publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

A meditação no trabalho reduz o estresse e aumenta a moral

Como que a meditação melhora o ambiente estressante de trabalho

 

 

O estresse afeta milhões de trabalhadores americanos, causando perda em produtividade e aumento em assistência médica para as empresas.

Um novo estudo revela que a solução pode estar na meditação.

Pesquisadores do instituto de bem estar da Cleveland Clinic descobriram que técnicas para “esvaziar a mente”, incluindo a meditação, podem abaixar os níveis de estresse em um ambiente agitado de trabalho, deixando os funcionários felizes e mais engajados.

Em um estudo de um ano de duração, pesquisadores introduziram um programa online de gestão de estresse em uma central de atendimento corporativo. Após oito semanas de intervenção, os funcionários participantes perceberam mais energia e menos cansaço, ansiedade e depressão. Muitos disseram também que estavam dormindo melhor e perdendo peso. Mudanças psicológicas positivas foram evidentes durante o ano que se passou.

A diretora do setor de bem estar para funcionários e serviços da Cleveland Clinic, Jennifer Hunter diz que é significativo que as mudanças positivas estão se mantendo, propiciando melhorias permanentes para os participantes do programa. Um ano após o programa, os participantes relataram:

-31 porcento de redução do nível de estresse

-28 porcento de aumento em vitalidade, uma medida de como energizada a pessoa se sente durante o dia de trabalho.

 

O estudo foi publicado no Journal of Occupational and Environmental Medicine e pode ser achado online no link http://bit.ly/1RydLO6.

 

A pesquisa tinha como objetivo determinar se um programa de baixo custo funcionaria em um ambiente exaustivo de trabalho. Uma central de atendimento perto de Cleveland no setor da indústria de varejo atenderia os critérios do estudo. Muitos dos funcionários trabalham com cobrança de dívidas (um dos trabalhos mais estressantes nos Estados Unidos).

Especialistas do bem estar introduziram técnicas de meditação baseadas no conceito da “mente vazia” e conhecimento pessoal, os quais, tem como resultado a diminuição do estresse e a transformação dos desafios diários menos assustadores.

Os 161 participantes foram divididos de forma aleatória em quatro grupos, incluindo um grupo de controle que não recebeu o tratamento. Membros dos 3 grupos receberam acesso online ao programa. Foi pedido para que os participantes praticassem as técnicas de relaxamento pelo menos 4 vezes por semana. Enquanto 1 grupo foi deixado para seguir o tratamento sozinho os outros foram divididos em times que se encontravam uma vez por semana. Em todos os 3 grupos o nível de estresse diminuiu de forma impressionante. Todos os participantes reportaram diminuição de estresse e exaustão. A interação do grupo melhorou os resultados.

 

-Os participantes que se encontravam em grupo mostraram as maiores taxas de finalização do programa. Entre 80 a 90 por cento dos membros completaram as oito semanas e meia de programa.

-Para os que não se reuniram em grupos as taxas de finalização caíram 40 por cento, o que é normal para um programa online.

 

Os pesquisadores chegaram à conclusão que o suporte de colegas de trabalho e discussões em grupo ajudou os participantes a continuar no programa.

O estresse não revolvido é uma das grandes causas de doenças crônicas no mundo e esta associado a doenças cardíacas, derrame, câncer e demência.

Essa matéria mostra que mesmo que não possamos eliminar os eventos que nos causam estresse, nós podemos sempre administra-los.

Caso o estresse persista procure um médico.

Fonte: Cleveland Clinic

 

Postado por flaviocure às 12:34

Compartilhe:

Nenhum comentário

Como o sono pode afetar seu coração?

 

Uma apneia do sono incomum pode estar ligada a arritmia cardíaca perigosa.

 

Há bastante tempo, pesquisadores já sabem que existe uma ligação entre uma forma comum de apneia do sono (uma desordem aonde a respiração é interrompida rápida e repetidamente) com problemas cardiovasculares como pressão arterial alta, arritmia, acidente vascular encefálico e insuficiência cardíaca. Porém, estudos mostram que uma forma menos comum de apneia do sono (que geralmente afeta homens com idade mais avançada) tem mais chances de desenvolver problemas cardíacos .

 

 

Arritmia cardíaca

 

O estudo abordou dois tipos de apneia do sono, a obstrutiva e a central.

Apneia obstrutiva do sono (SAOS) é a forma mais comum de apneia do sono e acreditasse que afeta 15 milhões de indivíduos nos Estados Unidos. A SAOS acontece quando as vias aéreas superiores são bloqueadas completamente ou parcialmente durante o sono. Quando isso acontece, o diafragma e os músculos do tórax trabalham de maneira mais intensa , aumentando a pressão dentro do tórax para que as vias aéreas se abram novamente. A respiração geralmente volta ,com espasmos corporais ou com um forte suspiro. Esses episódios podem interferir com a qualidade  do sono, reduzir o fluxo sanguíneo para órgãos vitais e causar irregularidades no ritmo cardíaco e na pressão arterial.

A apneia central do sono (ACS) é uma forma menos comum de desordem do sono. A ACS acontece quando o cérebro falha em enviar sinais para os músculos por causa de instabilidade no centro de controle respiratório. A ACS tem esse nome por estar relacionada com a funcionalidade do sistema nervoso central. A apneia central do sono é, em sua maioria, causada por problemas e condições médicas que afetam o tronco encefálico.

Um  estudo recente, desenvolvido na Cleveland Clinic Foundation, acompanhou um grupo de homens idosos por um período de seis anos e meio e descobriu que a maior parte dos homens que tinham ACS (85%) desenvolveram arritmia cardíaca e dessas 43%  foi a fibrilação atrial.

Enquanto estudos anteriores procuravam uma relação entre SAOS e fibrilação atrial, esse estudo atual mostra a conexão entre ACS e problemas cardíacos.

“Nesse estudo, também focamos nessas relações, mas curiosamente descobrimos que a apneia obstrutiva do sono tem menos associação com fibrilação atrial que a apneia central.” Disse a doutora Mehra da Cleveland Clinic Foundation.

A apneia do sono em geral é mais comum em homens do que mulheres, e ainda mais comum em adultos mais velhos.

“Os dados suportam que a apneia central esta ligada ao desenvolvimento deste tipo de arritmia,” Diz a Doutora Mehra. “Agora sabemos  que o tratamento da apneia pode reduzir o desenvolvimento da fibrilação atrial, que pode ter consequências catastróficas”.

Estudos anteriores já apresentavam dados positivos entre o tratamento da apneia com a redução de recorrências do ritmo cardíaco anormal, mas não tão incisivos.

 

Opções de tratamento

 

Algumas formas de controlar a apneia do sono:

-Use pressão positiva continua nas vias respiratórias (CPAP). Esse é o tratamento padrão para a apneia do sono, que envolve a uso de uma mascara respiratória no nariz ou boca enquanto dormimos. Uma máquina empurra gentilmente o ar pela mascara evitando o fechamento das vias respiratórias. A doutora Mehra diz que esse tratamento é efetivo para SAOS e também para a ACS. Porém, no caso da ACS, também pode ser necessário o uso de outros tratamentos como versões mais avançadas de CPAP, oxigênio suplementar e medicamentos.

-Perder peso fazendo dietas nutritivas, reduzindo a absorção de calorias e praticando exercícios regularmente se estiver acima do peso ou obeso. Depois de perder peso, peça para o médico fazer uma nova avaliação sobre a apneia do sono.

Não deixe de visitar seu médico se você possui os sintomas da apneia do sono.

“É de extrema importância, se você possui esses sintomas, visitar seu médico imediatamente,” Diz a doutora. “Roncos fortes e sonolência diurna são bons indícios de apneia obstrutiva do sono, porém é necessário conversar com um especialista para o diagnóstico.”

Os sintomas da apneia central do sono são um pouco mais difíceis de detectar, mas podem envolver a sensação de sono interrompido e insônia, diz a doutora Mehra.

Se cuide! Prevenir é melhor que remediar.

Fonte: Cleveland Clinic.

Postado por flaviocure às 14:59

Compartilhe:

1 Comentário

16 Maneiras de queimar caloria: Qual a melhor para você?

Como essas 16 atividades físicas aumentam a perda de peso e a saúde cardíaca.

 

Se você atingiu um patamar de peso e não consegue sair dele, exercícios podem ajudar a queimar calorias extras e reduzir a pressão cardíaca e arterial, porém para atingir o seu objetivo já é outra historia…

Por exemplo, se você quiser perder 0,500 kg por semana fazendo exercício, será necessária a queima de 500 calorias extras todos os dias.

Postado por flaviocure às 16:27

Compartilhe:

Nenhum comentário