Publicidade

Jornal do Brasil

Blog do Reinaldo - JBlog - Jornal do Brasil

Dosagem: o açúcar e o Champagne

A última etapa enológica antes de se vestir uma garrafa de Champagne é a adição do licor de expedição, a chamada dosagem. É neste momento que após o “dégorgement” (guilhotinamento) se completa a garrafa para que ela volte a ter o volume correto de 750 ml. É esta pequena dose de 0,5 a 2cl que define o estilo do Champagne. O licor de expedição é composto de vinho e açúcar. A quantidade de açúcar vai definir a categoria do Champagne que você vai beber.

Doce (doux) + de 50 gramas de açúcar por litro

Meio-seco (demi-sec)entre 32 e 50 g/l

Seco (sec)entre 17 e 32 g/l

Extra seco (extra dry)entre 12 e 17 g/l

Brutmenos de 12 g/l

Extra brutentre 0 et 6 g/l

Se o vinho tiver menos de 3g/l e se nenhum açúcar tiver sido adicionado pode ser classificado como brut zero, brut nature ou dosagem zero. No passado a dosagem do brut era mais bem alta. Nos anos 70 entre 12 e 15 g/l, mas o paladar mudou com o tempo e o Champagne é cada vez mais seco. Hoje há uma tendência a utilizar uma dosagem entre 6 e 9 g/l. Não é apenas uma simples questão de diminuir a dosagem, há uma influência climática e mesmo a busca de colheitas de uvas em estado de amadurecimento ótimo, tempo de envelhecimento maior e técnicas de vinificação que permitem utilizar uma dosagem menor e modificar o estilo do Champagne ou espumante. Os produtores mais exigentes, colocam na contra etiqueta a dosagem e a data do “dégorgement”, outros apenas nas cuvées de prestígio. A Maison Philipponnat usa em todas e também no seu top o Clos de Goisses. Santé.

Compartilhe:
Comentar

Comentar:

?>