Publicidade

Jornal do Brasil

Blog do Reinaldo - JBlog - Jornal do Brasil

Festa junina e vinho francês fazem uma harmonia perfeita

Ao anunciar o início do inverno e a alta temporada para os vinhos tintos no Brasil as festas juninas também trazem o campo para a cidade. A migração para os grandes centros urbanos do século XX fizeram com que as grandes festas juninas e suas quadrilhas migrassem para o Nordeste. Mas a festa não sumiu, se adaptou, persiste e resiste na nossa cultura. Este  momento de farta oferta de comidas é também uma oportunidade para harmonizar os quitutes tradicionais com os bons vinhos franceses. Uai, a quadrilha é de origem parisiense e foi trazida pela nossa elite por volta de 1820 e popularizou se no final do século XX. Justificativa feita, vamos aos vinhos.

Até as listras se harmonizam com as festas juninas para este rosé descolado.

Como os pratos típicos de festa junina vão variar de região para região vou me restringir aos do Rio, que conheci na minha infância e juventude. O primeiro sabor que me vem à mente é o do milho que vai ser declinado em diversas receitas. Da canjica passando pela pamonha e pipoca. O docinho da canjica vai harmonizar com o Rosé Piscine, da Vinovalie. Este é um vinho descolado e descompromissado, super na moda no Brasil, na Côte d’Azur e mesmo em Connecticut nos EUA. Até as listras combinam com os trajes típicos do caipira. Mas vão ser seus aromas e frescor que permitirão uma harmonia de sucesso. Fácil de associar e eclético vai servir também para salsichão, churrasquinho e o tradicional cachorro quente. No Zona Sul por R$ 89,50.

Gamay vai ser a uva ideal para o salsichão.

O salsichão com a farinha vai pedir idealmente um tinto levo feito de uva Gamay, um Morgon, um Beaujolais ou numa opção mais em conta um Coteaux Bourguignon como o QV 2015, medalha de ouro em Paris, vendido pela Casa Rio Verde de BH por R$ 111.

Um Bordeaux fácil de beber e frutado vai atender aos espetinhos de carne.

Para o churrasquinho tudo é festa e um tinto de médio corpo frutado, agradável e descontraído vai resolver. As escolhas são muitas. Na Evino quem pode atender bem é o Bordeaux 2016 Comtesse Romane feito pelo bom Château Taffard de Blaignan e custa modestos R$42,90. Claro que o salsichão ele também tira de letra.

A aromática Sauvignon branca é par perfeito para uma pamonha. 

Para acompanhar a pamonha um branco aromático se impõe. Uvas como a Colombard do Sudoeste, a Viognier do Rhône ou a clássica Sauvignon branca são as melhores opções. Sugiro o Bordeaux Château La Forêt 2015 onde a Sauvignon vai ter 70%, a Sémillon 20% e a Muscadelle 10%, produzidas por Laurent Roux e a venda na Wine To You por R$93. Santé.

Compartilhe:
2 Comentários

Comentários:

  • Perfeito. Tenho lido seus posts e gostaria de saber mais sobre vinhos franceses.

    Jorge Barros

    24 de junho de 2018 às 11:58

    • Caro Jorge, boa literatura sempre ajuda e se tiver interesse ABS tem cursos para se aprofundar o assunto. Degustações temáticas são sempre muito interessantes e o melhor aprendizado. Obrigado por acompanhar o blog. Santé.

      Rogerio Rebouças

      27 de junho de 2018 às 07:17

Comentar:

?>