Publicidade

Jornal do Brasil

Concurseiros – JBlog – Jornal do Brasil

Maiores de 50 anos e concursos públicos

Dias atrás recebi um email de uma interessada em concursos públicos que estava há bastantes anos sem estudar e já estava com 57 anos. A dúvida dela era se ela conseguiria e se, por acaso sofreria discriminação, pela idade, como acontece com ela no mercado privado.

Os concursos públicos são a forma mais democrática de obter um emprego. Assim, a discriminação que você pode enfrentar, por causa da idade, ou outros pretextos, na iniciativa privada, não se repete no serviço público. Inclusive, na maioria dos concursos, um dos critérios de desempate é a idade. Pessoas de mais idade têm preferência sobre as mais novas na hora do desempate. Tecnicamente você só não tomará posse se já tiver atingido os 70 anos, pois com essa idade a aposentadoria é compulsória. Até esse limite oficial, você pode assumir o cargo. Em alguns concursos é possível que haja restrições quanto à idade, por causa da atividade do cargo, sendo fundamental acompanhar os editais para escolher concursos sem essa restrição. Concurso público demanda investimento em tempo de estudo e dedicação. Conheço diversas pessoas, nesta faixa etária,que estão em pleno vapor frequentando aulas, turmas de teoria, de exercícios e simulados. Ou seja, entrando na briga para ganhar! E é lindo quando chego às salas de estudos do curso e presencio pessoas mais idosas estudando com afinco, tirando dúvidas com os professores e trocando conhecimento com os colegas, sejam da mesma idade, sejam mais novos, enfim, determinadas a vencer. Mas sabe o que é mais gratificante? É quando essas pessoas chegam até a mim e dizem: fui classificada num concurso. E isso, pode acontecer com você também, que ainda não se decidiu por um concurso só depende da sua determinação e organização nos estudos. O quanto é importante para você, ter um bom salário e estabilidade, mesmo que por tempo restrito? Depois dessa sua resposta, se for relevante é arregaçar as mangas e cair nos estudos. E, se você vai conseguir? Determine a aprovação na sua vida e caia na maratona dos estudos! Vá em frente, vença e bons estudos!

Postado por claudiajones às 18:49 | Nenhum comentário | Comentar

Compartilhe:

O Concurso da ABIN – Sem Segredo

Foram pedidas 470 vagas para o concurso as ABIN, o que aponta uma necessidade bastante grande de pessoal. Quanto mais o Brasil assume importância econômica e peso no cenário internacional, maior a necessidade de um preparo estratégico de inteligência, o que tende a aumentar nos próximos anos.

Existe a possibilidade de o certame sair ainda este ano, pois já existe autorização do Ministério do Planejamento. Porém, como haverá uma transição ministerial, possivelmente o edital só venha no início de 2015, quando o cenário político estará mais firme e sólido.

Basicamente, a ABIN trabalha com assuntos políticos e econômicos que são estratégicos para o país. São informações que devem ser preservadas e outras que devem ser colhidas para servir de base aos tomadores de decisão. Nisso está envolvido o serviço de coleta, processamento e análise de informações, numa atividade extremamente sigilosa.

A ABIN é uma agência de segurança do Estado, não uma reguladora de mercados e serviços públicos, como a ANATEL, ANEEL ou ANP, por isso, não há muito que se possa aproveitar do estudo para estes órgãos, a não ser, as matérias mais gerais e niveladoras.

São três eixos de estudo para este concurso: as matérias gerais, como Português, Raciocínio Lógico e Noções de Informática; as matérias jurídicas, como Noções de Direito Administrativo e de Direito Constitucional; e a Legislação de Inteligência. Nos cargos de nível superior, o candidato ainda precisa estudar as disciplinas específicas de cada tipo especialidade.

O estudo do conhecimento específico do cargo, da legislação de inteligência e das matérias jurídicas deve ser enfatizado. Raciocínio Lógico e Noções de Informática são matérias necessárias, mas com um caráter nivelador, ou seja, o candidato precisa saber um mínimo que teste se tem condições de lidar com o cotidiano de um serviço público.

Os concursos da ABIN alternam entre a ênfase na dificuldade de questões jurídicas ou de Legislação de Inteligência. Cadaconcurso valorizou a dificuldade de uma área. Por isso, o candidato deve estudar ambas com o mesmo peso e intensidade.

É possível que o CESPE seja escolhido como banca, até pela proximidade – ambos estão em Brasília – o que facilita a troca de informações necessário o curso de um processo seletivo. Se confirmada esta opção, o candidato deve atentar para as especificidades desta banca, que pode adotar o modelo certo ou errado. Assim, para cada resposta errada, haverá anulação de uma certa, o que força o candidato a ter certeza na resposta. Como as questões assumem a forma de afirmações, é necessário que o candidato saiba definições bem fechadas sobre o conteúdo das disciplinas, para perceber se há generalizações equivocadas ou incompletas.

Vários concursos foram feitos para a ABIN, logo o candidato deve resolver todas as questões passadas e ainda fazer uma bateria de questões elaboradas pela banca organizadora, assim que ela for escolhida. Só assim ficará familiarizado com o tipo de pergunta e o padrão de resposta. Este é o segredo fundamental para que o candidato tenha sucesso na prova.

Por Fernando Bentes, diretor do site Questões de Concursos.

 

Postado por claudiajones às 18:52 | Nenhum comentário | Comentar

Compartilhe:
Publicidade
Assine o RSS