Publicidade

Jornal do Brasil

Blog do Reinaldo - JBlog - Jornal do Brasil

As notas da discórdia de 20 a 100 ou América x Europa

Cada vez que comparo, e com certeza não estou sozinho nisso, as notas dos críticos americanos com as dos europeus, e franceses em particular, é a mesma confusão. Parecem as notas da discórdia. Franceses, portugueses e a inglesa Jancis Robinson pontuam sobre 20 pontos. Por que eles pontuam assim? Ora nas escolas desde pequeno as notas são sobre 20 e não sobre 10 pontos como no Brasil. As revistas americanas e, hoje em dia, a inglesa Decanter fazem sobre 100 pontos. A associação dos enólogos e dos sommeliers também usam 100 pontos. Se fosse um probleminha de 10, 20 e 100 era fácil de explicar. Bastava fazer uma proporção simples.

Os profissionais experientes já têm a tabela de pontuação na memória e intuitivamente colocam pontos para o visual, nariz e boca. Esta última é a que tem maior peso e aqui são analisados o equilíbrio, o comprimento na boca e a apreciação geral. Cada tabela vai ter suas sutilezas e diferenças. Mas o que muda mesmo são as malditas notas. A escola europeia é mais rigorosa. Sabe aquele professor que nunca dá mais de 8 para ninguém? Aqui é assim. Na França quando um vinho atinge 15/20 pontos ele é muito bom e equivale 88 a 90 pontos, dependendo do “professor”. Se você jogar isso numa conversão americana a nota seria medíocre 75 pontos!! Vinho intragável. Tem muito Champagne bom, de grandes marcas, que são avaliados entre 14 e 15 pontos. E são muito bons! Atingir 16 pontos nas revistas e guias franceses é coisa para vinho de altíssima qualidade. Fora da curva como está na moda dizer. E olha que são apenas 80 pontos! Imagina um vinho de 90 teria que atingir estratosféricos 18 pontos. Numa boa universidade professor algum distribui estas notas aleatoriamente e com frequência,  somente em trabalhos ou provas excepcionais. Anote aí: se o vinho obtém na França 14 pontos é para considerar seu bom vinho para beber com amigos e ter agradáveis momentos juntos. Se chega a 15 pode reservar para beber com quem entende e aprecia. Se bater 16 acenda velas e convide alguém especial. Acima disso é vinho para grandes ocasiões. Vinho para o dia a dia é entre 11 e 13 pontos. Anotou?

Anúncio da Evino mostra diferentes pontuações para o mesmo vinho.

Vejamos o caso prático de anúncio no site da Evino: Péssac Léognan 2011 do Château Lespault-Martillac. James Suckling ex-Wine Spectator e hoje independente deu 91 pontos, ele sempre pontua para cima em relação aos seus colegas americanos. Bettane & Desseauve, o Parker daqui, é muito econômico nas notas e sapecou um 15 neste 2011 do Château Lespault-Martillac, que nos grandes anos obteve 16! Veja que os comentários, tradução minha, tem enormes elogios – « Nós amamos o nariz todo elegante, a fruta bem madura, as notas de especiarias e minerais, a boca é harmoniosa, sem ter nada de pesada ou agressiva, apresentando uma bela trama de taninos, muito sedosos e com um final longo, fresco e equilibrado.” Não conheço o vinho, mas um comentário desse quer dizer que o ele é tudo de bom. B&D recomenda beber até 2020. Não conheço e não provei, mas confio. Santé.

Compartilhe:
Comentar

Comentar:

?>