publicidade

Jornal do Brasil

Faixa Preta – JBlog – Jornal do Brasil

Nota Oficial: Ronaldo “Jacaré” Souza

Lutador passará por artroscopia no joelho direito após vitória sobre Vitor Belfort no UFC 198, no último sábado, dia 14 de maio; procedimento cirúrgico impediu luta contra Rockhold

Ronaldo Jacaré foi um dos destaques do histórico UFC 198, realizado no último sábado, dia 14 de maio, em Curitiba (PR), ao bater Vitor Belfort por nocaute técnico ainda no primeiro round do aguardado embate. Com o acachapante triunfo, Jacaré ficou próximo de uma chance ao cinturão peso-médio (até 83,9kg) da organização. E a chance do brasileiro lutar pelo título ficou realmente próxima nos últimos dias, após convite para substituir o lesionado Chris Weidman no UFC 199, que acontece no dia 4 de junho, em Las Vegas, nos Estados Unidos. Porém, uma pequena lesão no menisco do joelho direito forçou Jacaré a negar o convite, e postergar assim sua tão aguardada luta pelo título.

Abaixo, o lutador se pronuncia sobre o assunto:

Recebi o convite do UFC para substituir o lesionado Chris Weidman na luta pelo cinturão da categoria peso-médio (até 84,1kg) no UFC 199, dia 4 de junho, contra o Luke Rockhold, atual campeão da divisão. Todos sabem da minha imensa vontade de lutar pelo título e, se possível, isso acontecer em um reencontro com o Rockhold. Porém, não posso deixar a emoção sobrepor a razão.

Quando faltava uma semana para a luta contra o Belfort, senti um incomodo no joelho direito, mas mesmo assim fui para a batalha. Lutei bem, mas deixei o octógono mancando. Já na segunda-feira seguinte ao combate, fui avaliado pelo Dr. Alexandre Campello, que me recomendou uma ressonância para analisar melhor a situação. Enquanto aguardava pelo resultado do exame, soube da lesão do Weidman. Assim, só poderia responder o convite do UFC quando soubesse o que tinha no joelho. Na tarde desta quarta-feira, dia 18, com o resultado da ressonância, ficou decidido que passarei por uma artroscopia já nesta quinta-feira, 19, como parte do processo de recuperação de uma pequena lesão no menisco.

Com isso, fico impossibilitado de estar apto para uma luta tão importante no dia 4 de junho. Michael Bisping é o novo desafiante, e desejo a ele e ao Rockhold uma grande luta. Quero enfrentar o vencedor dessa disputa em breve, e, independente do vencedor, estarei pronto para destruir e ser o novo campeão da categoria.

Aproveito a oportunidade para agradecer pelo carinho que tenho recebido dos meus fãs, seja pessoalmente ou via redes sociais. São milhares de mensagens diariamente, sempre de apoio e me parabenizando pelo trabalho que venho desenvolvendo. Fico muito feliz por isso. Agradeço também ao UFC pela compreensão, e dizer também o meu ‘muito obrigado’ a todos os membros da minha equipe.

Nos vemos no octógono em breve!

Ronaldo “Jacaré” Souza

Postado por oscardaniotti às 15:06

Nenhum comentário

Compartilhe:

Minotouro se coloca à disposição e desabafa: ‘Acharam que eu estava morto’


Foto: Arthur Júnior

A vitória avassaladora de Rogério Minotouro no UFC Curitiba (UFC 198), deixou o brasileiro novamente com prestígio no Ultimate. Depois de acumular duas derrotas consecutivas, contra Anthony Johnson e Maurício Shogun, Minotouro nocauteou o norte-americano Patrick Cummins, de forma brutal, no primeiro round, e levantou o público presente na Arena da Baixada. 
Em excelente forma, o líder da Team Nogueira já pensa no próximo desafio e manda um recado para os críticos. 

“Muitos pensavam que eu estava morto, mas essa vitória provou que estou mais vivo do que nunca no UFC. Apesar da minha idade (39 anos), sempre me cuidei e hoje me preocupo mais do que nunca. Minha alimentação e suplementação são todas muito controladas, sempre buscando o melhor. Esse nocaute e essa performance foram frutos de todo esse cuidado além de muito treino. Sei que ainda tenho muito para acrescentar ao esporte. Podem esperar uma atuação ainda melhor na minha próxima luta. Estou à disposição do UFC”, afirma Minotouro. 

O meio-pesado, também, relembrou seu histórico recente na organização para reforçar o bom momento vivido na carreira. 

“Não me incomodo com críticas, mas as pessoas têm que procurar saber antes de falar. Das minhas últimas cinco lutas pelo UFC, venci o Cummins e mais dois ex-campeões da categoria (Tito Ortiz e Rashad Evans). Só perdi para o Anthony Johnson, que está no auge de sua carreira e vinha atropelando todo mundo, e para o Shogun, em uma grande luta, com um resultado bastante duvidoso”, finalizou.

Postado por oscardaniotti às 14:43

Nenhum comentário

Compartilhe:

Léo Santos projeta maior reconhecimento após nocaute arrasador no UFC 194

Atleta da Nova União revelou que já esperava nocautear Kevin Lee e almeja enfrentar um adversário melhor ranqueado para chegar ao Top 10 da divisão peso-leve

O UFC 194 não proporcionou apenas lamentações aos brasileiros. José Aldo e Ronaldo Jacaré foram derrotados na noite do último sábado, em Las Vegas, nos Estados Unidos, mas o campeão do The Ultimate Fighter Brasil 2 Leonardo Santos venceu de forma convincente e ampliou sua boa fase na organização. O lutador da Nova União surpreendeu ao nocautear o norte-americano Kevin Lee ainda no primeiro round e emplacou sua quarta vitória na franquia, a terceira consecutiva. Os planos agora são mais audaciosos e o carioca almeja chegar ao Top 10 da categoria peso-leve (até 70,3kg) já em seu próximo desafio.

Há seis anos sem sofrer uma derrota, Léo Santos foi o campeão do TUF Brasil 2 e chegou ao Ultimate em 2013. Ainda invicto na organização, com quatro triunfos e um empate, Léo reconhece que o caminho para estar entre os melhores do mundo é árduo, mas confiando em suas habilidades e empolgado pelos números, acredita já estar preparado para medir forças com um oponente melhor ranqueado.

“Tenho a meta de ficar entre os dez melhores da categoria e depois pensarei em ir além. Primeiro tenho que estar nessa lista e sei que tenho totais condições para isso. Estou vivendo um grande momento e pretendo lutar com alguém melhor colocado já no próximo duelo. Apesar de não ter um nome específico quero ser testado contra os melhores. Preciso enfrentá-los e superá-los para me juntar a eles”, planeja o lutador de 35 anos.

Nocaute previsto e comemoração ‘enlouquecida’

Léo Santos tem um cartel de 15 vitórias, um empate e três derrotas. Faixa-preta de jiu-jitsu, o carioca tem nove triunfos conquistados através da arte suave e havia aplicado apenas um nocaute, em 2008, quando ainda atuava pelo Shooto Brasil. Apesar de ter encantado a todos que acompanhavam o duelo, Léo não se surpreendeu com a performance e com o direto que acertou em cheio no rosto do jovem americano, 12 anos mais novo e que vinha em ascensão, com quatro vitórias seguidas.

“Diferente do que todos imaginavam, eu realmente esperava nocautear o Kevin Lee. Já tinha visto lutas dele e meu treino foi todo específico para o seu tipo de jogo. Treinei muita repetição e para tudo o que ele fazia eu já estava preparado, assim tinha sempre um contragolpe entrando. O nocaute surgiu quando ele veio me dar um gancho e eu consegui me antecipar encaixando um forte golpe de encontro. Parece fácil falando, mas lá dentro é tudo muito difícil e rápido. Estou muito feliz pelo nocaute e isso só mostra que continuo evoluindo e que também posso surpreender em pé”, analisou Léo.

Quem assistiu o confronto do último sábado não se surpreendeu apenas pelo nocaute avassalador, mas também pela comemoração de Léo Santos. Assim que o árbitro John McCarthy interrompeu o combate, confirmando o triunfo, o atleta da Nova União pulou a grade do octógono e correu de forma eufórica sem direção, movido pela felicidade e pela “loucura”.

“O octógono ficou pequeno para o tamanho da minha felicidade. Realmente não sabia para onde estava indo e saí correndo só para ficar sozinho um instante. Deu vontade de correr, estava em êxtase e corri como um maluco mesmo (risos). Quando cheguei lá fora que percebi o silêncio e vi onde estava, então eu voltei e a ‘maluquice’ passou, mas a felicidade não. Foi um grande um sonho realizado”, explicou.

Postado por oscardaniotti às 15:07

Nenhum comentário

Compartilhe:

José Aldo usa “bobo da corte” como alvo

Concentrado para o principal combate de sua carreira, José Aldo não tira o foco do irlandês Conor McGregor por um segundo sequer. Há menos de dois meses para o duelo, que é o maior destaque do UFC 194, marcado para o dia 12 de dezembro, em Las Vegas (EUA), Aldo vem mostrando que está mais motivado do que nunca. Conhecido por seu grande poder de trocação, o amazonense estrela, a partir desta semana, uma campanha para a promoção da luta no Combate – canal de lutas da Globosat. Campeão linear dos pesos-penas (66kg), o brasileiro aparece no vídeo dando uma série de golpes em um saco de pancadas. Até aí seria normal, visto que é uma prática natural para qualquer lutador, não fosse o desenho de “bobo da corte” como alvo.

Postado por oscardaniotti às 19:48

1 Comentário

Compartilhe:

Pronto para o UFC 179, Gilbert Durinho ajusta últimos detalhes para duelo contra Christos Giagos

De volta ao Rio de Janeiro após aproximadamente um ano e quatro meses, o UFC promete esquentar ainda mais os dias na Cidade Maravilhosa neste sábado (25). Marcada para o tradicional Ginásio do Maracanãzinho, na Zona Norte do Rio, a edição 179 do evento contará com um total de 11 brasileiros em seu card. Entre os nomes mais conhecidos e falados pelo público carioca, Gilbert Durinho chega ao duelo contra o norte-americano Christos Giagos credenciado pela ótima vitória sobre Andreas Stahl no UFC on Fox 12, disputado em julho. O combate, que marca a segunda aparição do niteroiense na maior organização de MMA do mundo, será a estreia do lutador da Blackzilians entre os pesos leves (70 kg) do torneio.

Com um cartel invicto com oito vitórias, Durinho acredita que sua preparação foi realizada da melhor maneira e busca ajustar os últimos detalhes para entrar 100% no combate. Empolgado com a chance de lutar no seu estado de origem, ele também comemorou a oportunidade de participar do treino aberto do UFC 179, que será realizado nesta quinta-feira (23).

“O trabalho foi feito. Agora é só reciclar, não perder nada do que ganhei no camp e afiar a parte técnica. Vou ajustar os últimos detalhes e perder o restante do peso. O Tyrone Spong e o Vitor (Belfort) estão me ajudando muito e me deixando blindado para a luta. Eu fiquei muito feliz de ver meu nome no treino aberto, sempre acompanhei e acho bem legal tudo que acontece. Só vejo os pontos positivos e vai ser bem legal. Estar lá com o José Aldo, Glover Teixeira, dentre outros, vai ser demais. Vou pegar a energia positiva dos fãs e fazer o que eu faço todos os dias, treinar”, disse.

Pela primeira vez entre os leves do UFC, o campeão mundial de jiu-jitsu com quimono e bicampeão mundial sem quimono, tem ciência das dificuldades que encontrará em sua nova divisão, mas garante ter seguido à risca todo o planejamento de perda de peso, conseguindo uma melhora em sua performance: “Foquei muito nessa parte também, todos sabem que sofro bastante pra bater o peso, então foquei muito na minha dieta, na minha reeducação alimentar, com isso estou me sentindo muito forte fisicamente. Eu tenho a tolerância ate 70,7 kg, ontem acordei com 76 kg. Vou tirar pouco peso. Foi uma mudança que aumentou muito o meu desempenho nos treinos”.

Aos 28 anos, Gilbert Durinho tem a pretensão de consolidar-se entre os maiores lutadores no UFC. Para isso, planeja pressionar o seu oponente desde o começo, usar suas armas nas lutas de solo e em pé, para dar mais um passo em direção ao seu objetivo maior.

“Pode esperar ação. Um lutador faminto que vai buscar a vitória e está confiante em seu plano. Tenho um oponente duro e aguardo que ele venha bem treinado, pois eu dei o meu máximo na preparação, em todos os quesitos. Vou colocar muita pressão nele, em pé, no wrestling e se chegar no chão, vou deixá-lo desesperado com meu jiu-jitsu, Essa é a estratégia. Vou procurar bombardear ele, em todas as áreas, não estou aqui para impressionar o Dana White ou aparecer na TV. Quero ser campeão. A cada luta é como um território conquistado, é uma espada fincada e mais um passo adiante, na direção do cinturão”, concluiu o atleta patrocinado pela Koral Fight Co.

Postado por oscardaniotti às 13:03

Nenhum comentário

Tags:

Compartilhe:

Confiante para estreia entre os médios do UFC, Rick Monstro diz: “É o melhor para minha carreira”

O dia 31 de Janeiro de 2015 será mais um grande marco na história do MMA mundial. Após sofrer uma grave lesão na perna esquerda no UFC 168, disputado em dezembro de 2013, Anderson Silva retorna ao evento contra Nick Diaz na luta principal do UFC 183, que será realizado em Las Vegas (EUA). Apesar dos holofotes estarem virados para o ex-campeão, outro brasileiro tem motivos de sobra para comemorar. Ex-participante da terceira edição do reality show The Ultimate Fighter Brasil, Rick Monstro enfrenta Ildemar Marajó, em duelo válidos pelos médios (84kg), em busca de afirmação dentro do torneio. Atleta do Team Nogueira, Rick terá de passar por uma acentuada perda de peso, já que sua última aparição no evento foi entre os pesos-pesados.
O paulista revelou que, antes de fechar contrato com o UFC, estudou bastante sobre a nova categoria. Após conversar com profissionais altamente gabaritados em suas respectivas áreas, ele chegou a conclusão de que nesta divisão poderá desenvolver ainda mais o seu talento.

“Eles (UFC) queriam me ver lutando entre os médios, mas antes de assinar procurei analisar bastante cada categoria e conclui que até 84kg seria melhor para a minha carreira. O fato de ter um porte físico avantajado para divisão e a vantagem de recuperar bem a perda de peso pode me ajudar muito. Olhando para a organização, como um todo, enxerguei que me enquadro melhor nessa categoria”, explicou o lutador dono de um cartel com sete vitórias e duas derrotas.
O faixa-preta de jiu-jitsu, que é natural de Campinas (SP), garante estar pronto para o novo desafio. Mesmo sabendo das dificuldades que o seu oponente pode oferecer, o lutador do Team Nogueira espera fazer umcombate inteligente e alcançar sua primeira vitória na maior organização do MMA mundial.

“Eu respeito demais os irmãos Marajós (Iuri e Ildemar), acredito que vai ser uma duelo muito bom contra o Ildemar. Tenho certeza que ele virá muito bem preparado. Venho tendo suporte de toda academia. Os meus colegas de treinos e professores estão me ajudando bastante nesta preparação. É ainda mais motivador poder lutar no mesmo evento que marca o retorno do Anderson Silva, um grande amigo, ídolo e companheiro de treinamentos. Espero conseguir essa vitória e me firmar no evento”, finalizou o lutador apoiado pela Analítica Farmácia de Manipulação.

Postado por oscardaniotti às 20:28

Nenhum comentário

Tags: , , ,

Compartilhe:

Estreante no Rio, Lucas Mineiro busca nova vitória sem ‘interferência dos juízes’

Brasileiro soma 15 vitórias na carreira profissional, sendo apenas uma por decisão dos jurados; no UFC, são três triunfos, sendo dois por nocaute e um por finalização

No dia 25 de outubro, o UFC realiza sua quarta edição no Rio de Janeiro, no ginásio do Maracanãzinho. Lucas Mineiro, por sua vez, vai experimentar pela primeira vez a sensação de lutar numa das capitais mundiais das artes marciais. O objetivo no UFC 179, diante do norte-americano Darren Elkins, pela categoria peso-pena (até 66,1kg), é claro: manter a ótima média de vitórias, sem precisar chegar à decisão dos juízes para ter o braço erguido. Dos 15 triunfos e apenas uma derrota na carreira, o atleta da Chute Boxe Diego Lima venceu 11 por nocaute ou nocaute técnico e três por finalização.

Darren Elkins, por sua vez, já foi finalizado uma vez e nocauteado em outras duas ocasiões, nas quatro derrotas que amarga na carreira, ostentando 17 triunfos. Ciente da dificuldade em derrubar ou finalizar o rival, que aparece em 13º no ranking da categoria, Mineiro garante que subirá ao octógono com o foco em não deixar os jurados definirem a luta. Para ele, uma vitória por nocaute, principalmente, será o salto que ele precisa para figurar entre os 15 melhores dos penas.

“Quero nocautear. Estou treinando muito forte para isso e sei que é possível vencer assim. Tenho certeza que estou no meu melhor da forma física e vou entrar no octógono para fazer a principal luta a minha carreira”, define. “Elkins é um adversário duro. Estudei bem o jogo dele, sei que é complicado finalizar ou nocauteá-lo. Mas nada para mim foi fácil até hoje e cheguei aonde estou. Estou preparado para vencer e dar show”, completa.

Empolgação por estreia no Rio de Janeiro

Fazendo sua quinta luta pelo Ultimate, Lucas Mineiro vibrou quando soube da oportunidade de lutar no Rio de Janeiro pela primeira vez. Nas outras quatro vezes que apresentou-se no octógono, foram três lutas no Brasil (São Paulo, Jaraguá do Sul e Minas Gerais) e uma em Nova Jersei, nos Estados Unidos, justamente sua última apresentação, um nocaute no terceiro round sobre Alex White, em julho.

“Será um prazer imenso lutar no Rio de Janeiro. Sou mineiro, de Montes Claros, morador de São Paulo, mas apaixonado pelo Rio de Janeiro. Tive algumas oportunidades de ir à cidade e aproveitei muito. Agora, terei a chance de lutar em um palco que sei que os fãs são apaixonados por MMA. Sei que a torcida vai ser enorme ao meu favor e será inesquecível lutar no Rio de Janeiro. Estou ansioso, realmente”, comemora.

Lucas Mineiro ainda sonha com o combate contra Jeremy Stephens. Anteriormente escalado pelo UFC, Stephens, que aparece na 11ª colocação do ranking dos pesos-penas, não aceitou o desafio, por afirmar que Lucas Mineiro ainda não estava entre os principais nomes da categoria. E a negativa ainda está na cabeça do brasileiro.

“Vou desafiar o Stephens. Podem ter certeza. Nada contra o Elkins, mas vou entrar ali no octógono querendo vencê-lo de qualquer jeito para chamar o Stephens depois para sair na mão comigo. Quero ver se ele vai ter coragem”, afirma Lucas, lembrando que o seu antigo rival vai encarar o companheiro de treinos, Charles do Bronx. “Ele vai ter que aceitar meu desafio, porque vou vencer o Elkins e entrar nos Top 15, se Deus quiser. Além disso, o Stephens vai vir de derrota para Charles. Não tenho dúvidas”, opina.

Postado por oscardaniotti às 20:25

Nenhum comentário

Compartilhe:

Escalado para o UFC 176, Ronaldo Jacaré comemora retorno contra Gegard Mousasi

Uma das sensações dos pesos médios (84kg) do UFC na atualidade, Ronaldo Jacaré retorna ao evento contra Gegard Mousasi, em combate válido pelo UFC 176, marcado para o próximo dia 2 de agosto, em Los Angeles (EUA). O capixaba, que estreou na maior organização de MMA do planeta em maio de 2013, busca sua quarta vitória consecutiva no torneio e sonha com a oportunidade de disputar o cinturão de sua divisão. Com um cartel de 20 vitórias e apenas três derrotas, Jacaré, que foi campeão do Dream e do Strikeforce, é um dos lutadores mais temidos no MMA mundial.

Sem atuar desde fevereiro, quando derrotou por decisão unânime o francês Francis Carmont pelo UFC Fight Night 36, Jacaré comemorou o fato de voltar à ativa contra um lutador de primeiro escalão da divisão. Apesar de ter levado a pior no primeiro confronto entre os dois pelo Dream 6, disputado em 2008, o brasileiro não pensa em revanche e quer a vitória para consolidar entre os melhores da sua categoria.

“Eu estava esperando retornar contra um adversário de alto nível e foi o que aconteceu. Agradeço ao UFC pela oportunidade de enfrentar o (Gegard) Mousasi e vou fazer o meu melhor. Sei que ele é um grande campeão, um atleta muito duro, mas vou estar pronto para fazer o meu jogo. Não tenho frustrações na minha vida, eu acabei perdendo nossa primeira luta, mas meu foco agora é totalmente em uma vitória”, disse.

Recuperado da lesão no braço esquerdo que o tirou de ação por alguns meses, o atleta, patrocinado pela Koral Fight Co., reforçou a importância do bom trabalho de recuperação para um retorno vitorioso ao UFC. Além disso, salientou a importância dos companheiros de equipe e treinadores em todo o processo de recondicionamento físico.

“Estou completamente recuperado (da lesão). Minha expectativa era de retornar em agosto mesmo. Fiz um ótimo trabalho de recuperação e estou treinando firme com a minha equipe (XGym). Venho recebendo a ajuda do Josuel Distak, meu treinador de MMA, e do Rogério Camões, preparador físico, em todos os trabalhos visando a próxima luta.. Quero muito me apresentar bem e estou esperando uma grande luta”.

Pentacampeão mundial de jiu-jitsu, Ronaldo Jacaré, que é um dos maiores nomes da luta de chão no MMA internacional, vem contando com o luxuoso auxílio de Pedro Rizzo, ex-lutador do UFC, para afiar suas técnicas na parte em pé. Segundo o peso médio, a evolução está sendo nítida e será mais uma arma para engatar sua sétima vitória seguida no MMA.

“O Pedro Rizzo vem me dando excelentes dicas e os nossos treinamentos têm sido ótimos. Ele tem a vivência dentro dos ringues, então sabe como passar as instruções e te deixar confiante para fazer o que vem sendo treinado. Tenho evoluído bastante na parte em pé, mas meu chão também está afiado e espero usá-lo bastante para sair vencedor de mais esse combate”, concluiu.

Postado por oscardaniotti às 18:29

Nenhum comentário

Compartilhe:

Rodrigo Minotauro opera joelho direito e deve voltar em aproximadamente seis meses

Poucos dias antes de enfrentar Roy Nelson no UFC Fight Night 39, em abril, Minotauro lesionou o ligamento cruzado anterior do joelho

Campeão dentro e fora dos octógonos, Rodrigo Minotauro, que tem sua trajetória marcada por grandes superações, terá de passar por outro desafio em sua carreira. Após sofrer uma lesão no ligamento cruzado anterior do joelho direito dias antes do duelo contra o norte-americano Roy Nelson pelo UFC Fight Night 39, disputado em abril, o peso-pesado se viu obrigado a passar por mais um procedimento cirúrgico. Na tarde desta terça-feira (17), o baiano foi operado pelos doutores Marco Aurélio Sousa e Márcio Tannure no Hospital Barra D’Or, no Rio de Janeiro (RJ). A intervenção foi realizada com extremo sucesso e o ex-campeão do UFC, Rings e Pride deve voltar a atuar em aproximadamente seis meses.

Diretor médico da Comissão Atlética Brasileira de MMA, o Dr. Márcio Tannure esmiuçou todo o processo cirúrgico, explicando a lesão e comentando sobre o prazo de retorno do lutador ao UFC.

“O Rodrigo teve uma lesão no ligamento cruzado anterior, que é um ligamento estabilizador do joelho direito. Ele fez uma reconstrução desse ligamento. É uma cirurgia que a gente tira um tendão e reconstrói o ligamento. O procedimento foi feito com sucesso, tudo correu conforme o esperado e a estimativa é de que ele retorne a lutar em aproximadamente seis meses”, disse.

Especialista em cirurgias com atletas de alto rendimento, Tannure falou também sobre a dificuldade de Minotauro conviver com o problema, que gerava uma instabilidade no joelho. Além disso, frisou, que devido a gravidade da lesão, Rodrigo não deveria ter lutado no UFC Fight Night 39, e salientou a importância de um bom trabalho de fisioterapia e condicionamento físico para um retorno ideal.

“O ideal é que ele nem tivesse lutado (contra Roy Nelson), já que é uma lesão incapacitante. Além de gerar dor, ela cria uma instabilidade, já que o joelho sai do lugar e isso consequentemente limita muito os movimentos. Ele vai ter que passar por um trabalho de fisioterapia, reforço muscular e condicionamento físico. Seis meses é o prazo para ele retornar aos octógonos, mas esses trabalhos já estarão sendo feito antes desse tempo. Vai ser um trabalho intenso de fisioterapia junto com a recuperação física”, concluiu.

Postado por oscardaniotti às 8:09

Nenhum comentário

Compartilhe:

Jon Jones é uma máquina em perfeita harmonia técnica e física.

Assistir ao combate entre Jon Jones vs Glover Teixeira, sem dúvidas, foi um grande programa. Assistimos cinco rounds de muita disposição de ambos atletas. Porém, com Jon Jones dominando o combate, do início ao fim. Glover Teixeira fez um grande combate, muita disposição, força e absorção dos golpes.

O brasileiro se limitou ao boxe, o que não foi suficiente para derrubar o campeão, a não ser que entrasse uma grande pancada que pudesse derrubá-lo. Jones buscou, em todo combate, manter a distância de Glover, porém, sempre oferecendo as pernas para ele, que em nenhum momento tentou aplicar o famoso chute lateral no joelho, uma das maiores armas do seu treinador, Pedro Rizzo. Esse foi o tempero que faltou na apresentação do brasileiro.

Acredito que se Glover Teixeira, tivesse apresentado uma estratégia mais agressiva, talvez conseguisse uma vitória. Jon Jones é um grande campeão, mas em todos os momentos em que foi fortemente atacado, como nas lutas com Alexander Gustafson e Lyoto Machida, mostrou que tem sua deficiência, principalmente em aspecto emocional.

Quem vai derrubar o Jones?

Assista ao combate.

Jon Jones vs Glover Teixeira

Postado por oscardaniotti às 12:22

Nenhum comentário

Compartilhe:

Publicidade
Assine o RSS
Publicidade