Publicidade

Jornal do Brasil

Concurseiros – JBlog – Jornal do Brasil

O poder de um bom livro

Uma das dúvidas mais comuns para quem começa a se dedicar aos estudos de olho em uma vaga na administração pública é sobre a importância do concurseiro ter um bom material de estudo nas mãos e como fazer para ter acesso a ele.

Um bom material significa, na minha opinião, 50% da conquista da vaga em qualquer um dos poderes. O bom material é mantido atualizado, segue rigorosamente o que é cobrado nos editais e, principalmente, está de acordo com a banca organizadora daquele concurso. Por isso, sempre alerto que é importante o aluno ficar atento ao que é oferecido no mercado, buscando autores com credibilidade, preferencialmente especialistas em concursos públicos. Esses saberão muito além das disciplinas: conhecem dicas, macetes, e o que as bancas mais costumam cobrar e como elas cobram o conteúdo.

Hoje temos qualidade no trabalho das editoras em material para concursos públicos. Elas estão, a cada dia, se especializando mais, assim como todos os profissionais envolvidos em concursos públicos. Essa especialização atende cada vez mais áreas específicas. Passou o tempo em que qualquer material para concurso público “servia” para todos os concursos. O trabalho das editoras está muito direcionado e de qualidade, em geral, excelente.

Essas editoras “abastecem” os cursinhos preparatórios, por exemplo, mas estes trabalham mais com apostilas, porque fazem uma compilação do que é mais importante para o concurso A, B ou C. Assim, fique atento às suas necessidades e peça opinião dos professores ou pessoas do ramo em quem confia.

Bons estudos!

Postado por claudiajones às 14:27 | Nenhum comentário | Comentar

Compartilhe:

Em breve, novo concurso para o Banco do Brasil. Vagas para Sudeste!

A prova de escriturário do BB seleciona candidatos que possuam uma boa formação de base. É preciso que o candidato tenha um conhecimento mais sólido das disciplinas de ensino médio, o que pode garantir sucesso nas disciplinas de Língua Portuguesa, Raciocínio-Lógico, Domínio Produtivo da Informática e Língua Inglesa. As disciplinas que não se relacionam com o ensino médio, como Cultura Organizacional ou Conhecimentos Bancários, são de fácil aprendizagem, podem ser estudadas numa apostila ou resumo, e isto nivela todos os candidatos.

A primeira etapa possui prova objetiva com um peso grande para conhecimentos específicos, 70, contra apenas 30 de conhecimentos gerais. A segunda etapa terá uma prova de redação com valor de 100 pontos. Mais uma vez, quem tiver trilhado um bom percurso de formação no ensino médio, com a leitura de vários livros e o treinamento da escrita, será aprovado.

No entanto, não há motivo para desespero do candidato que reconhece sua carência na formação de base. Um estudo sério das disciplinas do edital pode ser um grande diferencial. Em Raciocínio-Lógico, proponho que faça muitos exercícios; em Língua Inglesa, terá que recorrer a manuais didáticos de fácil compreensão; em Língua Portuguesa, o candidato precisa recorrer a livros atualizados; em Redação, recomendo a simplicidade na escrita, sem adotar posições extremistas ou ofensivas e com apenas quatro parágrafos, um de introdução, dois de desenvolvimento e um último de conclusão.

De forma, geral, recomendo a todos os candidatos que comprem apostilas didáticas e façam uma bateria interminável de questões de concursos passados da CESGRANRIO, a banca organizadora. Isto vai garantir uma familiaridade com o estilo de pergunta, o padrão de resposta, vai testar o conhecimento teórico do candidato e ainda vai simular quantos pontos fará na prova, apontando quais matérias ele já pode ter confiança e quais ainda precisa estudar mais, porque seu nível de erros permanece grande.

Postado por claudiajones às 15:04 | Nenhum comentário | Comentar

Compartilhe:
Publicidade
Assine o RSS