publicidade

Jornal do Brasil

Faixa Preta – JBlog – Jornal do Brasil

Elizeu Capoeira exalta treinadores em nova vitória no UFC

Atleta da CM System emplacou o segundo triunfo na organização ao bater Keita Nakamura; volta ao octógono está prevista para fevereiro, após cirurgia na mão

A presença dos treinadores no córner de um lutador é fundamental para uma boa apresentação. Com a função de orientar e motivar seu comandado no embate, os treinadores, em alguns casos, são fundamentais também na vitória. Assim foi com Elizeu Capoeira no último dia 1º, no UFC Fight Night 96, em Portland, Estados Unidos. O atleta da CM System venceu o japonês Keita Nakamura por decisão unânime dos juízes laterais em um combate marcado pelo equilíbrio, decidido nos detalhes. E, segundo o lutador, os pontos decisivos vieram através da orientação de Cristiano Marcello, Marcelo Zulu e Felipe Silva, seus treinadores e que estavam em seu córner.

Assim que teve Nakamura como adversário definido, Elizeu tratou de estudar o estilo de luta do japonês acompanhado por seus mentores. Tendo pela frente um lutador de excelência no grappling e finalizador nato, o brasileiro enfatizou em seus treinos a defesa de ataque pelas costas, ponto forte do japonês e observado por Cristiano Marcello, líder da CM System e responsável pelos treinos de jiu-jitsu da equipe. O treinamento fez com que Elizeu escapasse dos perigosos ataques sofrido pelas costas em duas oportunidades no combate.

“Estudamos o estilo dele e vimos que o ataque pelas costas era o ponto mais perigoso dele, então treinamos muito isso. O Cristiano Marcello me mostrou como sair daquela posição nos treinamentos, e durante a luta ele só me pediu para ter calma e lembrar de tudo que fizemos na CM System. Foi assim que consegui sair e atacar mais de pé, graças aos treinos com o Felipe Silva, que também é lutador do UFC. Estou cada dia mais seguro em meu jogo justamente por ter excelentes treinadores e companheiros de equipe”, garantiu Elizeu.

Aos 28 anos, o lutador de Francisco Beltrão, no Paraná, alcançou sua 16ª vitória no MMA profissional, a segunda consecutiva no UFC em três lutas. Uma queda impressionante de suplex colaborou para o resultado positivo, e o ataque foi fruto de intensivos treinos com Marcelo Zulu, multicampeão brasileiro de luta olímpica e treinador da CM System. O movimento serviu também como um estímulo mental para a sequência do combate.

“A luta estava muito dura, o japonês aguentou muita pancada. Ele também é muito insistente nas posições, então tive que ganhar no volume de jogo. Sabia que o terceiro round seria decisivo, por isso entrei bem focado e consegui aquela bela queda, que serviu para eu me impor moralmente no octógono. Ganhei muita confiança depois daquele golpe, e tudo isso só foi possível pelos treinos com o Zulu”, analisou.

Lesão na mão é o contratempo do combate

Nem tudo foi alegria para Elizeu Capoeira. Uma pequena lesão no dedo polegar da mão direita, fissuras no osso da base, levou o paranaense à mesa de cirurgia do médico Ivan Roberto Pancheniak na última quarta-feira, dia 5. O procedimento foi bem-sucedido, e Elizeu espera voltar ao octógono em fevereiro de 2017.

“Infelizmente, além de ganhar a luta, ganhei também uma lesão. Tive duas fissuras no dedo, mas já operei e estou me sentindo muito bem. O médico que me operou é da mesma junta responsável pela cirurgia no meu cotovelo, totalmente de confiança. Ele me disse que devo voltar aos treinos em 60 dias, e poderei lutar em fevereiro. Já estou ansioso para isso”, encerrou Elizeu, bem-humorado.

Postado por oscardaniotti às 16:24

Nenhum comentário

Tags: , ,

Compartilhe:

Mentalização e preparação em busca da vitória

Nell Salgado, master coach e membro da Sociedade Brasileira de Coaching, é uma desbravadora da profissão, principalmente, em esportes, mais destinado aos homens. Reconhecida nacionalmente por atender a judoca olímpica e ex-campeã mundial Rafaela Silva (integrante do Instituto Reação, do ex judoca e apresentador Flavio Canto).

Neli começou a trabalhar no MMA, através dos lutadores do UFC, Kevin Souza e Santiago Ponzinibbio. Kevin vem de três vitórias seguidas no maior evento de lutas do mundo desde que começaram a trabalhar juntos. O brasileiro, que luta o UFC. ficou lado a lado com a treinadora, em um trabalho de mentalização e preparação para a luta, que acontece em São Paulo no mesmo card do brasileiro, Vitor Belford luta contra o americano Dan Henderson.

Um dos seus sonhos é estar no córner de um lutador durante uma luta de MMA no UFC. Ela é super descolada, tem frases de efeito, não fala coisas no lugar comum…pode render bastante.

“Há cinco anos, quando iniciei minha carreira com o coaching esportivo, tracei como objetivo ter um atleta do UFC. Era um sonho, virou meta e hoje é realidade. Mais do que isso, realização”, conta Nell Salgado. 

Postado por oscardaniotti às 7:46

Nenhum comentário

Tags: , ,

Compartilhe:

Ronny Markes explora o lado mental por title shot no WSOF

Potiguar mede forças contra David Branch nesta sexta-feira, dia 10, e aposta no equilíbrio entre corpo e mente para conquistar a vitória

Ronny Markes tem um importante desafio na carreira no final desta semana. Para confirmar a volta da boa fase, o potiguar encara David Branch na semifinal do GP peso-meio-pesado (até 93,3kg) do World Series of Fighting, no que será a principal luta da 20ª edição do evento, sexta-feira, dia 10 de abril. O duelo vale vaga na decisão do torneio e o cinturão da categoria. Teddy Holder, que nocauteou o brasileiro Thiago Silva no último dia 28, já garantiu vaga na final. Para o duelo, Ronny fez um intenso preparo mental para desenvolver seu plano de luta com tranquilidade. O Esporte Interativo transmite todo o card principal do show, ao vivo, a partir das 21h45 (horário de Brasília).

O trabalho psicológico de Ronny Markes, de 26 anos, começou após uma amarga despedida do UFC. No octógono, foram cinco lutas, três vitórias e duas derrotas seguidas, que fizeram com que a organização não renovasse seu contrato, em abril de 2014. Voltando à sua categoria de origem, os meio-pesados, o atleta da Kimura Nova União venceu Cully Butterfield pelo WSOF 12, em agosto passado, primeira luta pós-UFC. Com a cabeça no lugar, o foco está no title shot.

“Desde o ano passado, minha maior evolução foi na cabeça. Quando você está confiante para botar em prática tudo que treinou, as coisas acontecem. Os brasileiros que lutam nos maiores eventos pelo mundo entram com muita pressão e acabam não fazendo 50% do que treinam. Isso acontecia comigo e eu tive que focar em um trabalho mental para mudar esse panorama. Esse camp foi muito bom, comecei os trabalhos em Natal e depois finalizei no Rio de Janeiro. Vou chegar muito bem preparado para sair com a vitória e buscar o cinturão”, garante o lutador.

O adversário do brasileiro é um veterano do WSOF. David Branch acumula cinco vitórias consecutivas no evento e é o atual campeão da divisão dos médios (até 83,9kg) da organização, título conquistado em sua última apresentação, nocauteando o japonês Yushin Okami. Subindo de categoria para disputar o GP, o norte-americano é dono de um cartel idêntico ao de Ronny Markes: 18 lutas, 15 vitórias e três derrotas.

“O David é um cara bem experiente, versátil e vem evoluindo muito na parte em pé em suas últimas lutas. Ele nocauteou o Okami, que é um lutador muito duro, mas vou para nocautear. Meu foco é na próxima luta, mas já penso em como seria a final, valendo o cinturão da categoria. Ser campeão é meu objetivo, pois sei que isso me colocará em outro patamar na carreira, já que o WSOF é um dos maiores eventos do mundo”, planeja o brasileiro.

Postado por oscardaniotti às 21:42

Nenhum comentário

Tags: , , ,

Compartilhe:

José Aldo realiza seminário de MMA e Muay Thai em São Paulo

Campeão dos pesos-penas (66kg) do UFC, José Aldo é um dos principais destaques da maior organização de MMA do planeta. Atualmente, ele sustenta uma das maiores invencibilidades da modalidade, com 18 vitórias consecutivas, sendo nove delas por nocaute, e defenderá seu cinturão contra Conor Mcgregor, no dia 11 de julho, em Las Vegas (EUA). Enquanto não volta ao duro processo de preparação para o combate, o amazonense aproveita para passar seus ensinamentos para alunos e admiradores das artes marciais. No próximo dia 14 de março, o lutador estará à frente de um seminário na Team Nogueira SP Zona Sul, situada na Rua Américo Brasiliense, 1393 – Chácara Santo Antônio, na capital paulista.

Capitaneada pelos irmãos Rodrigo Minotauro e Rogério Minotouro, a rede de franquias Team Nogueira tem em seu DNA o conceito de levar experiências de atletas profissionais e renomados para os seus alunos. Foi assim que atletas do quilate de Rousimar Toquinho, Fabricio Werdum, Ricardo Arona e Erick Silva passaram seus ensinamentos aos amantes das artes marciais. As entradas do seminário que será ministrado por José Aldo podem ser adquiridos por R$ 145, para alunos do Team Nogueira, e por R$ 155, para visitantes.

Postado por oscardaniotti às 20:28

Nenhum comentário

Tags: , , , ,

Compartilhe:

Com apoio de ‘mental coach’, Thales Leites quer quina no UFC com nocaute sobre Boetsch

Atleta da Nova União, que levou à lona seus dois últimos adversários, se vê mais maduro e confiante para duelo contra o norte-americano, neste sábado, dia 31, em Las Vegas

Os olhos do mundo inteiro estarão voltados para o UFC 183, neste sábado, dia 31 de janeiro, em Las Vegas, nos Estados Unidos. O evento marca o retorno de Anderson Silva, após mais de um ano parado por conta de uma grave lesão na perna, e terá a presença de diversos brasileiros. No embalo dessa euforia está Thales Leites que, em franca ascensão, encara o norte-americano Tim Boetsch no card principal, em luta válida pela categoria peso-médio (até 83,9kg). Em busca do quinto triunfo consecutivo no octógono, o atleta da Nova União mantém o trabalho com o “mental coach” Gustavo Dantas, que o acompanha desde seu retorno ao Ultimate, em agosto de 2013.

Os recentes bons resultados de Thales coincidem justamente com o início do trabalho psicológico. Dantas é formado em Educação Física pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e faixa-preta de jiu-jitsu do líder da Nova União, André Pederneiras. De lá para cá, foram quatro triunfos, sendo os dois últimos por nocaute, 100% de aproveitamento, e a expectativa de que, completando a quina, entre no Top 10 da categoria da qual já foi desafiante ao título.

“Eu sempre tive o acompanhamento do Gustavo em minhas lutas no UFC, mas, desde que voltei ao evento essa preparação com ele foi mais focada na parte mental”, explica o lutador. “Sem esse trabalho psicológico, sua confiança não é mesma. E essa confiança nas minhas habilidades e no meu potencial devem estar na minha mente o tempo inteiro. Depois que passei a fazer isso, me tornei um novo lutador”.

Gustavo Dantas conta como o trabalho é feito e como isso o ajuda a melhorar sua performance. “Basicamente, meu trabalho com o Thales é fazer com ele aprenda a focar apenas nas coisas que ele tem controle, como o processo de treinamento e performance. Quando se foca em algo que o atleta não tem controle, como o resultado final, automaticamente ele apresenta ansiedade, tensão muscular e uma performance abaixo do seu potencial. O Thales é muito dedicado, tanto nos treinos como no trabalho mental, e não por acaso os resultados estão ótimos”, explica.

Adversário de Thales, o norte-americano Tim Boetsch ocupa a 14ª posição no ranking dos médios e vem de vitória sobre Brad Tavares, em agosto de 2014. Boetsch, que completa 34 anos na próxima quarta-feira, dia 28 de janeiro, é conhecido pela mão pesada e um estilo nocauteador, algo que não preocupa Thales, já que o brasileiro vem em constante evolução na luta em pé e promete trocar de igual para igual com o americano.

“O Boetsch já nocauteou muita gente no UFC, mas estou pronto para trocar chumbo com ele. Chumbo trocado não dói, então vou para cima. Não vejo essa luta nas mãos dos juízes, alguém vai sentir a mão na trocação, e vai ser ele”, garante Thales comentando ainda sua sequência de vitórias no Ultimate: “Esse número me empolga, mas a categoria é outra hoje, está mais embolada, com grandes nomes. Eu era um entre 2008 e 2009, agora sou um novo Thales. Minha hora de um novo title shot vai chegar, eu sei disso, então vou passo a passo, luta a luta, até chegar lá, sem pressa”, finaliza o peso-médio.

Postado por oscardaniotti às 13:17

Nenhum comentário

Tags: , , ,

Compartilhe:

Cristiano Marcello projeta 2015 com novas conquistas e evolução da CM System

Equipe teve 100% de aproveitamento em dez disputas de título em 2014; Treinador exalta Elizeu Capoeira e o MMA feminino, liderado pela campeã do XFC Vanessa Guimarães

Criada em 2009, a CM System evoluiu constantemente até chegar ao seu quinto aniversário, em 2014, entre as principais equipes do Brasil. No ano passado, a academia curitibana, liderada por Cristiano Marcello, alcançou números expressivos e larga presença nos principais eventos de MMA do país. Foram 39 vitórias em 49 combates e 100% de aproveitamento nas dez disputas de título, com destaque para Vanessa Guimarães, campeã do GP peso-palha (52,2kg) feminino do XFC, e Elizeu Capoeira, que conquistou e defendeu o cinturão da categoria até 77kg do Jungle Fight.

Entre os principais títulos conquistados em 2014, destaques para Naldo Silva, campeão até 61kg do Mr.Cage e do Face The Danger, que alcançou a expressiva marca de 12 vitórias consecutivas, todas por nocaute. Além dele, Raymison “Formiga” chegou à sétima luta invicto desde que estreou no MMA e também ganhou o título do Mr. Cage, na categoria até 52kg. Para 2015, a expectativa de Cristiano Marcello é de ainda mais crescimento e consolidação da CM System.

“Foi um ano que provou que a nossa metodologia está certa, não só a minha, como a do Zulu (Marcelo, treinador da equipe) que é meu braço direito lá dentro. Mostramos que estamos fazendo um trabalho sério, com muito profissionalismo, não só da nossa parte como dos atletas que acreditam no que está sendo feito. Somos muito unidos, trato meus alunos como meus filhos e a meta para 2015 é superar esses números ainda mais. Vamos trabalhar para colocar os atletas em eventos internacionais e principalmente no UFC, que é a maior vitrine do esporte. Estou confiante para um ano ainda melhor do que 2014”, projeta o líder da academia.

A conquista do GP peso-palha do XFC por Vanessa Guimarães, que venceu duas lutas em 2014, impulsionou o MMA feminino na CM System. A jovem atleta, prestes a completar 25 anos na próxima semana, lidera um time de mulheres que vem sendo lapidadas com afinco em Curitiba, cidade-sede da equipe.

“A Vanessinha iniciou um trabalho feminino nosso de muita qualidade. Para 2015 estamos vindo com um time fortíssimo, acredito muito nessas meninas para arrebentarem, assim como tem acontecido com o masculino. A Kinberly Novaes é uma dessas atletas que está com a gente e tem tudo para trazer mais conquistas para CM System no próximo ano”, afirma Cristiano Marcello.

Elizeu Capoeira teve um ano de 2014 impecável. Ele venceu as três lutas que fez pelo Jungle Fight, sendo duas por nocaute e uma por finalização, disputou e venceu o cinturão, e tem a expectativa de fazê-lo de novo ainda no início deste ano.

“O Elizeu é o melhor da categoria dele atuando no Brasil. É só ver as lutas neles no Jungle, ele está muito bem. Venceu o Itamar Rosa, que é um atleta da Team Nogueira, muito completo, depois defendeu contra um atleta duríssimo de Belém. Eu acredito que, quando abrirem as próximas vagas dessa categoria no UFC, ele tem grandes chances, e não vai só para figurar. Ele sabe o que quer, é muito determinado e profissional e vai para o cinturão, acredito muito nele”, prevê Cristiano Marcello.

Postado por oscardaniotti às 7:54

Nenhum comentário

Tags: , , , ,

Compartilhe:

Pronto para o UFC 179, Gilbert Durinho ajusta últimos detalhes para duelo contra Christos Giagos

De volta ao Rio de Janeiro após aproximadamente um ano e quatro meses, o UFC promete esquentar ainda mais os dias na Cidade Maravilhosa neste sábado (25). Marcada para o tradicional Ginásio do Maracanãzinho, na Zona Norte do Rio, a edição 179 do evento contará com um total de 11 brasileiros em seu card. Entre os nomes mais conhecidos e falados pelo público carioca, Gilbert Durinho chega ao duelo contra o norte-americano Christos Giagos credenciado pela ótima vitória sobre Andreas Stahl no UFC on Fox 12, disputado em julho. O combate, que marca a segunda aparição do niteroiense na maior organização de MMA do mundo, será a estreia do lutador da Blackzilians entre os pesos leves (70 kg) do torneio.

Com um cartel invicto com oito vitórias, Durinho acredita que sua preparação foi realizada da melhor maneira e busca ajustar os últimos detalhes para entrar 100% no combate. Empolgado com a chance de lutar no seu estado de origem, ele também comemorou a oportunidade de participar do treino aberto do UFC 179, que será realizado nesta quinta-feira (23).

“O trabalho foi feito. Agora é só reciclar, não perder nada do que ganhei no camp e afiar a parte técnica. Vou ajustar os últimos detalhes e perder o restante do peso. O Tyrone Spong e o Vitor (Belfort) estão me ajudando muito e me deixando blindado para a luta. Eu fiquei muito feliz de ver meu nome no treino aberto, sempre acompanhei e acho bem legal tudo que acontece. Só vejo os pontos positivos e vai ser bem legal. Estar lá com o José Aldo, Glover Teixeira, dentre outros, vai ser demais. Vou pegar a energia positiva dos fãs e fazer o que eu faço todos os dias, treinar”, disse.

Pela primeira vez entre os leves do UFC, o campeão mundial de jiu-jitsu com quimono e bicampeão mundial sem quimono, tem ciência das dificuldades que encontrará em sua nova divisão, mas garante ter seguido à risca todo o planejamento de perda de peso, conseguindo uma melhora em sua performance: “Foquei muito nessa parte também, todos sabem que sofro bastante pra bater o peso, então foquei muito na minha dieta, na minha reeducação alimentar, com isso estou me sentindo muito forte fisicamente. Eu tenho a tolerância ate 70,7 kg, ontem acordei com 76 kg. Vou tirar pouco peso. Foi uma mudança que aumentou muito o meu desempenho nos treinos”.

Aos 28 anos, Gilbert Durinho tem a pretensão de consolidar-se entre os maiores lutadores no UFC. Para isso, planeja pressionar o seu oponente desde o começo, usar suas armas nas lutas de solo e em pé, para dar mais um passo em direção ao seu objetivo maior.

“Pode esperar ação. Um lutador faminto que vai buscar a vitória e está confiante em seu plano. Tenho um oponente duro e aguardo que ele venha bem treinado, pois eu dei o meu máximo na preparação, em todos os quesitos. Vou colocar muita pressão nele, em pé, no wrestling e se chegar no chão, vou deixá-lo desesperado com meu jiu-jitsu, Essa é a estratégia. Vou procurar bombardear ele, em todas as áreas, não estou aqui para impressionar o Dana White ou aparecer na TV. Quero ser campeão. A cada luta é como um território conquistado, é uma espada fincada e mais um passo adiante, na direção do cinturão”, concluiu o atleta patrocinado pela Koral Fight Co.

Postado por oscardaniotti às 13:03

Nenhum comentário

Tags:

Compartilhe:

Confiante para estreia entre os médios do UFC, Rick Monstro diz: “É o melhor para minha carreira”

O dia 31 de Janeiro de 2015 será mais um grande marco na história do MMA mundial. Após sofrer uma grave lesão na perna esquerda no UFC 168, disputado em dezembro de 2013, Anderson Silva retorna ao evento contra Nick Diaz na luta principal do UFC 183, que será realizado em Las Vegas (EUA). Apesar dos holofotes estarem virados para o ex-campeão, outro brasileiro tem motivos de sobra para comemorar. Ex-participante da terceira edição do reality show The Ultimate Fighter Brasil, Rick Monstro enfrenta Ildemar Marajó, em duelo válidos pelos médios (84kg), em busca de afirmação dentro do torneio. Atleta do Team Nogueira, Rick terá de passar por uma acentuada perda de peso, já que sua última aparição no evento foi entre os pesos-pesados.
O paulista revelou que, antes de fechar contrato com o UFC, estudou bastante sobre a nova categoria. Após conversar com profissionais altamente gabaritados em suas respectivas áreas, ele chegou a conclusão de que nesta divisão poderá desenvolver ainda mais o seu talento.

“Eles (UFC) queriam me ver lutando entre os médios, mas antes de assinar procurei analisar bastante cada categoria e conclui que até 84kg seria melhor para a minha carreira. O fato de ter um porte físico avantajado para divisão e a vantagem de recuperar bem a perda de peso pode me ajudar muito. Olhando para a organização, como um todo, enxerguei que me enquadro melhor nessa categoria”, explicou o lutador dono de um cartel com sete vitórias e duas derrotas.
O faixa-preta de jiu-jitsu, que é natural de Campinas (SP), garante estar pronto para o novo desafio. Mesmo sabendo das dificuldades que o seu oponente pode oferecer, o lutador do Team Nogueira espera fazer umcombate inteligente e alcançar sua primeira vitória na maior organização do MMA mundial.

“Eu respeito demais os irmãos Marajós (Iuri e Ildemar), acredito que vai ser uma duelo muito bom contra o Ildemar. Tenho certeza que ele virá muito bem preparado. Venho tendo suporte de toda academia. Os meus colegas de treinos e professores estão me ajudando bastante nesta preparação. É ainda mais motivador poder lutar no mesmo evento que marca o retorno do Anderson Silva, um grande amigo, ídolo e companheiro de treinamentos. Espero conseguir essa vitória e me firmar no evento”, finalizou o lutador apoiado pela Analítica Farmácia de Manipulação.

Postado por oscardaniotti às 20:28

Nenhum comentário

Tags: , , ,

Compartilhe:

Jon Jones declara possibilidade da luta com Anderson

Os fãs de MMA torcem por um combate entre dois grandes gladiadores: Anderson Silva , e Jon Jones. Entretanto, Jones sempre afirmou que respeita muito o brasileiro e que nunca buscou uma disputa com ele, mas em entrevista recente ao Correio Brasiliense, ele afirma que até poderia acontecer, pois ele sabe que o público adoraria assistir este duelo.

“Eu realmente não quero lutar com o Anderson, o respeito muito. Não quero ser o cara que venceu o Anderson e também não quero ser o cara que perdeu para ele. Anderson é um grande campeão, eu sou um grande campeão. Nós dois… Eu não sei, eu não sei… Pelos fãs… Eu não estou dizendo que a luta não vai acontecer, pode acontecer. Mas é algo que não estou correndo atrás. Ser o lutador mais dominante dos meio-pesados e manter o domínio por um tempo, isso, sim, está entre meus objetivos. Eu não acredito que precise lutar com o Anderson para ser o melhor do mundo. Eu acho que só tenho que continuar lutando para ser o melhor de todos”, disse o campeão.

Postado por oscardaniotti às 15:18

1 Comentário

Tags: , , , ,

Compartilhe:

Torcida faz show a parte no UFC RIO 2

Por Cauan Ahmed / Assessor UFC
De volta à Cidade Maravilhosa, o UFC ofereceu uma noite para brasileiro nenhum botar defeito. O UFC Rio (142), realizado nesse sábado, dia 14, na HSBC Arena, terminou com um saldo de nove brasileiros vitoriosos – sob o agora habitual barulho da torcida. No duelo principal da noite, José Aldo defendeu o título dos pesos penas do UFC com um devastador nocaute sobre Chad Mendes. Embalado pela torcida “de casa”, Vitor Belfort finalizou Anthony Johnson no primeiro round da co-luta principal. Queridinho da torcida, Toquinho finalizou Mike Massenzio com sua característica chave-de-perna em menos de dois minutos. Edson Barboza foi outro destaque da noite, nocauteando Terry Etim com um devastador chute giratório contra a cabeça.


“O Brasil vai ser o país do UFC. Daqui a dois anos, seremos como o futebol”, previu Vitor Belfort na coletiva de imprensa. “Como o Vitor disse, O MMA se tornou enorme no país”, continuou Dana White, dando boas notícias para os brasileiros. “Definitivamente voltaremos a São Paulo no meio do ano e, do jeito que as coisas estão indo, talvez consigamos fazer um evento antes do fim do ano.”
Aldo nocauteia e Belfort finaliza para coroar noite verde e amarela
Foi o desfecho ideal para uma noite estrelada para os fãs brasileiros. Embalado pelos gritos da torcida, José Aldo Junior defendeu seu título dos pesos penas pela terceira vez contra o americano Chad “Money” Mendes em altíssimo estilo. Mendes, que seguia invicto em sua carreira profissional, foi derrubado por uma das letais joelhadas do brasileiro – que ainda desferiu alguns golpes contra o adversário antes do fim oficial da luta. Após a vitória, Aldo quebrou o protocolo e correu para comemorar sua vitória no meio da torcida. “Não gosto de atletas correndo para a torcida, mas foi divertido de assistir, foi a primeira vez que vi isso sendo feito do jeito certo”, brincou Dana White sobre a estripulia do lutador manauara.

Consolidando seu status como um dos melhores lutadores pound for pound da atualidade, Aldo comemorou mais uma vitória devastadora no octógono – a décima consecutiva. “Esse é o espírito que eu queria essa noite. Os fãs me deram muita energia. Nós sabíamos que Chad tentaria me derrubar. Nos preparamos para isso e tive a chance de acertar a joelhada. Estava tão emocionado que quis celebrar com o meu pessoal”

Embalado pela torcida de casa, Vitor Belfort não deu chances para Anthony Johnson. Sob os gritos de “Olê, olê, olê”, o carioca levantou a Arena da Barra com sua 21ª vitória. No início do round, Johnson chegou a acertar um  golpe de direita. Derrubado, Vitor trabalhou por baixo até o árbitro ordenar que os dois prosseguissem de pé. Anthony continuou tentando levar a luta para o chão, lançando-se contra as pernas do brasileiro. O embate foi interrompido mais vezes por falta de ação. Após escapar de mais uma tentativa de queda, Belfort dominou Johnson no chão. Ele tentou uma finalização, partiu para socos e cotoveladas, e, por fim, controlou suas costas, encaixando um mata-leão aos 4 minutos e 49 segundos do primeiro round.

 “Meu sonho foi realizado hoje, a gente está na Globo e o UFC é paixão nacional. Foi um prazer dar essa vitória para vocês”, comemorou Belfort, aumentando a já estrondosa torcida da Arena. “Eu sabia que ia nocautear ou finalizar. Eu senti a vibração do público e foi uma noite maravilhosa”.
Toquinho e Barboza levam os bônus da noite; Erick Silva é desclassificado
No terceiro embate, Toquinho voltou às raízes ao derrotar Mike Massenzio com sua especialidade: a chave-de-perna. Após pouco tempo de trocação tímida, o brasileiro foi em direto em direção às pernas do adversário, que bateu a 1 minuto e 35 segundos do primeiro round. Com a vitória – terceira seguida na organização -, o mineiro agora soma nove finalizações entre suas 11 vitórias como profissional. “Se eu estiver bem da cabeça, eu consigo fazer bem”, brincou o lutador mineiro.

Edson Barboza ditou o tom do card principal. Aos 2 minutos e 2 segundos do terceiro round,  o brasileiro encaixou um devastador chute giratório contra o rosto de Terry Etim, que desabou instantaneamente. O desfecho da luta, até então de muito estudo, rendeu a Barboza o bônus de nocaute da noite. O inusitado nocaute – sétimo da carreira de nove vitórias do brasileiro – levou a HSCB Arena à loucura. “Lutar no Brasil é diferente de lutar em qualquer outro lugar no Brasil”, comemorou Barboza. “Em uma luta, você tenta coisas e espera que elas funcionem. Hoje, (o chute) funcionou.” A luta também foi premiada como melhor da noite.

Erick Silva chegou a comemorar sua vitória por nocaute – a segunda em suas duas participações no octógono -, mas logo recebeu a má notícia.  Carlos Prater, derrubado em menos de 30 segundos pelo adversário, foi declarado vencedor devido a golpes ilegais por parte de Silva. A decisão foi de Mario Yamasaki, árbitro do embate. Visivelmente chateado, Erick pediu desculpas à torcida: “todos aqui sabem que não foi intencional”. Em sua última luta, no UFC 134, Silva derrubou Luís “Beição” Ramos em apenas 40 segundos.  
Pyle é “estraga-prazeres” no card preliminar

A noite começou bem para os brasileiros. Felipe “Sertanejo” Arantes conquistou a primeira vitória da noite, igualando seu placar na Cidade Maravilhosa – ele havia sido derrotado por Yuri Marajó em sua estreia, no UFC 134. E foi de virada: no primeiro round, o estreante Antonio Carvalho chegou a derrubar e conseguir a montada sobre o brasileiro. Após um segundo round equilibrado, Sertanejo consolidou seu triunfo no terceiro – quando derrubou e controlou a luta na guarda. Seu desempenho garantiu a decisão unânime dos juízes e sua primeira vitória no UFC. “Provei às pessoas do Brasil que pertenço ao octógono”, comemorou.

Na segunda luta da noite, Ricardo Funch estreou em seu país natal com derrota para Mike Pyle por nocaute técnico a 1 minuto e 22 segundos do primeiro round. A arma de Pyle foi uma joelhada certeira, aplicada do clinch, que derrubou o brasileiro contra a grade. Retomando a boa sequência brasileira, Yuri Marajó não deu chances a Michihiro Omigawa. Ainda no primeiro round, o brasileiro uniu boa sequência de golpes de pé com criativas tentativas de finalização –  culminando com uma chave-de-braço que, não fosse pelo fim oficial do round, poderia ter encerrado a luta. Após um segundo round  de domínio, Marajó passou maus momentos no terceiro, mas se recuperou e conquistou sua segunda vitória no octógono.

No primeiro duelo 100% brasileiro, Gabriel “Napão” redimiu-se de sua última derrota com uma finalização aos 3 minutos e 22 segundos do primeiro round – a primeira finalização nas duas edições cariocas do UFC.  Pisando no octógono pela primeira vez desde 2010, Napão comemorou o retorno. “Foi ótimo voltar ao octógono. Eu mostrei que ainda tenho minhas habilidades de jiu-jitsu aqui esta noite. Meu tempo fora do UFC foi bom. Lidei com assuntos pessoais e voltei com foco novo. Antes, eu estava treinando bem, mas minha cabeça não estava lá. Agora, estou melhor”, declarou.

O catarinense Thiago Tavares manteve a invencibilidade em eventos cariocas do UFC após uma das lutas mais equilibradas do evento. Após dominar o primeiro round, Tavares teve uma tarefa difícil. Ao final do terceiro, o brasileiro chegou a balançar com um soco certeiro do americano, mas se recuperou e conquistou a decisão unânime dos juízes. Feliz com o que definiu como a maior vitória de sua carreira, Tavares confessou sua surpresa por ter vencido a luta de pé. “Ele foi o adversário mais duro que já enfrentei. Tenho que ser honesto: de todas as maneiras que via essa luta acontecendo, nunca imaginei vencê-lo de pé”.

Resultados
Card principal
José Aldo derrotou Chad Mendes por nocaute a 4m59s do R1
 Vitor Belfort derrotou Anthony Johnson por finalização (mata-leão) a 4m45s do R1
Rousimar “Toquinho” Palhares derrotou Mike Massenzio por finalização a 1m3s do R1
Carlo Prater derrotou Erick Silva por desclassificação a 29s do R1
Edson Barboza derrotou Terry Etim por nocaute a 2m2s do R3
 
Card preliminar
Thiago Tavares derrotou Sam Stout por decisão unânime dos jurados
Gabriel “Napão” Gonzaga derrotou Ednaldo Oliveira por finalização (mata-leão) a 3m22s do R1
Yuri Alcântara derrotou Michihiro Omigawa por decisão unânime dos juízes
Mike Pyle derrotou Ricardo Funch por nocaute técnico a 1m22s do R1
Felipe Arantes derrotou Antonio Carvalho por decisão unânime dos jurados

Postado por oscardaniotti às 20:50

Nenhum comentário

Tags: , , , ,

Compartilhe:

Publicidade
Assine o RSS
Publicidade