publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

Poluentes podem provocar diabetes

Desde 2004 a convenção de Estocolmo determina aos países medidas para eliminação de poluentes orgânicos persistentes (Pops). No entanto, ainda temos uma elevada exposição aos pesticidas. Agora um estudo britânico relaciona estes produtos à elevação em até 64% dos riscos de surgimento do diabetes, em função de problemas metabólicos.

Para quem se habituou a uma dieta equilibrada, com o controle de produtos tradicionalmente indicados como os vilões para a doença, como os açúcares e a gordura, o trabalho traz uma dificuldade adicional, pois o inimigo fica oculto. Os pesticidas e demais compostos químicos prejudiciais à saúde podem estar em alimentos tidos como saudáveis, mesmo vegetais ou peixes, uma vez que ficam armazenados no solo por anos. Dessa forma, podem passar aos alimentos em sucessivas safras, assim como para o organismo dos animais, que além de serem – muitas vezes consumidos por humanos – também sofrem, eles próprios, com diferentes doenças.

O DDT, por exemplo, leva até 30 anos para sumir de solos e águas contaminados. O tricolor, usado para exterminar baratas e carrapatos é um inseticida que pode aumentar as chances de desenvolver o diabetes em quase 250% para aqueles que tiveram ao menos dez exposições à substância, conforme o Instituto Nacional de Saúde norte-americano (NIH), profissionais que trabalham diretamente com a aplicação de pesticidas podem ter um risco 200% maior de adquirir a doença.

O trabalho foi realizado por pesquisadores da Escola de Saúde Pública da Imperial College, de Londres, e apresentado no encontro da Associação Europeia para o Estudo de Diabetes, realizado neste mês em Estocolmo. Foram analisadas 21 pesquisas que avaliavam a relação entre os pesticidas e o diabetes em mais de 66 mil pessoas de diferentes países.

Um dos autores, Evangelos Evangelou, pesquisador da Escola de Saúde Pública da Imperial College, de Londres, admite que o material analisado não chega a explicar o mecanismo que liga os pesticidas à doença. Mas diz que outros trabalhos com animais e em testes in vitro mostram que os pesticidas podem estimular a resistência à insulina, o que levaria ao desenvolvimento do diabetes tipo 2. Por isso, considera ainda ser necessária a realização de uma revisão sistemática dos mecanismos do desenvolvimento desse diabetes por meio dos pesticidas e contaminantes orgânicos em geral.

Os poluentes que contribuem para o desenvolvimento do diabetes ficariam, segundo os pesquisadores, armazenados nos tecidos adiposos dos amimais (humanos, vacas, peixes etc) ao longo de temo suficiente para provocar a doença.

Já é hora de empresas e governos assumirem suas responsabilidades e melhorarem as tecnologias que possam impedir a disseminação desses poluentes. Essa é uma forma necessária para prevenir as doenças e preservar a população. Que não seja por questões humanitárias, pelo menos pelas econômicas. Afinal, a doença sempre custa mais do que a saúde.

 

Postado por flaviocure às 19:06

Compartilhe:

Nenhum comentário