publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

Os Incríveis Benefícios de se Cortar o Açúcar:

O açúcar tem uma reputação agridoce quando se trata de saúde. Ele é achado naturalmente em todos os alimentos que contêm carboidratos, como frutas e legumes, grãos e laticínios.

Consumir alimentos integrais que contenham açúcar natural é bom. Os alimentos vegetais também têm quantidades elevadas de fibras, minerais essenciais, antioxidantes, e os alimentos lácteos contêm proteínas e cálcio.

Uma alta ingestão de frutas, verduras e grãos integrais também demonstrou reduzir o risco de doenças crônicas, como diabetes, doenças cardíacas e alguns tipos de câncer.

No entanto, os problemas começam a aparecer quando se consome muito açúcar adicionado, ou seja, o açúcar que os fabricantes de alimentos adicionam aos produtos para aumentar o sabor ou prolongar a vida útil.

Quando cortamos ou diminuímos o açúcar adicionado de nossas dietas, coisas incríveis acontecem com nosso corpo.

Pele:

Estudos sugerem que altos níveis de açúcar no sangue estabelecem um efeito de dominó molecular chamado glicação (processo que pode dificultar a reparação do colágeno da pele). Felizmente, a pesquisa sugere que reduzir sua ingestão de açúcar pode ajudar a diminuir a flacidez e outros sinais visíveis de envelhecimento.

Energia:

Os açúcares adicionados são carboidratos simples. Isso significa que eles são digeridos e entram na corrente sanguínea rapidamente, proporcionando aquela euforia familiar. Mas uma vez que essa dose de açúcar é metabolizada, a energia acaba e a sensação não é nada boa. O açúcar pode estar escondido em diversos alimentos, como no molho da salada ou no condimento do churrasco.

Gordura abdominal:

As comidas açucaradas aumentam o açúcar no sangue, provocando uma enxurrada de insulina através do corpo, o que com o tempo estimula a acumulação de gordura abdominal. Conhecida como gordura visceral, essas células gordurosas no abdômen são do tipo mais perigoso porque geram adipocinas e hormônios adiposos (causadores de problemas químicos que viajam pelos órgãos e vasos sanguíneos, onde provocam inflamação que pode contribuir para doenças cardíacas e câncer).

Portanto, quando se corta refrigerantes e sobremesas, a barriga diminui.

Peso:

Níveis elevados de insulina não apenas adicionam quilos ao seu estômago, eles colocam células de gordura em todo o corpo, armazenando calorias. A substituição de carboidratos refinados e alimentos açucarados na dieta por gorduras saudáveis ​​ajuda a manter a taxa de insulina estável (diminuindo as calorias armazenadas).

Ao evitar o açúcar, a fome diminui, o metabolismo acelera e você pode perder peso com menos esforço.

Diabetes:

Quando se come menos açúcar, os riscos de diabetes diminuem com o peso. Os riscos da doença também são reduzidos, devido ao fato de quando ingerimos açúcar, nosso pâncreas libera insulina. Uma demanda excessiva do pâncreas pode sobrecarregar as células produtoras de insulina, levando-as a um mau funcionamento e diabetes.

Coração:

Pesquisas sugerem que o açúcar adicionado pode causar danos reais ao sistema cardiovascular. Um estudo de 2014 revelou que pessoas que consumiram 17% a 21% de suas calorias diárias com um doce, tinham um risco 38% maior de morrer de doenças cardíacas em comparação àquelas que mantinham sua ingestão de açúcar a 8% de suas calorias diárias.

Sono:

Uma alta ingestão de açúcar atrasa a liberação de melatonina no cérebro, o que é essencial para o controle homeostático do sono. E a falta de sono, por sua vez, pode aumentar sua necessidade de comer mais açúcar, continuando o ciclo.

Pesquisas mostram que o sono ruim pode levar a um balanço de glicose no sangue que estimula o desejo de consumir mais açúcar.

Desejos:

Quando os níveis de insulina no organismo diminuem após ingestão de um alimento açucarado, nosso corpo pede por mais açúcar. Isso vira um ciclo vicioso.

Ao evitar o açúcar, o corpo equilibra as taxas de insulina e os desejos por açúcar desaparecem.

Estomago:

Quanto substituímos o açúcar adicionado por alimentos ricos em fibras, como frutas, legumes, nozes, sementes e cereais integrais, estamos melhorando a saúde do nosso estomago.

Dessa forma, a microbiota saudável no intestino aumenta, ajudando a remoção de toxinas indesejadas e melhorando o trânsito e frequências estomacais.

Saúde mental:

Segundo pesquisas recentes, existe uma ligação entre a alta ingestão de açúcar e o aumento do risco de depressão, ansiedade e outros problemas de saúde mental.

A liberação de adrenalina e insulina causada pela ingestão de açúcar, pode aumentar a ansiedade.

É importante notar que mudar sua dieta não necessariamente irá curar a ansiedade, mas pode ajudar a reduzir alguns dos sintomas associados a ela.

Humor:

O açúcar suprimi o hormônio BDNF (fator neurotrófico derivado do cérebro), o qual é necessário para produção de novos neurônios. Existe uma ligação entre mau humor e baixos níveis de BDNF, portanto, a supressão do açúcar pode melhorar ainda mais o humor e a depressão.

Cortar açúcar significa que seus níveis de BDNF voltarão ao normal e seu humor pode melhorar como resultado.

Fígado:

O consumo excessivo de açúcar (particularmente na forma de frutose) e bebidas adoçadas com açúcar está fortemente ligado à doença hepática gordurosa não alcoólica. O excesso de frutose não pode ser metabolizado pelo fígado sem glicose, então a frutose é armazenada ao redor do fígado.

Limitar sua ingestão de açúcar ajudará a reduzir os riscos de doença hepática gordurosa não alcoólica.

É muito importante se prevenir e evitar, sempre que possível, a alta ingestão de açúcar adicionado.

Para mas informações fale com o seu médico.

 

 

 

FONTE: COSMOPOLITAN/HEALTH.COM/HEALTH.HARVARD.EDU.

Postado por joaoflavio às 10:30

Compartilhe:

Nenhum comentário