publicidade

Jornal do Brasil

Faixa Preta – JBlog – Jornal do Brasil

Brasil o melhor do mundo nas lutas

O UFC Rio foi o melhor evento já visto, de MMA, no Brasil. Todos ganharam com essa noite, de 27 de agosto de 2011:  atletas, o esporte, o público e o melhor de tudo que é a popularização do MMA, no país.
Falar que o esporte possa bater o futebol é um pouco demais, pois estamos na Terra do futebol e já temos 5 títulos mundiais.  Mas uma coisa não elimina a outra: o Brasil é Terra da luta, também!

Temos uma capacidade, grande, de formar  talentos e, depois de ontem, temos a certeza de que  somos os melhores do mundo. Na primeira noite, em que o Brasil deu as boas vindas, levamos 90% dos combates. Apenas,  Luiz Banha perdeu, mesmo tendo a luta em suas mãos.

O nocaute, de Rodrigo Minotauro, resultou no maior grito de torcida que o HSBC Arena vivenciou. Após realizar 39 lutas, fora do Brasil, Minotauro venceu essa luta para seu povo que o apoiou do começo ao fim. A plateia gritava:  –  Minotauro voltou!.
Minota colocou o norte-americano, na lona, ainda no 1º round. Fomos todos ao delirio!

Shogun, com suas marteladas certeiras, fez com o que o juiz parasse a luta com o intuito de preservar a integridade física de Forrest Griffin.

Anderson Silva venceu, mais uma vez,  sem muitas dificuldades, Yushin Okami. O japonês entrou com a estratégia de tentar encurtar o jogo do Aranha, mas em pouco tempo foi dominado pelo jogo “bailarino” de Anderson.
Vitória do “Spider”,  que segue como o lutador jamais batido no UFC. A pergunta que fica é:  até quando Anderson vai conseguir manter este trono?

Nas preliminares, Erick Silva entrou, concentrado, e venceu Luiz Beição com um potente nocaute. Outro que venceu, mas quase perdeu para si mesmo, foi o mineiro, Rousimar “Toquinho” Palhares, que ainda no começo, achou que tivesse ganhado e foi comemorar a vitória, sem a luta ter terminado.  Tal  fato chocou o público e comentaristas, devido tamanha ingenuidade, que resultou em desvio de atenção e acabou quase sendo  nocauteado pelo norte- americano Dan Miller.

Na Terra onde nasceu o esporte,  as pratas da casa levaram.  Certamente, isso contribui para que   Fertitta e Dana White tenham a certeza de que, aqui,  o esporte pode ter ainda mais sucesso do que nos Estados Unidos.

Vamos com tudo para as próximas edições.  Quem sabe Brasília, Manaus, São Paulo e um retorno ao  Rio de janeiro? Esta última, cidade precursora, onde nasceu o jiu-jitsu, beach soccer e volei de praia.

O Importante é que, seja lá onde for, o público, que apresentou-se pacífico, na Arena HSBC, com certeza, vai comparecer. Uma noite para jamais ser esquecida. A plateia  presenciou uma verdadeira lua- de- mel entre esporte e público. Para quem pensava que as confusões apareceriam, foi um nocaute direto.

Neste quesito estamos na frente do futebol, violência zero!

 

 

 

 

Fonte:

 

 

Postado por oscardaniotti às 13:16

Nenhum comentário

Tags: , , ,

Compartilhe:

Publicidade
Assine o RSS
Publicidade