Publicidade

Jornal do Brasil

Botafogo – JBlog – Jornal do Brasil

Botafogo vence Vasco e é campeão. E desde quando isso é notícia?

121 comentários

É assim que se ganha campeonato. Sem contestação. Sem gols, pênaltis ou impedimentos duvidosos. Sem reclamação do adversário. Mas ganhar do Vasco em jogos decisivos não é nada demais. Não é novidade. O que deve se destacar é que o time foi campeão invicto. Há 22 jogos ninguém ganha do Botafogo. É o único invicto no Brasil em 2012.

Postado por paulocesar  | Comentar

Compartilhe:

Quem foi que disse que o Flamengo sempre foi time grande?

41 comentários

Volta e meia aqui no nosso Blog alguns bobinhos, pensando que o futebol começou depois que a TV Globo e a ditadura se instalaram no Brasil, dizendo que “o Botafogo não é time grande”.  Como doi a falta de cultura e desinformação. Vejam ilustres amigos do Blog o que acabei de pescar no facebook. Enquanto o Botafogo vencia a seleção da URSS em Caracas, o Framengo se preparava para ENFRENTAR o Tupi de Juiz de Fora. E deu no JB!

Reprodução

E por falar em excursão, alguém aí sabe quando será o primeiro amistoso do Framengo cobrando 1 milhão?

Postado por paulocesar  | Comentar

Compartilhe:

O dia em que a torcida do Vasco ficou a ver navios; ou melhor, uma caravela. E outras histórias na luta da ética contra a estupidez

21 comentários

Viram o Globo Esporte de hoje? Mostraram as mutretas do Vasco na era Eurico Miranda. Primeiro foi a tentativa de melar o Carioca de 1990. Sifu. Perderam no campo e no tapetão e deram volta olímpica com caravela de papelão.

Jogadores do Vasco pegam uma caravela de papelão na geral para dar volta olímpica (Reprodução: TV Globo)

Depois a palhaçada dos calções. Vasco sifu de novo. Teve que trocar o calção e ainda recebeu uma trolha dentro de campo.

Jogadores do Vasco entram em campo de calções pretos e Eurico Miranda se recusa a mudar o uniforme (Reprodução: TV Globo)

Eurico bota o galho dentro e os jogadores do Vasco cumprem a regra e trocam de uniforme (Reprodução: TV Globo)

E finalmente o jogo do WO. Sempre ousado, sempre inovador, sempre contra as mutretas e em favor da ética, o Botafogo se recusou a jogar contra o Vasco em um das sórdidas e manjadas armações do time de Eurico. Mas dessa vez a coisa foi pro tribunal carioca e sabemos o que aconteceu.

As frases que rolaram nas entrevistas:

“Se eles não vierem jogar daqui a pouco quem vai dar volta olímpica sou eu” (Zé do Carmo, Vasco). Quem deu a volta e foi o verdadeiro campeão foi o Botafogo.

“Acho que a gente está dando um BASTA na má organização do futebol brasileiro. Ganhamos a competição dentro de campo. O Botafogo é bicampeão de fato e de direito”(Luisinho, então no lado certo). Tão certo que foi bicampeão mesmo.

“O Botafogo não tem outro uniforme aqui em São Januário. E se tivesse não trocava” (José Rolim, então presidente do Botafogo).
“Não tem que trocar. Não tem obrigatoriedade de trocar” (Eurico Miranda, eterno cidadão do Vasco)“É assunto do Vasco e não vou discutir com você” (Eurico Miranda, estúpido como sempre, mostrando o péssimo anfitrião que sempre foi).“Vocês têm que usar o bom senso”(Juiz da partida).

E o bom senso prevaleceu. Quem trocou foi o time do Vasco.
“Acho que calção não ganha jogo”(Juninho, Vasco).
E não ganhou mesmo. Deu Botafogo.
Como é bom estar do lado da ética e do bom senso.

PARA VER O VÍDEO É SÓ CLICAR AQUI.

Desculpem amigos vascaínos, mas conosco ninguém pode. O sinônimo de Botafogo é ética, respeito e responsabilidade.

 

Postado por paulocesar  | Comentar

Compartilhe:

Blog do Botafogo no JB cobra e diretoria do Botafogo substitui cadeiras no Engenhão

17 comentários

No último dia 10 de abril publiquei aqui no JB um post criticando a diretoria do Botafogo por improvisar na substituição das cadeiras quebradas por torcedores de times adversários.

Reprodução

Pois bem. Vejam o que está dando hoje no site globoesporte.com

Reprodução: site globoesporte.com

É assim que se faz Jornalismo com J caixa alta, viu falso jornalista? Com imparcialidade, com independência, com responsabilidade. Se foi coincidência ou não, são outros 500. Mas a decisão da diretoria do Botafogo provou que o JBlog do Botafogo uma vez mais estava com a razão. E que o Botafogo pode até ser a Casa da Sogra ou da Mãe Joana por poucos dias. Mas não pra sempre como ocorre com os rivais que têm ou não têm estádio.

Postado por paulocesar  | Comentar

Compartilhe:

Qualquer semelhança é mera coincidência: festival de estupidez não acontece apenas na tv brasileira

26 comentários

O JBlog do Botafogo apoia abertamente a “carta aberta” do ator Wagner Moura, divulgada essa semana por sites, jornais e redes sociais, entre outros veículos. Tal situação se adapta também ao mundo da internet. Jornalistas blogueiros e blogueiros não jornalistas têm sofrido com esse festival de estupidez que assola não apenas a tv brasileira, como também a sociedade de modo geral. Este blogueiro volta e meia é obrigado a censurar (o que detesta fazer) comentários agressivos, preconceituosos e até mesmo com teor fascista.

Abaixo a carta que está rolando na Rede e que já deve ter sido lida por muitos dos nossos leitores:

“Quando estava saindo da cerimônia de entrega do prêmio APCA, há duas semanas em São Paulo, fui abordado por um rapaz meio abobalhado. Ele disse que me amava, chegou a me dar um beijo no rosto e pediu uma entrevista para seu programa de TV no interior. Mesmo estando com o táxi de porta aberta me esperando, achei que seria rude sair andando e negar a entrevista, que de alguma forma poderia ajudar o cara, sei lá, eu sou da época da gentileza, do muito obrigado e do por favor, acredito no ser humano e ainda sou canceriano e baiano, ou seja, um babaca total. Ele me perguntou uma ou duas bobagens, e eu respondi, quando, de repente, apareceu outro apresentador do programa com a mão melecada de gel, passou na minha cabeça e ficou olhando para a câmera rindo. Foi tão surreal que no começo eu não acreditei, depois fui percebendo que estava fazendo parte de um programa de TV, desses que sacaneiam as pessoas. Na hora eu pensei, como qualquer homem que sofre uma agressão, em enfiar a porrada no garoto, mas imediatamente entendi que era isso mesmo que ele queria, e aí bateu uma profunda tristeza com a condição humana, e tudo que consegui foi suspirar algo tipo “que coisa horrível” (o horror, o horror), virar as costas e entrar no carro. Mesmo assim fui perseguido por eles. Não satisfeito, o rapaz abriu a porta do táxi depois que eu entrei, eu tentei fechar de novo, e ele colocou a perna, uma coisa horrorosa, violenta mesmo. Tive vontade de dizer: cara, cê tá louco, me respeita, eu sou um pai de família! Mas fiquei quieto, tipo assalto, em que reagir é pior.

”O que vai na cabeça de um sujeito que tem como profissão jogar meleca nos outros? É a espetacularização da babaquice ”

“O táxi foi embora. No caminho, eu pensava no fundo do poço em que chegamos. Meu Deus, será que alguém realmente acha que jogar meleca nos outros é engraçado? Qual será o próximo passo? Tacar cocô nas pessoas? Atingir os incautos com pedaços de pau para o deleite sorridente do telespectador? Compartilho minha indignação porque sei que ela diz respeito a muitos; pessoas públicas ou anônimas, que não compactuam com esse circo de horrores que faz, por exemplo, com que uma emissora de TV passe o dia INTEIRO mostrando imagens da menina Isabella. Estamos nos bestializando, nos idiotizando. O que vai na cabeça de um sujeito que tem como profissão jogar meleca nos outros? É a espetacularização da babaquice. Amigos, a mediocridade é amiga da barbárie! E a coisa tá feia.

”Isso naturalmente não o impediu de colocar a cagada no ar. Afinal de contas, vai dar mais audiência ”

“Digo isso com a consciência de quem nunca jogou o jogo bobo da celebridade. Não sou celebridade de nada, sou ator. Entendo que apareço na TV das pessoas e gosto quando alguém vem dizer que curte meu trabalho, assim como deve gostar o jornalista, o médico ou o carpinteiro que ouve um elogio. Gosto de ser conhecido pelo que faço, mas não suporto falta de educação. O preço da fama? Não engulo essa. Tive pai e mãe. Tinham pais esses paparazzi que mataram a princesa Diana? É jornalismo isso? Aliás, dá para ter respeito por um sujeito que fica escondido atrás de uma árvore para fotografar uma criança no parquinho? Dois deles perseguiram uma amiga atriz, grávida de oito meses, por dois quarteirões. Ela passou mal, e os caras continuaram fotografando. Perseguir uma grávida? Ah, mas tá reclamando de quê? Não é famoso? Então agüenta! O que que é isso, gente? Du Moscovis e Lázaro (Ramos) também já escreveram sobre o assunto, e eu acho que tem, sim, que haver alguma reação por parte dos que não estão a fim de alimentar essa palhaçada. Existe, sim, gente inteligente que não dá a mínima para as fofocas das revistas e as baixarias dos programas de TV. Existe, sim, gente que tem outros valores, como meus amigos do MHuD (Movimento Humanos Direitos), que estão preocupados é em combater o trabalho escravo, a prostituição infantil, a violência agrária, os grandes latifúndios, o aquecimento global e a corrupção. Fazer algo de útil com essa vida efêmera, sem nunca abrir mão do bom humor. Há, sim, gente que pensa diferente. E exigimos, no mínimo, não sermos melecados.

“No dia seguinte, o rapaz do programa mandou um e-mail para o escritório que me agencia se desculpando por, segundo suas palavras, a “cagada” que havia feito. Isso naturalmente não o impediu de colocar a cagada no ar. Afinal de contas, vai dar mais audiência. E contra a audiência não há argumentos. Será?”

 

Postado por paulocesar  | Comentar

Compartilhe:

Eu também acho um absurdo essa palhaçada de comparar Messi com Loco Abreu

24 comentários

Reprodução: fórum Canal Botafogo

Não se fala em outra coisa em Barcelona, Buenos Aires e Montevidéu. Estão tentando comparar o Messi com o Loco Abreu só por causa do pênalti que o argentino espanhol perdeu. Calma, gente. O Messi está ainda começando.

Postado por paulocesar  | Comentar

Compartilhe:

Sonho do Vasco é ser Botafogo

76 comentários

Reprodução: site oficial do Vasco da Gama

Chega de falar em Framengo. Vamos falar de times que decidem, que estão em evidência. E não de times que estão de férias e vivem do passado.

Gosto do Vasco. É meu segundo time aqui no Rio. Nunca fui América. O Vasco é o time da minha mãe, é o time da minha patroa (que ela não leia isso). E é freguês do Botafogo em decisões.

Mas é sobre o que foi publicado hoje no site oficial do Vasco que quero falar.

Vejam a foto que eles botaram na divulgação de uma das promoções dos 85 anos de São Januário!  Informam que vão vender partes do antigo alambrado do estádio, recentemente trocado por placas de vidro. O mesmo alambrado que foi derrubado por torcedores naquele fatídico jogo contra o São Caetano e que registrou uma das muitas aparições esdrúxulas do ex-dirigente Eurico Miranda.

Pois bem, anunciam que pretendem vender aos torcedores vascaínos uma tiragem de cem unidades, que chamam de “relíquias emolduradas que custam R$ 99,90”.

Até aí tudo bem. Os alemães fazem o mesmo em Berlim vendendo pedaços do antigamente chamado Muro da Vergonha. Tenho dois pedaços em casa –  “emoldurados” também.

Mas pera aí: a foto que ilustra o anúncio parece da torcida do Botafogo!

Vascaínos são assim. No fundo no fundo o sonho deles é torcer pelo Glorioso.

 

 

Postado por paulocesar  | Comentar

Compartilhe:
Publicidade
Publicidade
Assine o RSS