publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

Exames de sangue podem indicar muitas coisas! Entenda mais!

Os exames a seguir ajudam a determinar o risco de doenças coronárias e ataques cardíacos, ajudam também a guiar o tratamento adequado.

A lipoproteína é uma proteína do sangue que esta associada a maior risco de infarto e derrame.

Nos adultos o nível ideal de lipoproteína é abaixo de 30 mg/dL (miligramas por decilitro).

O sangue deve ser coletado em jejum de 12 horas. Para resultados mais precisos é necessário esperar pelo menos dois meses após um infarto, cirurgia, infecção, ferimento ou gravides.

Ainda não se entende muito a função da lipoproteína no organismo, porém é sabido que se sua quantidade no sangue ultrapassar 30 mg/dl o risco de infarto e derrame aumentam.

Também aumentam os riscos de matéria gorda em enxertos de veias após cirurgia de ponte de safena, estreitamento da artéria coronária após angioplastia e risco de desenvolver coágulos no sangue.

O motivo para essa proteína estar alta são doenças no fígado e genética familiar.

A apolipoproteína A1 (Apo A1) é a maior proteína do bom colesterol (HDL). Níveis baixos de Apo A1 aumentam os riscos de doenças cardiovasculares e são mais comuns em pacientes com uma dieta rica em gorduras, obesidade central e ociosidade.

O nível desejável de Apo A1 em adultos é de 123 mg/dL.

O sangue deve ser coletado com 12 horas em jejum. Para resultados mais específicos é necessário esperar pelo menos dois meses após um infarto, cirurgia, infecção, ferimento ou gravides.

A apolipoproteína B (ApoB) é a maior proteína encontrada nas partículas de colesterol. Novas pesquisas sugerem que a ApoB pode ser o maior indicador de LDL (mau colesterol).

O nível desejado de ApoB é menos de 100 mg/dl e menos de 80 mg/dl em pessoas com doenças cardiovasculares e diabetes.

O sangue deve ser coletado em jejum de 12 horas. Para resultados mais precisos é necessário esperar pelo menos dois meses após um infarto, cirurgia, infecção, ferimento ou gravides.

O fibrinogênio é uma proteína no sangue. Os níveis altos dessa proteína estão ligados ao risco de infarto e doenças vasculares.

O nível ideal de fibrinogênio no sangue menor do que de 300 mg/dl.

O sangue deve ser coletado em jejum de 12 horas. Para resultados mais precisos é necessário esperar pelo menos dois meses após um infarto, cirurgia, infecção, ferimento ou gravides.

Pressão sanguínea alta, peso, LDL e idade estão relacionados a altos níveis de fibrinogênio. O consumo de álcool e o exercício estão relacionados a baixos níveis de fibrinogênio.

O peptídeo natriurético tipo B (BNT) é uma proteína feita pelo coração e encontrada no sangue. níveis altos estão associados a doenças cardiovasculares, infarto e falha no desenvolvimento do coração.

O nível ideal em adultos é de menos de 125 pg/ml.

O sangue pode ser coletado a qualquer momento sem a necessidade de jejum.

A lipoproteína-associada (Lp-PLA2) é uma enzima associada a inflamação, derrame e infarto.

Em adultos o nível ideal é de menos de 200 ng/ml.

O sangue deve ser coletado com 12 horas em jejum. Para resultados mais específicos é necessário esperar pelo menos dois meses após um infarto, cirurgia, infecção, ferimento ou gravides.

Urina albumina/creatinina é uma proteína achada na urina que esta relacionada a doenças no fígado, diabetes e riscos cardiovasculares.

Seu nível ideal em adultos é de mais de 30 mg/g.

A urina pode ser coletada a qualquer hora do dia sem necessidade de jejum.

A pontuação de risco global (PRG) é uma ferramenta que analisa os riscos de uma pessoa, balanceando suas importancias e os riscos que os pacientes tem de desenvolver uma doença ou de ter um infarto nos próximos 10 anos.

Analisando todos os riscos poderemos chegar as seguintes conclusões:

Menos de 10% = risco baixo.
10%-20% = risco moderado.
Acima de 20% = risco alto.

Para saber mais procure o seu médico!

Postado por flaviocure às 15:15

Compartilhe:

Nenhum comentário

Você sabe o que é um “Tilt Test “?

A síncope e o teste de inclinação (Tilt Test):

O teste de inclinação(Tilt Test) registra a pressão sanguínea e o batimento cardíaco do paciente, enquanto a cama em que o mesmo se encontra inclina-se em diversos ângulos.

Os resultados desse teste ajudam ao médico a descobrir o que esta causando os sintomas de tonteira ou desmaio (síncope).

Além de orientar na escolha de outros exames, o teste também ajuda na avaliação do batimento cardíaco e pressão sanguínea.

Os riscos e benefícios do teste de inclinação devem ser discutidos com o médico. Se necessário, o teste será modificado para minimizar possíveis efeitos indesejados.

Entre eles, o mais comum é o inchaço e desconforto no local aonde foi aplicada a infusão intravenosa.

A síncope é o breve período onde ha uma perda de consciência e equilíbrio, causada pela falta temporária de fluxo sanguíneo no cérebro.

Ela pode estar associada a uma abrupta diminuição da pressão arterial ou da frequência cardíaca com mudanças no volume e distribuição sanguínea.

O paciente geralmente retoma a consciência e fica alerta rapidamente, porém pode sentir confusão mental durante um pequeno período de tempo.

A síncope pode estar relacionada ao coração, sistema nervoso ou fluxo sanguíneo no cérebro.

Para saber mais procure o seu médico!

Postado por flaviocure às 13:59

Compartilhe:

Nenhum comentário

A importância da reposição hormonal

O estrogênio e a  progesterona são os hormônios produzidos pelos ovários femininos.

O estrogênio engrossa o forro do útero, preparando o mesmo para uma possível implantação de um ovo fertilizado.

Ele também influencia o metabolismo do cálcio, mantem níveis seguros do colesterol no sangue e ajuda a manter a integridade da vagina.

Quando a menopausa se aproxima, os ovários reduzem a produção desses hormônios. Níveis baixos de estrogênios podem causar sintomas como picos de calor e condições médicas como a osteoporose.

A reposição hormonal é um tratamento que repõe o estrogênio e progesterona no organismo quando os ovários não os produzem mais.

Durante a reposição a progesterona é usada por mulheres que ainda possuem útero. Se a progesterona não for usada nessas mulheres , durante o tratamento,  o risco de câncer do endométrio aumenta.

As mulheres que tiveram seus úteros removidos geralmente não precisam tomar progesterona.

A terapia de hormônios tem como objetivos principais aliviar os picos de calor, aridez vaginal e outros sintomas como suor noturno e pele seca.

Outros benefícios da terapia são a redução do risco de osteoporose, melhora do humor,  diminuição de risco do câncer de cólon e diabetes e diminuição do índice de mortalidade nas mulheres com 50 anos.

Os riscos da terapia podem em sua maioria ser controlados, são eles:

 

-O risco de câncer do endométrio (aparece quando, a mulher que ainda possui o útero, faz a terapia tomando somente o estrogênio sem a progesterona).

-Aumenta o risco de complicações na vesícula biliar.

-Coágulos no sangue e derrame ( Porém não existem estatísticas de complicações em mulheres com apenas 5 anos de menopausa).

-O risco de demência ( se a mulher que começou a terapia já esta a mais de 10 anos na menopausa).

-Doenças do coração ( se a terapia começar após os 60 anos de idade).

-Câncer de mama ( se a terapia com estrogênio e progesterona durar mais de 3 anos).

O tratamento não deve ser feito em mulheres que tiveram:

 

-Câncer de mama.

-Câncer do endométrio.

-Sangramento vaginal anormal.

-Histórico de derrame.

-Coágulos no sangue recorrentes.

-Doença no fígado.

-E que tenham suspeita de gravidez.

Os efeitos colaterais incluem manchas irregulares no corpo, sensibilidade na mama, menstruação, retenção de água, descoloração e irritação da pele.

A terapia de hormônios é muito importante!

Procure o seu médico para mais informações!

 

Postado por flaviocure às 13:13

Compartilhe:

Nenhum comentário