publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

Vamos Abraçar o Setembro Amarelo?

Na grande maioria dos casos, o suicídio pode ser prevenido. Estudos sugerem que o melhor jeito de prevenção é entender os fatores de risco.

Não se trata de uma doença, porém é a consequência de diversas desordens mentais, particularmente depressão profunda.

As taxas de suicídio são maiores em adolescentes, adultos jovens e idosos, sendo a maior em idosos acima de 65 anos.

O risco também é alto nos seguintes grupos:

 

– Idosos que perderam a esposa.

– Pessoas que tentaram cometer suicídio anteriormente.

– Pessoas com histórico familiar de suicídios.

– Pessoas com histórico de abuso físico, emocional ou sexual.

– Pessoas que possuíam amigos que cometeram suicídio.

– Pessoas solteiras e desempregadas.

– Pessoas com dor crônica ou doenças incapacitantes ou terminais.

– Pessoas com comportamento violento e impulsivo.

– Pessoas que acabaram de sair de hospitalização psiquiátrica.

– Pessoas com profissões específicas, como policiais e assistentes de saúde que lidam com pacientes terminais.

– Pessoas com problemas de abuso de drogas.

Quais são os sinais de alerta para o suicídio?

 

– Tristeza excessiva. Longos períodos de tristeza podem ser um sinal de depressão, que é a maior causa para o suicídio.

– Calma repentina. A calma repentina depois de um longo período de depressão pode ser um sinal de que a pessoa tenha decidido se matar.

– Afastamento. Preferir ficar sozinho e evitar atividades sociais pode ser um sintoma de depressão.

– Mudanças na personalidade e aparência. Mudanças de comportamento e atitudes como falar e se mover de forma rápida ou lenta ou parar de ligar para a aparência podem ser sinais de um suicida.

– Comportamento perigoso ou auto prejudicial. Direção perigosa, sexo sem proteção, abuso de drogas são sinais de que a pessoa não valoriza mais a vida.

– Trauma recente ou crise. A morte de um ente querido ou bichinho de estimação, o termino de uma relação, a perda de um emprego podem ser situações que causem depressão.

– Fazer preparativos. Visitar amigos e família, doar bens materiais, fazer testamento entre outras podem ser sinais de que a pessoa está pensando em acabar com a própria vida.

– Ameaçar. Mesmo que possa não acontecer, é importante levar a sério qualquer ameaça de suicídio.

Pessoas que tem acesso ao suporte familiar e serviços de saúde mental tem menos probabilidade de agir nos impulsos suicidas do que as pessoas isoladas. Se você perceber sinais de suicídio em pessoas conhecidas, não tenha medo de pergunta-las se estão deprimidas ou pensam em suicídio. Em alguns casos a pessoa só precisa saber que alguém se importa e tem tempo para ela. É importante que se confirmada a suspeita, se indique assistência médica.

O que fazer se alguém que você conhece fala sobre cometer suicídio?

 

– Não deixe a pessoa sozinha. Alerte familiares e amigos.

– Peça que a pessoa lhe dê quaisquer armas ou objetos cortantes. Leve embora esses objetos.

– Tente acalmar a pessoa.

– Liga para a emergência ou a leve para a sala de emergência.

A maior arma que possuímos contra o suicídio é a informação!

 

O setembro amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio. Saiba mais sobre a campanha no site setembroamarelo.org.br.

Que esse setembro amarelo seja de conscientização sobre este assunto tão importante.

Um bom final de semana.

FONTE:CLEVELANDCLINIC.

Postado por joaoflavio às 15:49

Compartilhe:

Nenhum comentário