Publicidade

Jornal do Brasil

Blog do Reinaldo - JBlog - Jornal do Brasil

Chuvas aceleram colheita no Languedoc, causam desastres e 12 mortes

Sexta-feira, sábado e domingo visitei em companhia de alguns amigos da ABS-Rio quatro propriedades do Languedoc. Em La Clape, a bela denominação comunal próxima de Narbonne, visitei o Château d’Anglès, em Cabardès, perto de Carcassonne e mais no interior, visitei o Château de Pennautier do Conde de Lorgeril e o Château Ventenac dois estilos bem diferentes apesar da proximidade. Domingo estive numa outra denominação comunal, a de Corbières-Boutenac, no Château de Luc da família Fabre. Todos tinham a preocupação de terminar a colheita no mais tardar no domingo, pois uma previsão de chuva forte se anunciava. Todos conseguiram aumentar a cadência e terminar a colheita. Em breve conto os detalhes das visitas. Mas isto não foi o mais importante do dia.

Clique para ver imagens aéreas da situação.

 

Rio Orbieu que normalmente é um riacho. (foto Didier Granat)

Ninguém poderia imaginar que a chuva seria tão forte no departamento do Aude. A meteorologia francesa previu chuva forte, lançou um alerta laranja. Foi pouco. A chuva começou tarde da noite. Somente na segunda feira às 6 horas da manhã o serviço meteorológico trocou o alerta de laranja para vermelho. Muito tarde. Cidades inundadas, pessoas mortas, rios e canais transbordaram e pontes rompidas. Foi terrível. Em menos de 5 horas 295 mm forma despejados dos céus, o que representa aqui seis meses de chuva. O rio Orbieu subiu 8 metros. Em belas casas como na cidade de Trèbes a água atingiu 2 metros dentro das residências. Até o momento são confirmados 12 mortos, 1 desaparecido, 8 feridos e 3331 lares evacuados para evitar o pior. Uma barragem foi aberta, pois poderia romper. A coisa foi tão sinistra que o Primeiro Ministro Eduard Philippe veio fazer uma visita para acompanhar a situação. Santé.

Ce pont a été détruit par les terribles inondations dans l'Aude

Ce pont a été détruit par les terribles inondations dans l'Aude

Posted by BFMTV on Monday, October 15, 2018

Tags: , , , , ,

Compartilhe:
Comentar

Recorde – Uma garrafa de Romanée-Conti é arrematada por US$558.000

Uma garrafa do vinho borguinhão Romanée-Conti safra 1945 foi leiloada ontem por US$558.000 (US$482.000 sem taxas) durante uma venda organizada pela casa Sotheby’s em Nova Iorque, estabelecendo um novo recorde. Na verdade, o recorde foi quebrado duas vezes na noite. Uma outra garrafa do mesmo ano saiu por US$496.000. O recorde anterior era de US$233.000 por um Château Lafite Rothschild de1869, vendido em Hong Kong.

O motivo do preço ir tão alto é que esta garrafa, manchada, foi uma das 600 garrafas produzidas em 1945, justamente antes que o Domaine Romanée-Conti arrancasse as vinhas para fazer o replantio. Portanto, eram as últimas garrafas com as vinhas que não mais existem. O valor final com as habituais taxas e comissões do leiloeiro corresponde a um preço 17 vezes superior a estimação inicial de modestos US$32.000. O lote veio da coleção particular de Robert Drouhin, que dirigiu a casa Joseph Drouhin de 1957 a 2003 uma das mais importantes da Borgonha. Muitos outros vinhos do Domaine Romanée-Conti foram leiloados nesta noite e pertenciam ao Drouhin. Santé.

 

Tags: , , , , ,

Compartilhe:
Comentar

Prepare-se para o Challenge Internacional Sud France etapa Brasil

Sud France e ABS-Rio estão planejando realizar em 2019 o Concurso Expert Sud de France que é a etapa classificatória para disputar o Challenge International Sud de France que vai acontecer na França em 2020. Todo sommelier sócio da ABS poderá participar. O Objetivo é forjar um campeão em condições de vencer a competição. As regras estão sendo definidas e até janeiro o cronograma oficial será lançado. O concurso é nacional e a prova final será no Rio. O vencedor da etapa Brasil ganha uma viagem à França e o vencedor do Challenge ganha uma luxuosa viagem para ser jurado numa etapa de 2021 do concurso numa dessas cidades: Londres, Xangai ou Nova Iorque.

Como nossa ambição é de trazer o caneco vai ser necessário que o sommelier seja capaz de se expressar em francês ou inglês. Não dá para chegar na disputa sem ter um mínimo de fluência técnica em um segundo idioma. Assim, desde a primeira etapa será exigido mostrar que você consegue se expressar na língua de Shakespeare ou de Molière. Nessa etapa uma redação sobre os vinhos do Sul da França será exigida. O resumo dela deverá estar em um dos dois idiomas. O tema exato será definido pelo Comitê Sud France/ABS-Rio.

Edmond Gasser, de punhos cerrados, comemora a vitória em 2016 tendo a sua direita Diego Cosaquiviti.

Teremos aulas preparatórias sobre o Sul da França e depois a prova teórica. Para isto eu mesmo estarei me preparando. Fazendo um curso de Master of Wine South France em novembro com prova e tudo. Cruzemos os dedos. Para passar precisarei tirar ao menos 75 e para dar aula certificadora 85! Somente depois poderei dar uma formação aos candidatos.

Na prova escrita será exigida uma nota mínima de 70 pontos sobre 100. Não basta ser melhor do que os outros vai ser necessário ser muito bom. A final será no Rio. A prova prática terá degustação às cegas, harmonização com menu real, isto é, com pratos, vinhos, chef e convidados. A correção do cardápio vai exigir conhecimento. A prova vai cobrar desenvoltura e precisão. Vamos limitar o número de finalistas para poder oferecer a todos eles as melhores condições de disputa na final. Inclusive com passagem e hospedagem no Rio. Portanto comecem a se preparar.

Ao vencedor vamos oferecer e exigir um compromisso para que se dedique a uma preparação para o Challenger. Inclusive com aulas de francês ou inglês. O desafio está lançado. Preparem-se. Santé.

Compartilhe:
Comentar

O vinhedo francês votou na direita mostra estudo de esquerda

Nesse momento de colheita das uvas na França a Fundação Jean Jaurés, um think thank de esquerda, encomendou um estudo ao Instituto Francês de Opinião Pública, IFOP, sobre o resultado das eleições presidenciais de 2017 que colocou no segundo turno uma França rural pró Front National, FN, extrema direita, e a França das metrópoles de Emmanuel Macron, o candidato do centro.

O voto de Bordeaux, Bourgogne, Champagne, Beaujolais ou do Midi não é uniforme. Na Borgonha quem leva a melhor é o candidato da direita François Fillon, Les Républicains, sua votação vai de 30% no norte em Aloxe Corton a 56,7% em Volnay mais ao sul, um recorde. Na Côtes de Nuits Fillon faz seus melhores resultados com 50% em Vosne- Romanée. Nas comunas onde se concentram os Grands Crus Fillon lidera com folga. A extrema direta tem votação importante nos vilarejos rurais onde não há mais produção agrícola.

Mais a denominação de origem possui prestígio mais o voto dela é para a direita, são vinhedos que ganharam com a mundialização, explica o estudo. Ele barra o voto da extrema direita. O FN vai ter maior presença onde o terroir se vende com maior dificuldade e é menos lucrativo. É o caso de Rully et Saint Véran.

Votos de François Fillon e Marine Le Pen no primeiro turno nos vilarejos do Marne classificados Premier Cru. (Fonte Fundação Jean Jaurès)

Na Alsácia Fillon lidera com tranquilidade. Já no Beaujolais apesar de Fillon estar quase sempre na frente de Marine Le Pen vem coladinha. Na região de Champagne o efeito terroir é menos importante. Mesmo assim Fillon vence nos 16 vilarejos classificados como Premier Cru e em Reims. Já Marine Le Pen leva em Épernay.

Na região bordalesa a comparação entre o Médoc e Saint Emilion e seus satélites também mostra diferenças. No Médoc grandes grupos financeiros investem e controlam as propriedades e châteaux de maior prestígio. Já na margem direita os vinhedos estão ainda com muitos pequenos produtores. Eles irrigam a economia local e aqui Fillon prospera. No Médoc que utiliza mão de obra externa, prestadores de serviço subcontratados para trabalhos temporários, o FN lidera.

A queda do consumo do vinho na França nos últimos 50 anos teve repercussão importante no vinhedo que no passado era responsável pelo vinho industrial, o vinho das massas populares. O Languedoc Roussillon, principal vinhedo francês, situado no chamado Midi vermelho perdeu nos últimos 45 anos 43% da sua área plantada. O número de cooperativas caiu de 550 para 200 em 2012. Essas estruturas são o elemento principal da identidade de esquerda no Midi vermelho. Vai ser exatamente nestes vilarejos que o FN vai colher mais votos. Mas aqui ela rivaliza com Jean-Luc Mélenchon o candidato da extrema esquerda. Ele ganha nos terroirs de altitude e Marine nos da planície. Estes tiveram um aumento de população vindas de outras regiões, a construção de polos comerciais e conjuntos residenciais. Aqui desemprego e imigração são preocupações que fizeram com que Le Pen ganhasse. O Midi vermelho passa a ter uma cor bem desbotada, mostra o estudo da Fundação Jean Jaurés. Santé.

 

 

 

Compartilhe:
Comentar

Rosé Piscine lidera mercado e vira “case” de marketing

Estive na última semana no Brasil acompanhando o lançamento mundial da garrafa de formato Magnum, do vinho Rosé Piscine, o líder entre os rosés. Segmento onde a França domina. O Rosé Piscine não é um vinho como os outros. Ele foi concebido para ser bebido com gelo. Este jeito descontraído do francês beber seu rosé na beira da praia ou da piscina no verão deu muito certo no Brasil. Este sucesso foi construído em apenas quatro anos.

Garrafa magnum e um drinque com frutas criado pela master chef Luri Toledo. (fotos divulgação)

Isto é o que se chama de case de marketing. A ESPM deveria se debruçar e analisar. Uma importadora pequena, Wine 2 You, pega um produto que não é um vinho clássico, que tem uma bela garrafa e o transforma no líder dos rosés. Ele já fazia sucesso na França onde nasceu há 15 anos, portanto antes do champagne da Moët et Chandon Ice. Foi o pioneiro do conceito on ice, isto é, com gelo. Criou um segmento novo no mercado, como a Apple. São 2 milhões de garrafas por ano em mais de 20 países. Aqui, em plena crise, ele deve atingir 200 mil garrafas este ano. No Brasil ele é muito consumido no segmento feminino, mas os homens também gostam bastante. Faz sucesso em casamentos onde é a escolha da noiva, em detrimento de espumantes de prestígio como o Chandon. Nas baladas e festas é presença garantida.

Hildebrando Lacerda, um distribuidor,  a master chef Luri Toledo e Jacques Tranier presidente da Vinovalie.

Camaleão pode ser consumido tanto à noite como de dia. Ele também se presta muito bem a coquetéis como nos ensinou a bela master chef Luri Toledo no Bardega, em São Paulo, onde preparou uma série de drinks com frutas e especiarias e os harmonizou com diversos “tapas” concebidos especialmente para o evento de lançamento da garrafa Magnum de 1,5 litros. No Rio conquistou os quiosques de praia mais badalados como o Pesqueiro e o Cavalo Marinho. Hoje estreia nos bares e camarotes do HSBC Arena no show dos Tribalistas.

Momento descontraído no Donna em Jurerê Internacional.

Vai ser no lançamento em Florianópolis no Art’s, no Donna e no Acqua em Jurerê Internacional onde vai mostrar toda sua alegria e força. Nessas casas praianas ele faz sucesso tanto na beira da praia quanto nas festas noturnas.  Ele amplia a franja dos consumidores de vinho e agrada a diversas gerações de consumidores. Faz tanto sucesso que o presidente da Vinovalie, a vinícola produtora, enviou para o lançamento mundial seu presidente Jacques Tranier. Afinal, o Brasil hoje é o segundo mercado do Rosé Piscine no planeta. Santé.

Tags: , , , , , ,

Compartilhe:
2 Comentários
?>