publicidade

Jornal do Brasil

Faixa Preta – JBlog – Jornal do Brasil

Shooto Brasil 63: Felipe Froes defende cinturão peso-pena na luta principal da noite

Pouco mais de três meses após realizar a última edição em solo carioca, o Shooto Brasil volta ao Rio de Janeiro no próximo dia 22 de maio, onde faz sua 63ª edição, novamente no Clube Hebraica Rio, em Laranjeiras, na Zona Sul da cidade. Na luta principal da noite, o paraense Felipe Froes vai para sua segunda defesa do título peso-pena (até 65,8kg) diante do pernambucano Marcos Vinicius ‘Imperador’. Na co-luta mais importante da noite, Mario Soldado encara Sergio Curva pelo peso-meio-médio (até 77,5kg). Outros destaques do card são os companheiros de Nova União, Nikolas Motta, Pedro Falcão e Jhonata Silva.

“É muito bom poder voltar ao Rio e ao Hebraica, que consideramos como nossa casa. Conseguimos montar um card com nomes que vem surgindo com muita força no cenário nacional, como o próprio Froes que defende o cinturão, o Nicolas Motta, ex-participante do TUF Brasil, o Jhonata, que promete muito e deu show nas últimas lutas no Shooto. Estou com uma expectativa muito boa em relação a esse evento”, afirma Dedé Pederneiras, presidente do Shooto Brasil.

Segunda defesa de título de Froes e duelo Nova União vs RFT são destaques

Natural de Ananindeua, no Pará, Felipe Froes é um veterano do Shooto Brasil, apesar dos 24 anos de idade. Foram oito lutas do atleta da Nova União na organização até agora, com apenas uma derrota e um empate para Douglas Silva e com Renato Moicano, respectivamente, ambos atletas do UFC. O duelo diante de Marcos Imperador marca a segunda defesa do cinturão peso-pena, que conquistou na edição 54, ao bater Thiago Manchinha. Na carreira, Froes soma um total de 12 triunfos e apenas dois reveses.

Lutar no Shooto Brasil também não chega a ser novidade para o pernambucano Marcos Vinicius, conhecido como Imperador. Aos 36 anos, o atleta tem um duelo na organização, justamente na última edição, realizada em Recife, sua cidade natal. Na ocasião bateu Jean Silva na decisão dos juízes. No total, soma 14 duelos na carreira, com dez vitórias e quatro derrotas.

Na co-luta principal da noite Mario Soldado e Sergio Curva fazem um duelo entre academias vizinhas: Nova União e RFT. Especialistas em jiu-jitsu e luta livre, respectivamente, as duas equipes já fizeram diversos embates marcantes. Soldado é natural de Marília e treina na equipe carioca há quase três anos depois de iniciar a carreira no sul do país. Com cartel de 15 vitórias, quatro derrotas e vem de triunfo sobre Fábio Lima após cotoveladas brutais, no Shooto Brasil 56.

Já Sergio Curva soma um total de sete vitórias e cinco derrotas no cartel e não luta desde setembro de 2014. Representante da equipe liderada por Marcio Cromado, Curva já fez uma luta no Shooto Brasil 48 e venceu na decisão unânime. Outro nome conhecido no card é do o ex-TUF Brasil 4, Nikolas Motta, que encara Antonio Carlos Buiu, em peso combinado até 68kg. Companheiros de Nova União, Pedro Falcão e a promessa Jhonata Silva são outros destaques e encaram Julio Splinter e Gilberto Dias, respectivamente.

Postado por oscardaniotti às 19:58

Nenhum comentário

Compartilhe:

Nenhum comentário

Adicionar um comentário:

Publicidade
Assine o RSS
Publicidade