publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

Cuidados com a gordurinha da cintura

Chegou o período das festas de fim de ano. São almoços, encontros de empresas, reuniões com amigos e família. Muitas atrações nas mesas, bebidas, petiscos, comidas deliciosas que são uma tentação contra os regimes. Vou, então, dedicar alguns artigos para ajudar a compatibilizar o prazer da festa com a manutenção da saúde.

Hoje o foco é o excesso de gordura acumulada na cintura, a circunferência abdominal como risco para doenças cardíacas. Há muito é sabido que inúmeros casos de morte prematura têm vínculo com este fator, que contribui para coronariopatia, hipertensão, diabetes do tipo II e elevação dos níveis de ácido úrico no sangue, por exemplo.

É interessante atentar para o fato que este acúmulo de gordura abdominal nem sempre está associado ao que classicamente é considerada uma pessoa obesa. Muitos têm um peso geral dentro da faixa recomendadas, mas mantém esse acúmulo de gordura na região abdominal. Essa gordura acumulada, especialmente localizada entre as vísceras humanas, age no organismo e secreta substâncias inflamatórias que levam às doenças. Mesmo pessoas com índices de massa corporal (IMC) baixos, apresentam o problema.

Mas, então, o que fazer? Primeiro passo: procurar auxílio profissional. Um médico, que solicitará os exames necessários para avaliar o quadro. E, também, já ir adotando medidas para uma vida mais saudável, com a prática de atividades físicas e hábitos alimentares que privilegiem alimentos como as frutas, legumes, verduras, além da redução de açúcares, sal, produtos industrializados e bebidas alcoólicas, por exemplo.

Quem tem dúvida sobre se está no grupo de risco pode fazer a própria checagem com uma simples fita métrica. Basta medir na altura do umbigo, com o abdome relaxado durante a expiração.  O ideal é que as medidas fiquem em até 80 cm para as mulheres e 94 cm para os homens. O alerta deve ser ligado caso esteja além dos 88 cm para as mulheres e de 102cm para os homens.

Portanto, previna-se. Organize seu calendário de festas, aproveite todas, mas não relaxe com a saúde.

Bom fim de semana.

 

Postado por flaviocure às 18:34

Compartilhe:

Nenhum comentário

Criança amamentada até os seis meses tem maior QI

Mamar no peito materno pode fazer as crianças ficarem mais inteligentes, aponta um estudo brasileiro feito com recém nascidos da cidade de Pelotas, no Rio Grande do Sul, e divulgado pelo

O trabalho coordenado pela médica pediatra Ana Fonseca,  do Programa de Pós-graduação em Saúde e Comportamento da Universidade Católica de Pelotas, destaca que o aleitamento materno contribui para a maior capacidade intelectual das crianças, como também fortalece os vínculos entre as mães e bebês, com diferentes benefícios às suas saúdes.

Embora não seja aquilo que possamos chamar de novidade, é importante destacar a relevância deste tipo de iniciativa para acompanhamento da realidade nacional, uma vez que o estudo foi feito no país e analisou crianças sob uma perspectiva diferenciada. Houve preocupações como correlacionar o nível de escolaridade das mães e os níveis socioeconômicos das famílias. Dessa forma, descontadas as possíveis interferências, chegou-se ao resultado final, cuja conclusão é de que, independentemente desses fatores, o aleitamento tem relação com o QI.

Vale ainda ressaltar que a amamentação tem benefícios como a redução da morbidade e mortalidade por doenças infecciosas.

A pesquisa envolveu nascidos no período entre setembro de 2002 e maio de 2003, seguida de um amostra aleatória de 30% destes, aos 30, 90 e 180 dias. Depois novamente aos oito anos de idade.  Todos eram residentes na zona urbana de Pelotas.  No período do estudo nasceram 3449 crianças, das quais aos 30 dias, foram acompanhadas 951 crianças ; aos 90 dias, 940 (3,4% de perdas) e, aos seis meses, 931 (4,3% de perdas). Aos oito anos 616 crianças foram localizadas, sendo que, 560 participaram da segunda visita para aplicação do teste de avaliação (Raven).

Das 560 duplas binômios acompanhados,  a maioria apertada –infelizmente-, 296 (52,9%),  mães amamentaram seus bebês até pelo menos o sexto mês de vida. Cerca de metade da amostra 247 (44,1%) recebeu aleitamento materno exclusivo até o terceiro mês de vida e, apenas, 45 (8%) mães amamentaram seus filhos por menos de 30 dias. Aos seis meses apenas 88 (15,7%) crianças estavam recebendo aleitamento materno exclusivo.

Portanto, mães e pais, está provado que vale o esforço, mesmo em meio as atribuladas rotinas que – cada vez mais – comprometem o tempo das mulheres.

 

Postado por flaviocure às 18:29

Compartilhe:

Nenhum comentário

Mais um motivo para controlar o colesterol

Mais um motivo parar manter o colesterol sob controle é destaque na imprensa internacional. Um estudo divulgado pela

Segundo o estudo, quando o colesterol é processado pelo organismo, é “quebrado” e resulta no subproduto 27HC, cujos efeitos seriam similares ao estrogênio. Este é um hormônio que facilita a disseminação de tumores quando em quantidade excessiva no corpo e está relacionado a diferentes tipos de câncer, como os de ovário e útero. No câncer da mama ele é o responsável por 75% de sua “alimentação”.

Os pesquisadores já fizeram testes com camundongos e concluíram que estes quando recebiam dietas ricas em colesterol e gordura tinham aumentados os níveis de 27HC no sangue e desenvolviam tumores 30% maiores do que outros com dieta regular e balanceada. Testes foram feitos com células humanas cultivadas em laboratórios, que também apresentaram crescimento mais rápido.

Embora ainda não conclusivo em relação aos humanos, o alerta é importante para ampliar a atenção sobre a obesidade, que é sabidamente um dos principais fatores de risco para o câncer de mama. Este é a neoplasia mais comum entre as mulheres brasileiras, excluídos o câncer de pele do tipo não melanoma, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca).

O estudo foi feito pelo Departamento de Farmacologia e Biologia do Câncer na Universidade Duke e financiado pelo National Institutes of Health (NIH), e pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos. Segundo seu principal autor, Donald McDonnell, ainda devem ser feitos estudos clínicos com seres humanos, para verificar o desempenho do 27HC em outros tipos de câncer.

Portanto, mais um motivo para minha pregação constante: alimentação sadia, equilibrada, balanceada. Frutas, verduras, legumes, água, sucos. Procure ficar longe de alimentos industrializados, excesso de bebidas alcóolicas e do sedentarismo. Faça exercícios físicos e evite a obesidade.

Bom fim de semana.

 

Postado por flaviocure às 17:48

Compartilhe:

Nenhum comentário