Publicidade

Jornal do Brasil

Cabo Frio JB News

Cerco na Zona Rural será prioridade na vacinação contra febre amarela em Cabo Frio

O Município de Cabo Frio começa na próxima segunda-feira, dia 20 de março, a vacinação contra febre amarela na cidade. Por orientação do Ministério da Saúde, o cerco na Zona Rural será prioridade no município, já que a doença não tem incidência em áreas urbanas. Entre os bairros que irão receber as vacinas primeiro estão Angelim, Pacheco, Araçá, Botafogo, São Jacinto, Nova Califórnia, Maria Joaquina e Florestinha. Cerca de 40 mil doses serão disponibilizadas no primeiro lote. A previsão é de que a imunização na Zona Rural utilize quase metade deste quantitativo. A promessa do Governo do Estado é disponibilizar outros lotes para o município até que toda população possa ser imunizada.

A lista da unidades de saúde onde haverá vacinas será divulgada pela Secretaria de Saúde. Ontem equipes da Secretaria de Saúde foram a Niterói, na Central de Armazenamento, para buscar as primeiras doses da vacina. Todos os protocolos necessários para a vacinação estão sendo colocados em prática.

– Esse cerco na Zona Rural é importante também para proteger a população da Zona Urbana, explica o secretário Roberto Pillar, acrescentando que o tempo para a vacina fazer efeito é de aproximadamente 10 dias. Por isso, quem toma a vacina deve evitar possíveis áreas de risco neste período, como caminhadas em trilhas e cachoeiras.

Ontem, o prefeito Marquinho Mendes e o secretário de Saúde de Cabo Frio, também participaram de uma reunião com o secretário de Estado de Saúde, Luiz Antônio Teixeira, além de outros prefeitos e secretários, em Casimiro de Abreu. Á tarde, Roberto Pillar fez uma reunião com membros de diversas áreas da Prefeitura de Cabo Frio, que contou com a presença dos secretários ou coordenadores das seguintes pastas: Agricultura, Educação, Meio Ambiente, Guarda Municipal e Defesa Civil.

Na área urbana, as vacinas serão distribuídas dentro das Unidades de Saúde. Já nas áreas rurais, equipes irão fazer buscas em possíveis áreas de risco. O superintendente de Vigilância em Saúde do Estado, Alexandre Otavio Chieppe, afirmou que todos os casos de febre amarela foram em zonas rurais.

– A vacinação será feita com responsabilidade porque existem contra-indicações, e por isso todo profissional qualificado irá fazer uma avaliação de risco no paciente, afirmou o superintendente.

A vacinação será feita em pessoas entre 9 meses até 60 anos de idade. Para aqueles que têm imunidade baixa, é necessário uma atenção maior. Entre as pessoas que possuem restrições à vacina estão: grávidas e mulheres que estão amamentando, pessoas que são portadoras de HIV/AIDS, com câncer, acima de 60 anos, pessoas com alergia a ovo, com doenças do fígado, com hipertensão arterial sem controle adequado e com diabetes descontrolada. Quem faz uso crônico de corticóides só pode ser vacinado com prescrição médica.

Compartilhe:
Comentar
Assine o RSS
Publicidade
Publicidade
?>