publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

Sarcopenia, o que é e como se prevenir

Com o passar dos anos, todos sabemos, as pessoas vão ficando menos fortes, menos ageis, com menos massa muscular. Múltiplos fatores levam a este fenômeno, tais como alterações no processo de síntese de proteínas e alterações hormonais, sendo que a perda de massa muscular começa aos 25 anos de idade, com queda por volta de 0,5% ao ano, progressivamente, até alcançar 1% ao ano depois dos 65 anos de idade e, a partir dos 70 anos, avança até 3% anualmente.

Nas últimas décadas, com o aumento da expectativa de vida da população ao redor do mundo (estima-se que, de 1996 a 2025, o percentual de idosos aumentará cerca de 200% nos países em desenvolvimento), o problema tem exigido maior atenção. A previsão para 2025 é de um aumento de mais de 33 milhões, tornando o Brasil o sexto país com maior percentual populacional de idosos no mundo.

A preocupação é grande, principalmente por parte daqueles que visam envelhecer mantendo sua independência, uma vez que diferentes problemas decorrem deste fenômeno, conhecido como sarcopenia, tais como a maior fragilidade dos idosos que resultam em perda de agilidade, diminuição de peso recente, fadiga, diminuição da velocidade da caminhada, redução do equilíbrio, riscos de quedas e fraturas. Espaços públicos e privados demandam adaptações para oferecer maior conforto e segurança à população

Mas individualmente também se sucedem os estudos para avaliar as melhores formas de enfrentar esse processo. Eu prego a linha da prevenção contínua. Isso significa que ao longo da vida as pessoas devem adotar hábitos saudáveis, seja na alimentação, seja nas atividades físicas. Manter músculos e cérebro em funcionamento é o melhor caminho para envelhecer com saúde.

Aos que me procuram em busca de atalhos, como o consumo de suplementos alimentares, digo que não é a melhor opção. Recentemente um estudo publicado na revista especializada Clinical Interventions in Aging, ratifica esta posição.

Pesquisadores do Conselho de Pesquisa Médica da Unidade de Epidemiologia da Universidade de Southampton, no Reino Unido, concluíram que o consumo desses “aditivos” têm “fracas evidências” de que realmente melhoram as condições musculares dos idosos. O trabalho revisou 17 estudos que relacionavam a prática de exercícios físicos por homens e mulheres acima dos 65 anos de idade com o consumo dos suplementos. A pesquisadora que conduziu o estudo, Sian Robinson, afirma que não há evidencias para recomendação clínica dos produtos. Isso não significa que não possam ser benéficos se consumidos dentro de uma dieta planejada.

A melhor prevenção se dá com a adoção de um estilo de vida que contemple os exercícios de força e alimentação balanceada. Além de se evitar o fumo, manter o controle sobre a glicemia. No caso de o processo já estar em evidente desenvolvimentos, associar essas ações com os suplementos pode ser uma opção sob recomendação médica, nunca por iniciativa própria.

Portanto, não deixe para depois.  Comece já a se prevenir, faça a sua parte e bom fim de semana.

 

 

Postado por flaviocure às 18:35

Compartilhe:

1 Comentário