publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

Outubro Rosa e Avanços no Tratamento:

O movimento conhecido como Outubro Rosa, começou na década de 1990 para estimular a participação da população no controle do câncer de mama.

Todos os anos celebramos a data objetivando a troca de informações sobre a doença, bem também como a promoção e conscientização da mesma.

Desde os anos 90, muitas pesquisas vem sendo desenvolvidas, trazendo assim muitos avanços para terapêutica.

Avanços no tratamento do câncer de mama nos últimos cinco anos oferecem às vítimas maiores chances de sobrevivência. Com os novos desenvolvimentos, as mulheres com câncer de mama em estágio quatro podem viver até 10 ou 20 anos a mais após o diagnóstico.

O aperfeiçoamento da terapêutica fez com que muitos médicos começassem a enxergar o câncer de mama muito mais como uma doença crônica parecida como a diabetes ou hipertensão, do que uma aflição que possa apresentar risco de morte.

Outra boa notícia, também consequente da evolução recente no tratamento de câncer de mama, é que os pacientes em estágio inicial da doença podem obter apenas lumpectomia (remoção do nódulo) e biópsia de linfonodo menos extensa.

Além de todas essas novidades, a associação norte americana de alimentos e drogas (The Food and Drugs Administration) aprovou diversos novos remédios para pacientes em estágios diferentes de câncer de mama.

O tratamento do câncer está agora se movendo em direção ao tratamento direcionado, utilizando novos remédios que possam atingir os genes que o causam.

O exame de imuno-histoquímica é capaz de definir que tipo de câncer de mama o paciente possui (alguns tipos de câncer de mama são impulsionados por hormônios, outros são dirigidos por receptores de progesterona, outros são dirigidos por receptores de estrogênio, enquanto outros são estimulados por receptores Her2. Cada um deles tem sua própria medicação).

No entanto, agora temos um grupo de mulheres que têm câncer de mama triplo negativo, o que significa que o câncer não é impulsionado por nenhum dos receptores. Esse grupo geralmente não recebe tratamento porque não responde a nenhum, mas estudos mostram que ainda existe esperança de tratamento para essas mulheres através de medicamentos imunoterápicos.

O avanço no tratamento também levou a um método melhorado de radiação, terapia de radiação modulada por intensidade (IMRT), em que os médicos tratam o câncer de mama e os gânglios linfáticos enquanto poupam os órgãos como o coração e pulmão.

Os oncologistas concordam que existe uma grande conscientização no terreno sobre a realidade do câncer de mama, graças à mídia, às conversações locais pelos médicos e ao surgimento de muitos grupos de apoio no país. No entanto, o nível de conscientização, infelizmente, não está se traduzindo em mulheres indo para a triagem precoce, de acordo com pesquisas.

Programas médicos gratuitos para o tratamento de câncer de mama poderiam aumentar a porcentagem de pacientes fora de risco da doença.

É importante ficar atento aos avanços da medicina e tratamento do câncer de mama, para que os riscos da doença fiquem cada vez menores.

Para mais informações fale com o seu médico.

 

 

FONTE:STANDARDMEDIA.

Postado por joaoflavio às 15:41

Compartilhe:

Nenhum comentário