperados e entram no campo dos inevitáveis.

As reações dependem de cada indivíduo e variam de acordo com a assimilação da droga pelo organismo. As bulas, por isso são extensas. Elas buscam relatar o máximo de hipóteses possível. Quanto mais o médico conhece o paciente, menores são as possibilidades de reações adversas.

Alguns efeitos comuns provocados por diferentes drogas são a sonolência, boca, nariz ou garganta secos, tontura, prisão de ventre, diarreia, retenção de líquidos, diminuição da sudorese, dor de cabeça, insônia, coceira e palpitações. São problemas relatados e que medidas como alteração da alimentação, dos horários de dormir e de trabalhar ou no próprio horário de tomar os remédios pode minorar o desconforto.

Em geral são problemas temporários. Mas não se deve minimizá-los, pois há aqueles mais graves e que podem, por exemplo, afetar o sistema circulatório. Há, mesmo, efeitos só identificados por meio de exames laboratoriais.

Nos EUA, estudo do Government Accountability Office) as mulheres são mais sensíveis a sofrerem com os efeitos colaterais do que os homens, especialmente quando ingerem remédios contra a insônia. O trabalho indicou que oito em cada dez drogas retiradas do mercado entre 1997 e 2000 levavam mais riscos às mulheres do que aos homens. Uma possível causa desta diferença seria a maior variação hormonal das mulheres.

Portanto, não se descuide. Nada de automedicação e procure sempre o médico.

 

Postado por flaviocure às 23:30

Compartilhe:

Nenhum comentário

Quando é hora de resistir à tentação

Esta semana um paciente me enviou um e-mail com uma matéria publicado no site UOL que me fez lembrar duas famosas frases. Uma do escritor Oscar Wilde: “Resista a tudo, menos à tentação”. A outra, em tempos de visita do papa Francisco, é parte do “pai nosso”: “E não nos deixei cair em tentação, mas livrai-nos do mal”.

O motivo foi uma pesquisa publicada no veículo, segundo a qual, a forma mais fácil de perder peso é evitar as tentações. Está, portanto, lançado o desafio.

O estudo foi conduzido no campo da neurociência por equipes das universidades de Cambridge e de Dusseldorf e publicado no periódico “Neuron”. A conclusão foi de que em vez de se arriscar para que a “força de vontade” prevaleça, é mais adequado evitar a tentação. Ou seja, na hora de ir ao supermercado fazer compras, não leve para casa nada que possa desviar do regime. Quem quer evitar a cerveja ou o chocolate, deixe-os nas prateleiras e não na geladeira ou no armário.

A neurocientista Molly Crockett, responsável pelo estudo, indica que esta antecipação dos problemas é uma importante forma de autocontrole que pode ser implementada.

Os dois estudos foram feitos com grupos de homens com idades entre 18 e 35 anos e concluem que os humanos podem resistir às tentações. Mas, vale lembrar, a força de vontade pode ser perturbada por emoções, além de variar em função do fator tempo. A capacidade de criar estratégias de autocontrole é um diferencial que deve ser utilizado e que pode ser decisivo contra um vilão que está sempre à espreita: o impulso. É um problema conhecido por todos. Seja no que se refere à comida e bebida ou ao uso do cartão de crédito. Por isso, devemos estar atentos aos subterfúgios que inventamos para cedermos às tentações. O cérebro precisa estar disciplinado para evitar o risco.

Portanto, o comprometimento com sua própria saúde é o que deve levar à adoção de estratégias que evitem a tentação. A prevenção contra diferentes males passa por essa consciência. Os objetivos de longo prazo na saúde são construídos em pequenos passos, pequenas atitudes.

No que tange a alimentação, por exemplo, algumas estratégias são indicadas pelo UOL para evitar a tentação. São elas:

1) Horário: organize-se para estar com fome na hora das refeições

2) Descanse: ao chegar em casa, não avance na geladeira. Descanse antes de se alimentar

3) Sente-se: não coma antes de se sentar a mesa. Pare, observe e pense no que você irá comer

4) Comece pela salada: inicie o almoço por uma salada. Além de ter sais minerais ajuda o intestino a funcionar melhor

5) Prato bonito: coloque a comida no prato de forma bonita, atraente, que estimule a saborear os ingredientes tornando o momento mais prazeroso

6) Coma devagar: coma devagar, mastigue sem pressa e sinta o sabor real dos alimentos

7) Não guarde para o final: não deixe para o fim o que você mais gosta: esse hábito facilita que se coma em excesso

8) Foco nos objetivos: não fique pensando no que você não gosta no seu corpo. Fixe no que você quer para o seu corpo, seu objetivo

9) Controle a ansiedade: quando você estiver com ansiedade, procure ver o que está lhe causando esta tensão e se proponha a resolver. Não desconte na comida esse nervosismo

10) Beba água: beba entre um e dois litros de água diariamente. Além de melhorar a eliminação e o metabolismo, o hábito torna sua pele mais bonita

Portanto, pelo menos nessas atitudes relativas à sua saúde, vale deixar o conselho do Oscar Wilde de lado e se prevenir.

Bom fim de semana.

 

Postado por flaviocure às 21:09

Compartilhe:

Nenhum comentário

Pular café da manhã aumenta risco cardíaco

Homens que regularmente deixam de tomar o café da manhã têm 27% mais riscos de sofrerem um ataque cardíaco do que aqueles que comem a refeição, segundo estudo liderado por Leah Cahill, pesquisadora de pós-doutorado canadense em nutrição da Harvard School of Public Health, de Boston. O trabalho foi publicado na edição desta segunda-feira da revista Circulation.

A equipe de Cahill analisou dados de questionários alimentares de 1992 e acompanhou por 16 anos 26.902 pessoas do sexo masculino com idades entre 45 a 82 anos. Um total de 13% disseram que pularam regularmente o café da manhã. Durante o estudo, 1.572 dos homens teve um primeiro evento cardíaco, como um ataque cardíaco.

Os pesquisadores identificaram um conjunto de fatores segundo o qual aqueles que saltam o café da manhã também têm hábitos como fumar, beber e serem menos ativos fisicamente. O sono, lembra Cahill, ativa uma espécie de “modo de proteção” do organismo, com liberação de insulina e colesterol, além de aumento da pressão sanguínea. A quebra do jejum pela manhã serviria para restabelecer o metabolismo e evitar uma pressão extra sobre o organismo, que repetida, levaria às doenças cardíacas.

Há muito é repetido que o desjejum proporcionado pelo café da manhã é a mais importante refeição do dia, vale, portanto, seguir a sabedoria popular e não negligenciá-lo.  A orientação serve principalmente para o principal grupo que pula o desjejum, que normalmente são os mais jovens, solteiros e que trabalham em tempo integral. Em geral os que pulam o café acreditam que compensam depois comendo maiores quantidades. Na realidade um erro para cobrir outro.

Além de fazer o desjejum vale ter atenção ao que se come nesta refeição. Valem os mesmos conselhos que damos para as demais. Privilegiar as frutas, os cereais, leite e iogurte é uma boa opção. Nada de começar o dia já apelando para alimentos gordurosos, industrializados e com excesso de sódio.

Por isso, previna-se. Não pule refeições, coma com regularidade e escolha alimentos saudáveis. Faça a sua parte.

 

Postado por flaviocure às 19:19

Compartilhe:

Nenhum comentário