Publicidade

Jornal do Brasil

Blog do Reinaldo - JBlog - Jornal do Brasil

Vinhos orgânicos triplicam de volume e Millésime Bio cresce

Millésime Bio comemorará seus 25 anos em Montpellier, sua cidade preferida, depois de realizar a feira de 2017 em Marselha devido a um conflito de datas e interesses com Vinisud. Apesar dos bons números de Marselha nada melhor do que voltar ao seu “estádio” predileto, o Parque de Exposições de Montpellier. Este ano serão utilizados 3 halls para receber 950 expositores de 16 países e 5000 compradores. O evento acontece de 29 a 31 de janeiro. Conexão Francesa estará presente.

Os países que lideram esta que é a maior feira de vinhos orgânicos do mundo são França, Espanha e Itália. Lá 40% da oferta de vinho orgânico do mundo estará presente. Uma forte presença de compradores de países do norte da Europa é esperada, mas também de todos os países desenvolvidos onde o mercado de orgânicos está em franco crescimento. Cem expositores ficaram na lista de espera. O Brasil começa a ver de longe esta onda se formar.

Na França o valor comercializado de vinhos “bio”, pronuncia-se biô, o jeito francês de falar biológico (orgânico) triplicou em 7 anos e já representa um faturamento de 1,2 bilhões de euros. Em 2016 as vendas na França cresceram 18% em relação ao ano anterior.  A Espanha tem 27% do seu vinhedo em condução orgânica, a Itália 23% e a França 21%.

Selecionado por Dionísio Chaves L’Origine é conduzido em modo orgânico por Eric Prisset.

Os bichos grilo estão ficando ricos? Nada disso. O mercado saiu há bastante tempo deste nicho. Médios e grandes produtores, no padrão europeu, produzem hoje diversos vinhos “bio”. Cave de Buzet no Sudoeste, Gérard Bertrand e Famille Fabre no Languedoc e tantos outros nomes conhecidos participam da Millésime Bio. Outros que ainda não frequentam a feira já possuem rótulos de parcelas conduzidas por este método onde o meio ambiente é privilegiado. A presença de grandes atores passou a permitir uma oferta de vinhos bio de preço mais competitivo, devido a uma escala de produção maior. Hoje estes vinhos são encontrados com facilidade em supermercados. No Rio de Janeiro a linha Reserva Especial do Zona Sul traz um vinho francês orgânico Coteaux du Languedoc, o Origine 2014 da Villa Symposia produzido por Eric Prisset e vendido por R$199,80. Um vinho de alta qualidade. Santé.

Compartilhe:
Comentar

Château Chasse Spleen não vai aderir aos Crus Bourgeois

Conexão Francesa ouviu Jean Pierre Foubet, o proprietário do Château Chasse Spleen, um dos mais consagrados Crus Excepcionnels do Médoc sobre a nova classificação dos vinhos Crus Bourgeois aprovadas pela Alliance de Crus Bourgeois. Chasse Spleen que estava no topo da hierarquia na classificação de 1932, tem sempre uma boa aceitação da crítica francesa e anglo-saxã. Considerado pelo mais respeitado crítico francês, Michel Bettanne como um Château mítico e um dos mais reputados de Moulis. Mesmo seu segundo vinho Clos de L’Oratoire é bem recebido na França pelos especialistas.

Ao responder à Conexão Francesa J.P. Foubet avisou logo que “fala por ele e não pelos outros Crus Exceptionnels ou Supérieurs. Não conheço a política dos outros produtores. Chasse Spleen não vai aderir a família dos Crus Bourgeois.” A classificação anterior, me parece, já valorizava o mérito. Era a qualidade do vinho que prevalecia. Mas o que me incomodava é que a classificação anual produzia uma espera entre o momento da colocação do vinho no mercado e a obtenção eventual da certificação. Na verdade, era mais uma certificação do que uma classificação. Para Fubet a nova regulamentação que prevê uma validade de cinco anos é um avanço importante.

Mas Fubet prevê problemas pela frente para a Alliance de Crus Bourgeois. A reintrodução da hierarquia vai produzir com certeza descontentes, é da natureza do homem. A questão vai voltar aos tribunais e a confusão vai se estabelecer nos corações e mentes dos nossos clientes, profetiza o proprietário de Chasse Spleen e Camensac em Saint Julien.

Jean Pierre Fubet é proprietário dos Châteaux Chasse Spleen e Camensac.

Apesar de ver aspectos positivos na nova regulamentação dos Crus Bourgeois do Médoc Fubet não vai aderir. A disputa judicial foi uma constante na classificação dos Grands Crus de Saint Emillion e o importante produtor acredita que os tribunais serão os árbitros. Afinal, quem não obtiver a classificação máxima ou se sentir prejudicado vai recorrer à justiça. Santé.

Compartilhe:
Comentar

Cru Bourgeois – Nova hierarquia chama os grandes de volta

Homologação ministerial do caderno de encargos da classificação dos Crus Bourgeois do Médoc restabelece a antiga hierarquia em três níveis segundo o mérito: Cru Bourgeois, Cru Bourgeois Supérieur e Cru Bourgeois Excepctionnel. A mudança abre as portas para o retorno dos mais prestigiados châteaux do Médoc à Aliança dos Crus Bourgeois. Eram 9 os Crus Excepcionais: Chasse-Spleen, Poujeaux, Pez, Les Ormes de Pez, Potensac, Haut-Marbuzet, Phélan Ségur, Siran e Labegorce (ex-Labegorce Zédé).

As antigas safras de Potensac vinham com a menção Cru Bourgeois Exceptionnel.

Com a volta da classificação por mérito as etiquetas das safras de 2018 já terão as novas menções hierárquicas, tal qual era em 1932. A portaria foi publicada na última quinta-feira, 4 de janeiro, no Diário Oficial. O caderno de encargos prevê a degustação às cegas de várias safras, júri independente, empresa certificadora, respeito ao meio-ambiente, valorização de pontos positivos de cada château, diversos controles, respeito ao consumidor, traçabilidade e autenticação de cada garrafa.

A volta da hierarquização é muito importante, pois trará de volta os grandes e valorizará todos os bons vinhos das 7 denominações do Médoc: Médoc, Haut-Médoc, Listrac, Moulis, Margaux, Saint-Julien, Pauillac e Saint-Estèphe. Com certeza uma grande vitória do Sindicato dos Crus Bourgeois do Médoc que mostrou força, determinação e união. Santé.

Compartilhe:
Comentar

Epifânia, Dia de Reis, galette des rois e espumantes

Terminadas as festas de fim de ano chega a Epifânia, popularmente conhecida como dia de Reis. A tradição trouxe a galette des rois (bolo de reis) e a coroa briochée muito popular na Europa e na França em particular. As padarias possuem todas as suas galettes e coroas para propor aos seus clientes. As crianças adoram, pois dentro da galette se esconde uma fava, hoje um bonequinho de porcelana, e quem a encontra coloca a coroa e vira Rei! A data é o dia 6 de janeiro, mas o Concílio Vaticano II (1962/1965) colocou a Epifânia do primeiro domingo depois do primeiro dia do ano. Portanto não deixe passar esta oportunidade. Na Polônia, país muito católico o feriado, é hoje. Na França não é mais feriado, mas todos comemoram no dia 6.

Galette e espumante fazem um par perfeito.

Entre os adultos é um bom momento para se fazer uma harmonização com espumante. Seja um espumante de método tradicional, charmat ou ancestral todos os espumantes serão um par perfeito para valorizar esta tradição. Como fazer uma Galette des Rois? Vou dar o link do site Sabor Intenso que é igualzinha a da versão francesa que conheço. A harmonização tanto pode ser com um brut como um meio seco.

 

 

 

Compartilhe:
Comentar
?>