publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

Você sabe qual tipo de Dor de Cabeça Possui?

A cefaleia crônica diária refere-se a dores de cabeça de quase qualquer tipo que ocorrem com maior frequência, geralmente pelo menos 15 dias por mês durante um período de seis meses ou mais.

A dor de cabeça crônica inclui uma variedade de subtipos de cefaleia. Cerca de 150 tipos de dor de cabeça já foram diagnosticados.

A natureza constante dessa condição, faz com que ela seja muitas vezes incapacitante. Um tratamento inicial agressivo e o manejo estável a longo prazo podem reduzir a dor e diminuir a frequência da mesma.

Riscos principais para o desenvolvimento da dor de cabeça crônica:

– Uso exacerbado de remédios, durante muitos meses, por mais de dois dias por semana.

– Eventos traumáticos e ansiedade e depressão não tratados.

– Obesidade.

– Cafeína.

– Falta de sono, frequentemente influenciado pelos fatores de risco mencionados acima.

Sintomas:

Há dores de cabeça diárias crônicas de curta duração e duradouras. Dores de cabeça duradouras duram mais de quatro horas. Elas incluem:

– Enxaqueca crônica.

– Dor de cabeça tipo tensional crônica.

– Nova cefaleia persistente diária.

– Hemicrania continua.

Enxaqueca crônica:

Esse tipo geralmente ocorre em pessoas com história de enxaqueca episódica. Enxaquecas crônicas tendem a:

– Afetar um ou dois lados da cabeça.

– Ter uma sensação pulsante e latejante.

– Causar dor moderada a grave.

Elas também causam os seguintes:

– Náusea, vômito ou ambos.

– Sensibilidade à luz e som.

Dor de cabeça tipo tensional crônica:

Esse tipo de cefaleia geralmente:

– Afetam os dois lados da cabeça.

– Causam dor moderada a grave, a qual apresenta sensação de pressionamento da cabeça ( não pulsante).

Nova cefaleia persistente diária:

Esse tipo de dor de cabeça vêm de repente, geralmente em pessoas sem história da mesma. Elas se tornam constantes três dias após a primeira ocorrência de cefaleia. Elas:

– Geralmente afetam os dois lados da cabeça.

– Causam dor moderada a grave, a qual apresenta sensação de pressionamento da cabeça ( não pulsante).

– Pode possuir características de enxaqueca crônica ou cefaleia do tipo tensional crônica.

Hemicrania continua:

– Afeta somente um lado da cabeça.

– É diária e contínua, sem pausas.

– Causa dor moderada com picos de dor severa.

– Responde à indometacina (analgésico de prescrição).

– Pode tornar-se severa de acordo com o desenvolvimento da doença.

Além disso, a hemicrania contínua é associada a pelo menos um dos seguintes:

– Lacrimejamento ou vermelhidão do olho no lado afetado pela dor.

– Congestão nasal ou coriza.

– Pálpebras caídas ou estreitamento da pupila.

– Sensação de inquietação.

Quando consultar o medico?

Dores de cabeça ocasionais são comuns e geralmente não requerem atenção médica. No entanto, consulte o seu médico se:

– A cefaleia ocorre 2 ou mais dias da semana.

– O uso de analgésicos ocorre durante a maioria dos dias da semana.

– A dose recomendada de remédios que aliviem as dores de cabeça não sejam mais suficientes para o paciente.

– Seu padrão de dor de cabeça muda ou piora.
– Suas dores de cabeça são incapacitantes (trabalho, social, escola).

Procure assistência médica urgentemente se:

– A dor for repentina e severa.

– A dor vier acompanhada de febre, confusão, visão dupla, fraqueza, dormência, rigidez no pescoço ou dificuldade na fala.

– A dor ocorrer depois de machucados na cabeça.

– A dor piore mesmo com medicamentos e repouso.

Causas:

As causas de muitas das cefaleias crônicas não são bem compreendidas. As dores de cabeça crônicas verdadeiras (primárias) não têm uma causa subjacente identificável.

Condições que podem causar dores de cabeça diárias crônicas não primárias incluem:

– Inflamação ou outros problemas com os vasos sanguíneos dentro e ao redor do cérebro, incluindo acidente vascular cerebral.

– Infecções, como meningite.

– Pressão intracraniana muito alta ou muito baixa.

– Tumor cerebral.

– Traumatismo craniano.

Dor de cabeça por uso excessivo de medicação:

Esse tipo de dor de cabeça geralmente se desenvolve em pessoas que têm um distúrbio de dor de cabeça episódica, geralmente enxaqueca ou tipo de tensão, e tomam muita medicação para a dor. Se você estiver tomando analgésicos, mesmo sem receita médica, mais de dois dias por semana (ou nove dias por mês), corre o risco de desenvolver o efeito “rebote”.

Fatores de risco:
Fatores associados ao desenvolvimento de dores de cabeça freqüentes incluem:

– Sexo feminino.

– Ansiedade.

– Depressão.

– Distúrbios do sono.

– Obesidade.

– Ronco.

– Consumo exacerbado de cafeína.

– Uso excessivo de medicamentos para dor de cabeça.

– Outras condições crônicas que causam dor.

Complicações:

Se você tem dor de cabeça crônica, também é mais provável que você tenha depressão, ansiedade, distúrbios do sono e outros problemas psicológicos e físicos.

Prevenção:

Cuidar de si mesmo pode ajudar a aliviar essa condição.

– Evite gatilhos. Manter um diário sobre a dor de cabeça pode ajudá-lo a determinar o que desencadeia sua dor, para que você possa evitar. Inclua detalhes sobre cada dor de cabeça, como quando começou, o que você estava fazendo no momento e quanto tempo durou.

– Evite o uso excessivo de medicamentos. Tomar remédios para dor de cabeça, incluindo medicamentos de venda livre, mais do que duas vezes por semana pode aumentar a gravidade e a frequência de suas dores de cabeça. Consulte o seu médico sobre como se afastar da medicação, porque pode haver efeitos colaterais graves, se feito de forma inadequada.

– Durma o suficiente. O adulto médio precisa de sete a oito horas de sono por noite. É melhor ir para a cama e acordar todos os dias à mesma hora. Converse com seu médico se você tiver distúrbios do sono, como ronco.

– Não pule as refeições. Coma refeições saudáveis ​​por volta dos mesmos horários diariamente. Evite alimentos ou bebidas, como os que contêm cafeína, que parecem causar dor de cabeça. Perca peso se você é obeso.

– Exercite-se regularmente. A atividade física aeróbica regular pode melhorar seu bem-estar físico e mental e reduzir o estresse. Com o aval do seu médico, escolha as atividades que você gosta, como caminhar, nadar ou andar de bicicleta. Para evitar ferimentos, comece devagar.

– Reduza o estresse. O estresse é um gatilho comum de dores de cabeça crônicas. Organize-se, simplifique sua agenda, planeje com antecedência e mantenha-se positivo. Tente técnicas de redução de estresse, como yoga, tai chi ou meditação.

– Reduza a cafeína. Enquanto alguns remédios para dor de cabeça incluem cafeína, porque pode ser benéfico na redução da dor de cabeça, também pode agravar as dores de cabeça. Tente minimizar ou eliminar a cafeína da sua dieta.

Diagnóstico:

Seu médico provavelmente irá examiná-lo em busca de sinais de doença, infecção ou problemas neurológicos e perguntará sobre seu histórico de cefaleia.

Se a causa de sua dor de cabeça permanecer incerta, seu médico pode solicitar exames de imagem, como tomografia computadorizada ou ressonância magnética, para procurar uma condição médica subjacente.

Tratamento:
A terapêutica de uma condição subjacente muitas vezes interrompe as dores de cabeça freqüentes. Se tal condição não for encontrada, o tratamento se concentra na prevenção da dor.

As estratégias de prevenção variam, dependendo do tipo de dor de cabeça que você tem e se o uso excessivo de medicamentos está contribuindo para suas dores de cabeça. Se você estiver tomando analgésicos mais de três dias por semana, o primeiro passo pode ser desmamar-se desses medicamentos com a orientação do seu médico.

O tratamento tradicional inclui antidepressivo, bloqueadores beta, Medicamentos anti-convulsivos, anti-inflamatórios não esteroides e toxina botulínica.

Formas alternativas de tratamento incluem acupuntura, shiatsu e yoga.

É sempre melhor prevenir do que remediar!

Para mais informações procure o seu médico.

Fonte:MayoClinic/ AmericanMigraineFoundation.

 

Postado por joaoflavio às 14:24

Compartilhe:

Nenhum comentário