publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

Benefícios e Riscos da Terapia de Reposição Hormonal em Homens:

A terapia de reposição hormonal em homens pode diminuir o risco de doença cardíaca, diabetes e morte, porém os efeitos a longo prazo não são claros.

Baixos níveis de testosterona são comuns com a idade (18% dos homens com 70 anos ou mais), e estão associados à síndrome metabólica (um conjunto de fatores de risco, como colesterol anormal e pressão alta, que aumentam o risco de doenças cardíacas, derrame e diabetes tipo 2, além de outros riscos à saúde).

A testosterona é necessária para:

– Desenvolvimento sexual masculino.

– Função reprodutiva.

– Construção de massa muscular.

– Manter níveis saudáveis ​​de glóbulos vermelhos.

– Manutenção da densidade óssea.

No entanto, a diminuição natural desse hormônio nos homens geralmente não afeta a saúde geral mais do que o processo de envelhecimento.

Especialistas médicos discordam sobre a relevância da diminuição do nível de testosterona. Eles também discordam sobre os benefícios para a saúde provenientes da terapia hormonal para combater o processo de envelhecimento natural nos homens, especialmente devido aos riscos.

Alguns homens com níveis anormalmente baixos de testosterona podem se beneficiar da terapia hormonal. Por exemplo, a condição de hipogonadismo pode causar níveis muito baixos de testosterona, resultando em uma disfunção dos testículos que impede o organismo de produzir a quantidade certa do hormônio.

O que tem sido discutido é se a terapia de reposição hormonal pode beneficiar homens saudáveis ​​cujo declínio de testosterona é causado simplesmente pelo envelhecimento. Essa tem sido uma pergunta difícil para os pesquisadores responderem.
Não são muitos os estudos que observaram os efeitos da terapia com testosterona em homens com níveis saudáveis ​​do hormônio.

Tipos de terapia hormonal para homens:

Se o seu médico sugerir terapia com testosterona, várias opções estão disponíveis. Elas incluem:

– Injeções intramusculares de testosterona. Injeção aplicada no consultório médico, nos músculos das nádegas a cada duas ou três semanas.

– Adesivos de testosterona: Aplicação diária feita pelo próprio paciente nas costas, braços, nádegas ou abdômen.

– Gel de testosterona tópico: O paciente aplica diariamente nos ombros, braços ou abdômen.

Riscos:

Os efeitos colaterais podem variar, podendo ser brandos ou graves.

Efeitos colaterais brandos da terapia hormonal com testosterona incluem:

– Retenção de fluidos.

– Acne.

– Aumento da micção.

Efeitos colaterias severos incluem:

– Aumento das glândulas mamárias.

Efeitos colaterais mais severos incluem:

– Aumentos das glândulas mamárias.

– Diminuição do tamanho dos testículos.

– Agravamento de apneia do sono existente.

– Aumento dos níveis de colesterol.

– Diminuição de produção de esperma.

– Infertilidade.

– Aumento do número de glóbulos vermelhos.

O aumento do número de glóbulos vermelhos pode causar:

– Dor muscular.

– Pressão sanguínea elevada.

– Visão embaçada.

– Dores no peito.

– Coágulos sanguíneos.

A terapia e o câncer de próstata:

Alguns pesquisadores dizem que a terapia com testosterona pode aumentar o risco de câncer de próstata, porém mais pesquisas são necessárias para se entender o vínculo.

No início da década de 1940, os pesquisadores Charles Brenton Huggins e Clarence Hodges descobriram que, quando a produção de testosterona nos homens diminuía, o câncer de próstata parava de crescer. Os pesquisadores também descobriram que dar testosterona a homens com câncer de próstata fez com que o câncer crescesse. Eles concluíram que a testosterona promove o crescimento do câncer de próstata.

A crença de que a testosterona estimula o crescimento do câncer de próstata levou muitos médicos a evitar a prescrição de terapia com testosterona em homens com histórico desse tipo de câncer.

Pesquisas recentes desafiaram a ligação entre a testosterona e o câncer de próstata. Alguns estudos apontam um risco maior de câncer de próstata entre os homens com baixos níveis de testosterona.

Uma meta-análise de 2016 não encontrou relação entre o nível de testosterona de um homem e seu risco de desenvolver câncer de próstata. Outra revisão de estudos mostrou que a terapia com testosterona não aumentou o risco de câncer de próstata ou o tornou mais grave em homens já diagnosticados.

De acordo com uma revisão de 2015 na revista americana Medicine, a terapia de reposição de testosterona também não aumenta os níveis de antígeno específico da próstata (PSA). PSA é uma proteína que é elevada na corrente sanguínea de homens com câncer de próstata.

Ainda é uma questão em aberto se a terapia com testosterona é segura para homens com histórico de câncer de próstata. Mais estudos são necessários para entender a conexão.

As evidências existentes sugerem que a terapia com testosterona pode ser segura para alguns homens com baixos níveis de testosterona que completaram com sucesso o tratamento do câncer de próstata e apresentam baixo risco de recidiva.

A terapia hormonal pode ser um tratamento útil para homens com níveis anormais de testosterona. No entanto, não vem sem riscos. Esses riscos podem superar os benefícios se você estiver considerando a terapia hormonal para compensar uma diminuição natural nos níveis de testosterona.

O exercício de resistência pode ajudar a construir massa muscular, e andar, correr e nadar podem ajudar a manter o coração forte.

Converse com seu médico sobre alternativas mais seguras.

 

FONTE:HEALTHLINE/WEBMD.

 

Postado por joaoflavio às 14:31

Compartilhe:

Nenhum comentário