Publicidade

Jornal do Brasil

Blog do Reinaldo - JBlog - Jornal do Brasil

Prowein é a maior feira internacional do vinho

Para o consumidor o início do ano é o momento de aproveitar as centenas de promoções efetuadas por supermercados, lojistas e importadores. Afinal, é no verão que acontece a tradicional queima de estoques para fazer caixa e pagar a folha salarial. O motivo é a queda sazonal do consumo do vinho no Brasil e do tinto em particular. Afinal, é este que puxa a fila com quase 80% das vendas. O que justifica as promoções.

Por aqui o momento é bem diferente. É hora de produtores encontrarem os compradores, conhecerem a nova safra e encomendarem os vinhos que estarão à venda em 2018. Já tivemos a Millésime Bio, a Vinisud e no próximo final de semana começa a Prowein. Esta feira acontece em Dusseldorf, na Alemanha e se impôs como a principal feira mundial do vinho. A London Wine Fair encolheu absurdamente, a de Frankfurt, que alternava com Dusseldorf, sumiu. Vinisud busca se reinventar e briga com Vinexpo pela hegemonia francesa. Vinexpo encolheu, mas resiste bravamente graças aos seus fabulosos châteaux e grandes festas. O timing de Vinexpo atende apenas aos interesses de Bordeaux, pois acontece em junho. Bordeaux tem a apresentação dos vinhos Primeurs em abril e em maio a campanha de venda destes Grands Crus e assemelhados. Só lhe resta junho. Não é o momento ideal para os compradores que preferem ir às compras mais cedo. Bordeaux atrai muita gente, mas perdeu o peso enquanto grande encontro internacional do vinho, mas não o glamour.

Prowein entendeu isso e Vinisud também. Prowein forte de seus 6700 expositores de 61 países funciona como uma máquina de guerra alemã. São apenas 3 dias. Uma correria infernal. Com 52 mil m2 e seus enormes pavilhões os grandes produtores e negociantes estão todos lá. Os pequenos e médios tem muita dificuldade para participar. Os custos são altos. Os compradores gostam, pois lá podem fazer o encontro da maior parte de seus fornecedores em três dias. Uma proeza.

Para garimpar pepitas, novos e bons produtores, o esforço é grande. Afinal, não tem espaço para todos e nem todos conseguem fazer a viagem. Haja orçamento para feiras. Além das grandes – Vinisud, Millésime Bio e Vinexpo – existem as regionais, eventos B to B e as feiras para o público consumidor.

Estarei na Prowein e muitos importadores brasileiros não vão perder a oportunidade, afinal todos os países e grandes produtores estarão presentes. Eventos paralelos, degustações, nova safra, verticais, cursos e palestras. Vai ter de tudo. Ah, este salão, bem alemão, não oferece uma gastronomia decente. Uns poucos food trucks e algumas salsichas com fritas. Nada comparado à boa mesa dos eventos franceses.

Neste momento, na França o consumidor aproveita o feirão de vinhos de inverno. Menos importante do que o do verão que antecede a colheita, mas sempre uma boa oportunidade para encher a adega. Santé.

 

Compartilhe:
Comentar

Comentar:

?>