Publicidade

Jornal do Brasil

Blog do Reinaldo - JBlog - Jornal do Brasil

Rede Zona Sul passa a oferecer grandes vinhos de Bordeaux

O supermercado carioca Zona Sul trouxe no final de Dezembro uma série de vinhos de Bordeaux de alta qualidade. A nova seleção tem o dedo do sommelier Dionísio Chaves que vem fazendo uma atualização da carta de vinhos da rede. Desta vez algumas grandes referências de Bordeaux entraram na carta. Seguindo a tendência mais recente do mercado de optar por segundos vinhos de grandes Châteaux ou por vinhos de pedigree a seleção trouxe produtos produzidos nos Châteaux Issan, em Margaux, Branaire Ducru e Tour Carnet no Haut Médoc ou ainda Potensac no Médoc. Os preços variam entre R$ 69,30 e R$ 297,00 e ainda não entraram no site.

Dionísio realizou a seleção durante a principal feira de vinhos do mundo a Prowein, de Dusseldorf na Alemanha. “O Zona Sul tem um consumidor extremante esclarecido, culto, de bom poder aquisitivo, que viaja pelo mundo e que é habituado a desfrutar de belos produtos. Com o vinho não é diferente. Precisávamos de uma linha de franceses que levasse em conta este perfil, explica. Já tínhamos alguns vinhos de qualidade como Châteauneuf du Pape Les Granitières do Château La Nerthe, o Sauternes Grand Jauga, o Cahors do Château Bru Lagardette, o chileno de raízes francesas Almaviva, mas nos faltavam grandes nomes da principal região da França: Bordeaux”, explica Chaves.

A seleção trouxe vinhos de produtores de renome como Jean Philippe Janoueix e Bernard Magrez. O primeiro produz dentre outros os Grands Crus La Confession em Saint Émilion e Château La Croix Saint Georges em Pomerol. O Zona Sul trouxe de Janoueix o Château Croix Mouton, Bordeaux Supérieur, 2010, R$ 129. De Bernard Magrez chegou o Tempérance de La Tour Carnet, R$ 189, do Château La Tour Carnet, IV Cru Classé do Médoc. Magrez é famoso pela excelência dos seus vinhos e por possuir quatro Châteaux Grands Crus Classés, com destaque para Pape Clément.

O abre alas da nova seleção é o Blason d’Issan de Margaux.

Com sobrenome vieram Blason de Issan 2015, R$ 297, o segundo vinho do III Grand Cru Classé de Margaux Château Issan, o Haut Médoc do Château Branaire Ducru, IV Grand Cru Classé de Saint Julien, Chapelle de Potensac 2011, o segundo vinho do badalado Château Potensac por R$129,60. O Cru Bourgeois Château Charmail 2007, R$ 167,40, no Haut Médoc, vizinho do famoso Château Sociando Malett, e dista apenas 2 km de Saint Estèphe. Já o Crus Bourgeois Château Sénéjac, também do Haut-Médoc, safra 2014 está por R$ 139,50 e tem como proprietário a família Bignon-Cordier, que possui o Château Talbot, Grand Cru Classé de Saint Julien. Dionísio apostou também em Bordeaux de muita qualidade Château Monroze Bordeaux Supérieur 2011, R$ 69,30, um antigo premier Cru de Fronsac.

O futebol uniu Eric Prisset e Dionísio Chaves.

O futebol, paixão eterna de Dionísio o levou a se apaixonar pelos vinhos de Eric Prisset, ex-líbero do Lille, primeira divisão francesa e ex-proprietário do Château Rol Valentin em Saint Émilion. Trouxe seu Château du Roc 2014, R$ 119,70, um Côtes de Castillon, denominação vizinha a Saint Émilion e também sua grande estrela do Languedoc o Villa Symposia L’Origine 2014, R$ 199,80, Coteaux du Languedoc. Com uma pequena produção de apenas 10 mil garrafas o vinho é vinificado em tonéis e envelhecido em barris de carvalho por 12 meses. “Uma jóia de Pézenas, terra de Molière. A nova seleção deve incomodar os importadores tradicionais e dar uma sacudida no mercado carioca, profetiza Dionísio Chaves.

O ano de 2018 nem começou e a disputa no segmento top de vinhos fica mais acirrada. Desejo aos leitores do JB e do Conexão Francesa um 2018 repleto se sucesso, paz e alegria. Voltamos na próxima semana. Santé.

Compartilhe:
4 Comentários

Comentários:

  • “vinhos de Bordeaux de alta qualidade”
    Tás de brincadeira?

    Bruno Batista

    26 de dezembro de 2017 às 16:44

    • Caro, Bruno
      Os vinhos são realmente de alta qualidade. Nem todos são os primeiros vinhos de um Grand Cru Classé, isto devido ao alto preço que teriam na prateleira. Mas como toda certeza são ótimos e com preços abordáveis. No perfil da clientela exigente.
      Santé.

      Rogerio Rebouças

      6 de janeiro de 2018 às 07:19

  • “dista apenas 2 km de Saint Estèphe”

    Que pedigreee!

    Bruno Batista

    26 de dezembro de 2017 às 16:45

  • MUITO UTIL EM FUNÇÃO DA FALTA DE INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS NA MÍDIA.

    GETULIO NOGUEIRA

    31 de dezembro de 2017 às 18:00

Comentar:

?>