Publicidade

Jornal do Brasil

Blog do Reinaldo - JBlog - Jornal do Brasil

Esteva da Casa Ferreirinha é o tinto na classe econômica da TAP

esteva

Caro leitor estive no Brasil nas duas últimas semanas e o tempo andou arisco para manter o blog em velocidade de cruzeiro. Viajei desta vez pela TAP  e tive uma agradável surpresa. Os aviões são modernos, com TV e serviço de bordo bom, o que não é o caso da Iberia (sem TV individual, ao menos para o Rio e comida sofrível). O vinho que é o nosso tema de sempre estava acima das minhas expectativas na companhia lusitana. Bem melhor do que Iberia, Air France, KLM ou British que são as companhias que uso com mais frequência. Falo dos vinhos da econômica. Enquanto a Iberia vem com um vinho básico da região de La Mancha, Air France com regional (IGP, o antigo Vin de Pays), ambos apenas corretos, a TAP ataca de Douro e Alentejo. O Douro é da Casa Ferreirinha, o Esteva e o branco é o Paulo Laureano Clássico, ambos 2015. Todos produtores renomados. O espumante era o Colinas Brut Nature  Bairrada 2012. Neste item a Air France sempre se sai bem, pois oferece um champagne de boa qualidade. É verdade um bom Rhône ou Bordeaux de competitivo poderia ser usado na Air France.

O Esteva é o vinho Douro do dia a dia da prestigada Casa Ferreirinha ele fica na base da pirâmide dos seus vinhos do Douro, onde no topo está o famoso Barca Velha. O Reserva branco 2014 do Paulo Laureano ganhou este ano o prêmio de melhor branco na categoria Business das companhias aéreas, promovido pela revista Global Travelers.

paulo-laureano-classico-branco-2014-c29

Na categoria Business tive oportunidade de provar algumas vezes os da Air France e Iberia e quando se paga mais caro você é quase sempre bem servido. O nível evidentemente sobe bastante. Conforme sua revista de bordo a TAP propõe, sempre variando conforme o destino, Deu La Deu, branco Alvarinho, Verde, 2015; Quinta da Alorna Reserva Arinto/Chardonnay, Tejo, 2015; Esporão Verdelho, branco, Alentejo, 2015 e Luís Pato Espumante Blancs de Blancs, Maria Gomes e Sercialinho, Bairrada 2015. Nos tintos Dona Maria, Alentejo, 2013, Vale da Raposa, Douro, 2014 e o Churchill’s Estate Grande Reserva Douro 2012.  O Porto era o Quinta do Porto Tawny 10 anos. Outros vinhos aparecem no site da TAP. Todos com bom berço. Santé ô pá.

 

P.S.: A passagem saiu do MEU bolso, como de hábito.

Compartilhe:
5 Comentários

Comentários:

  • A TAP mudou do Monte Velho (esporão) para o Esteva, não foi feliz… O Monte Velho é um vinho bem melhor…

    Rubens

    29 de setembro de 2016 às 04:09

    • Caro Rubens – Também gosto muito do Monte Velho o que quero ressaltar é que o patamar da TAP é bem superior ao de outras grandes companhias europeias.
      Santé.

      Rogerio Rebouças

      29 de setembro de 2016 às 05:19

  • Ola Rogerio…. Bom, ambos são vinhos de base nas duas vinicolas, mas não fazem feio… Realmente, a TAP tem um serviço de bordo muito bom… Sem contar com a simpatia das tripulações… Santé…

    Rubens

    17 de outubro de 2016 às 06:41

    • Rubens,
      Exato são os vinhos de base, mas de origem controlada, AOP, e não regionais. O que para a classe econômica está de bom tamanho. Santé.

      Rogerio Rebouças

      17 de outubro de 2016 às 14:32

  • Satisfeitíssima com a TAP.Adorei tudo.De Belo Horizonte para Lisboa e depois Paris.

    wanda franco

    30 de dezembro de 2016 às 20:28

Comentar:

?>