Publicidade

Jornal do Brasil

Concurseiros – JBlog – Jornal do Brasil

Aprovada conta trajetória de estudos e vitória após 4 anos de persistência

Silvia Vasques, aprovada na DPU 2015

Meu nome é Silvia Vasques, tenho 42 anos, sou cearense, mas moro no Rio de Janeiro há muitos anos. A vida nunca foi fácil para mim, tive que me virar desde cedo. Com apenas oito anos de idade, cuidava da casa para minha mãe poder trabalhar como costureira.  Depois, fui trabalhar como vendedora. Também trabalhei como operadora de caixa em supermercado. Sempre trabalhei muito.

Com 21 anos de idade, conheci meu atual marido (Militar da Aeronáutica), ele sempre me pediu para sair do comércio e fazer faculdade para poder melhorar. Achava que isso não era para mim, achava-me incapaz de concluir uma faculdade. Meu marido nunca desistiu de me incentivar.  Parei de trabalhar quando tive meus dois filhos, pois não tinha com quem deixá-los. Foi nesse período, que decidi fazer a faculdade de Administração pela Estácio.

Nesta época, já tinha 34 anos. Após concluir a faculdade, comecei a estudar para concursos, em 2012, mas não tinha com quem deixar meus filhos, ainda pequenos.  Decidi estudar online durante a semana, e aos fins de semana  fazia turma de exercícios presenciais, pois meu marido podia ficar com as crianças para mim.

Resolvia muitas questões de provas no Qconcursos.com (umas 200 por dia) para ganhar agilidade na resolução de provas. Minha rotina era muito pesada, pois tinha que me desdobrar entre cuidar da casa, de dois filhos, marido e dar conta de 8 horas diárias de estudos todos os dias, além das turmas presenciais de exercícios no sábado e domingo, o dia inteiro.

No primeiro dia de turma de exercícios, no Centro do RJ, saí zonza da sala, não entendia quase nada. Pensei em desistir. Meu marido (e “anjo da guarda”) disse que era assim mesmo (ele estudava para Auditor da Receita Federal nesta época, e me dava todas as coordenadas para os estudos, como os melhores professores, melhores cursinhos e que somente com muita persistência é que passamos em concurso).

Comecei a tomar gosto pelos estudos e prestei meu primeiro concurso para o TJRJ 2012. Meu esforço foi tão grande que passei para Analista e Técnico.

Nessa mesma época, fui aprovada para ANCINE 2012 (Técnico em Regulação). Fiquei muito feliz, pois vi várias matérias que jamais tinha estudado na vida. Porém, não consegui me classificar nestes concursos.

Continuei firme, sempre com meu marido me incentivando, sempre dizendo que eu ia conseguir. Em 2013, fiz vários concursos, dentre eles o Banco Central (Analista – prova o dia inteiro), MPU (Analista), ANS (Analista), ICMBIO (Analista) e SERPRO (Analista). Neste ano (2013), fui aprovada para Analista Administrativo do SERPRO (31º lugar em Brasília), mas só chamaram os oito primeiros, e o concurso perdeu a validade.

Foi um “balde de água fria” para mim. Mas continuei estudando sem parar, em 2014 fiz o concurso para Consultor Legislativo da Câmara do RJ (Fiz 71 pontos nesta prova, mas era obrigatório fazer 72 pontos) e TJRJ2014, neste passei para Técnico Administrativo, porém muito longe das vagas.

Em 2015, comecei a viajar para Brasília, fiz vários concursos como o STJ 2015 (Analista e Técnico), TCU2015 (Técnico Federal de Controle Externo – prova o dia inteiro), TJDFT2015 (Técnico Administrativo).

Nos três primeiros (STJ, TCU e TJDFT), fiquei na nota de corte das redações, e fui eliminada. Fiquei arrasada. O concurso da DPU 2015  estava suspenso nesta época, tive que continuar focada estudando e fazendo outros concursos para não perder ritmo.

Quando eu menos esperava, no final de 2015, o concurso da DPU foi retomado. Acabara de saber que não teria minha redação corrigida do TJDFT2015, as lágrimas caíam sem parar.  Achava que não ia conseguir dar conta de tanta matéria para a DPU e também superar o meu fracasso. Sequei minhas lágrimas, reuni meus filhos e meu marido e disse-lhes que não teríamos Natal e nem Ano Novo, pois tinha que fazer muitos exercícios no Qconcursos.com para retomar os estudos para a DPU. Além disso, teria um mês para “aprender” Processo Penal Militar, sem jamais ter visto a matéria.

Foi uma rotina intensa de estudos, todos os dias, 8 horas por dia, sem fim de semana e nem feriados. Meus filhos passaram as férias inteiras dentro de casa, não saíram um dia sequer. Meu Ano Novo e Natal foram em “cima dos cadernos”, só parei mesmo para a “ceia de Natal”. Nem fui pra cozinha, meu marido fez tudo.

Quando saiu o local de prova para a DPU, para minha surpresa, vi que a prova de Analista e de Agente seriam em locais diferentes e distantes. Resolvi que faria as duas provas da DPU, pedi a Deus que me desse forças para aguentar fazer quase 300 questões num único dia (150 questões de Analista) e (120 questões para Agente), banca CESPE, com penalidades.

Resolvia 200 questões por dia no Qconcursos.com, de provas CESPE, principalmente da  magistratura, pois meu marido sempre disse que “quem pode mais, pode menos.” Lia todos os informativos do STF e STJ, fazia vários resumos, imprimia várias provas e resolvia, marcando sempre meu tempo de resolução. Sonhava resolvendo questões, achava que ia ficar louca.

Chegou o tão esperado dia da prova da DPU (20/01/2016), estava tranquila e pedi a Deus que segurasse na minha mão e que eu desse o  melhor de mim.

Fiz a prova de analista na parte da manhã (150 questões), e saí correndo que nem uma louca para o  local de prova de agente administrativo (120 questões). Fiquei com fome, nem água bebi direito, pois não dava tempo. Não podia me atrasar. Cheguei em cima da hora para a prova de nível médio, foi um sufoco para achar a sala de prova.

Cheguei um “caco” em casa, uma dor de cabeça sem fim, o cansaço era maior que a fome. Fui direto pra cama, nem jantei.

Em seguida, saiu o gabarito preliminar, não acreditei que tinha passado nas duas provas. Chorei muito e me ajoelhei na sala da minha casa, agradeci muito a Deus.

Dia 18/03/2016 saiu o resultado definitivo do concurso, e as lágrimas de felicidade não pararam, pois meu nome estava na lista de aprovados de Analista Administrativo (15º) e Agente Administrativo (3º) na página da CESPE.

Foram quatro anos de muita luta, estudando TODOS OS DIAS sem parar. Sem fins de semana, sem feriados.

Tenho dois filhos, marido e casa para cuidar. Não estava trabalhando porque não tinha com quem deixar meus filhos. Foram muitas reprovações e aprovações também. Muitas lágrimas e sorrisos. A luta é contra o cansaço, contra NÓS MESMOS.

Precisamos acreditar que somos capazes de coisas INIMAGINÁVEIS. Precisamos acreditar que Deus nos reserva SEMPRE o melhor. Temos que fazer das nossas derrotas os degraus para o nosso sucesso. Não podemos desistir de sonhar e acreditar que podemos vencer e ter uma vida melhor.

Fiz das minhas derrotas os degraus para meu sucesso, e jamais desisti de ser aprovada num bom concurso público. Jamais desistam dos seus sonhos, sempre podemos melhorar nossas vidas.

 

Postado por claudiajones às 14:16 | Nenhum comentário | Comentar

Compartilhe:
Publicidade
Assine o RSS