Publicidade

Jornal do Brasil

Blog do Reinaldo - JBlog - Jornal do Brasil

Testamos 8 Blanc des Blancs para suas festas

O Grande Júri Conexão Francesa se reuniu na última sexta-feira e degustou 7 Champagnes Blanc des Blancs –  e um  Crémant de Bourgogne, o intruso. Como a crise está querendo passar optamos este ano por uma seleção de Blancs des Blancs com ênfase em safrados. Nossa tradicional degustação de final de ano mostrou vinhos de extrema qualidade. Com estes vinhos seu Réveillon será branco paz e amor em 2018.

Da esquerda para a direita Joseph Perrier 2010, Cattier Premier Cru, Crémant de Bourgogne Bernard Loiseau/Albert Bichot, Arthur e Adrien 7, Nicolas Feuillatte 2008, Charles Légend, Nicolas Feuillatte Grand Cru 2010 e Drappier 2007.

A degustação se deu às cegas e contou este ano com os seguintes especialistas: Laurent Mingaud, enólogo, diretor de Vignobles Roux e ex- diretor de Sieur d’Arques, grande produtor de Crémants et Blanquettes; Louis Fabre agrônomo e proprietário do Domaine Louis Fabre no Languedoc onde também produz um espumante; Laure d’Andoque técnica em vitivinicultura e proprietária da vinícola Abadia de Fontfroide no Corbières onde produz método tradicional e charmat e deste jornalista técnico em vitivinicultura.  Estrearam no Grande Júri Claire Fabre, esposa de Louis e produtora e a jovem Isabelle Rebouças ambas representando o público consumidor.

Da esquerda para a direita os jurados Louis Fabre, Rogerio Rebouças, Laure d’Andoque e Laurent Mingaud.

Os Champagnes participantes por ordem de degustação foram Joseph Perrier Blanc de Blancs 2010, Cattier Blanc des Blancs Premier Cru, Crémant de Bourgogne Blanc des Blancs Bernard Loiseau/ Albert Bichot, Arthur e Adrien 7 (Bouché Père et Fils), Nicolas Feuillatte Blanc des Blancs 2008, Charles Légend Blanc des Blancs, Nicolas Feuillatte 2010 Grand Cru orgânico e Drappier Blanc des Blancs 2007.

As juradas Claire Fabre e Isabelle Rebouças são consumidoras experientes que amaram o Crémant de Bourgogne.

Como sempre podemos ver uma certa diferença em alguns Champagnes entre o gosto de especialistas e os de amadores que costumam preferir os vinhos mais fáceis de beber, mas desta vez as notas foram mais harmônicas do que em outros anos. Um destaque positivo foi a qualidade do Crémant de Bourgogne co-assinado pelo triplamente estrelado Bernard Loiseau e pelo famoso produtor da Borgonha Albert Bichot. Também se destacou a seleção de Arthur e Adrien 7. É uma assemblagem de três crus do vinhateiro independente Bouché Père et Fils, um champanhês que também produz espumantes em Limoux. Uma certeza e unanimidade os safrados foram os maiores vencedores, como manda o figurino. No próximo post publicaremos os resultados e comentários. Santé.

Compartilhe:
Comentar

Comentar:

?>