publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

Infecção urinária, como evitar

Aproximadamente 30% das mulheres entre os 15 e 50 anos sofrem com infecção urinária, a mais comum das infecções bacterianas nos seres humanos. Nos homens a doença ocorre] principalmente durante a infância e a partir dos 55 anos, geralmente devido a distúrbios na próstata.

São diferentes formas de manifestação da patologia que ocorre em qualquer parte do aparelho urinário, seja na uretra, na bexiga ou nos rins. Em cada caso recebe um nome diferente. Nos rins é pielonefrite. Na bexiga é cistite, na uretra é uretrite ou na abertura da vagina é vulvovaginite.

Para prevenir uma preocupação básica é a hidratação. Beber água é fundamental para a atividade do aparelho urinário. Assim como fazer xixi logo que o cérebro avisa que a bexiga está cheia. Quem deixa para depois se arrisca, pois a uretra fica mais suja e pode facilitar a infecção. Outra preocupação deve ser com a cor da urina. O normal é que ela seja clara. Se estiver amarelada além do usual, pode ser por falta de hidratação ou em função de algum alimento específico, além do uso de medicamentos.

Vale lembrar que o primeiro xixi do dia pode ser mais escuro, pois à noite há a secreção hormonal que aumenta a absorção de água e provoca a concentração da urina. Se identificar sangue, não titubeie. Procure logo um médico, pois a presença de sangue pode indicar a existência de pedras nos rins, doenças de próstata, traumas, tumores ou infecções, por exemplo.

As mulheres devem ter preocupações extras em relação à higiene íntima. Afinal, a proximidade entre a vagina e o ânus é um fator de risco para as infecções. Por isso, deve haver muito cuidado com a utilização adequada do papel higiênico evitando passa-lo, ainda que involuntariamente, nos dois órgãos, para não permitir a migração de bactérias intestinais até a vulva.

Mais uma dica para ambos os sexos é procurar urinar após o sexo. O motivo é evitar que as bactérias envolvidas na relação contamine a região pélvica da mulher. O xixi exercita o aparelho urinário e elimina boa parte das bactérias que podem ter acessado a uretra a caminho da bexiga. O uso do chuveirinho é indicado para as mulheres, assim como sabonetes íntimos, com os cuidados no número de utilizações por dia, para não prejudicar o equilíbrio da flora bacteriana própria da vagina. Também lembrar de trocar os absorventes íntimos regularmente é necessário.

Alguns fatores e momentos aumentam o risco da doença, tais como a gravidez, que diminui as defesas do organismo feminino; o diabetes; o climatério e infecções ginecológicas, entre outros. Os sintomas da doença são a vontade de urinar diversas vezes, sempre em pequenas quantidades, dor e ardência na hora de urinar, dificuldade para começar a urinar, urina com cor alterada ou mau cheiro, o sangue na urina e a urgência em urinar.

Fique atento e previna-se.

Postado por flaviocure às 16:39

Compartilhe:

Nenhum comentário