publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

Você Nunca é Jovem demais ou Velho demais para Cuidar do seu Coração:

Prevenir doenças cardíacas (e todas as doenças cardiovasculares) significa fazer escolhas inteligentes agora, as quais, compensarão para o resto da vida.

A falta de exercício, uma dieta  mal feita e outros hábitos não saudáveis ​​podem ter seu preço ao longo dos anos. A prevenção de doenças cardíacas pode ser feita a qualquer idade.

Aos 20 anos:

Entender sobre o seu coração é importante.. As coisas que você faz , ou não, são um sinal revelador de quanto tempo e quão bem você vai viver.

– Vá ao médico e faça exames regulares de saúde. Pessoas saudáveis ​​também precisam de médicos. Estabelecer um relacionamento com um médico significa que você pode iniciar exames de saúde cardíaca agora. Converse com o profissional de saúde sobre sua dieta, estilo de vida e verifique sua pressão arterial, colesterol, freqüência cardíaca, açúcar no sangue e índice de massa corporal. Saber onde seus números estão no início, torna mais fácil identificar uma possível mudança no futuro.

– Seja fisicamente ativo. É muito mais fácil ser ativo e permanecer ativo se você começar quando ainda é jovem.  Mantenha uma rotina de exercício prazerosa e dinâmica.

– Não fume e evite o fumo passivo. Se você começou a fumar quando adolescente, é hora de parar. Mesmo a exposição ao fumo passivo representa um sério risco à saúde. Os fumantes passivos são até 30% mais propensos a desenvolver doenças cardíacas ou câncer de pulmão.

Aos 30:

Preocupações com a família e a carreira deixa muitos adultos com pouco tempo para pensar em seus corações. Abaixo seguem algumas maneiras de se achar equilíbrio:

– Crie e mantenha hábitos saudáveis ​​para o coração dos seus filhos e você também colherá os benefícios. Passe menos tempo no sofá e mais tempo em movimento. Explore um parque nas proximidades a pé ou de bicicleta. Pratique um esporte ou passeie com o cachorro.

– Conheça o seu histórico familiar.  Ter um parente com doença cardíaca aumenta seu risco, e mais ainda se o parente for pai ou irmão.

Isso significa que você precisa se concentrar nos fatores de risco que você pode controlar, mantendo um peso saudável, fazendo exercícios regularmente, não fumando e comendo corretamente.

Além disso, mantenha seu médico informado sobre quaisquer problemas cardíacos que tenham acontecido em sua família.

– Controle o estresse. O estresse a longo prazo provoca um aumento na freqüência cardíaca e pressão arterial que pode danificar as paredes das artérias.

Aprender técnicas de gerenciamento de estresse não apenas beneficia seu corpo, mas também sua qualidade de vida. Experimente exercícios de respiração profunda e encontre tempo todos os dias para fazer algo que goste.

Retribuir através do trabalho voluntário também faz maravilhas para eliminar o estresse.

Aos 40:

Se a saúde do seu coração nunca foi uma prioridade, não se preocupe. As escolhas saudáveis ​​que você faz agora podem fortalecer seu coração a longo prazo. Entenda por que você precisa fazer uma mudança de estilo de vida e ter confiança para fazê-lo.

– Controle o seu peso. Você pode evitar o ganho de peso seguindo uma dieta saudável para o coração e praticando muito exercício. O truque é encontrar uma rotina de exercícios que você goste.

– Verifique o nível de açúcar no sangue. Além de exames de pressão arterial e outras triagens de saúde do coração, você deve fazer um teste de glicemia em jejum quando tiver 45 anos.

Este primeiro teste serve como uma linha de base para testes futuros, que você deve fazer a cada três anos. O teste pode ser feito mais cedo ou de forma mais frequentemente se você estiver com sobrepeso, diabético ou em risco de se tornar diabético.

– Não ignore o ronco. Ouça as queixas do seu parceiro sobre o seu ronco.

Um em cada cinco adultos possui apneia do sono leve, uma condição que causa pausas na respiração durante o sono. Se não tratada adequadamente, a apneia do sono pode contribuir para a pressão alta, doenças cardíacas e derrame.

Aos 50:

Ao contrário do surgimento de rugas e cabelos grisalhos, não podemos ver como envelhece o coração. Então, começando aos 50 anos de idade, cuidados extras com a saúde serão necessários.

– Tenha uma dieta saudável. Refresque seus hábitos alimentares comendo muitas frutas e vegetais, grãos integrais ricos em fibras, peixes (de preferência peixes oleosos, pelo menos duas vezes por semana), nozes, legumes e sementes. Tente também evitar a proteína animal em algumas refeições.

– Aprenda os sinais de alerta de um ataque cardíaco e derrame. Agora é a hora de entender os sintomas.

Nem todo mundo experimenta dormência súbita com um derrame ou dor no peito grave com um ataque cardíaco. E os sintomas de ataque cardíaco nas mulheres podem ser diferentes dos homens.

– Siga o seu plano de tratamento. Diminua o risco  de doenças cardíacas seguindo o plano de tratamento prescrito, incluindo medicamentos, mudanças no estilo de vida e na dieta.

Aos 60:

Com a idade, surge um risco aumentado de doença cardíaca. Sua pressão arterial, colesterol e outros números relacionados ao coração tendem a aumentar. Observe atentamente os números e tente administrar os problemas de saúde que surgem. A alimentação saudável e exercícios podem ajudá-lo a viver mais e melhor.

– Fazer o exame índice tornozelo-braquial. A partir dos 60 anos, é recomendável fazer um teste do índice tornozelo-braquial como parte de um exame físico.

O teste avalia os pulsos nos pés para ajudar a diagnosticar a doença arterial periférica (DAOP), uma doença cardiovascular menos conhecida na qual a placa se acumula nas artérias da perna.

– Controle o peso. Seu corpo precisa de menos calorias à medida que você envelhece. O excesso de peso faz com que seu coração trabalhe mais e aumenta o risco de doenças cardíacas, pressão alta, diabetes e colesterol alto. Exercitar-se regularmente e comer pequenas porções de alimentos ricos em nutrientes pode ajudá-lo a manter um peso saudável.

Saber quando você está tendo um ataque cardíaco ou derrame significa que é mais provável que você receba ajuda imediata. O tratamento rápido pode salvar sua vida e prevenir graves deficiências.

Todas as idades:

Não importa a sua idade, todos podem se beneficiar de uma dieta saudável e atividade física adequada.

– Escolha um plano de alimentação saudável. A comida que você come pode diminuir o risco de doença cardíaca e derrame.

Escolha alimentos com baixo teor de gordura saturada, gordura trans e sódio. Como parte de uma dieta saudável, coma muitas frutas e legumes, grãos integrais ricos em fibras, peixes, nozes, legumes, sementes. Selecione produtos lácteos com baixo teor de gordura e aves (sem pele). Limite as bebidas açucaradas e carne vermelha (se você optar por comer carne, selecione os cortes mais magros disponíveis).

– Seja fisicamente ativo. Ache uma atividade prazerosa e pratique pelo menos 3 vezes por semana.

A prevenção é sempre o melhor remédio.

Para mais informações procure o seu médico.

 

FONTE:HEART.ORG.

Postado por joaoflavio às 13:51

Compartilhe:

Nenhum comentário

Benefícios e Riscos da Terapia de Reposição Hormonal em Homens:

A terapia de reposição hormonal em homens pode diminuir o risco de doença cardíaca, diabetes e morte, porém os efeitos a longo prazo não são claros.

Baixos níveis de testosterona são comuns com a idade (18% dos homens com 70 anos ou mais), e estão associados à síndrome metabólica (um conjunto de fatores de risco, como colesterol anormal e pressão alta, que aumentam o risco de doenças cardíacas, derrame e diabetes tipo 2, além de outros riscos à saúde).

A testosterona é necessária para:

– Desenvolvimento sexual masculino.

– Função reprodutiva.

– Construção de massa muscular.

– Manter níveis saudáveis ​​de glóbulos vermelhos.

– Manutenção da densidade óssea.

No entanto, a diminuição natural desse hormônio nos homens geralmente não afeta a saúde geral mais do que o processo de envelhecimento.

Especialistas médicos discordam sobre a relevância da diminuição do nível de testosterona. Eles também discordam sobre os benefícios para a saúde provenientes da terapia hormonal para combater o processo de envelhecimento natural nos homens, especialmente devido aos riscos.

Alguns homens com níveis anormalmente baixos de testosterona podem se beneficiar da terapia hormonal. Por exemplo, a condição de hipogonadismo pode causar níveis muito baixos de testosterona, resultando em uma disfunção dos testículos que impede o organismo de produzir a quantidade certa do hormônio.

O que tem sido discutido é se a terapia de reposição hormonal pode beneficiar homens saudáveis ​​cujo declínio de testosterona é causado simplesmente pelo envelhecimento. Essa tem sido uma pergunta difícil para os pesquisadores responderem.
Não são muitos os estudos que observaram os efeitos da terapia com testosterona em homens com níveis saudáveis ​​do hormônio.

Tipos de terapia hormonal para homens:

Se o seu médico sugerir terapia com testosterona, várias opções estão disponíveis. Elas incluem:

– Injeções intramusculares de testosterona. Injeção aplicada no consultório médico, nos músculos das nádegas a cada duas ou três semanas.

– Adesivos de testosterona: Aplicação diária feita pelo próprio paciente nas costas, braços, nádegas ou abdômen.

– Gel de testosterona tópico: O paciente aplica diariamente nos ombros, braços ou abdômen.

Riscos:

Os efeitos colaterais podem variar, podendo ser brandos ou graves.

Efeitos colaterais brandos da terapia hormonal com testosterona incluem:

– Retenção de fluidos.

– Acne.

– Aumento da micção.

Efeitos colaterias severos incluem:

– Aumento das glândulas mamárias.

Efeitos colaterais mais severos incluem:

– Aumentos das glândulas mamárias.

– Diminuição do tamanho dos testículos.

– Agravamento de apneia do sono existente.

– Aumento dos níveis de colesterol.

– Diminuição de produção de esperma.

– Infertilidade.

– Aumento do número de glóbulos vermelhos.

O aumento do número de glóbulos vermelhos pode causar:

– Dor muscular.

– Pressão sanguínea elevada.

– Visão embaçada.

– Dores no peito.

– Coágulos sanguíneos.

A terapia e o câncer de próstata:

Alguns pesquisadores dizem que a terapia com testosterona pode aumentar o risco de câncer de próstata, porém mais pesquisas são necessárias para se entender o vínculo.

No início da década de 1940, os pesquisadores Charles Brenton Huggins e Clarence Hodges descobriram que, quando a produção de testosterona nos homens diminuía, o câncer de próstata parava de crescer. Os pesquisadores também descobriram que dar testosterona a homens com câncer de próstata fez com que o câncer crescesse. Eles concluíram que a testosterona promove o crescimento do câncer de próstata.

A crença de que a testosterona estimula o crescimento do câncer de próstata levou muitos médicos a evitar a prescrição de terapia com testosterona em homens com histórico desse tipo de câncer.

Pesquisas recentes desafiaram a ligação entre a testosterona e o câncer de próstata. Alguns estudos apontam um risco maior de câncer de próstata entre os homens com baixos níveis de testosterona.

Uma meta-análise de 2016 não encontrou relação entre o nível de testosterona de um homem e seu risco de desenvolver câncer de próstata. Outra revisão de estudos mostrou que a terapia com testosterona não aumentou o risco de câncer de próstata ou o tornou mais grave em homens já diagnosticados.

De acordo com uma revisão de 2015 na revista americana Medicine, a terapia de reposição de testosterona também não aumenta os níveis de antígeno específico da próstata (PSA). PSA é uma proteína que é elevada na corrente sanguínea de homens com câncer de próstata.

Ainda é uma questão em aberto se a terapia com testosterona é segura para homens com histórico de câncer de próstata. Mais estudos são necessários para entender a conexão.

As evidências existentes sugerem que a terapia com testosterona pode ser segura para alguns homens com baixos níveis de testosterona que completaram com sucesso o tratamento do câncer de próstata e apresentam baixo risco de recidiva.

A terapia hormonal pode ser um tratamento útil para homens com níveis anormais de testosterona. No entanto, não vem sem riscos. Esses riscos podem superar os benefícios se você estiver considerando a terapia hormonal para compensar uma diminuição natural nos níveis de testosterona.

O exercício de resistência pode ajudar a construir massa muscular, e andar, correr e nadar podem ajudar a manter o coração forte.

Converse com seu médico sobre alternativas mais seguras.

 

FONTE:HEALTHLINE/WEBMD.

 

Postado por joaoflavio às 14:31

Compartilhe:

Nenhum comentário

Olheiras: Causas e Tratamentos

As olheiras (pigmentação periorbitária) são comuns em homens e mulheres. Em alguns casos, elas podem ser de difícil tratamento.

Fatores de risco:

Embora possam afetar qualquer pessoa, as olheiras são mais comuns em pessoas:
– Idosas.

– Com pré-disposição genética à pigmentação periorbitária.

– Pardas (tons de pele mais escuros são mais propensos a hiperpigmentação ao redor da área dos olhos).

Causas: 

Mesmo que a fadiga possa parecer a explicação mais lógica para essa condição, há vários fatores que podem contribuir para olheiras. Na maioria dos casos, eles não são motivo de preocupação e não requerem atenção médica.

Idade:

O envelhecimento natural é outra causa comum dessa condição. Conforme você envelhece, sua pele fica mais fina e perde a gordura e o colágeno necessários para mante-la elástica. Quando isso ocorre, os vasos sanguíneos sob a pele tornam-se mais visíveis, fazendo com que a área abaixo dos olhos escureça.

Fadiga:

A privação do sono pode fazer com que a pele fique sem brilho e pálida, permitindo que tecidos escuros e vasos sanguíneos fiquem mais aparentes.

A falta de sono também pode fazer com que o líquido se acumule sob os olhos, dando a impressão de que estão inchados. Como resultado, as olheiras podem ser sombras projetadas por suas pálpebras inchadas.

Tensão Ocular:

Ficar muito tempo na frente da televisão ou computador pode causar uma pressão significativa nos olhos. Essa tensão pode causar a ampliação dos vasos sanguíneos ao redor dos olhos, resultando no escurecimento da pele ao redor dos mesmos.

Alergias:

Reações alérgicas e a secura ocular podem desencadear olheiras. Quando você tem uma reação alérgica, seu corpo libera histamina como resposta a bactérias nocivas. Além de causar sintomas desconfortáveis,  incluindo coceira, vermelhidão e olhos inchados, os histamínicos também fazem com que os vasos sanguíneos se dilatem e se tornem mais visíveis sob a pele.

Alergias também podem causar coceira e irritabilidade ao redor dos olhos, resultando em inflamação, inchaço e ruptura dos vasos sanguíneos.

Desidratação:

A desidratação também é uma causa comum do escurecimento da pele ao redor dos olhos. Quando seu corpo não está recebendo a quantidade adequada de água, a pele começa a perder o brilho e os olhos parecem afundados. Isto é devido à sua proximidade dos olhos com o osso subjacente.

Exposição ao Sol:

A exposição excessiva ao sol pode fazer com que seu corpo produza melanina de forma exagerada. Resultando no escurecimento da pele, especialmente na área ao redor dos olhos.

Fatores Genéticos:

O histórico familiar também desempenha um papel no desenvolvimento das olheiras. Pode ser um traço herdado aparente desde a infância,  podendo piorar à medida que envelhece ou desaparecer lentamente. Predisposições a outras condições médicas, como doenças da tireoide, também podem resultar no escurecimento da pele ao redor dos olhos.

Tratamento caseiro:

O tratamento para olheiras depende da causa subjacente. No entanto, existem alguns remédios caseiros que podem ajudar a gerenciar essa condição. Alguns dos métodos mais comuns incluem:

– Aplicação de compressa gelada. Uma compressa fria pode ajudar a reduzir o inchaço e diminuir os vasos sanguíneos dilatados. Isso pode reduzir o aparecimento de papos e ajudar a eliminar as olheiras. Enrole alguns cubos de gelo em um pano limpo e aplique nos olhos durante poucos segundos. Você também pode umedecer um pano com água fria e aplicá-lo à pele sob seus olhos por 20 minutos para o mesmo efeito. Repita este processo se o pano ficar quente ou se o gelo derreter.

– Durma mais. Equilibrar o sono também pode ajudar a reduzir a aparência indesejada das olheiras. A privação do sono pode fazer com que sua pele pareça pálida, tornando as olheiras mais óbvias. Permita-se sete a oito horas de descanso para evitar que olheiras apareçam.

– Eleve sua cabeça. Enquanto a privação do sono pode desempenhar um papel na produção desses sacos escuros sob seus olhos, às vezes é como você dorme. Eleve a cabeça com alguns travesseiros para evitar que o líquido se acumule sob os olhos, o que pode fazê-los parecer inchados.

– Disfarce com maquiagem. Enquanto maquiagem e cosméticos não curam olheiras, eles podem ajudar a camuflá-los. Corretivos podem cobrir marcas escuras para que elas se misturem com a sua cor normal de pele. No entanto, alguns produtos podem piorar seus sintomas e desencadear uma reação alérgica. Se você começar a sentir sintomas irregulares de qualquer tratamento tópico, pare de usar imediatamente e agende uma consulta com seu médico.

Tratamentos médicos:

Para uma solução mais eficaz e permanente, alguns tratamentos médicos estão disponíveis para reduzir a aparência das olheiras. Alguns dos métodos mais comuns incluem:

– Peelings químicos para reduzir a pigmentação

– Cirurgia à laser para restaurar e endurecer a pele.

– Injeção de pigmentos (tatuagem médica).

– Preenchedores de tecido para esconder vasos sanguíneos e melanina que estão causando descoloração da pele abaixo de seus olhos.

– Remoção de gordura e pele, revelando uma superfície mais lisa e uniforme.

– Implantes cirúrgicos.

Antes de decidir sobre qualquer procedimento cosmético seguir, discuta suas opções com um médico. Tratamentos médicos invasivos podem ser caros, dolorosos e muitas vezes, requerem um longo período de recuperação.

Conclusão:

Para muitas pessoas, as olheiras são temporárias e frequentemente uma indicação de envelhecimento ou falta de sono. Embora haja uma série de tratamentos médicos e domiciliares disponíveis para melhorar a aparência dos olhos, as olheiras geralmente não são motivo de alarme. No entanto, se a descoloração ou o inchaço piorarem com o tempo, agende uma consulta com seu médico ou dermatologista para garantir um diagnóstico e possível tratamento adequado.

FONTE:HEALTHLINE.

Postado por joaoflavio às 13:34

Compartilhe:

Nenhum comentário