Publicidade

Jornal do Brasil

Blog do Reinaldo - JBlog - Jornal do Brasil

Flint Valley – a escolha da família real inglesa

Recentemente a família real inglesa, com a presença da Princesa Kate e o Príncipe William, abriram os salões e o sommelier real precisou harmonizar um vinho inglês com um prato a base de frango. A escolha do real foi para o Flint Valley NV da Denbies Wine Estate, branco seco. O corte é de Seyval Branca e Reichensteiner, as castas mais produzidas no Reino Unido, que remetem ao Chenin Branco do Vale do Loire. O vinho tem notas cítricas, uma ponta mineral e boa acidez. 8.99£ na propriedade. Veja o vídeo. Santé.

Compartilhe:
Comentar

Denbies o maior vinhedo inglês

Na última semana fui à Inglaterra e aproveitei para visitar a vinícola Denbies Estate. Isso mesmo na terra da Rainha. É o maior da Inglaterra com 627 acres sendo 200 de bosques e data de 1986. Situado no North Dows, na cidade de Dorking tem como característica o solo de gesso, tal qual em Champagne na França. Outro aspecto importante é que utilizaram cepas e clones de origem alemã, certamente melhor adaptada ao clima inglês. Produzem vinhos tranquilos e espumantes, este de melhor qualidade. Mas onde eles são fortes mesmo é no enoturismo. A visita é paga, tem um vídeo de apresentação em 3600, visita comentada da adega seguida de uma pequena degustação. Loja de souvenires imensa, dois restaurantes e os salões podem ser alugados para eventos. Veja o vídeo. Santé.

Compartilhe:
Comentar

Degustação vertical Château Les Bouysses – AOC Cahors

Conexão Francesa entrevistou o enólogo Hervè Froment, da Cave d’Olt que produz os vinhos do Château Les Bouysses em Cahors. No Brasil você pode degustar a safra 2012 que está disponvel na Vinos e Vinos ou nas boas lojas do ramo. Santé.

Compartilhe:
Comentar

11 Barbadas francesas a partir de R$27,90

Esta manhã fiz uma pesquisa por vinhos com preços muito interessantes pra você. Alguns foram importados quando o dólar valia dois reais! Assim os preços estão incrivelmente baixos. É o caso, por exemplo, do bom AOC Pauillac de Richebon que é vendido no Supernosso de BH por R$ 99, lá também tem uma das melhores referências de Costières de Nîmes, margem direita do Rhône, o Buti Nages por R$ 39,90. A Grand Cru importadora tem o Champagne Lacombe, que chegoi na época do euro baratinho, 2014, um produto de muito boa qualidade premiado na França e recomendado pela revista inglesa Decanter por apenas R$183,75. Para um verdadeiro champagne com parte dos vinhos vindo de Premiers Cru é para comprar de caixa. Outra moleza é o Corbières Chateau Vieux Moulin Vox Dei, 2012, com 91 pontos no Parker, o cara é meu vizinho e faz um excelente vinho – R$105. Pode ter certeza esses vinhos voltarão pelo dobro do preço. O Côte du Rhône do Domaine Cristia esta semana na Evino é também uma barbada, a safra anterior obteve 89 pontos no Parker por R$92,90 com 22% off. O Rosé Piscine está com o melhor preço da praça também na Evino. O Zona Sul tem um Muscadet Côtes de Grand Lieu Sur Lie que está muito bem posicionado a R$ 48,39 bem como o branco IGP Vale do Loire do mesmo produtor por R$27,90. Ainda no Zona Sul o Corbières Château Fontarèche tradição é um bom preço. Na Decanter o Corbières Renaud Valon de 2006, se estiver bem conservado, vai dar alegria. Não perca estas oportunidades.

vox dei

A promoção da Grand Cru traz este 91 pontos Corbières do vinhateiro Alexandre They por R$92,90.

Copie ou clique nos links abaixo e vá direto ao vinho. Santé.

http://www.grandcru.com.br/vinhos/vinho-tinto-franca-languedoc-chateau-vieux-moulin-vox-dei-12-pontuado.html

http://www.grandcru.com.br/vinho-espumante-champagne-franca-georges-lacombe-brut.html

http://www.evino.com.br/domaine-de-cristia-cotes-du-rhone-tradition-2013-24971.html

http://www.evino.com.br/rose-piscine-21812.html

http://www.supernossoemcasa.com.br/adega/vinhos/vinho-frances-tinto-nages-750ml.html

http://www.supernossoemcasa.com.br/adega/vinhos/vinho-frances-tinto-chateau-richebon-750ml.html

http://www.zonasulatende.com.br/Produto/Vinho_Branco_Frances_Muscadet_Cotes_de_Grandlieu_Garrafa__750_mL_2014_–81003

http://www.zonasulatende.com.br/Produto/Vinho_Branco_Frances_Domaine_Des_Gillieres_Blanc_Garrafa__750_mL_2014_–82979

http://www.zonasulatende.com.br/Produto/Vinho_Tinto_Frances_Chateau_Fontareche_Garrafa__750_mL_2014_–81006

http://www.supernossoemcasa.com.br/adega/vinhos/vinho-frances-tinto-chateau-merlet-bourdeaux-750ml.html

http://www.decanter.com.br/renaud-valon-2006-750ml/p00050306

 

Compartilhe:
3 Comentários

Missão quase impossível: beber bem em 2016 sem se arruinar

cartesurtable

Para quem gosta de beber vinho 2015 vai deixar saudades. Não falo de safra, mas dos preços que estão nas alturas. No comecinho do ano quando 2,66 reais compravam 1 US$ e R$ 3,11 compravam 1€ tava bom demais. Já não era 2014, mas se compararmos com a forte desvalorização que acontece a partir de agosto o vinho tinah de ficar mais caro. O dólar já adentra os R$ 4 este mês e o euro R$ 4,4, mas como desgraça pouca é bobagem tivemos o aumento do IPI para as chamadas bebidas quentes, cachaça incluída, que vão dar uns 25% a 30% a mais na ponta, na prateleira. Beber bem sem gastar mais vai exigir muita criatividade.

O importador que fechou o câmbio em outubro pagou o euro no pico a R$ 4,60, quem fechou no final de novembro desembolsou R$ 3,94. O trabalho do consumidor é buscar nestes meses de janeiro e fevereiro, onde existem os tradicionais saldões de lojas e importadoras as boas oportunidades. Os aumentos dos vinhos cotados em dólar foram maiores, pois o euro se depreciou frente ao dólar internacionalmente. Portanto, vinhos europeus devem ficar relativamente mais atraentes. Não será apenas o consumidor que vai procurar vinhos mais baratos ou pontas de estoque de 2014 ou 2015. Desde o ano passado já havia uma busca por vinhos mais baratos por parte dos importadores. Reflexo da situação nacional que já se deteriorava. A situação piorou muito.

O mercado hoje pede vinhos ainda mais baratos. O resultado pode trazer ao Brasil vinhos de denominações e regiões menos badaladas e com melhor relação qualidade preço. Com destaque para o componente preço. Neste cenário Espanha e as regiões de La Mancha e Navarra devem ter destaque, tal como Portugal e seus vinhos regionais. A França com seus espumantes e vinhos do Languedoc, Sudoeste e, quem sabe, do Loire pode crescer. O champagne é um caso a parte, pois é um vinho de grandes ocasiões. Os do sul da Itália terão sua oportunidade. Os vinhos regionais, os IGP ou Vin de Pays, devem ser os grandes atores. Eles são em geral varietais, com nome da uva, o que facilita a identificação por parte do consumidor.

Mas caberá aos lojistas e restaurantes fazer também as boas escolhas e serem criativos. Trabalhar com margens menores e desenvolver parcerias que atraiam os consumidores. Um exemplo é a promoção em restaurantes que está acontecendo na França, Paris e interior, para democratizar os Grands Crus Classés de Bordeaux chamada Carta na Mesa. São 16 grandes vinhos a preços bem abordáveis como Château du Tertre, 5º Cru Classé de Margaux, 2009, excelente safra, que pode ser encontrado por apenas 100€. São 28 restaurantes participantes do bistrô gastronômico ao restaurante três estrelas Michelin. O negociante oferece uma seleção de grandes vinhos a um preço camarada, o restaurante tem uma carta específica da promoção, com preço promocional e atrai mais clientes com isso. Todos ganham. Claro que dá certo, afinal a ação de marketing do negociante Duclot está na sua 5ª edição.

Não peço tanto, mas a mecânica pode dar ideias aos players do mercado brasileiro. Santé.

Compartilhe:
Comentar
?>