publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

Estudo produz carne vermelha com menos colesterol

Aqueles que desejam comer carne vermelha (bovina) sem culpa podem vir a ter mais uma opção. Pesquisadores da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA) da Universidade de São Paulo (USP), campus de Pirassununga, desenvolveram uma carne bovina que afirmam ser mais saudável e com menores índices de colesterol e ácidos graxos saturados. A nova carne é fruto de pesquisas e é enriquecida com selênio, óleo de canola e vitamina E.

O estudo teve o apoio da Fapesp e já foi apresentado em congressos internacionais dedicados à ciência e tecnologia da carne e de produção animal, realizados nos últimos meses na França, na Turquia e em Cuba (23ª Reunião da Associação Latino-Americana de Produção Animal), em novembro, segundo informa a entidade.

Marcus Antonio Zanetti, professor da FZEA e coordenador do projeto, explica à Agência Fafesp que as análises laboratoriais e estatísticas de amostras do sangue e da carne dos animais indicaram que o aumento da quantidade de selênio na dieta provocou alterações nas enzimas glutationa oxidada (GSSH) e glutationa reduzida (GSH), que inibem a ação da HMG-CoA redutase, enzima responsável pela síntese do colesterol.

A experiência foi feita com a ração de bois da raça Neolore por três meses, que tiveram o colesterol no sangue e na carne diminuída significativamente, segundo Zanettiu.

A análise em humanos foi feita em um grupo de idosos da cidade de Leme, no interior paulista. A carne dos bovinos alimentados com a ração especial foi incluída (de diferentes preparos: carne moída, almôndega e em ensopados) nas refeições de 80 idosos durante 90 dias, sob supervisão de uma nutricionista.

As pesquisas ainda não concluíram o efeito da dieta sobre o colesterol no sangue dos participantes. Zanetti, no entanto, já comemora o aumento da vitamina E e do selênio. No caso desse último um dos benefícios seria o fato deste mineral ser um antioxidande, capaz de impedir a formação de radicais livres, aumentar a imunidade e combater as infecções.

Os dois compostos adicionados à ração dos bovinos também diminuiu a oxidação da gordura da carne, segundo os pesquisadores. Dessa forma, podem ajudar a ampliar o prazo de validade dos produtos.

Outra notícia positiva, é que a adição dos novos componentes aumentaria o valor final da carne em apenas R$0,20.

 

Postado por flaviocure às 19:00

Compartilhe:

Nenhum comentário

Dois mil passos por mais saúde

Pesquisadores do Hospital Geral Leicester, no Reino Unido, conseguiram precisar em 2.000 passos diários, o que dá em média uma caminhada em ritmo moderado de cerca de 20 minutos, ou cerca de 1,5 km,  ao longo de 12 meses, como o necessário para reduzir os riscos de sofrer um ataque cardíaco ou um acidente vascular cerebral (AVC) em 10%.A pesquisa foi publicada pelo

Foram analisados dados de 9.306 adultos de 40 diferentes países. Para o acompanhamento foi empregado um processo batizado de Navigator, um programa de perda de peso e de exercícios com 150 minutos semanais. Os envolvidos utilizaram um pedômetro por 12 meses, avaliando seus 730 mil passos anuais. A pesquisa ponderou os fatores de risco que tinham potenciais para influenciar os resultados, tais como o histórico pessoal de saúde, com possíveis problemas cardíacos, e suas dietas.

O resultado mostra que mesmo sem grandes sacrifícios é possível alcançar ótimos benefícios apenas com ações cotidianas, como estacionar um pouco mais distante do destino e dar uma caminhada, ou utilizar as escadas, passear com o cachorro ou fazer pequenas compras como ir à padaria, por exemplo.

O estudo apresentado em dezembro passado foi realizado entre janeiro de 2002 e janeiro de 2004 e envolveu pessoas com doença cardiovascular com 50 anos de idade ou menos. E, ainda, no caso dos que ultrapassaram os 55 anos, um fator de risco adicional. Um ponto comum entre eles foi a tolerância à glicose diminuída.

Há tempos que a Organização Mundial da Saúde já recomenda que se dê dez mil passos diários, para manter uma vida saudável. Com esse total haveria a redução de 34% dos riscos cardiovasculares e de 58% para o desenvolvimento de diabetes.

De acordo com os responsáveis pelo estudo, o papel cardioprotetor da atividade física diária decorre da melhora da absorção das gorduras, além da diminuição do cálcio na artéria coronária, que pode levar a uma hipercalcemia, que é elevada concentração de cálcio no no sangue.

Esse estudo vem reforçar nossa permanente cruzada pela prevenção de saúde. Seja com melhores hábitos alimentares, com acompanhamento médico regular, evitando vícios como álcool e fumo, entre outros, ou praticando atividades físicas.

O sedentarismo, está comprovado, é um péssimo aliado e leva a problemas que comprometem a saúde. Alguns visíveis, como a obesidade, mas muitos silenciosos e de difícil percepção sem o olhar clínico, como o diabetes ou a hipertensão.

Portanto, vamos nos mexer. Se uma pequena caminhada já ajuda, o que dizer se transformá-la num hábito real e diário?

Bom fim de semana !

 

Postado por flaviocure às 16:51

Compartilhe:

Nenhum comentário

Teste pode identificar risco de ataque cardíaco

Um novo teste que identifica risco de ataque cardíaco foi apresentado no fim do ano por estudiosos da

O desafio, que será extremamente útil quando for alcançado, é o de identificar as placas antes de ocorrer o ataque cardíaco. Com as imagens obtidas, segundo os pesquisadores, é possível um retrato detalhado do coração e, mais, a localização das zonas com maiores riscos de problemas.

Com a utilização de imagem com método não invasivo, o exame, se confirmada sua eficácia, poderá identificar placas ateroscleróticas coronarianas rompidas ou com alto risco, o  que representa um grande avanço clínico para prevenção e tratamento da doença arterial coronariana.

Foram feitos testes com 40 pacientes com infarto do miocárdio e com outros 40 com angina estável. Os exames empregaram os traçadores radioativos flúor 18F- sódio (18F- NaF) e 18F- fluorodeoxyglucose (18F-FDG ). Entre aqueles com infarto, em 37 foram localizadas as áreas de riscos em suas artérias.

A publicação alerta que ainda é necessário aprofundar os estudos para determinar como e se o método pode melhorar a gestão e o tratamento dos pacientes com doença arterial coronariana.

Confirmadas as pesquisas, teremos, então, um excelente aliado na prevenção da doença que mais mata no mundo, segundo dados da Organização Mundial da Saúde. Afinal, permitirá que se tomem medidas que se antecipem à doença, mesmo que se tenha a avaliação de que nem todas as placas que possam ser detectadas possam vir a causas um ataque cardíaco. Os próximos passos, segundo os condutores da pesquisa, será testar a técnica em pacientes de alto risco, incluídos alguns que estão prestes a serem operados.

Vale destacar que a ruptura da placa aterosclerótica coronariana é a principal precipitante de infarto agudo do miocárdio e uma importante causa de morte súbita cardíaca. Atualmente é um desafio prever a ruptura, pois a maioria das placas são não-obstrutivas e não são identificadas por testes de estresse ou angiografia. Esse desenvolvimento de técnicas de imagem moleculares modernas dirigidas a esses recursos pode levar à identificação de tais placas de alto risco ao vivo e orientar o desenvolvimento de novas estratégias para tratamentos.

Vamos aguardar e torcer para que os testes comprovem a eficácia.

 

Postado por flaviocure às 17:32

Compartilhe:

Nenhum comentário