publicidade

Jornal do Brasil

Faixa Preta – JBlog – Jornal do Brasil

A dois quilômetros de casa, Puro Osso planeja ir ao evento a pé

Atleta da Chute Boxe Diego Lima enfrenta ucraniano Ruslan Abiltarov na luta principal do XFCi 7, dia 1º de novembro, e conta com apoio da família e amigos

Viajar para localidades distantes e se adaptar a alimentação e treinos longe de casa no período de corte de peso, são alguns dos obstáculos a serem superados por lutadores em suas preparações. No entanto, algumas vezes é possível passar por essa reta final sem se preocupar com nada disso. Allan Puro Osso fará a luta principal do XFCi 7, dia 1º de novembro, a apenas dois quilômetros de casa, no ginásio do São Paulo Futebol Clube, e a apenas três de sua academia, a Chute Boxe Diego Lima. A distância é tão curta e o caminho tão simples – apenas uma reta – que o jovem atleta de 23 anos pensa até mesmo em ir a pé para o evento.

Allan “Puro Osso” Nascimento, que faz sua 16ª luta profissional, em busca da 14ª vitória – perdeu apenas duas – quer usar o fato de lutar, realmente, perto de casa, em seu favor.

“Vou lutar no quintal de casa e isso, com certeza, é uma grande motivação”, afirma o lutador. “Vou poder levar toda a minha galera, amigos, família, primos e tios que nunca me viram lutar. Se puder, vou levar até o papagaio, porque quero o apoio de todos que confiam no meu trabalho e estão comigo. Pode ser até que eu vá a pé, porque é muito perto mesmo, uma caminhada de cerca de 20 minutos em linha reta. Mas, vamos ver. Vai depender de como estarei no dia. Estou me sentindo muito bem em poder lutar por aqui”.

A distância curta, o apoio da família e a torcida podem ser importantes armas a favor do paulista morador do Morumbi. Quando subir ao hexágono, terá pela frente uma das principais revelações do MMA europeu, o ucraniano Ruslan Abiltarov. O “Predador”, como é conhecido, tem apenas 22 anos, mas já fez 21 lutas profissionais de MMA, com 16 vitórias, quatro derrotas e um empate, além de ter carreira invicta no MMA amador, com oito triunfos, apenas um na decisão dos juízes. Sua estreia no hexágono reforça a busca pela internacionalização do XFC, através de um trabalho intenso de prospecção de talentos feito pela organização dirigida por Myron Molotky.

“Buscamos um atleta com cartel semelhante ao do Allan e características técnicas e físicas para poder enfrenta-lo de igual para igual”, explica o presidente do XFC, Myron Molotky. “Abiltarov é um lutador muito agressivo, parte para cima, não foge do combate franco, assim como o Allan, e juntos vão dar um show para o público. Essa será uma grande oportunidade internacional para o Allan, que será testado contra um atleta forte e renomado na Europa, um striker duríssimo”.

Protagonistas da luta principal têm cartel de respeito

Uma das grandes revelações do MMA brasileiro, Allan Puro Osso sonha com o cinturão do XFC. Ele estreou no hexágono no XFCi 3, em 29 de março deste ano, e finalizou de forma extremamente técnica o argentino Matias Vasquez, com uma chave de braço no terceiro round. Pouco mais de três meses depois, em junho, voltou a finalizar, dessa vez André Lourenço, com um triângulo de mão no primeiro round. Em sua carreira, nunca precisou da decisão dos juízes para ter o braço erguido. Ao todo, soma 12 vitórias por submissão e duas por nocaute, tendo sido derrotado apenas duas vezes.

Natural de Donetsk, cidade conhecida pelo grande número de brasileiros jogando futebol, Ruslan Abiltarov é também extremamente versátil. De suas 16 vitórias, cinco foram por nocaute ou nocaute técnico, seis por finalização e cinco na decisão dos juízes. Abiltarov foi finalizado três vezes, perdeu em uma ocasião na decisão dos juízes e empatou outra, mas nunca foi nocauteado. Em 2013, realizou impressionantes 16 combates e venceu os últimos seis, sendo quatro por nocaute técnico, três no mesmo mês e dois na mesma noite, em outubro.

Em reta final de preparação, Puro Osso já pode apontar alguns pontos fortes do adversário, mas evita falar sobre plano de luta.

“Vi que procura muito a luta de chão, então preciso focar na defesa de quedas. Mas ele também precisa tomar cuidado, porque apesar de ser do muay thai, consegui a maioria das minhas vitórias através do jiu-jitsu e me sinto muito bem no chão. Vou sentir primeiro como será o início para depois impor meu jogo. Estou focado na última parte da perda de peso e em mostrar o porquê de terem me escolhido para fazer a luta principal. Quero provar que sou capaz de ser o dono do cinturão do XFC. Todo o lutador de um grande evento sonha chegar ao topo e comigo não é diferente. Se ganhar essa luta, quero disputar o cinturão em janeiro”, projeta o atleta.

Antes da luta principal, o XFCi 7 terá mais três lutas no card principal, todas transmitidas ao vivo pela RedeTV! a partir de 0h30min de sábado para domingo. A catarinense Julie Werner enfrenta a também ucraniana Iryna Shaparenko, de apenas 19 anos, no co-evento principal, enquanto o embate entre Cairo Rocha e o russo Sergei Bal, válido pela primeira rodada do torneio meio-médio (até 77,1kg) foi promovido para o card ao vivo. O outro combate será entre Will Galvão e Gilson Santos, numa superluta de peso combinado até 80kg..

Postado por oscardaniotti às 6:15

Nenhum comentário

Compartilhe:

Pronto para o UFC 179, Gilbert Durinho ajusta últimos detalhes para duelo contra Christos Giagos

De volta ao Rio de Janeiro após aproximadamente um ano e quatro meses, o UFC promete esquentar ainda mais os dias na Cidade Maravilhosa neste sábado (25). Marcada para o tradicional Ginásio do Maracanãzinho, na Zona Norte do Rio, a edição 179 do evento contará com um total de 11 brasileiros em seu card. Entre os nomes mais conhecidos e falados pelo público carioca, Gilbert Durinho chega ao duelo contra o norte-americano Christos Giagos credenciado pela ótima vitória sobre Andreas Stahl no UFC on Fox 12, disputado em julho. O combate, que marca a segunda aparição do niteroiense na maior organização de MMA do mundo, será a estreia do lutador da Blackzilians entre os pesos leves (70 kg) do torneio.

Com um cartel invicto com oito vitórias, Durinho acredita que sua preparação foi realizada da melhor maneira e busca ajustar os últimos detalhes para entrar 100% no combate. Empolgado com a chance de lutar no seu estado de origem, ele também comemorou a oportunidade de participar do treino aberto do UFC 179, que será realizado nesta quinta-feira (23).

“O trabalho foi feito. Agora é só reciclar, não perder nada do que ganhei no camp e afiar a parte técnica. Vou ajustar os últimos detalhes e perder o restante do peso. O Tyrone Spong e o Vitor (Belfort) estão me ajudando muito e me deixando blindado para a luta. Eu fiquei muito feliz de ver meu nome no treino aberto, sempre acompanhei e acho bem legal tudo que acontece. Só vejo os pontos positivos e vai ser bem legal. Estar lá com o José Aldo, Glover Teixeira, dentre outros, vai ser demais. Vou pegar a energia positiva dos fãs e fazer o que eu faço todos os dias, treinar”, disse.

Pela primeira vez entre os leves do UFC, o campeão mundial de jiu-jitsu com quimono e bicampeão mundial sem quimono, tem ciência das dificuldades que encontrará em sua nova divisão, mas garante ter seguido à risca todo o planejamento de perda de peso, conseguindo uma melhora em sua performance: “Foquei muito nessa parte também, todos sabem que sofro bastante pra bater o peso, então foquei muito na minha dieta, na minha reeducação alimentar, com isso estou me sentindo muito forte fisicamente. Eu tenho a tolerância ate 70,7 kg, ontem acordei com 76 kg. Vou tirar pouco peso. Foi uma mudança que aumentou muito o meu desempenho nos treinos”.

Aos 28 anos, Gilbert Durinho tem a pretensão de consolidar-se entre os maiores lutadores no UFC. Para isso, planeja pressionar o seu oponente desde o começo, usar suas armas nas lutas de solo e em pé, para dar mais um passo em direção ao seu objetivo maior.

“Pode esperar ação. Um lutador faminto que vai buscar a vitória e está confiante em seu plano. Tenho um oponente duro e aguardo que ele venha bem treinado, pois eu dei o meu máximo na preparação, em todos os quesitos. Vou colocar muita pressão nele, em pé, no wrestling e se chegar no chão, vou deixá-lo desesperado com meu jiu-jitsu, Essa é a estratégia. Vou procurar bombardear ele, em todas as áreas, não estou aqui para impressionar o Dana White ou aparecer na TV. Quero ser campeão. A cada luta é como um território conquistado, é uma espada fincada e mais um passo adiante, na direção do cinturão”, concluiu o atleta patrocinado pela Koral Fight Co.

Postado por oscardaniotti às 13:03

Nenhum comentário

Tags:

Compartilhe:

Confiante para estreia entre os médios do UFC, Rick Monstro diz: “É o melhor para minha carreira”

O dia 31 de Janeiro de 2015 será mais um grande marco na história do MMA mundial. Após sofrer uma grave lesão na perna esquerda no UFC 168, disputado em dezembro de 2013, Anderson Silva retorna ao evento contra Nick Diaz na luta principal do UFC 183, que será realizado em Las Vegas (EUA). Apesar dos holofotes estarem virados para o ex-campeão, outro brasileiro tem motivos de sobra para comemorar. Ex-participante da terceira edição do reality show The Ultimate Fighter Brasil, Rick Monstro enfrenta Ildemar Marajó, em duelo válidos pelos médios (84kg), em busca de afirmação dentro do torneio. Atleta do Team Nogueira, Rick terá de passar por uma acentuada perda de peso, já que sua última aparição no evento foi entre os pesos-pesados.
O paulista revelou que, antes de fechar contrato com o UFC, estudou bastante sobre a nova categoria. Após conversar com profissionais altamente gabaritados em suas respectivas áreas, ele chegou a conclusão de que nesta divisão poderá desenvolver ainda mais o seu talento.

“Eles (UFC) queriam me ver lutando entre os médios, mas antes de assinar procurei analisar bastante cada categoria e conclui que até 84kg seria melhor para a minha carreira. O fato de ter um porte físico avantajado para divisão e a vantagem de recuperar bem a perda de peso pode me ajudar muito. Olhando para a organização, como um todo, enxerguei que me enquadro melhor nessa categoria”, explicou o lutador dono de um cartel com sete vitórias e duas derrotas.
O faixa-preta de jiu-jitsu, que é natural de Campinas (SP), garante estar pronto para o novo desafio. Mesmo sabendo das dificuldades que o seu oponente pode oferecer, o lutador do Team Nogueira espera fazer umcombate inteligente e alcançar sua primeira vitória na maior organização do MMA mundial.

“Eu respeito demais os irmãos Marajós (Iuri e Ildemar), acredito que vai ser uma duelo muito bom contra o Ildemar. Tenho certeza que ele virá muito bem preparado. Venho tendo suporte de toda academia. Os meus colegas de treinos e professores estão me ajudando bastante nesta preparação. É ainda mais motivador poder lutar no mesmo evento que marca o retorno do Anderson Silva, um grande amigo, ídolo e companheiro de treinamentos. Espero conseguir essa vitória e me firmar no evento”, finalizou o lutador apoiado pela Analítica Farmácia de Manipulação.

Postado por oscardaniotti às 20:28

Nenhum comentário

Tags: , , ,

Compartilhe:

Estreante no Rio, Lucas Mineiro busca nova vitória sem ‘interferência dos juízes’

Brasileiro soma 15 vitórias na carreira profissional, sendo apenas uma por decisão dos jurados; no UFC, são três triunfos, sendo dois por nocaute e um por finalização

No dia 25 de outubro, o UFC realiza sua quarta edição no Rio de Janeiro, no ginásio do Maracanãzinho. Lucas Mineiro, por sua vez, vai experimentar pela primeira vez a sensação de lutar numa das capitais mundiais das artes marciais. O objetivo no UFC 179, diante do norte-americano Darren Elkins, pela categoria peso-pena (até 66,1kg), é claro: manter a ótima média de vitórias, sem precisar chegar à decisão dos juízes para ter o braço erguido. Dos 15 triunfos e apenas uma derrota na carreira, o atleta da Chute Boxe Diego Lima venceu 11 por nocaute ou nocaute técnico e três por finalização.

Darren Elkins, por sua vez, já foi finalizado uma vez e nocauteado em outras duas ocasiões, nas quatro derrotas que amarga na carreira, ostentando 17 triunfos. Ciente da dificuldade em derrubar ou finalizar o rival, que aparece em 13º no ranking da categoria, Mineiro garante que subirá ao octógono com o foco em não deixar os jurados definirem a luta. Para ele, uma vitória por nocaute, principalmente, será o salto que ele precisa para figurar entre os 15 melhores dos penas.

“Quero nocautear. Estou treinando muito forte para isso e sei que é possível vencer assim. Tenho certeza que estou no meu melhor da forma física e vou entrar no octógono para fazer a principal luta a minha carreira”, define. “Elkins é um adversário duro. Estudei bem o jogo dele, sei que é complicado finalizar ou nocauteá-lo. Mas nada para mim foi fácil até hoje e cheguei aonde estou. Estou preparado para vencer e dar show”, completa.

Empolgação por estreia no Rio de Janeiro

Fazendo sua quinta luta pelo Ultimate, Lucas Mineiro vibrou quando soube da oportunidade de lutar no Rio de Janeiro pela primeira vez. Nas outras quatro vezes que apresentou-se no octógono, foram três lutas no Brasil (São Paulo, Jaraguá do Sul e Minas Gerais) e uma em Nova Jersei, nos Estados Unidos, justamente sua última apresentação, um nocaute no terceiro round sobre Alex White, em julho.

“Será um prazer imenso lutar no Rio de Janeiro. Sou mineiro, de Montes Claros, morador de São Paulo, mas apaixonado pelo Rio de Janeiro. Tive algumas oportunidades de ir à cidade e aproveitei muito. Agora, terei a chance de lutar em um palco que sei que os fãs são apaixonados por MMA. Sei que a torcida vai ser enorme ao meu favor e será inesquecível lutar no Rio de Janeiro. Estou ansioso, realmente”, comemora.

Lucas Mineiro ainda sonha com o combate contra Jeremy Stephens. Anteriormente escalado pelo UFC, Stephens, que aparece na 11ª colocação do ranking dos pesos-penas, não aceitou o desafio, por afirmar que Lucas Mineiro ainda não estava entre os principais nomes da categoria. E a negativa ainda está na cabeça do brasileiro.

“Vou desafiar o Stephens. Podem ter certeza. Nada contra o Elkins, mas vou entrar ali no octógono querendo vencê-lo de qualquer jeito para chamar o Stephens depois para sair na mão comigo. Quero ver se ele vai ter coragem”, afirma Lucas, lembrando que o seu antigo rival vai encarar o companheiro de treinos, Charles do Bronx. “Ele vai ter que aceitar meu desafio, porque vou vencer o Elkins e entrar nos Top 15, se Deus quiser. Além disso, o Stephens vai vir de derrota para Charles. Não tenho dúvidas”, opina.

Postado por oscardaniotti às 20:25

Nenhum comentário

Compartilhe:

André Tadeu e Eder Bambu triunfam em show de finalizações no Wocs 38

Evento teve apenas duas lutas decididas na decisão dos árbitros; Tadeu se aproxima de title shot entre os pesos leves

O Wocs 38 levantou o público do ginásio do Clube Praça Esportes, na cidade de Ubá, em Minas Gerais, neste sábado, dia 18 de outubro. Na primeira edição no município da Zona da Mata mineira, André Tadeu finalizou Wellington Vicente na luta principal, pela categoria peso-leve (até 70kg, e se aproximou ainda mais da disputa de título contra o atual campeão Giovanni Diniz. No co-evento, o anfitrião Eder Bambu finalizou Alex Junius entre os médios, e destaque ainda para as vitórias de Rogério Paraíba, Luiz Henrique KLB e Alex Cowboy. No total, foram cinco finalizações, dois nocautes técnicos e apenas dois duelos decididos pelos árbitros. A próxima edição do Wocs acontece no dia 22 de novembro, com local ainda a ser definido.

Tadeu pode desafiar título após sexta vitória seguida

Sob muita expectativa, o experiente André Tadeu, de 38 anos, fez seu segundo duelo principal do Wocs em menos de três meses, embalado por cinco triunfos, diante de um adversário que aceitou o combate com pouco mais de uma semana de antecedência. Tadeu, da TFT/ATS, partiu para cima de Wellington Vicente logo no início do combate, mas o atleta da PRVT melhorou no duelo e manteve o equilíbrio no primeiro round. No início do segundo assalto, com apenas 42 segundos, Tadeu aproveitou um descuido de Vicente e encaixou um mata-leão certeiro para alcançar a terceira vitória no Wocs. Ele deve ter a chance de desafiar o campeão da categoria dos leves (até 70kg), em 2015.

“Agradeço à cidade de Ubá, a essa galera que me deu todo o apoio para chegar aqui e vencer. E também queria parabenizar o Wellington, que aceitou a luta em cima da hora, é um garoto e fez uma luta muito dura. Agora vou em busca do cinturão”, afirmou André Tadeu.

Eder Bambu levanta a torcida de Ubá

Na co-luta principal da noite, pela categoria dos médios, o anfitrião Eder Bambu conseguiu sua oitava vitória na carreira, a quarta consecutiva, ao derrotar Alex Junius por finalização. Com seu nome muito gritado pela torcida, o atleta da TFT/ATS dominou todo o combate até encaixar um belo triângulo de mão no segundo assalto e finalizar seu oponente para delírio do público presente.

“Eu estou em casa, não ia perder aqui nunca. Lutar na minha cidade é um grande orgulho, quero agradecer a esse público maravilhoso. Consegui trazer essa massa que me apoiou muito e quero avisar a todos que isso é só início de uma trajetória de muito sucesso no MMA, podem escrever”, comemorou Bambu.

Paraíba nocauteia e desafia atual campeão; KLB e Cowboy vencem

Também natural de Ubá, Aschely Haila, da TFT/ATS, foi outro a levantar a torcida da casa. Ele finalizou e apagou, ainda no primeiro round, Lucio Hantaru, da Beto Padilha Team, que vinha de vitória sobre o experiente Bruno Carvalho, da Nova União, em outro evento. Já Rogério Paraíba nocauteou Bruno Camargo, da Gentilini Fighters, após uma sequência de socos no round inicial e, ainda no cage, desafiou o atual campeão da categoria peso-pena (até 66kg), Maurício Facção.

Também representante da TFT, Alex Cowboy fez jus às suas habilidades de striker e conseguiu o sétimo nocaute na carreira ao vencer Douglas Aparecido, da Gentilini Fighters, no primeiro round. Outro destaque da noite foi Luiz Henrique KLB, mais um atleta da TFT, que não deu chances para João Paulo Guerreiro, da Chiquinho Team. Ele conseguiu sua primeira finalização na carreira logo no início do primeiro round, por mata-leão.

Assim como os companheiros de equipe, Marquinho Lindovaldo, aproveitou o embalo e finalizou Daniel Noturno com um triângulo de mão no segundo round. Representante da Sergipe/Pro Fight, Diego Farnezi não se intimidou com o público ao lado do seu oponente, Alex Pavão, da TFT/ATS, e triunfou na decisão unânime dos juízes laterais. Na luta inaugural da noite, Jefferson Fim venceu Rafael Almeida, da Pro Fight JJ, por decisão dividida.

Resultados oficiais

Até 70kg: André Tadeu (TFT/ATS) finalizou Wellington Vicente (PRVT) com um mata-leão aos 42seg do segundo round
Até 84kg: Eder Bambu (TFT/ATS) finalizou Alex Junius “Marmaduke” (Gentilini Fighters) com um triângulo de mão aos 1min e 32seg do segundo round
Até 66kg: Rogério Paraíba (TFT) venceu Bruno Camargo (Gentilini Fighters) por nocaute aos 1min e 31seg do primeiro round
Até 70kg: Aschely Haila (TFT/ATS) finalizou Lucio Hantaru (BPT) com um mata-leão aos 4min e 06seg do primeiro round
Até 74kg: Alex Cowboy (TFT/ATS) venceu Douglas Aparecido “Bilek” (Gentilini Fighters) por nocaute técnico aos 2min e 52seg do primeiro round
Até 62kg: Marquinho Lindovaldo (TFT) finalizou Daniel Noturno (Master Fight JF) com um triângulo aos 1min e 51seg do segundo round
Até 93kg: Luiz Henrique KLB (TFT) finalizou João Paulo “Guerreiro” (Chiquinho Team) com um mata-leão aos 1min46seg do primeiro round
Até 77kg: Diego Farnezi (Sergipe/Pro Fight) venceu Alex Pavão (TFT/ATS) por decisão unânime dos juízes laterais
Até 66kg: Jeferson Fim (TFT/ATS) venceu Rafael Almeida (Pro Fight JJ) por decisão dividida dos juízes laterais

Postado por oscardaniotti às 20:19

Nenhum comentário

Compartilhe:

Jungle Fight 74 terá disputa de cinturão dos pesos-médios, em São Paulo

Douglas Bertazini e Júnior Alpha fazem a luta principal do evento, marcado para o dia 29 de novembro, no ginásio do Ibirapuera

O duelo principal do Jungle Fight 74, marcado para o dia 29 de novembro, no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, será entre o paulista Douglas Bertazini e o baiano Júnior Alpha. O combate colocará em jogo o cinturão dos pesos-médios (até 84kg) da organização, vago desde a ida de Ildemar Marajó para o UFC. O restante das lutas do card serão anunciadas em breve.

Douglas vem de uma sequência de quatro vitórias, e possui um cartel completo de nove triunfos e cinco derrotas. Além do retrospecto positivo, o estilo agressivo foi um dos pontos favoráveis para que o atleta da Miguel Repenas Team recebesse a oportunidade de disputar o título.

“Já luto pelo Jungle há bastante tempo, todos sabem que eu vou para cima, vou para a porrada, independente do que possa acontecer. E é isso que o Wallid espera dos lutadores do Jungle. Agradeço essa oportunidade e vou fazer de tudo para sair com esse cinturão”, afirma Douglas.

Júnior, por sua vez, possui cinco vitórias na carreira contra apenas uma derrota. O lutador treina na academia Champion, do mestre Dórea, e é reconhecido pelas habilidades no boxe. Nas últimas três lutas, duas foram vencidas por nocaute e uma por decisão unânime dos juízes.

Postado por oscardaniotti às 20:16

Nenhum comentário

Compartilhe:

Publicidade
Assine o RSS
Publicidade