Publicidade

Jornal do Brasil

Concurseiros – JBlog – Jornal do Brasil

Curso de Execução Trabalhista

6 aulas, de 24/5 a 28/6/2014, aos sábados, das 9:00 às 13:00 h

Corpo docente: Professores Marcelo Segal (Juiz do Trabalho) e Joalvo Magalhães (Juiz do Trabalho)

Modalidades: presencial e virtual.

Tópicos que serão abordados: – Teoria Geral da Execução- Títulos Executivos- Prescrição Intercorrente- Liquidação- Homologação- Citação para pagamento- Grupo econômico- Exceção de pré-executividade- Desconsideração da personalidade jurídica. Desconsideração inversa.- BNDT (Banco Nacional de Devedores Trabalhistas)- Garantia do juízo e ferramentas tecnológicas na execução (Bacen-Jud, Renajud, Infojud, Jucerja, CCS, Simba)- Bem de família- Fraude à execução- Embargos de devedor e impugnação de credor- Embargos de terceiro- Decisão- Agravo de petição- Recurso de revista- Hasta pública- Execução contra a Fazenda Pública

Investimento: R$450,00 à vista ou parcelado em 2x de R$236,50
Descontos até 10-05 R$408,50 à vista ou parcelado em 2x de R$215,00.

Informações: 21 2220-7590 ou 21 2262-7203

toga@cursotoga.com.br

www.cursotoga.com

Postado por claudiajones às 20:50 | Nenhum comentário | Comentar

Compartilhe:

Módulo Online de Cálculos Trabalhistas

Carga Horária: 8 h
Professora: Maysa Infante

Investimento: R$ 140,00
R$ 125,00 para alunos e ex-alunos (2012 em diante) e para conveniados (servidores do TRT ou do MPT) – solicitar cupom de desconto por email: toga@cursotoga.com.br

04 aulas:
1 – Horas Extras 50% e 100% – passo a passo;
Reflexos das horas extras no RSR;
Exercício;
Comissões.

2 – Intervalos;
Hora intrajornada;
Exercício;
Hora noturna, adicional noturno;
Exercício.

3 – Integração de horas extras nas verbas rescisórias – passo a passo;
Proporcionalidade nas verbas rescisórias;
Exercícios.

4 – exercícios envolvendo: horas extras a 50% e 100%; reflexos de horas extras no RSR; hora noturna; integração de horas extras nas verbas rescisórias; adicional de periculosidade e insalubridade; vale transporte e seguro desemprego.

APRESENTAÇÃO/OBJETIVO
O curso consiste em abordagem teórica e exercícios, e tem como público-alvo não só profissionais que atuam na área jurídica trabalhista, mas também profissionais de Departamento Pessoal/Recursos Humanos e candidatos a concursos da área.

A professora Maysa Infante é Matemática, Pós-Graduanda em Direito Tributário e do Trabalho, calculista do TRT da 1ª Região há 15 anos e ministra, ao longo desse tempo, cursos de cálculos trabalhistas aos servidores do Tribunal.

PRAZO DE ACESSO

O prazo de acesso à aula online é limitado a um total de 30 dias, a contar da data da matrícula, e não do 1º acesso.

Será disponibilizado o dobro da carga horária da aula, em minutos (960’), o que possibilitará ao aluno duas visualizações de cada aula.

Aulas disponíveis apenas na modalidade Ondemand. Não há disponibilização ao vivo dessas aulas.
Telefones: 21 2220-7590 ou 21 2262-7203
www.cursotoga.com

Postado por claudiajones às 20:20 | Nenhum comentário | Comentar

Compartilhe:

Material de apoio para os estudos precisa ser bem escolhido

Dias desses, estava conversando com um professor de um curso preparatório para concursos sobre o material de apoio durante a preparação do concurseiro. Estávamos debatendo sobre como o mercado apresenta opções quase infinitas de material. A nossa  maior preocupação é saber se o que o candidato escolhe para embasar seu conhecimento é confiável.

Na minha opinião, um bom material significa 50% da  conquista da vaga em qualquer um dos poderes. O  material ideal é aquele que é mantido atualizado, segue rigorosamente o que é cobrado nos editais e, principalmente, está de acordo com a banca organizadora daquele concurso. Por isso, sempre alerto que é importante o aluno ficar atento ao que é oferecido no mercado, buscando autores com credibilidade, preferencialmente especialistas em concursos públicos. Esses saberão muito além das disciplinas: conhecem dicas, macetes, e o que as bancas mais costumam cobrar e como elas cobram o conteúdo.

 

Hoje temos qualidade no trabalho das editoras em material para concursos públicos. Elas estão, a cada dia, se especializando mais, assim como todos os profissionais envolvidos em concursos públicos.  São livros e apostilas imprescindíveis para uma boa preparação. Essa especialização atende cada vez mais áreas específicas. Passou o tempo em que qualquer material para concurso público “servia” para todos os concursos. O trabalho das editoras está muito direcionado e de qualidade, em geral, excelente.

 

Os cursos preparatórios trabalham mais com apostilas, porque fazem uma compilação do que é mais importante para o concurso A, B ou C.  Portanto, mantenha seu material na cabeceira durante a sua preparação. Fique atento às suas necessidades e peça opinião dos professores ou pessoas do ramo em quem confia. Bons estudos!

 

 

Postado por claudiajones às 13:41 | Nenhum comentário | Comentar

Compartilhe:

Ministério da Fazenda: saíram os gabaritos preliminares! Recursos nos dias 29 e 30

Já estão disponíveis os gabaritos preliminares da prova aplica nesse domingo, dia 27, para 1.026 vagas de assistente técnico administrativo, de nível médio, do Ministério da Fazenda. Os concorrentes já podem rever as provas e consultar os gabaritos oficiais preliminares, divulgados na manhã desta segunda pela Esaf (Escola de Administração Fazendária). Aqueles que discordarem das respostas elaboradas pela banca poderão dar entrada em pedidos de recurso nestas terça e quarta, dias 29 e 30 de abril, no site da organizadora Esaf. O resultado final do concurso está previsto para 3 de junho.
Serviço: ESAF

Postado por claudiajones às 13:40 | Nenhum comentário | Comentar

Compartilhe:

Família: cumplicidade nos estudos

Nada melhor que a boa convivência em família. Quando essa convivência se transforma em “cumplicidade” nos estudos, fica ainda melhor. Não seria exagero dizer que família que estuda unida deve permanecer unida. Essa deveria ser a máxima de familiares e parentes que alinhavam, juntos, um único projeto de vida. Neste caso, passar em concursos públicos, conquistando independência financeira e uma aposentadoria para lá de tranquila.
Conheço alunos que passaram a se interessar mais pelos livros e apostilas depois que um membro da própria família o convenceu de que seria uma sábia decisão. Um desses alunos, tem algo em torno dos 20 anos e não sabia o que fazer em relação ao seu futuro profissional. A mãe, conhecedora do jeito meio “desligado” do filho, pensou que seria uma forma de incentivo passar a frequentar as aulas com ele. Assim, mãe e filho têm ido regularmente ao curso e já dão sinais de um melhor entrosamento e otimismo em relação à conquista de uma vaga.
Não vejo pontos desfavoráveis nessa iniciativa. Estudar junto significa mais interação, tão escassa entre as famílias modernas por contas de hábitos e rotinas diferentes. Mais que isso, significa um mesmo projeto de vida, um incentivo a mais para o outro e uma cobrança menor – ou praticamente nula – pela falta de tempo e de dedicação ao outro, o que é muito comum para quem tem tarefas distintas e controversas.
E essa história se repete mais do que imaginamos. Em outra turma, há um casal – marido e mulher –, ambos jornalistas, que, cansados de uma rotina, segundo eles, de exploração do mercado do qual dependem, passaram a se dedicar a passar em um concurso público. Fazem, curiosamente, o curso preparatório para tribunais, ou seja, estudam disciplinas que nunca viram na vida, mas nem isso intimida os dois. Ambos se desdobram porque, além de trabalharem o dia inteiro, ainda têm uma filhinha de 2 anos. Aí, entra a figura da mãe da esposa – a sogra -, que fica com a criança até voltarem da maratona de estudos. No fim das contas, temos aí, por baixo, quatro pessoas envolvidas direta ou indiretamente com um único propósito.
A inclusão do(a) namorado(a), do(a) amigo(a), do(a) tio(a)  também é saudável. Estudar em grupo é sempre motivo positivo. É comum um membro ter facilidade de assimilação em relação a uma disciplina mais que outro ou não entender bem um tópico e outra pessoa, com nível de compreensão exato, se disponibilizar a dar explicações. Estudar em grupo funciona dessa forma e, em família, fica ainda mais proveitoso.
Sendo assim, experimente. Chame sua mãe, seu pai, converse seriamente. Concurso público pode ser uma boa – e talvez a única – oportunidade de você – ou algum deles – ter um excelente emprego.  É muito comum quem conquista um cargo de nível médio tirar, no final do mês, algo em torno de R$3 mil. Quando, com esse nível de formação, uma pessoa conseguiria um excelente emprego na iniciativa privada para receber o mesmo valor no contracheque? Dificilmente isso aconteceria.
Ah, mas você tem nível superior? Melhor ainda! Já concluiu a universidade que sonhou e agora pode pensar em conquistar estabilidade no mercado de trabalho. Nesse caso, os salários podem passar, com facilidade, de R$10 mil, o que a cada concurso vem atraindo ainda mais candidatos.
Quanto à idade, se você ainda não sabe, basta ter entre 18 e 65 anos para ter condições de concorrer a uma vaga na administração pública. Sendo assim, chame seu pai, mãe, irmãos, avós e não perca mais tempo. Eles vão ajudar você na mesma medida que você os ajudará, incentivando, analisando questões, tendo a paciência necessária para viver um dia após o outro em busca de um ideal.
Bons estudos!

Postado por claudiajones às 16:37 | Nenhum comentário | Comentar

Compartilhe:
Publicidade
Assine o RSS