Publicidade

Jornal do Brasil

Botafogo – JBlog – Jornal do Brasil

Adversário não é inimigo. O Vasco sempre foi o maior rival do Botafogo

35 comentários

Adversário não é inimigo (Foto: reprodução internet)

1989. Paulo Roberto, o lateral do cruzamento certo, depois de falhar no gol do Framengo, pega uma bola no meio de campo, se aproxima da área e dá um chutaço. Golaço. Vasco 2 a 1 no Framengo. Esse resultado beneficia o Botafogo e, após o jogo, torcedores do Vasco foram em peso ao ginásio do Mourisco, em Botafogo, comemorar juntos a vitória vascaína. Bandeiras botafoguenses e vascaínas se entrelaçaram e vascaínos gritaram “Fogo!”. Meninos, eu vi.

Torcedor do Botafogo comemora gol de Paulo Roberto na torcida do Vasco, no Maracanã (Imagem: reprodução da internet)

1990. Botafogo e Vasco se enfrentam no Maracanã. Torcedores botafoguenses e vascaínos entram juntos na arquibancada pelo túnel central e se dividem, indo cada um para um lado. O Botafogo ganha do Vasco, é bi-campeão, Eurico Miranda diz que não. Os botafoguenses ficam sem saber se comemoram ou não e os jogadores vascaínos dão volta olímpica com uma caravela de papelão. O que aconteceu depois todos sabem. Meninos, eu vi.

Volto um pouco no tempo, sem seguir uma ordem cronológica.

1988. O Botafogo, freguês histórico, perde mais uma partida para o Vasco e amarga mais um ano sem título. A gandula Sonja Martinelli, que anos depois foi minha aluna na faculdade, chora. A imprensa dá destaque no dia seguinte. Lembro das derrotas contra o Vasco em que cheguei a jogar um sorvete e um radinho de pilha na geral do Maracanã (sem acertar a cabeça de ninguém, claro). O que aconteceu um ano depois todos sabem também. Meninos, eu vi.


Sonja chorando (Foto: reprodução da internet)

E vi Roberto Dinamite fazer o maior gol da sua vida após dar um lençol histórico no zagueiraço Osmar Guarnelli, à época jogador de seleção, E vi o Botafogo perder diversas vezes para o Vasco após dominar grande parte do jogo e perder no finalzinho. E vi o Botafogo com times bem melhores que o do Vasco perder, perder e perder. Detestava o Vasco, detestava Eurico Miranda, mas não detestava os torcedores vascaínos. Mesmo porque tinha e ainda tenho uma vascaína em casa.

Mas ainda bem que existia o Framengo. Embora tenha crescido a partir dos anos 70, com a consolidação da ditadura militar e o apoio de ricos executivos de uma certa emissora de televisão, o Framengo sempre fazia a alegria do Botafogo, como naqueles 6 a 0 de 1972, em que Jairzinho fez um gol de letra. Ou em 1981, quando Mendonça deu um drible desmoralizante em Júnior Capacete e, ao final do jogo, o então presidente do Framengo, Dunshee de Abranches, declarou: “Eu odeio o Botafogo!”.

Eu nunca odiei o Framengo. Pois, como descrevi acima e todos sabem, sempre deu muitas alegrias ao Botafogo. Muito menos o Vasco. Afinal, nos jogos decisivos sempre deu Botafogo contra o Vasco. Vide 1997, em que Edmundo rebolou na frente de Gonçalves e, no jogo seguinte, o Vasco bobeou e o Botafogo Dimba neles. Mas entendo a preocupação do nosso querido amigo Gabriel que ficou preocupado quando eu escrevi aqui no Blog que o Vasco é o principal adversário do Botafogo.

“E que papo é esse do principal rival ser o Vasco? As torcidas do Botafogo e Vasco sempre andaram de mãos dadas … sempre foram unidas contra o Framengo! (sic) Você sabe muito bem disso. Uma pessoa com a camisa do Vasco é sempre bem-vinda na torcida do Botafogo, e Vasco versa” (escreveu o nosso querido Gabriel em um de seus chorosos comentários).

Apesar dessa eterna mania de perseguição dos framenguistas, que sempre acham que os outros estão contra o Framengo, mas são os únicos a criar torcidas organizadas contra esses mesmos outros clubes, o Gabriel tem razão. Os torcedores do Vasco são bem vindos na torcida do Botafogo. E “Fogo versa” (para usar o estilo do nosso amigo).

No Brasil, o grande adversário do Botafogo sempre foi o Santos. Afinal, Botafogo e Santos sempre tiveram os melhores craques, entre eles Garrincha e Pelé, e sempre fizeram grandes jogos. Os melhores da história do futebol. É só pesquisar.

Mas no Rio, o grande rival do Botafogo nunca foi o Framengo, que sempre deu muitas alegrias ao Botafogo, como descrevi acima. O grande rival sempre foi o Vasco. O Vasco, sim, sempre foi o grande adversário do Glorioso. Jamais o inimigo. Pena que nem todos entendam isso e queiram tirar casquinha da história do clube que mais cedeu jogadores para seleções vitoriosas e até hoje é conhecido em todo o mundo.

 

Postado por paulocesar  | Comentar

Compartilhe:
Publicidade
Publicidade
Assine o RSS