Publicidade

Jornal do Brasil

Blog do Reinaldo - JBlog - Jornal do Brasil

Bordeaux 2018 tem excelente qualidade e preços bem comportados

A chamada campanha de Bordeaux Primeurs 2018 começou e os preços estão se mostrando bem comportados. O primeiro vinho a sair foi o badalado Château Angelus que é oferecido pelo negócio a 252€ a garrafa, uma queda de 8,7% em relação à campanha da safra 2017 e o mesmo preço de 2005. O mercado comprador deve ser bastante ativo para ingleses e americanos, que sempre olham os preços com atenção. Assim o mercado não dependerá tanto dos asiáticos, mais perdulários. Como a qualidade está excelente os importadores e os grandes compradores franceses estão certos de que este ano é um bom ano para investir e comprar antecipado.

Outros vinhos renomados já saíram como o Chateau La Couspaude, Saint Émilion Grand Cru, que em 2017 estava por 30€ e este ano manteve o preço, Château La Tour Carnet saiu a 20,40€ em 2017 e este ano ficou estável a 20,76€ para o tinto. O Sauternes Rayne Vigneau se manteve a 31,20€. O La Tour Blanche segue no mesmo preço a 27,60€. O Château Dauzac, Cru Classé de Margaux, também repetiu o preço de 2017 e se contentou com 30€, apesar da pontuação ter subido na Wine Spectator de 90/93 para 92/95. Segundo Colette Van Der Hauwert, gerente de exportação da Maison Bouey, um grande negociante de Bordeaux, os grandes vinhos ainda não saíram e são eles que definirão a tendência exata da campanha 2018. «Até o momento ninguém saiu realmente acima de 2017», afirmou a gerente.

Nos próximos dias a campanha deve acelerar, pois este ano a feira de vinhos de Bordeaux, Vinexpo, começa mais cedo. A XX edição vai de 13 a 16 de maio, este é o grande encontro francês do vinho e a campanha tem que acabar antes, afinal os atores estarão na feira recebendo seus clientes e degustando seus vinhos. Este ano o presidente francês Emmanuel Macron, um grande amante e defensor do vinho, irá abrir os salões para os 1600 expositores de 29 países. Vinexpo que nasceu em Bordeaux se multiplicou e hoje acontece com sucesso em Hong Kong e Xangai. Tem ainda uma edição New York e em 2020 lança a versão Paris, em janeiro, para forçar uma disputa direta com Wine Paris, ligada a Vinisud e a alemã Prowein.

Grandes marcas internacionais francesas estão confirmadas em Bordeaux como Champagne Bollinger, Henri Bourgeois, Minuty, GH Martel & Cie, Grands Chais de France, Champagne Nicolas Feuillatte, Albert Bichot, Joanne, Baron Philippe de Rothschild, Bernard Magrez ou ainda CVBG-Dourthe Kressmann. Da Argentina Catena Zapata e Clos de los Siete, da África do Sul Robinson & Sinclair, da Espanha Felix Solis Avantis, Marques de Cáceres e até a China vai estar presente com Cofco Greatwall. Brasil vai se contentar com a versão New York. Este ano há um aumento 15% do número de expositores e três novos países: Vietnam, Suécia e Turquia. Santé.

 

Compartilhe:
Comentar

Paris encanta como capital mundial do vinho

Wine Paris terminou nesta quarta-feira, dia 13, e conseguiu mostrar o charme do lado off deste salão dedicado ao vinho. Paralelamente às degustações, palestras e formações durante o dia Paris recebeu à noite eventos que permitem antever o quão atraente para os visitantes pode ser a capital francesa.

Encontros B to B aconteceram de 7 a 10 em um hotel durante o World Wine Meetings. Foi só trabalho. Charmoso mesmo são os eventos para convidados como o organizado por duas Denominações de Origem do Languedoc Fitou, a mais antiga, e Picpoul de Pinet, a maior produtora de brancos da região, que optaram pelo Allénoteque, o novo bar de vinhos do chef triplamente estrelado Yannick Alléno. Show.

Paris é uma atração à parte durante Wine Paris.

Pomerol, uma das mais prestigiosas denominações de Bordeaux, realizou uma degustação no hotel Paris Le Grand, da rede Intercontinental, ao lado da Opéra, ponto turístico obrigatório da cidade. A mais bela jogada foi a dos produtores do Vale do Loire que usaram como palco Paris vista do famoso bateau-mouche. Organizaram um happy hour na terça-feira, de 19 às 22 horas, durante um cruzeiro pelo Sena. Enquanto as papilas dos profissionais e jornalistas degustavam os bons vinhos do Vale do Loire, famoso por seus magníficos de castelos, seus olhos admiravam os maiores monumentos parisienses e a Torre Eiffel iluminada.

Imagine um grande evento como a feira de Bordeaux, Vinexpo, em Paris. Vai ser uma enorme e charmosa festa do vinho. Paris by Wine? Santé.

 

Compartilhe:
Comentar

Paris é a capital mundial do vinho?

A França não ia ficar sem reagir ao forte crescimento da feira alemã de Prowein. Paris será o campo de batalha desta guerra que tem como objetivo trazer para de volta para a França a supremacia sobre os salões de vinho. Vinovision era um mediano salão de vinhos setentrionais franceses com participação do Loire, Centro, Beaujolais e Champagne. Acontecia em Paris. Vinovision comprou Vinisud, o tradicional e importante salão bienal dos vinhos do Sul da França e o transformou em anual. Um ano em Montpellier, como rezava a tradição, e o ano seguinte, este ano, em Paris juntamente com Vinovision. Dessa união nasceu o ambicioso projeto Wine Paris que começou ontem e vai até o dia 13 no Parque de Exposições de Paris porta de Versailles.

O fato de ser em fevereiro ajuda na luta contra Prowein que é em março. Vinexpo Bordeaux, a antiga maior do mundo acontece em junho, pois isto atende aos interesses dos anfitriões, mas já é tarde para as compras na Europa. Os alemães colocaram sua máquina de guerra (eficácia, precisão…) contra o glamour dos châteaux e festas de Bordeaux. Ganharam.  Hoje são 6.500 expositores de todo o planeta. Mas o império contra-ataca e Bordeaux já prepara seu próximo salão, também em Paris, mas em janeiro de 2020. Os grandes vinhos de Bordeaux e de toda a França, estarão aliados ao charme de Paris neste combate. Pode ser uma boa estratégia. Nos dois casos Paris ganha.

Wine Paris tem forte presença de produtores franceses. (foto: Jean Bounan)

Não faz sentido a maior feira ser na Alemanha, mas as divisões entre Vinisud e Vinexpo e as datas criaram a oportunidade. Londres que é um grande mercado já havia visto sua feira minguar e se tornar algo apenas para os comerciantes locais. Wine Paris começa modesta com 10 países, 7% do total, e uma forte representação francesa. São 2.000 expositores. Mas Bordeaux enviou apenas uma participação simbólica de 200 produtores. Para os visitantes são 1200 vinhos em degustação livre. Em todo caso vai começar a incomodar.

Mas a grande vencedora será Paris. Cidade onde mais se consome vinho no mundo com 49,5 litros por pessoa e 23.570 pontos de venda on-trade e off-trade (lojas e supermercados). São 20.000 bares, cafés, restaurantes e hotéis na região parisiense (on-trade). Cereja no bolo a capital francesa tem 142 estrelas no guia Michelin, sendo 10 restaurantes com 3 estrelas. Além de uma rede de formadores de opinião de grande importância internacional. Acredito que se depender apenas da Cidade das Luzes a alemã Dusseldorf vai perder esta guerra.

É sempre bom lembrar que a união faz a força, mas ainda não vai ser dessa vez. Não vejo espaço para tantas feiras na França. Os produtores não conseguem pagar tantos stands, viagens e deslocar equipes comerciais o tempo todo. Santé.

 

Compartilhe:
Comentar
?>