publicidade

Jornal do Brasil

À Sua Saúde – JBlog – Jornal do Brasil

Você precisa da vacina contra a febre amarela?

A febre amarela é uma infecção viral propagada por um tipo específico de mosquito.

Essa doença é mais comum em regiões da Africa e América Latina, afetando turistas e a população local.

Em estágios mais leves da doença, os sintomas mais comuns são:

 

– Dor de cabeça.

– Enjoo.

– Vômitos.

Quando a doença atinge um estágio mais avançado, o coração, o fígado e o rim podem ser afetados (hemorragias podem acontecer). 50% das pessoas com a doença na fase tóxica morrem devido a complicações mais graves.

Não existe tratamento para a febre amarela, porém a vacina pode proteger da doença.

Durante os primeiros dias (3-6) a infecção ainda se encontra em fase incubatória portanto não apresenta sintomas. Após esse período o paciente entra na fase aguda da doença, e em alguns casos podendo evoluir para a fase tóxica.

Fase aguda:

 

– Febre.

– Dor de cabeça.

– Dor nos músculos, particularmente nas costas e joelhos.

– Sensibilidade à luz.

– Enjoo e vômitos.

– Perda de apetite.

– Tonteiras.

– Olhos, cara e língua avermelhados.

Os sintomas descritos acima geralmente passam depois de alguns dias.

Mesmo os sintomas da fase aguda passando por hum ou dois dias, algumas pessoas entram na fase tóxica. Durante essa segunda fase da doença os sintomas da fase aguda retornam e outros mais graves também aparecem.

Fase Tóxica:

 

– Amarelamento da pele e olhos ( Icterícia).

– Dor abdominal e vômitos ( Em alguns casos sangue).

– Diminuição urinária.

– Sangramento no nariz, olhos e boca.

– Freqüência cardíaca lenta ( Bradicardia).

– Insuficiência hepática e renal.

– Disfunção cerebral ( incluindo delírios, convulsões e coma).

A febre amarela é causada pelo mosquito Aedes aegypti, que a transmite principalmente para macacos e seres humanos.

Quando o mosquito pica alguém infectado pela febre amarela e começa a carregar a doença e propaga-la.

A melhor forma para saber se o paciente tem a doença é por exame de sangue.

Não existem medicamentos antivirais para a febre amarela, portanto o tratamento consiste em ficar em observação no hospital. No hospital seram disponibilizados fluidos, oxigênio, reposição de sangue, diálise para falência do rim e tratamento para outras complicações.

O médico também pode recomendar que o paciente fique dentro de casa e evite mosquitos para não propagar a doença.

A febre amarela só acontece uma vez na vida. Quem já teve a doença será imune para o resto da vida.

A vacina é indicada para a população das áreas de risco ( Africa e América latina) e para quem vai viajar para essas áreas ( de preferência 4 semanas antes da viajem).

O médico também deve ser consultado se a vacina é apropriada para crianças com menos de 9 anos, pessoas com o sistema imunológico enfraquecido e idosos com mais de 60 anos.

O repelente de mosquito também é uma boa opção para evitar a doença.

É importante se prevenir.

 

Para mais informações procure o seu médico.

 

Fonte: SUS/MayoClinic.

Postado por joaoflavio às 13:08

Compartilhe:

Nenhum comentário

Você sabia que existe uma novidade no tratamento do controle do colesterol?

As estatinas são os medicamentos mais prescritos no mundo e são conhecidas por diminuir drasticamente o colesterol e a sua fração LDL. Essas drogas apresentam diversos efeitos colaterais apesar da sua ação terapêutica benéfica.

Estudos recentes apontam para outros agentes terapêuticos para redução do colesterol, os quais , não apresentam os mesmo perigos das estatinas.

O uso de anticorpos que inibem a pró-proteína PCSK9 está diretamente relacionado com a queda do colesterol.

Essa nova abordagem traz duas vantagens imediatas:

Em pacientes que tem a miopatia relacionada às estatinas e por ser droga injetável a cada 15 dias (maior adesão ao tratamento).
A pró-proteína convertase subtilisina/Kexin tipo 9 (PCSK9) é uma enzima que, nos seres humanos, é codificada pelo PCSK9.

O PCSK9 tem um papel importante no metabolismo do colesterol ao regular a degradação do receptor de LDL.

A descoberta dos efeitos benéficos da inibição da proteína PCSK9 foi anunciada como “um grande avanço científico que acontece uma vez a cada década ou mais” e representa uma das fronteiras mais promissoras.

A Food and Drug Administration (FDA) aprovou o Alirocumab como terapia adjuvante para diminuir o LDL colesterol em pacientes com hipercolesterolemia familiar heterozigótica ou com doença cardiovascular aterosclerótica clínica, que não têm sido capazes de reduzir seu LDL colesterol suficientemente com o uso de estatinas.

Alirocumab é o primeiro medicamento aprovado que inibe a proteína convertase subtilisina/Kexin tipo 9 (PCSK9), que é uma enzima que, nos seres humanos, é codificada pelo gene PCSK9. Em última analise ele auxilia receptores hepáticos a removerem o LDL colesterol do sangue.

O medicamento injetável destina-se a ser usado em conjunto com uma dieta, exercícios físicos e a dose máxima tolerada de estatinas.

Os efeitos adversos mais comuns incluem coceira, inchaço, dor ou hematomas no local da injeção, nasofaringite e gripe.

Muitos estudos ainda estão sendo feitos para entender todos os benefícios desse tipo de medicamento.

Para mais informações procure o seu médico.

 

Fonte: Mayo Clinic/Anad/Scielo.

Postado por joaoflavio às 13:57

Compartilhe:

Nenhum comentário

Você sabe o que é “dor no peito”?

A dor no peito pode se manifestar de diversas formas. Desde de uma dor aguda e rápida até constante e fraca.

A sensação de esmagamento ou queimação também é comum. Em alguns casos a dor se dissipa para o pescoço, mandíbula e braços.

Problemas variados podem ser as causas dessas dores, sendo os mais perigosos relacionados ao coração e pulmão.

É recomendado que se procure o médico imediatamente após sentir dores no peito.

Sintomas de dores no peito relacionadas ao Coração:

 

– Pressão no peito.

– Dor esmagadora no peito que se irradia para o pescoço, costas, queixo, ombros e braços ( particulamente no braço esquerdo).

– Dor que dura alguns minutos, piora com atividades físicas, para e volta com diferentes intensidades.

– Respiração curta.

– Suar frio.

– Tonteiras e fraqueza no corpo.

– Enjoo e vômitos.

Sintomas de dores no peito não relacionadas ao coração:

 

– Gosto azedo na boca.

– Dificuldade em engolir.

– Dor que piora ou melhora de acordo com a posição corporal.

– Sensibilidade ao pressionar o peito.
Existem várias causas diferentes para essas dores, porém todas merecem atenção médica.

Causas relacionadas ao coração:

 

– Infarto.

– Angina.

– Dissecção aórtica.

– Pericardite.

Causas digestivas:

 

– Azia.

– Transtornos de deglutição (dificuldade em engolir).

– Problemas na vesícula biliar ou pâncreas.

Causas relacionadas aos músculos e ossos:

 

– Costocondrite (inflamação na cartilagem).

– Músculos peitorais doloridos.

– Costelas machucadas.

Causas relacionadas ao pulmão:

 

– Embolia pulmonar.

– Pleurisia ( membrana pulmonar inflamada).

– Pulmão colapsado ( Vazamento de ar entre o pulmão e as costelas).

– Hipertensão pulmonar.

Outras causas:

 

– Ataque de pânico.

– Herpes-zóster.

Os primeiros exames médicos serão voltados para o coração e pulmão devido ao risco de morte.

Exames imediatos:

 

– Eletrocardiograma.

– Exame de sangue.

– Raio X torácico.

– Tomografia.

Exames secundários:

 

– Ecocardiógrafa.

– Tomografia computadorizada.

– Testes de estresse.

– Angiografia.

O tratamento vai variar de acordo com as causas da dor.

Remédios:

 

– Relaxantes arteriais. Facilita o fluxo do sangue no coração.

– Aspirina. Se o médico suspeitar que a dor esta relacionada ao coração.

– Anticoagulantes. No caso de infarto.

– Antiácidos. Se a causa da dor for estomacal.

– Antidepressivos. Se a causa for psicológica.

Procedimentos cirúrgicos:

 

– Endoprótese. Se houver bloqueio entre a artéria e o coração.

– Cirurgia de ponte de safena.

– Expansão pulmonar. Para o pulmão colapsado.

A dor no peito não pode ser ignorada.

Procure o seu médico para mais informações.

 

Postado por joaoflavio às 13:19

Compartilhe:

Nenhum comentário