publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

Você sabe como se Prevenir da Asma?

O dia 21 de junho (também marcado pelo início do inverno) é o dia nacional de combate à asma brônquica e seu maior objetivo é alertar para riscos da doença.

Segundo a Associação Brasileira de Asmáticos de São Paulo, 1 entre 4 brasileiros tem asma.

A asma brônquica é uma condição na qual as vias aéreas se estreitam e incham,  produzindo muco extra. Isso pode dificultar a respiração e desencadear tosse, chiado e falta de ar.

Para algumas pessoas, a asma é um incômodo menor. Para outros, pode ser um grande problema que interfere nas atividades diárias e pode apresentar risco de morte.

A asma não pode ser curada, mas seus sintomas podem ser controlados. Como a asma muitas vezes muda com o tempo, é importante que você trabalhe com seu médico para rastrear seus sinais e sintomas e ajustar o tratamento conforme necessário.

Sintomas:

Os sintomas variam de pessoa para pessoa. Você pode ter ataques de asma infrequentes, ter sintomas apenas em determinados momentos, como durante o exercício, ou ter sintomas o tempo todo. Esses sintomas incluem:

– Falta de ar.

– Aperto ou dor no peito.

– Dificuldade para dormir devido à falta de ar e tosse.

– Um assobio ou chiado ao expirar.

– Ataques de tosse ou chiado que são agravados por um vírus respiratório, como resfriado ou gripe. 

Sinais de que asma provavelmente está piorando incluem:

– Sinais e sintomas mais frequentes e incômodos.

– Aumento da dificuldade em respirar.

– A necessidade de usar um inalador de alívio rápido com mais frequência.

Para algumas pessoas, os sinais e sintomas de asma aumentam em determinadas situações:

– Asma induzida por exercício, que pode piorar quando o ar está frio e seco.

– Asma ocupacional, desencadeada por irritantes no local de trabalho, como fumos químicos, gases ou poeira.

– Asma induzida por alergia, desencadeada por substâncias transportadas pelo ar, como pólen, esporos de fungos, resíduos de baratas ou partículas de pele e saliva seca derramada por animais de estimação (pelos de animais).

Ataques graves de asma podem ser fatais. Trabalhe com o seu médico para determinar o que fazer quando os seus sinais e sintomas piorarem, e quando precisar de tratamento de emergência. Sinais de uma emergência de asma incluem:

– Piora rápida de falta de ar ou chiado.

– Nenhuma melhora, mesmo após o uso de um inalador de alívio rápido, como albuterol.

– Falta de ar quando você está fazendo atividade física mínima.

Causas: 

Não está claro por que algumas pessoas têm asma e outras não, mas é provavelmente devido a uma combinação de fatores ambientais e genéticos (herdados).

Gatilhos da asma:

A exposição a vários irritantes e substâncias que provocam alergias (alérgenos) pode desencadear sinais e sintomas de asma. Os disparadores de asma são diferentes de pessoa para pessoa e podem incluir:

– Substâncias transportadas pelo ar, como pólen, ácaros da poeira, esporos de mofo, pelos de animais de estimação ou partículas de resíduos de baratas.

– Infecções respiratórias, como o resfriado comum.

– Atividade física (asma induzida por exercício).

– Ar frio.

– Poluentes do ar e irritantes, como fumaça.

– Certos medicamentos, incluindo beta-bloqueadores, aspirina, ibuprofeno (Advil, Motrin IB, outros) e naproxeno (Aleve).

– Emoções fortes e estresse.

– Sulfitos e conservantes adicionados a alguns tipos de alimentos e bebidas, incluindo camarão, frutas secas, batatas processadas, cerveja e vinho.

– Doença do refluxo gastroesofágico (DRGE), uma condição em que os ácidos estomacais voltam para a garganta.

Fatores de risco: 

Acredita-se que uma série de fatores podem aumentar suas chances de desenvolver asma. Esses incluem:

– Ter um parente (como um pai ou irmão) com asma.

– Ter outra condição alérgica, como dermatite atópica ou rinite alérgica (febre do feno).

– Estar acima do peso.

– Ser fumante .

– Exposição ao fumo passivo.

– Exposição a gases de escape ou outros tipos de poluição.

– Exposição à gatilhos ocupacionais, tais como produtos químicos utilizados na agricultura, cabeleireiro e manufatura.

Complicações:

As complicações da asma incluem:

– Sinais e sintomas que interferem no sono, trabalho ou atividades recreativas.

– Dias de folga do trabalho ou da escola durante as crises de asma.

– Estresse permanente dos tubos brônquicos (remodelação das vias aéreas) que afeta o quanto você pode respirar.

– Visitas de emergência e hospitalizações por ataques de asma graves. 

– Efeitos colaterais do uso prolongado de alguns medicamentos usados ​​para estabilizar a asma grave.

O tratamento adequado faz uma grande diferença na prevenção de complicações a curto e a longo prazo causadas pela asma.

Prevenção:

Embora não haja maneira de prevenir a asma, trabalhando juntos, você e seu médico podem elaborar um plano passo a passo para conviver com sua condição e evitar ataques de asma.

– Siga o seu plano de ação para asma. Com seu médico e equipe de saúde, escreva um plano detalhado para tomar medicamentos e gerenciar um ataque de asma.

A asma é uma condição permanente que requer monitoramento e tratamento regulares.

– Seja vacinado para influenza e pneumonia. Manter-se atualizado com as vacinas pode impedir que a gripe e a pneumonia desencadeiem crises de asma.

– Identifique e evite os desencadeantes da asma. Um número de alérgenos e irritantes ao ar livre, variando de pólen e mofo a ar frio e poluição do ar, podem desencadear ataques de asma. Descubra o que causa ou piora a sua asma e tome medidas para evitar esses gatilhos.

– Monitore sua respiração. Você pode aprender a reconhecer sinais de alerta de um ataque iminente, como leve tosse, chiado ou falta de ar. Mas, como sua função pulmonar pode diminuir antes de perceber qualquer sinal ou sintoma, meça e registre regularmente seu pico de fluxo de ar com um medidor de fluxo de pico em casa.

– Identifique e trate os ataques antecipadamente. Se você agir rapidamente, é menos provável que você tenha um ataque severo. Você também não precisará de muita medicação para controlar seus sintomas.

Quando suas medições de fluxo de pico diminuírem e alertá-lo para um ataque próximo, tome sua medicação conforme as instruções e interrompa imediatamente qualquer atividade que possa ter provocado o ataque. Se os seus sintomas não melhorarem, procure ajuda médica conforme indicado no seu plano de ação. 

– Tome sua medicação conforme prescrito. Só porque sua asma parece estar melhorando, não mude nada sem primeiro falar com seu médico. É uma boa idéia levar seus medicamentos consigo a cada consulta médica, para que seu médico possa confirmar se está usando seus medicamentos corretamente e tomando a dose correta.

– Preste atenção ao aumento do uso de inalador de alívio rápido. Se você está contando com o seu inalador de alívio rápido, como o albuterol, sua asma não está sob controle. Consulte seu médico sobre como ajustar seu tratamento.

O diagnóstico inclui exames físicos, de imagem entre outros.

Classificação:

A asma é classificada em quatro categorias gerais:

– Leve intermitente. Sintomas leves até dois dias por semana e até duas noites por mês.

– Leve persistente. Sintomas mais de duas vezes por semana, mas não mais do que uma vez em um único dia.

– Moderado persistente. Sintomas uma vez ao dia e mais de uma noite por semana.

– Persistente grave. Sintomas ao longo do dia na maioria dos dias e frequentemente à noite.

Tratamento: 

A prevenção e o controle de longo prazo são fundamentais para impedir os ataques de asma antes que eles comecem. O tratamento geralmente envolve aprender a reconhecer seus gatilhos, tomar medidas para evitá-los e rastrear sua respiração para garantir que seus medicamentos diários para asma mantenham os sintomas sob controle. No caso de um surto de asma, você pode precisar usar um inalador de alívio rápido, como o albuterol.

Trabalhe com seu médico para criar um plano de ação para asma que descreva por escrito quando tomar certos medicamentos ou quando aumentar ou diminuir a dose de seus medicamentos com base em seus sintomas. Inclua também uma lista de seus gatilhos e as etapas necessárias para evitá-los.

O seu médico também pode recomendar controlar os seus sintomas de asma ou usar regularmente um medidor de fluxo de pico para monitorar o quão bem o seu tratamento está controlando a sua asma.

A prevenção é a melhor solução! Para mais informações procure o seu médico.

 

FONTE:MAYOCLINIC.

Postado por joaoflavio às 13:19

Compartilhe:

Nenhum comentário