publicidade

Jornal do Brasil

Faixa Preta – JBlog – Jornal do Brasil

Irmãos Nogueira recebem diploma de “Amigos do BOPE” neste sábado

Os irmãos Rodrigo “Minotauro” Nogueira e Rogério “Minotouro” Nogueira vão receber neste sábado, a partir das 9h, no IV Campeonato de Jiu-Jitsu do BOPE entre Projetos Sociai, no BOPE, o diploma de “Amigos do BOPE”, das mãos do Coronel Renê, pela ajuda oferecida à corporação.

De acordo com o Cabo André Felix, responsável pelo Projeto Rio 2016, Minotauro e Minotouro foram essenciais para o funcionamento da sala de lutas existente no BOPE, onde vai acontecer a competição que vai reunir mais de 300 atletas das comunidades que receberam Unidades de Polícias Pacificadoras (UPPs).

“Eles vão receber o diploma de Amigos do BOPE, porque foi através da doação dos Irmãos Nogueira que nós inauguramos a nossa sala de lutas. Inclusive o nosso tatame tem o nome deles e o Coronel quer homenageá-los, já que vamos fazer um campeonato patrocinado, com UPPs participando, tirando os jovens da ociosidade”, afirmou Felix.

O BOPE fica na Rua Campo Belo, 150, Laranjeiras, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Postado por oscardaniotti às 0:33

Nenhum comentário

Compartilhe:

Cigano defende cinturão contra algoz de seu mentor

Em novembro de 2011, Junior Cigano conquistou a vitória mais importante de sua carreira. Não só conquistou o título dos pesos pesados sobre o até então invicto Cain Velasquez, mas como o fez de forma categórica: com um nocaute em pouco mais de um minuto de luta. Neste sábado, 26, ele retorna ao octógono para defender pela primeira vez o seu cinturão. Seu adversário é o experiente Frank Mir, ex-campeão e ex-campeão interino, que ganhou contornos de inimigo nacional ao finalizar Minotauro, lenda do UFC e mentor de Cigano, em 2011.
Na ocasião, Minotauro saiu com um braço quebrado, tendo que passar por procedimentos cirúrgicos para se recuperar. Contudo, embora para os fãs a luta tenha ar de revanche, Junior nega a vingança como sua grande motivação. “Minha maior motivação é que eu amo ser quem eu sou. Amo ser campeão e quero me manter assim por muito tempo”, declarou. “Querer continuar no topo me motiva e me mantém focado em meus treinos”.
Além de um perigosíssimo jogo de chão, Frank Mir tem outro trunfo a seu lado: a experiência. Com 21 lutas em sua carreira – sendo 19 delas no UFC -, Mir comemora a chance de poder conquistar pela terceira vez um título na categoria e anuncia o perigo de seu jiu-jitsu. “Vi grandes lutas e lutei em grandes cards, mas esta é a maior luta da minha carreira”, celebra. “Junior é um boxeador perigoso, mas, quando ele chegar ao chão, ele estará acabado”.

Postado por oscardaniotti às 0:29

1 Comentário

Compartilhe:

Luta entre amigos: astros do UFC opinam

O clima do “The Ultimate Fighter Brasil” esquentou de vez no último domingo, após a luta entre Rony Jason e Anistávio Gasparzinho. Os dois são amigos fora da casa, treinam e já moraram juntos, e se enfrentaram por conta de uma decisão de Vitor Belfort, um dos treinadores, que tinha o direito de casar a luta.

Atletas da Integralmédica Suplementos Nutricionais, patrocinadora oficial do TUF Brasil, deram sua opinião, e foram unânimes em dizer que não lutariam contra parceiros de treino.

José Aldo (campeão peso pena do UFC)

“Enfrentar alguém da Nova União é como enfrentar um irmão, e não me vejo conseguindo fazer isso agora. O Dedé [Pederneiras, líder da Nova União] sempre fala disso com a gente, diz que é possível que um dia aconteça, mas espero que esse dia nunca chegue”.

Erick Silva (lutador peso meio-médio do UFC)

“Não lutaria com um amigo meu próximo. Tem uma questão de caráter. Não acho legal. Até porque não fica uma luta bonita de se ver. Nunca vou querer dar meu máximo, por mais que queira ganhar, porque se tenho um sonho, mas um amigo está na minha frente, eu respeito e espero minha oportunidade. Acredito que estrategicamente o Vitor tentou, na concepção dele, casar as primeiras lutas conforme ele achou que teria vantagem, que iria ganhar. Agora conforme ele falou, que amigo tem que lutar, já não apoio ele. Ele poderia evitar isso. Não concordo com o que o vitor falou de que tem que lutar e esquecer que é amigo. Isso não tem como. Não dá para esquecer que o cara é seu amigo”.

Charles do Bronx’s (lutador peso pena do UFC)

“Para mim, o Vitor Belfort poderia ter deixado essa luta para acontecer numa final, algo que todos queriam ver. Mas é aquilo, todos são profissionais e tiveram que lutar. Eu não lutaria com um amigo próximo, um cara que sempre treina comigo, por exemplo, o Felipe Sertanejo, que estamos indo um à academia do outro sempre. Volta e meia me perguntam sobre o José Aldo, e, sim, ele é meu amigo, mas não é próximo, não saímos para jantar, só trocamos ideia. Então, neste caso, eu lutaria”.

Felipe Sertanejo (lutador peso pena do UFC)

“Eu acho totalmente incoerente colocar amigos para lutar um contra o outro. Hoje em dia existem muitos lutadores para casar boas lutas, não tem essa necessidade de criar um clima assim. Casar uma luta entre amigos que já treinaram juntos é falta de bom senso. Se os lutadores forem para as finas é uma coisa, não tem escolha mesmo. Mas casar antes é falta de bom senso”.

Postado por oscardaniotti às 16:52

1 Comentário

Compartilhe:

Publicidade
Assine o RSS
Publicidade