publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

Alerta sobre Diuréticos Tiazídicos:

O uso prolongado do diurético comum hidroclorotiazida pode estar associado ao aumento do risco de melanoma, descobriu um novo estudo.

A hidroclorotiazida é uma medicação utilizada como diurético, isto é, aumenta a produção de urina para o tratamento de primeira linha da hipertensão arterial sistêmica (pressão alta) há mais de 30 anos.

É um dos medicamentos diuréticos indicados para o controle da hipertensão arterial sistêmica de primeiro e segundo graus, de acordo com a 7ª Diretriz Brasileira sobre Hipertensão Arterial. Em alguns casos, é associada a medicamentos anti-hipertensivos de outras categorias químicas que não sejam de ação diurética.
Usuários de taxas elevadas de hidroclorotiazida, definidos como aqueles com uma dose cumulativa de ≥50.000 mg, pareciam ter um risco maior de serem diagnosticados com melanoma em comparação com aqueles que nunca usaram a droga.

A hidroclorotiazida é um dos medicamentos mais prescritos nos EUA, com uma estimativa de 10 milhões de pacientes usando a droga a cada ano para condições como edema, hipertensão, osteoporose e diabetes, geralmente em doses diárias de 25 mg ou mais.

De 2004 a 2015, os pesquisadores analisaram 19.273 casos de melanoma, dos quais 12.494 foram o subtipo de disseminação superficial, e 1.465 e 386 foram os subtipos nodular e lentigo, respectivamente.

Os indivíduos incluídos no estudo tinham entre 18 e 90 anos e viviam na Dinamarca continuamente pelo período de 10 anos do estudo. As características entre os casos e os controles foram semelhantes, com exceção de pacientes com melanoma com níveis de escolaridade ligeiramente mais elevados, comorbidade mais baixa e prevalência de diagnóstico prévio de câncer de pele não melanoma.

Cerca de um quinto dos pacientes foram definidos como usuários elevados de hidroclorotiazida, 2,1% dos pacientes com melanoma (413) em comparação com 1,8% dos controles (3.406). Nenhum padrão claro foi visto no estudo.

Análises secundárias examinaram associações entre melanoma e uso a longo prazo de antagonistas dos receptores da angiotensina II (OR 1,18), bendroflumetiazida (OR 1,10), inibidores da enzima conversora de angiotensina (OR 1,07) e bloqueadores dos canais de cálcio (OR 1,06).

Outro estudo publicado em 2018, as taxas de probabilidade de ocorrência do carcinoma basocelular (CBC) na pele exposta a luz foram de 1,38 vezes com o uso de hidroclorotiazida 12,5 mg ao dia por cerca de 5 a 6 anos, e para o CEC a taxa de probabilidade foi de 3,98 vezes em relação à população não exposta ao medicamento.

Importante ressaltar que a hidroclorotiazida é um derivado sulfamídico diurético altamente eficaz no tratamento da hipertensão arterial sistêmica, que se não tratada adequadamente pode causar doença cardíaca grave, além de derrame cerebral e doença nas artérias dos rins, olhos e membros. Dessa forma, é desaconselhável interromper ou desistir do tratamento da hipertensão arterial sistêmica. Aconselha-se a consultar seu cardiologista para seguimento.

Se você utiliza hidroclorotiazida por vários anos, consulte um dermatologista associado à Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) para um exame dermatológico geral, a fim de diagnóstico precoce, orientação quanto aos filtros solares adequados ao seu tipo de pele e a necessidade, ou não, de suplementação da vitamina D.

Para mais informações fale com o seu médico.

 

 

FONTE:Medpagetoday/SBD.

Postado por joaoflavio às 16:12

Compartilhe:

Nenhum comentário

Nenhum comentário

Adicionar um comentário: