Publicidade

Jornal do Brasil

Concurseiros – JBlog – Jornal do Brasil

Questões de RLM elaboradas pelo Professor Paulo Quilelli

O Professor Paulo Quilelli, da Academia do Concurso, elaborou questões de RLM para seu estudo.

 

QUESTÕES DE RLM – Paulo Quilelli, professor da Academia do Concurso

 

1 ) ( IPEA – FCC ) Considerando “toda prova de Lógica é difícil” uma proposição verdadeira, é correto inferir que

(A) “nenhuma prova de Lógica é difícil” é uma proposição necessariamente verdadeira.

(B)) “alguma prova de Lógica é difícil” é uma proposição necessariamente verdadeira.

(C) “alguma prova de Lógica é difícil” é uma proposição verdadeira ou falsa.

(D) “algum prova de Lógica não é difícil” é uma proposição necessariamente verdadeira.

(E) “alguma prova de Lógica não é difícil” é uma proposição verdadeira ou falsa.

 

2 ) ( TCE – FCC ) Considere que os números que compõem a seqüência seguinte obedecem a uma lei de formação.

 

(414, 412, 206, 204, 102, 100, …)

 

A soma do nono e décimo termos dessa seqüência é igual a

(A) 98

(B) 72

(C) 58

(D) 46

(E) 38

 

3 ) ( TCE – FCC ) Sabe-se que sentenças são orações com sujeito (o termo a respeito do qual se declara algo) e predicado (o que se declara sobre o sujeito). Na relação seguinte há expressões e sentenças:

 

1. Três mais nove é igual a doze.

2. Pelé é brasileiro.

3. O jogador de futebol.

4. A idade de Maria.

5. A metade de um número.

6. O triplo de 15 é maior do que 10.

 

É correto afirmar que, na relação dada, são sentenças apenas os itens de números

(A) 1, 2 e 6.

(B) 2, 3 e 4.

(C) 3, 4 e 5.

(D) 1, 2, 5 e 6.

(E) 2, 3, 4 e 5.

 

4 ) ( TCE – FCC )  A sentença seguinte é seguida de um número entre parênteses, que corresponde ao número de letras de uma palavra que se aplica à definição dada.

 

“Montes de areia formados pela ação do vento.” (5)

 

A alternativa onde se encontra a letra inicial de tal palavra é

(A) T

(B) S

(C) O

(D) A

(E) D

 

5 ) ( SEFAZ – SP – FCC ).. A sucessão de palavras seguintes obedece a um padrão lógico:

 

TÓRAX – AMIGÁVEL – SABIÁ – VALENTÃO –

CÔNICA – AÉREO – FICTÍCIO

De acordo com o padrão estabelecido, uma palavra que poderia dar continuidade a essa sucessão é:

(A) GELADO.

(B) ARREBALDE.

(C) FÁCIL.

(D) FILANTROPIA.

(E) SOPA.

 

6 ) A proposição “Todo pigmeu é baixo”, sendo verdadeira, é correto inferir que:

A ) “Nenhum pigmeu é baixo” é uma proposição necessariamente verdadeira.

B ) “Algum pigmeu é baixo” é uma proposição necessariamente verdadeira.

C ) “Algum pigmeu é baixo” uma proposição verdadeira ou falsa.

D ) “Algum pigmeu não é baixo” é uma proposição necessariamente verdadeira.

E ) ““Algum pigmeu não é baixo” é uma proposição verdadeira ou falsa.

 

7) A sequência abaixo tem nome Veja e Diga.

 

1 , 11 , 21 , 1211 , 111221 , 312211 , 13112221 , …….

 

O próximo termo da seqüência é:

A ) 3311211

B ) 1223112

C ) 1113213211

D ) 13113211

E ) 31131211131221

 

8) Do grupo de números abaixo todos têm uma característica comum, menos um.

 

81, 100, 121, 144, 169, 196, 225, 256

 

Qual deles não possui essa característica?

 

A ) 81

B ) 121

C ) 169

D ) 196

E ) 256

 

9 ) Se a afirmação “Se não é verdade eu dizer que eu não saiba onde ela não está. então ela não sabe dizer onde eu não estou.” é falsa, então

A) eu sei onde ela não está e ela sabe onde eu não estou.

B) eu sei onde ela está e ela sabe onde eu não estou.

C) eu sei onde ela não está e ela sabe onde eu estou.

D) eu sei onde ela está e ela sabe onde eu estou.

E) eu não sei onde ela não está e ela não sabe onde eu não estou.

 

10 ) Um armário tem 4 cadeados denominados A, B, C e D. Seis pessoas têm chaves desses cadeados de uma forma muito curiosa:

 

– todos têm chaves de exatamente dois cadeados;

– duas dessas pessoas nunca têm as mesmas duas chaves.

 

Qual o número mínimo de pessoas desse grupo necessário para que possamos ter certeza de que o cadeado A poderá ser aberto?

(A) 6

(B) 5

(C) 4

(D) 3

(E) 2

 

11 ) Em um tabuleiro com 6 linhas e 9 colunas, 32 casas estão ocupadas. Podemos afirmar que:

A ) todas as colunas têm pelo menos 3 casas ocupadas;

B ) nenhuma coluna tem mais de 3 casas ocupadas;

C ) alguma coluna não tem casas ocupadas;

D ) alguma linha tem pelo menos 6 casas ocupadas;

E ) todas as linhas têm pelo menos 4 casas ocupadas

 

12 ) Um problema de geometria perguntava sobre o valor da razão  , entre os valores dos lados de um retângulo. A questão não especificava sobre qual o lado maior. Qual era a resposta certa, sendo as opções seguintes para a resposta ?

 

 

 

13 ) Na rua em que Lia mora, todas as casas ficam do mesmo lado e são numeradas por números ímpares consecutivos, começando por 1. Ela mora na casa 21; mas se a numeração começasse na outra extremidade da rua, o número da casa seria 11. Quantas casas há nessa rua?

A ) 11

B ) 13

C ) 15

D ) 16

E ) 19

 

14 ) A afirmação “se a galinha cacareja, então o gato mia e o canário ou o melro cantam” é logicamente equivalente a:

 

A ) Se o gato não mia e o canário ou o melro cantam, então a galinha cacareja;

B ) A galinha não cacareja e o gato mia e o canário ou o melro cantam;

C ) Se o gato não mia ou o canário e o melro não cantam, então a galinha não cacareja;

D ) Se a galinha não cacareja, então o gato não mia e o canário ou o melro não cantam;

E ) A galinha não cacareja ou o gato não mia ou o canário ou o melro não cantam.

 

15 ) A figura abaixo mostra uma engrenagem formada por quatro rodas dentadas iguais (de mesmo raio). Cada roda tem uma seta indicadora de posição. A roda dentada de cima girou menos de uma volta e parou na posição da seta pontilhada. Indique a opção que dá o posicionamento correto em que pararam as setas das outras três engrenagens.

 

 

16) O número que completa a sequência é:

 

 

A) 3

B) 4

C) 5

D) 6

E) 8

 

17 ) Se todos os nossos atos têm causa, então não há atos livres. Se não há atos livres, então todos os nossos atos têm causa. Logo,

(A) alguns atos não têm causa se não há atos livres.

(B) todos os nossos atos têm causa se e somente se há atos livres.

(C) todos os nossos atos têm causa se e somente se não há atos livres.

(D) todos os nossos atos não têm causa se e somente se não há atos livres.

(E) alguns atos são livres se e somente se todos os nossos atos têm causa.

 

18 ) A proposição equivalente à negação de “O ouro é líquido e o mercúrio é sólido” é:

A ) O ouro não é líquido se o mercúrio não é sólido

B  ) Se o mercúrio não é sólido, então o ouro não é líquido

C ) O ouro não é líquido e o mercúrio não é sólido

D ) O ouro não é líquido ou o mercúrio é sólido

E ) Se o ouro é líquido, então o mercúrio não é sólido

 

19 ) Surfo ou estudo. Fumo ou não surfo. Velejo ou não estudo. Ora, não velejo. Assim,

A) estudo e fumo.

B) não fumo e surfo.

C) não velejo e não fumo.

D) estudo e não fumo.

E) fumo e surfo.

 

20 ) Um agente de viagens atende três amigas. Uma delas é loura, outra é morena e a outra é ruiva. O agente sabe que uma delas se chama Bete, outra se chama Elza e a outra se chama Sara. Sabe, ainda, que cada uma delas fará uma viagem a um país diferente da Europa: uma delas irá à Alemanha, outra irá à França e a outra irá à Espanha. Ao agente de viagens, que queria identificar o nome e o destino de cada uma, elas deram as seguintes informações:

 

A loura: “Não vou à França nem à Espanha”.

A morena: “Meu nome não é Elza nem Sara”.

A ruiva: “Nem eu nem Elza vamos à França”.

 

O agente de viagens concluiu, então, acertadamente, que:

A) A loura é Sara e vai à Espanha.

B) A ruiva é Sara e vai à França.

C) A ruiva é Bete e vai à Espanha.

D) A morena é Bete e vai à Espanha.

E) A loura é Elza e vai à Alemanha.

 

Gabarito:

1)B- 2)D- 3)A- 4)E- 5) C- 6)B- 7)C- 8)E-9)A- 10)C- 11)D- 12)D- 13)D- 14)C-15)C- 16) C- 17) C- 18)E-19)E- 20)E

 

Postado por claudiajones às 21:45 | 1 comentário | Comentar

Compartilhe:

Vale a pena prestar concurso para uma área profissional diferente da sua?

Concurseiros,

Recebi uma dúvida da internauta Amanda Queiroz, do Rio de Janeiro: Tenho curso superior em Psicologia. Será que vale a pena prestar concurso para uma área que não seja a minha?

Olá, Amanda. Sim, vale a pena prestar concurso público para uma área que não seja a sua, mas é preciso você avaliar se é isso mesmo o que você quer. Nem sempre só um salário alto é motivo para ficarmos felizes por completo. Claro que é um bom começo, mas dinheiro, de fato, não é tudo. Existem diversos concursos que oferecem cargos para nível superior com qualquer graduação e, muitas vezes, com salários altos e, que talvez, você não consiga no mercado privado dentro da sua área. Pra você ter uma ideia, temos o concurso do Tribunal Regional do Trabalho que oferecerá vagas para o cargo de analista administrativo com salários acima de 10 mil reais. Inclusive, o órgão já está em processo de definição da organizadora e já sabemos que deverão ser 600 vagas. Sem contar que o TRT tem a tradição de convocar um número maior do que o das vagas oferecidas. Esse concurso é uma boa dica.

Faça uma pesquisa sobre os bons concursos em andamento e veja aquele que mais se encaixa no seu perfil ou no que pretende para sua vida. Uma alternativa pode ser ingressar em uma área que, mesmo não sendo a sua, sirva como trampolim para concretizar o seu sonho. Com dinheiro no bolso, terá mais tranquilidade para se preparar e aguardar o concurso dos seus sonhos, por exemplo.

Isso vale para concursos de nível médio também. O fato de você ter curso superior não lhe desabilita, pelo contrário, você também pode fazer dele um trampolim. Mas atenção. Muitas vezes a relação candidato/vaga em um processo seletivo para nível médio é muito maior que para quem tem nível superior, principalmente quando o assunto em questão é a exigência de uma especialidade, como a sua. Um bom exemplo de concurso para nível médio com um excelente salário é o da Agência Nacional de Cinema-Ancine, que teve o edital publicado na última sexta-feira e traz um salário de mais de 5 mil reais.

Bons estudos!

Postado por claudiajones às 7:20 | 1 comentário | Comentar

Compartilhe:

Questões comentadas para prova da Ancine

Para quem vai fazer o concurso da Ancine, o Professor Vinicius Portella, da Academia do Concurso, elaborou e comentou questões de Atividades Cinematografica e Audiovisual.

De acordo com a Mp 2.228-1/2001, julgue os itens abaixo

1) A Ancine pode exigir relatórios que versem sobre oferta e consumo de produtos audiovisuais (filmes, séries, etc.) para as empresas atuantes no segmentos de comunicação eletrônica de massa por assinatura ou comunicação audiovisual de acesso condicionado, videodoméstico e salas de exibição.

2) O fornecimento do Certificado de produto brasileiro -CPB e certificado de registro de título – CRT é de competência da Agência Nacional do Cinema.

3) De acordo com a legislação brasileira, uma obra cinematográfica é aquela produzida em película de emulsão fotossensível ou matriz de captação digital destinada inicialmente para o mercado de salas de exibição.

4) Toda obra audiovisual que esteja entre o intervalo de 80 a 100 minutos é considerada uma obra de longa metragem.

5) A Condecine será devida unicamente em virtude da produção, veiculação, distribuição e exibição de obras cinematográficas.

6) A Condecine, tributo previsto no art. 32 da MP 2.228-1/2001, possui uma grande quantidade de fatos geradores e os elementos essenciais da exação, muitas das vezes, acabam por ser diferentes entre si como por exemplo o sujeito chamado à contribuição e pagamento do tributo.

7) Uma das hipótese de isenção da Condecine diz respeito a isenção da mesma relativa aos programadores estrangeiros. No mercado, esse benefício é denominado, genericamente, de “mecanismo do art. 3ºA”.

8) Os Funcines são compostos por recursos onde os contribuintes pessoas físicas e/ou jurídicas poderão, dentro dos limites legais, abater o valor investido no fundo dos seus respectivos impostos de renda a pagar.

9) O Prêmio Adicional de renda – PAR é um mecanismo de fomento indireto onde contribuintes pessoas físicas e jurídicas aplicam parcelas de seu imposto de renda a título de premiação para produtoras que fizeram filmes de sucesso.

 

De acordo com a lei 8.685/1993, julgue os itens abaixo

10) Empresas radiodifusoras de sons imagens poderão fazer uso dos benefícios fiscais previstos no art. 3ºA da lei 8.685/1993, considerando situações especiais prevista em contrato.

11) A lei 8.685/1993 foi sancionada pelo presidente Fernando Collor de Mello.

12) A Receita Federal do Brasil – RFB e a Agência Nacional do Cinema Poderão, no âmbito de suas competências, fiscalizar os mecanismos de renúncia fiscal oriundos de remessas para o exterior, especialmente pelo fato de haver mecanismos de renúncia fiscal de tributos federais sujeitos ao controle da RFB como o imposto de renda.

 

No que tange às características do Mercado audiovisual, julgue os itens abaixo

13) Os três principais entes da cadeia produtiva do cinema são: produtores, distribuidores e exibidores. Dentre eles, os que possuem maior custo de capital investido é o exibidor, dado o elevado custo para a produção da denominada “primeira cópia” do filme.

14) A indústria norte-americana é a principal indústria do audiovisual no mundo. Sua estrutura dominante tem como uma de suas causas a questão histórica e a forma de atuação dos distribuidores norte-americanos na negociação de filmes.

15) O ciclo do cinemas nacional denominado Embrafilme, a partir da década de 70, apostou no denominado cinema de autor e foi responsável pelo grande sucesso do movimento do Cinema Novo ao redor do planeta.

16) A indústria audiovisual na Índia possui grande número de espectadores para seus filmes nacionais. Sendo assim, rivaliza em tamanho e lucros com a indústria americana.

17) Com relação ao mercado audiovisual brasileiro, observa-se que a TV aberta tem este nome em virtude de ser aberta às produções de produtoras independentes.

18) A TV paga no Brasil vem se desenvolvendo muito nos últimos anos. Entretanto, ainda não rivaliza em termos audiência com a TV aberta, que aufere grande parte da receita publicitária no Brasil.

19) O ciclo do cinema brasileiro denominado retomada teve como seu filme principal o “Tropa de Elite 2”. Este filme foi revolucionário e alcançou recordes de bilheterias que serão, certamente, seguidos pelos outros filmes nacionais a serem lançados depois dele.

 

A respeito da Lei 12.485/2011, julgue os itens abaixo

20) Esta lei regula e regulamenta toda e qualquer serviço de televisão no Brasil. É regulada concorrentemente pela Anatel e Ancine, no âmbito de suas competências.

21) A lei possui entre seus princípios o liberdade de expressão e de acesso à informação; a promoção da diversidade cultural e das fontes de informação, produção e programação e a promoção da língua portuguesa e da cultura brasileira, além de outros.

22) É vedada a realização de subsídios cruzados, preços discriminatórios ou práticas comerciais, gerenciais ou contábeis que contribuam para a consecução de lucros ou prejuízos artificialmente construídos que busquem dissimular os reais resultados econômicos ou financeiros obtidos, em quaisquer das atividades de comunicação audiovisual de acesso condicionado, ainda que esses resultados venham a ser compensados por lucros em outras atividades quaisquer, mesmo que exercidas pela mesma empresa.

23) As normas gerais de proteção à ordem econômica não são aplicáveis à comunicação audiovisual de acesso condicionado.

24) Uma programadora brasileira independente poderá ter 50% + 1 do seu capital total ou votante de brasileiros natos ou naturalizados há mais de dez anos.

25) De uma forma genérica e considerando outros detalhes previstos na lei 12.485/2011, as cotas de conteúdo em canais previstas na mesma tem por objetivo garantir, nos canais de espaço qualificado, o mínimo 3h30 (três horas e trinta minutos) semanais dos conteúdos veiculados no horário nobre, devendo estes serem brasileiros e integrarem espaço qualificado.

 

De acordo com a Lei 12.599/2012, julgue o item a seguir

26) O Recine, mecanismos de incentivo fiscal à exibidores, foi implantado pela referida lei e volta-se prioritariamente para o ente da cadeia produtiva do cinema Exibidor.

 

Gabarito

1 C Previsto no art.18 da MP 2.228-1/2001.
2 C Competência da Ancine, art. 7º. Da MP 2.228-1/2001.
3 C MP 2.228-1/2001, Art. 1º, II.
4 C MP 2.228-1/2001, Art. 1º, IX.
5 E A Condecine Licença ou Condecine Título será devida uma única vez a cada 5 anos. A Condecine, da forma como está a questão, engloba os outros tipos previstos no art. 32, II, III e parágrafo único, a qual são devidas de formas diferentes da Condecine Licença
6 C Correto. Existem 4 tipos de Condecine (art. 32, I, II, III e parágrafo único): Condecine Licença ou título, Telecom, “Nova Nondecine publicitária” e Remessa ou Rendimento, respectivamente. Seus elementos essenciais (fato gerador, por exemplo) diferem entre si, apesar de serem o mesmo tributo.
7 E O mecanismo neste caso seria o Art. 39, X (“Artigo 39”).
8 C Ok, definição do mecanismo – art.44 e 45 da MP 2.228-1/2001.
9 E Art. 54 Mp 2.228-1/2001: mecanismo de fomento direto. Fonte de recursos orçamento da Ancine e não renúncia fiscal de tributo.
10 C Art. 3ºA, parágrafo 1º e 2º.
11 E Itamar Franco
12 C Ok. Situações fiscalizadas de forma concorrente entre Ancine e RFB – Declaração de Benefícios fiscais – DBF.
13 E Produtor é quem produz o filme e dá origem à primeira cópia do mesmo e não o exibidor.
14 C Exatamente. Dominação iniciada a partir da 1ª guerra mundial. Expansão de seus produtos audiovisuais para todo mercado mundial.
15 E Cinema Novo. Movimento baseado no neo realismo italiano que defendia filmes a custos baixos e com temáticas que retratassem a situação social do País, liderado por cineastas como Gláuber Rocha e Nélson Pereira dos Santos. Movimento de grande sucesso na década de 1960, mas não tinha relação direta com a política adotada pela Embrafilme. Os filmes do cinema novo, apesar de premiados em festivais estrangeiros, não representaram grandes sucessos de públicos em termos de bilheteria e renda
16 E A indústria na índia não rivaliza com a indústria americana. São modelos de negócio construídos em bases distintas e não se confundem.
17 E TV aberta tem como características produções próprias, atuação de forma verticalizada. Não dá grandes aberturas às produções independentes.
18 C A TV aberta aufere a maior parte da renda gasta em publicidade no Brasil. A TV paga não compete, ainda, com a TV aberta, neste quesito.
19 E O erro está, principalmente no fato de garantir que os filmes futuros terão renda – “recordes de bilheterias que serão, certamente, seguidos pelos outros filmes nacionais a serem lançados depois dele”.
20 E A lei 12.485/2011 não regulamenta a radiodifusão, a não ser em algum dispositivo específico que haja menção às empresas deste segmento.
21 C Lei 12.485/2011, art. 3º.
22 C Lei 12.485/2011, art. 7º.
23 E Lei 12.485/2011, art. 8º.
24 E Lei 12.485/2011, art. 2º, XXI.
25 C Lei 12.485/2011, art. 16º.
26 C Ok, de acordo com a lei 12.599, art. 12, 13 e 14.

Postado por claudiajones às 20:32 | Nenhum comentário | Comentar

Compartilhe:

Fórum da Carreira Pública pretende atrair 5 mil pessoas

A Academia do Concurso promove o “ 1º Fórum da Carreira Pública” com o intuito de direcionar candidatos e mapear o cenário dos concursos públicos trazendo as últimas novidades do mercado. O evento, que acontece no dia 28 de julho, conta com uma programação completa voltada para quem almeja o sucesso na maratona dos concursos públicos. A programação tem início às 8h com a maratona de exercícios que vai até 12h. Na parte da tarde, acontece um ciclo de palestras, com diversas personalidades do mundo dos concursos e que tem a finalidade de orientar a trajetória do concurseiros. A partir das 16h haverá um simuladão no qual os 3 primeiros colocados ganharão bolsas de estudo. A inscrição para a maratona e para o simuladão será presencialmente na secretaria do curso com doação de uma lata de leite em pó. Já para as palestras haverá pré-inscrição através do e-mail: palestras@academiadoconcurso.com.br, porém as senhas serão distribuídas, gratuitamente, 1 hora antes de cada uma. O Fórum da Carreira Pública acontece na Av. Rio Branco, 277 – 2° andar – centro. Outras informações no site www.academiadoconcurso.com.br .

 

Abaixo a programação completa do evento:

 

Fórum da Carreira Pública

Data: 28 de julho

Horário: das 8h às 19h

Foco: Nível Médio

Brindes: bolsas de 20% para todos os participantes

Simuladão de bolsas: 100%,50% e 30% para os três primeiros colocados

Local- Academia do Concurso- Av. Rio Branco,277- 2º andar

 

PROGRAMAÇÃO

Maratona- Exercícios com professores da Academia do Concurso

8h às 9h- Direito Constitucional

9h às 10h- Direito Administrativo

10h às 11h- Portugues

11h às 12h- Informática

 

Ciclo de palestras

12h às 13h- Juarez Lopes e Lisandra – “Como a Leitura Dinâmica pode ajudar na sua aprovação”

13h às 14h- Paulo Estrella- “ Estratégias para acelerar a aprovação”

14h às 15h- Alexandre Maia- “Preparo Emocional para Passar em provas e Concursos

15 às 16h- Lia Salgado- “Como Vencer a Maratona dos Concursos Públicos”.

Simuladão

16h às 18h30- Simuladão de bolsas

Postado por claudiajones às 14:45 | Nenhum comentário | Comentar

Compartilhe:

Faculdade x Concurso Público

Recebi uma dúvida interessante de uma pessoa que pode ser a de muitas pessoas. Portanto, vou respondê-la compartilhando com você:

 

“Tenho 18 anos, conclui o ensino médio e ainda não sei qual faculdade quero fazer. De qualquer forma, pretendo começar a estudar para concursos, mas não sei qual o melhor. Qual devo escolher?” – Marina Pires, Rio de Janeiro.

 

Marina, em primeiro lugar parabéns pela sua iniciativa. Essa é uma boa hora para decidir a caminhar nessa trajetória.Você já sai na frente pois está com a cabeça já cheinha de conteúdo básico que adquirido na escola. Agora, em um curso preparatório você vai passar por um filtro e um direcionamento de como tratar essas matérias.

Como escolher o “melhor” concurso é uma das perguntas que escuto com mais frequência, principalmente quando o interessado em conquistar uma vaga no serviço público é marinheiro de primeira viagem, assim, como você. Afinal, causa mesmo dificuldade fazer uma avaliação mais apurada sobre qual concurso escolher com tantas oportunidades disponíveis.

Inicialmente, faça uma lista dos concursos em andamento, os que já estão com edital divulgado, os que ainda não têm edital e os que apenas foram autorizados. Você verá que a lista é bastante razoável. De posse dela, terá mais ou menos uma ideia do que o mercado está oferecendo e em qual processo seletivo seu perfil se encaixa melhor. A partir disso, analise se sua escolaridade está de acordo com as exigências do cargo pretendido e o salário. Em média, cargos de nível médio pagam algo em torno de R$ 3 mil. Na iniciativa privada, cargos equivalentes dificilmente terão uma remuneração tão atraente quanto as oferecidas pelo serviço público.O ideal é você escolher uma área e trabalhar os concursos dela. Por exemplo, hoje temos o Tribunal Regional Eleitoral – TRE, este já tem data marcada para a prova, ou Tribunal Regional do Trabalho – TRT, e fazem parte da área de tribunais. Ou seja, concursos dentro de uma mesma área caminham bem juntos em relação a disciplinas e, dessa forma, você pode aproveitar os conteúdos de um concurso para o outro. Isso otimiza a sua preparação. Ficar atirando para todos os lados, não vale apena. Por exemplo, hoje você se prepara para um concurso da área de tribunal, amanhã você resolve fazer um para área bancária, depois muda totalmente e vai para a de segurança. É óbvio que todas essas áreas têm disciplinas comuns como,por exemplo, português, direitos constitucional e administrativo e informática, mas, com certeza você vai aproveitar um número maior de disciplinas se você apontar para uma única área. Claro que existem exceções: o TRE, por exemplo, tem matérias afins em relação ao concurso da Agência Nacional de Cinema – Ancine, e são áreas diferentes. Portanto, que está estudando para a prova do TRE, pode depois apontar para a Ancine que terá bom aproveitamento de matérias. De qualquer forma, é interessante você acompanhar os editais e comparar os conteúdos.

 

Se você tiver alguma dúvida, envie para mim que terei maior prazer em responder, pois a sua dúvida pode ser também a de outra pessoa.

 

Postado por claudiajones às 14:13 | Nenhum comentário | Comentar

Compartilhe:

Simulado de Processo Penal – TCE.

Candidatos ao concurso do TCE,

Estamos disponibilizando um simulado de Processo Penal elaborado pela professora Lorena Braga e  com gabarito comentado. Bons estudos!

Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro

TCE/RJ – 2012

Noções de Processual Penal

Cargo: Técnico de Notificações

 

Vamos praticar…

1. Marque a opção incorreta:

(A)        Quanto ao sujeito, a interpretação pode ser autêntica, doutrinária e jurisprudencial.

(B)         Interpretação gramatical é a que se inspira no próprio significado das palavras.

(C)         Interpretação lógica ou teleológica é aquela que visa precisa a genuína vontade da lei, à vontade nela manifestada.

(D)        Sistemática é aquela em que o intérprete deve colocar a norma em relação ao conjunto de todo o Direito vigente com as regras particulares que têm pertinência com ela.

(E)         Interpretação histórica é aquela em que algumas vezes a lei penal permite e faz, quando uma cláusula genérica se segue a uma forma casuística.

 

2. Assinale a alternativa correta:

I – A lei processual penal aplicar-se-á desde logo, sem prejuízo da validade dos atos realizados sob a vigência da lei anterior, vigendo em regra o princípio da irretroatividade, salvo quando a norma processual penal material tiver conteúdo de direito penal, retroagindo em benefício do réu.

II – A lei processual penal não admitirá interpretação extensiva e aplicação analógica, bem como o suplemento dos princípios gerais do direito.

III – O princípio do devido processo legal consiste no direito de não ser privado da liberdade e de seus bens, sem a garantia que supõe a tramitação de um processo desenvolvido na forma que estabelece a lei.

IV – O princípio do juiz natural pressupõe a existência de um órgão julgador técnico e isento, com competência estabelecida na própria Constituição e nas leis de organização judiciária de modo a impedir que ocorra julgamento arbitrário ou de exceção.

(A)        Todas as proposições estão corretas.

(B)         Somente as proposições II, III e IV.

(C)         Somente as proposições I, III e IV.

(D)        Somente as proposições I e IV.

(E)         Somente as proposições II e I.

 

3. Quanto à eficácia temporal, a lei processual penal

(A)         Aplica-se somente aos fatos criminosos ocorridos após a sua vigência.

(B)         Vigora desde logo, tendo sempre efeito retroativo.

(C)         Tem aplicação imediata, sem prejuízo da validade dos atos já realizados.

(D)        Tem aplicação imediata nos processos ainda são instrutórios.

(E)         Não terá aplicação imediata, salvo se para beneficiar o acusado.

 

4. Considere as assertivas abaixo sobre a aplicação da lei penal:

I – Aplicável é a lei penal em vigor quando a libertação da vítima de seqüestro, ainda que mais grave do que a lei penal em vigor quando iniciado o cometimento do crime.

II – Fica sujeito ao Código Penal, e não às normas estabelecidas na legislação especial do Estatuto da Criança e do Adolescente, o agente que, com dezessete anos e onze meses de idade, a tiros de revólver, atinge a região abdominal de seu desafeto, vindo o ofendido a falecer quarenta e cinco dias após em conseqüência das lesões recebidas.

III – A lei penal temporária, embora decorrido o período de sua duração, aplica-se ao fato praticado durante a sua vigência.

Quais são corretas?

(A)        Apenas I.

(B)         Apenas II.

(C)         Apenas III.

(D)        Apenas I e III.

(E)         I, II e III.

 

5. A respeito da aplicação da lei penal quanto ao tempo, considera-se praticado o crime no momento:

(A)        da ação ou omissão, ainda que outro seja o momento do resultado.

(B)         em que o agente der início aos atos preparatórios, ainda que não tenha ocorrido ação ou omissão.

(C)         em que ocorrer o resultado, ainda que seja outro o momento da ação ou omissão.

(D)        do exaurimento da conduta delituosa, ainda que seja outro o momento da ação ou omissão.

(E)         em que o agente concluir os atos preparatórios, ainda que não tenha ocorrido ação ou omissão.

 

6. É certo que se aplica a lei brasileira aos crimes praticados a bordo de:

(A)         Embarcações mercantes brasileiras que estejam em mar territorial estrangeiro.

(B)         Embarcações mercantes brasileiras que estejam em porto estrangeiro.

(C)         Aeronaves mercantes brasileiras que estejam em

pouso em aeroporto estrangeiro.

(E)         Embarcação estrangeira de propriedade privada que esteja em mar territorial brasileiro.

 

7. Pela regra do princípio da consunção:

(A)         O crime-fim absorve o crime-meio.

(B)         A norma especial afasta a geral.

(C)         As condutas intermediárias absorvem as finais.

(D)        A norma principal exclui a subsidiária.

(E)         A norma subsidiária afasta a especial.

 

 

8. Conforme o princípio “tempus regit actum”, a lei penal aplica-se às condutas ocorridas durante sua vigência, Todavia, para solucionar as questões advindas da sucessão de leis penais, há princípios de direito intertemporal. Assim:

I – a regra da irretroatividade vale apenas em relação à nova lei mais gravosa;

II – para aplicar a lei mais favorável ao réu definitivamente condenado, deve-se esperar o término do respectivo período da vacatio legis;

III – por serem dotadas de ultra-atividade, as lei excepcionais e temporárias aplicam-se a quaisquer delitos, desde que seus resultados tenham ocorrido durante sua vigência;

IV – a abolitio criminis alcança até os fatos definitivamente julgados.

Analisando as assertivas acima, pode-se afirmar que:

(A)             Todas estão corretas;

(B)             Estão erradas as de números I e II;

(C)              Estão erradas as de números II e III;

(D)             Estão erradas as de números I e IV;

(E)              Estão erradas as de números III e IV.

 

9. A atual Lei de Drogas – Lei nº 11.343/2006, afastou a incidência de pena privativa de liberdade e de multa quanto ao crime de porte de substância entorpecente para uso próprio, cominadas na anterior Lei de Drogas – Lei nº 6368/76, e estabeleceu, em seu lugar, a aplicação de outras medias (advertência, prestação de serviços à comunidade, etc.), configura hipóteses de:

(A)             Abolitio criminis.

(B)              Novatio legis in pejus.

(C)              Novatio legis incriminadora.

(D)             Novatio legis in mellius.

(E) Vacatio legis.

10. É regra, quanto à contagem de prazos, nos termos da lei processual penal, que todos os prazos correrão em cartório e serão contínuos e peremptórios, não se interrompendo por férias, domingo ou dia feriado. Acerca desse tema, assinale a opção correta:

(A)             O dia do começo inclui-se no cômputo do prazo, excluindo-se o termo final.

(B)             Os prazos judiciais que se iniciarem ou vencerem aos sábados serão prorrogados por um dia útil.

(C)               O prazo decadencial cujo termo final vença em dia em que não haja expediente forense deve ser prorrogado para o primeiro dia subseqüente.

(D)             Feita a intimação, conta-se o prazo a partir da juntada do mandato aos autos principais.

(E)              Todas as assertivas estão incorretas.

 

11. O defensor constituído do acusado foi pessoalmente intimado para praticar determinado ato processual no prazo de 05 (cinco) dias no dia 06 de setembro de 2011, terça-feira. Dia 07 de setembro foi feriado nacional. Os dias 08 e 09 de setembro foram dias úteis. Dia 10 e 11 foi domingo. O prazo processual terá início no dia.

(A)             08 e vencimento no dia 12 de setembro.

(B)              06 e vencimento no dia 13 de setembro.

(C)              08 e vencimento no dia 13 de setembro.

(D)             07 e vencimento no dia 12 de setembro.

(E)              09 e vencimento no dia 13 de setembro.

 

12. Na contagem de prazo, no Código Penal, foi adotado:

(A)             O número real de dias.

(B)             O calendário gregoriano.

(C)        O mesmo sistema do Código de Processo Penal.

(D)       A prorrogação de prazo.

(E)        O mesmo sistema do Código de Processo Penal Francês.

13.Parte inferior do formulário

GABARITO – TCE

1. Gabarito E

*Correta à letra A. Efetivamente, a interpretação da lei processual penal, quanto ao sujeito que a procede, classifica-se em autêntica, doutrináriajurisprudencial.Interpretação autêntica (ou legislativa) é aquela realizada pelo próprio órgão incumbido pela elaboração do texto legal. Por exemplo, dispõe o art. 327 do Código Penal que “considera-se funcionário público, para efeitos penais, quem, embora transitoriamente ou sem remuneração, exerce cargo, emprego ou função pública”. Já por interpretação doutrinária (ou científica) compreende-se aquela que é feita pelos estudiosos do direito. Por fim, considere-se interpretação jurisprudencial a que é efetivada por juízes e tribunais por meios de julgamentos reiterados.

*Correta à letra B.interpretação gramatical (classificação dos métodos interpretativos quanto aos meios empregados) considera a letra fria da lei, ou seja, o sentido literal dos termos inseridos no texto legal.

*Correta à letra C. A interpretação lógica ou teleológica (método de interpretação que também leva em conta os meios empregados) é aquela que busca a verificação quanto à vontade efetiva (ou seja, a apuração do valor e finalidade do dispositivo) da lei ao dispor desta ou daquela forma. Exemplo: ao estabelecer a competência dos juízes federais, previu o art. 109, IX, da Constituição Federal que lhes compete julgar “os crimes cometidos a bordo de navios ou aeronaves, ressalvada a competência da Justiça Militar”. Analisando o alcance da expressão “navio” utilizada no dispositivo, decidiu o STJ que, “realizando-se uma interpretação teleológica da locução, tem-se que a norma visa abranger as hipóteses em que tripulantes e passageiros, pelo potencial marítimo do navio, possam ser deslocados para águas territoriais internacionais” (STJ, Conflito de Competência 43.404/SP, 3º Seção, Rel. Min. Arnaldo Esteves de Lima, DJ 02.03.2005), compreendo, então, a partir desse método interpretativo, que a expressão não abrange qualquer embarcação, sendo relativa apenas àquelas de grande porte.

*Correta à letra D. Interpretação sistemática, de fato, é aquela que visa a harmonizar a norma com o sistema jurídico, considerado em sua integralidade.

*Errada a letra E. Primeiro, porque a chamada interpretação histórica consiste na detecção da realidade existente no momento do surgimento da norma com vista à compreensão dos motivos determinantes do legislador em sua edição, e, segundo, porque a situação versada na alternativa – fórmula casuística seguida por cláusula genérica – corresponde, em verdade, à hipótese existente de interpretação analógica.

Exemplo de situação que requer interpretação analógica: o art. 121, § 2º, I, do Código Penal estabelece, como qualificadora do homicídio, de fato de ter sido cometido “mediante paga ou promessa de recompensa ou por outro motivo torpe”.

# “mediante paga ou promessa de recompensa” = fórmulas casuísticas incorporadas ao dispositivo como motivação do homicídio.

# “ou por outro motivo torpe” = fórmula genérica, que deve ter intensidade equiparada às hipóteses anteriores mencionadas no tipo, isto é, consistir em motivo reprovável, desprezível, repugnante.

2. Gabarito C.

*Correto o item I. Note-se que o art. 2º, do CPP é explícito ao dispor que a lei processual penal aplicar-se-á desde logo, sem prejuízo da validade dos anos, realizados sob a vigência da lei anterior, o que, em termos práticos, implica na irretroatividade dessa ordem de regra.

*Errado o item II. Afrontando o art. 3º do CPP, quando estabelece que a lei processual penal admitirá interpretação extensiva e aplicação analógica, bem como o suplemento dos princípios gerais de direito.

*Correto o item III. devido processo legal, está consagrado na Constituição Federal no art. 5º, LIV e LV, estabelecendo que ninguém será privado da liberdade ou de seus bens sem que haja um processo prévio, no qual sejam assegurados o contraditório e a ampla defesa, com os meios e recursos a ela inerentes.

*Correto o item IV. princípio do juiz natural decorre do art. 5º, LIII, da Constituição Federal, ao dispor que ninguém será processado nem sentenciado senão pela autoridade competente. Da análise deste dispositivo, compreende-se que a pretensão a ele incorporada objetiva assegurar ao acusado o direito de ser submetido a processo e julgamento não apenas no juízo competente, como também por órgão do Poder Judiciário regularmente investido, imparcial e, sobretudo, previamente à prática da infração penal. Em conseqüência, veda-se a criação de tribunais e juízes de exceção.

3. Gabarito C.

Erradas, as letras A, B, D e E. Note-se que, em relação à lei penal processual penal, vigora o princípio tempus regit actum. Logo, ingressando em vigor, tem efeito imediato, não importando se o fato criminoso ocorreu antes ou após a sua vigência, bem como o estágio da tramitação do processo criminal. Por outro lado, correta a letra C, pois corresponde ao que dispõe o art. 2º do CPP.

 

4. Gabarito D.

*Correta à assertiva I, pois está de acordo com a Súmula 711 do STF.

*Errada a assertiva II, eis que, segundo o art. 4º do CP, considera-se praticado o crime ao tempo da ação ou omissão, ainda que outro seja o momento do resultado. Por outro lado, dispõe o art. 27 do mesmo diploma que os menores de 18 anos são inimputáveis, devendo estar sujeitos à legislação especial, qual seja, o Estatuto da Criança e do Adolescente.

*Correta à assertiva III, pois corresponde ao que dispõe o art. 3º do CP.

 

5. Gabarito A.

Para determinar o tempo do crime, a doutrina criminal tem apresentado três teorias: da atividade, do resultado e da ubiguidade (mista).

 

*Teoria da Atividade – o crime ocorre no momento em que foi praticada ação ou omissão, ou seja, a conduta criminosa. Exemplo: Caio atira em Mévio, em Salvador. Mévio, porém, vem a falecer em Manaus. Considera-se praticado o crime no momento dos disparos.

 

*Teoria do Resultado – o crime ocorre no momento em que se operou o resultado. Exemplo: Tício atira em Mévio, em São Paulo. Mévio vem a falecer no Rio de Janeiro. Pela teoria do resultado considera-se o momento do falecimento.

 

*Teoria da Ubiguidade – também conhecida por teoria mista, já que esta o crime ocorre tanto no momento em que foi praticada a ação ou omissão (atividade) como onde se produziu, ou deveria se produzir, o resultado.

O Código Penal adota claramente, em seu art. 4º, a Teoria da Atividade para determinar o tempo do crime.

6. Gabarito E.

O §1º, do art. 5º, do Código Penal, considera como extensão do território nacional:

  • As embarcações e aeronaves brasileiras de natureza pública;
  • As embarcações e aeronaves brasileiras a serviço do governo brasileiro;
  • As aeronaves e embarcações brasileiras, mercantes ou de propriedade privada que se achem, respectivamente, no espaço aéreo correspondente ou em alto-mar.

Sendo assim, segundo o Código Penal, as embarcações e aeronaves mercantes só estarão sujeitas à lei brasileira se estiverem no país ou em alto-mar (ou o espaço aéreo correspondente), o que torna incorretas as alternativas A, B, C e D.

Na alternativa E, há a situação em que uma embarcação estrangeira, de natureza privada, encontra-se em mar territorial brasileiro. Para este caso, haverá aplicabilidade do princípio da territorialidade e, portanto, da lei penal brasileira.

7. Gabarito A.

De acordo com tal princípio, conforme apresentado na alternativa A, o crime mais grave (crime-fim) absorve o crime menos grave (crime-meio). Para melhor compreensão, imagine, por exemplo, se Tício, com o intuito de furtar bens de uma residência, escala o muro que a cerca e, utilizando-se de uma chave falsa, abre a porta e penetra em seu anterior, subtraindo-lhe os bens e fugindo logo em seguida, pode-se com toda certeza, afirmar que o princípio da consunção se faz presente. Neste caso, o furto qualificado pela escalada e pelo emprego da chave falsa (art. 155, § 2º, II e III, do CP) absorve a violação de domicílio qualificada (art. 150, § 1º, do CP) que lhe serviu de meio necessário.

8. Gabarito C.

Esta questão se liga diretamente à Teoria da Norma e alguns princípios correlatos à sua aplicação. Vamos aos itens lembrando que o candidato deve atentar para o fato de que as alternativas mencionam quais os itens considerados errados.

*Correto o item I. Em decorrência do princípio da legalidade, surgem os princípios da retroatividade da Lei Penal mais benéfica e o princípio da irretroatividade da Lei Penal incriminadora (art. 2º, do CP). O referido princípio da legalidade só obriga que haja lei penal anterior para que o fato praticado seja considerado crime (“Não há crime sem lei anterior que o defina”), não fazendo qualquer menção à necessidade de uma lei prévia quando for para se conceder um direito ou benefício ao sujeito. Assim, a assertiva esta correta, já que a irretroatividade só se aplica a Leis penais mais gravosas, de cunho incriminador, já que quanto a Leis penais mais benéficas vigora o princípio da retroatividade para que este alcance fatos praticados anteriormente pelo agente.

*Errado o item II. Embora esta questão não seja pacífica em nossa doutrina, o período devacatio legis, necessário para que certas leis, após a sua publicação, entrem em vigor e comecem a produzir efeitos, só se aplica a leis penais incriminadoras, não prevalecendo em relação a Leis penais mais benéficas que poderão produzir efeitos mesmo encontrando-se emvacatio legis e com sua vigência ainda suspensa.  A razão deste entendimento está no fato de que o tempo de vacatio legis dentre outras funções serve para que a Lei se torne conhecida pelos cidadãos e para que estes então se acostumem com a nova proibição ou regramento imposto, algo que é absolutamente desnecessário quando se trata de concessão de um benefício.

*Errado o item III. Aqui o erro da afirmação está em um pequeno detalhe, pois a ultratividade gravosa determina que em sede da lei excepcional e temporária estas permaneçam produzindo efeitos, mesmo após seu término de vigência, par crimes cuja CONDUTA do autor tenha ocorrido enquanto a Lei ainda estava em vigor. Na afirmativa, fala-se em aplicar a Lei quando o RESULTADO tiver ocorrido durante sua vigência, por isso o item encontra-se errado.

*Correto o item IV. Esta afirmação não possui maiores problemas, pois se refere ao instituto da abolitio criminis, ou seja, quando uma Lei nova deixa de considerar como crime algo que antes era assim considerado. A abolitio criminis (art. 2º do CP) por se tratar de lei penal mais benéfica possui efeitos retroativos plenos, afastando todos os efeitos penais condenatórios, inclusive o trânsito em julgado da sentença, só não alcançando os efeitos da natureza cível prática do fato.

9. Gabarito D.

A nova Lei de Drogas – nº 11.343/2006 caracteriza-se, neste ponto, como uma lei nova mais benéfica (novatio legis in melius), já que melhora o tratamento da infração de porte para uso, lhe atribuindo sanção menos rigorosa. Não custa lembrar que a nova lei, por ser uma norma mais benéfica, deverá retroagir para alcançar fatos anteriores a ela, em face do princípio da retroatividade da lei penal mais benéfica (art. 2º do CP), que é decorrente do princípio da legalidade ou da reserva legal (art. 1º do CP).

10. Gabarito B.

*Errada a letra A. Porque não se computará no prazo o dia do começo, incluindo-se, porém, o do vencimento, nos termos do § 1º, do art. 798, do CPP.

*Correta à letra B. Conforme o § 3º, do art. 798, do CPP, o prazo que terminar em domingo ou dia feriado considerar-se-á prorrogado até o dia útil imediato, são vejamos:

“Art. 798 – Todos os prazos correrão em cartório e serão contínuos e peremptórios, não se interrompendo por férias, domingo ou dia feriado.

§ 3º – O prazo que terminar em domingo ou dia feriado considerar-se-á prorrogado até o dia útil imediato.”

*Errada a letra C. Se tratando de prazo decadencial, se o último dia recair no período de recesso forense o prazo se prorroga até o primeiro dia útil (e não primeiro dia!) subseqüente. A opção D, está errada, conforme orientação do STF e do STJ no sentido de que, no processo penal, contam-se os prazos da intimação, e não da juntada aos autos do mandado ou da carta precatória ou de ordem.

*Errada a letra D. Dispõe o art. 798, § 5º, “a”, do CPP, que salvo os casos expressos, os prazos correrão da intimação (…), diferentemente do que afirma na assertiva que seria a partir da juntada do mandato aos autos principais.

11. Gabarito A.

Consoante ao art. 798, do CPP, para aferição da tempestividade, deve-se levar em conta o prazo conferido pela lei processual, o termo a quo (parâmetro para o início da contagem do prazo) e o termo ad quem (final da contagem do prazo), bem como a forma da contagem do prazo. Inicialmente, faz-se necessário estabelecer importante distinção entre a contagem do prazo no âmbito do direito penal e do direito processual penal. No âmbito do direito penal, segue-se a regra preceituada no art. 10, do CP, segundo o qual “o dia do começo inclui-se no cômputo do prazo. Contam-se os dias, meses e os anos pelo calendário comum”.Diferentemente, no processo penal a contagem do prazo se dá na mesma forma do processo civil, na medida em que não se inclui no computo do dia do início, mas do vencimento do prazo, uma vez que assim dispõe o art. 798, §1º, do CPP.

Outro aspecto de especial relevo para a elucidação da questão se refere ao termo inicial para a contagem do prazo, que conforme o art. 798, § 5º, do CPP, coincide com a intimação. Portanto, com a intimação deu-se no dia 06 de setembro, tal dia não se inclui no cômputo do prazo, que inicia sua contagem pelo dia útil seguinte (Súmula 310, STF), no caso dia 08 de setembro, pois a questão informa de que o dia 07 de setembro foi feriado nacional. O prazo se encerra no dia 12 de setembro (cinco dias contados entre 08, 09, 10, 11 e 12 de setembro. Em suma, o prazo se inicia em 08 de setembro e se encerra no dia 12 de setembro.

12. Gabarito B.

calendário comum ou gregoriano se encontra descrito no art. 10, do CP: “o dia do começo inclui-se no cômputo do prazo. Contam-se os dias, os meses e os anos pelocalendário comum.”

Postado por claudiajones às 16:46 | Nenhum comentário | Comentar

Compartilhe:

Concurso em Debate – Controle das bancas examinadoras

O especialista em Concursos Públicos, Paulo Estrella, o advogado especialista em concursos públicos, Sérgio Camargo e o Diretor da Folha Dirigida, Luiz Fernando, se reúnem em mais uma edição do Programa Concurso em Debate, para ampliar a discussão sobre o controle das bancas examinadoras de concursos públicos suscitada pelo alto índice de questões anuladas no último certame da Polícia Civil – RJ realizado no mês de abril.

Veja no You Tube!

Postado por claudiajones às 11:15 | Nenhum comentário | Comentar

Compartilhe:

Academia do Concurso promove Fórum da Carreira Pública

A Academia do Concurso Público vai realizar no dia 28 de julho o Fórum da Carreira Pública. O evento acontecerá das 8 horas às 19 horas e terá maratona de exercícios, ciclo de palestras e simuladão, sendo que os três primeiros colocados ganharão uma bolsa de estudos.

Para se inscrever na maratona e no simuladão, os interessados terão que ir à secretaria da Academia do Concurso, levando uma lata de leite em pó, até o dia 27 de julho.

Veja a programação completa:

 

Postado por claudiajones às 10:07 | Nenhum comentário | Comentar

Compartilhe:

Saiu edital do concurso para a Receita Federal

A Receita Federal lançou dois editais para concurso público, sendo um para Analista-Tributário e outro para Auditor-Fiscal. Ao todo são 950 vagas, das quais 750 são para Analista-tributário na área geral (700) e na área de informática (50) e as demais 200 vagas são para Auditor-Fiscal. Os salários são de R$ 7.996,07 e R$ 13.600,00, respectivamente. Dentre os requisitos, os candidatos devem ter nível superior em qualquer área.

Conforme os editais, os aprovados no concurso atuarão nas unidades centrais da Receita Federal, em Brasília, ou nas unidades descentralizadas. No entanto, os locais de atuação serão conhecidos após a aprovação no concurso.

As inscrições para Analista-Tributário e Auditor-Fiscal estarão abertas no dia 16 de julho de 2012 e vão até o dia 29 de julho de 2012 através do site da Esaf, organizadora desta seleção pública. As provas estão previstas para acontecer nos dias 15 e 16 de setembro de 2012.

 

Veja os editais para Analista-Tributário e Auditor-Fiscal!

 

Postado por claudiajones às 9:47 | Nenhum comentário | Comentar

Compartilhe:

Receita Federal: Dicas para a prova

Concurseiros,

Com a saída dos editais da Receita Federal, nós vamos trazer diversas dicas e questões valiosas para seu treinamento. Aproveite: 

Karina Jaques, professora de Direito Constitucional da Academia do Concurso:

Saiu o edital da Receita Federal e com ele algumas novidades na disciplina Direito Constitucional. O candidato ao cargo de Auditor que já estava se preparando para esta prova terá que estudar assuntos como Teoria Geral do Estado; Tipos, conteúdo, estrutura e origens de Constituição; a Defesa do Estado e das instituições democráticas e os Títulos Ordem Social e Ordem Econômica (que agora foram cobrados na sua totalidade), além do ADCT (Ato das Disposições Constitucionais Transitórias). Como é tradicional o conteúdo programático da Receita Federal ser extenso, o candidato já deve estudar com bastante antecedência para se adaptar apenas às possíveis mudanças no conteúdo progra mático (como aconteceu com a disciplina Direito Constitucional). A ESAF tem provas bem elaboradas, com bastante uso de doutrina e jurisprudência, tornando o nível de dificuldade ainda maior, portanto o candidato não deve se limitar ao estudo da “letra” da CF\88. Outra dica importantíssima para quem está se preparando é treinar provas anteriores da ESAF, percebendo quais os temas mais cobrados e quais as doutrinas e jurisprudências recorrentes. O domínio do tema Controle de Constitucional é dica importante, pois é o tema mais cobrado em provas de Auditor da Receita Federal. O candidato deve lembrar que a remuneração é excelente e o esforço vale a pena, pois ao final terá sua vaga garantida.

 

Postado por claudiajones às 9:05 | Nenhum comentário | Comentar

Compartilhe:
Publicidade
Assine o RSS