Publicidade

Jornal do Brasil

Blog do Reinaldo - JBlog - Jornal do Brasil

Mostra Imagens e Complexos – Inscrições Abertas até 31 de agosto!

13912515_1067700859944190_3899861354151212876_n

O cinema não tem fronteiras nem limites. É um fluxo constante de sonho.

Orson Welles

Imagens e Complexos mais do que uma Mostra é um processo reflexivo sobre como andam as produções audiovisuais nas favelas do Rio de Janeiro. Essa proposta nasce da necessidade de olhar um pouco mais de perto o que a cidade tem produzido para além do que chega às salas de cinema. Filmes que, naturalmente, estejam relacionados com os processos de vida de seus realizadores – um material que discursa sobre seus meios de produções e suas questões existenciais.

Fabiana Melo Sousa e Ludmila Oliveira, oriundas de favelas do Rio e que sempre tiveram suas vidas atravessadas pela linguagem do audiovisual, coordenam esse projeto, que traz à baila as produções dos favelados e suas representações.

10891805_584696005008803_3548087333436660348_n

Quem são esses cineastas? Para onde estão apontando suas câmeras, celulares, seu olhar? De que estética estamos falando? Além da seleção para exibição dos filmes durante quatro dias no Cineteatro Eduardo Coutinho, em Manguinhos e a participação nas mesas de discussões, a Mostra Imagens e Complexos tem como propósito maior catalogar essas produções que se inscreverem, como um pontapé inicial, estimulando uma espécie de registro, onde seja possível identificar esses produtores e, quem sabe, democratizar o acesso a essas múltiplas formas de expressão cinematográficas que permeiam essa cidade tão plural, caótica, poética, diversa… Por esse motivo, o Catálogo será lançado após a Mostra.

Durante algum tempo o Imagens e Complexos aconteceu de forma mais intimista, em encontros esporádicos e itinerantes. Na Biblioteca Parque de Manguinhos com exibição de “Rocinha 77” (1977), de Sérgio Péo; na ONG Raízes em Movimento (durante o Faveladoc), no Complexo do Alemão, onde foi exibido “Amator” (1979), de Krzysztof Kieslowski, discutindo os limites da realidade no documentário; nas duas exibições do curta “Mater Dolorosa” (2014), de Daniel Caetano e Tamur Aimara, a primeira, na mesa de debates com Fabiana Melo Sousa e Maria de Fátima (mãe do dançarino Douglas Pereira, conhecido como DG), como parte das atividades do I Seminário de Filosofia e Artes na Contemporaneidade, na UNIRIO e a segunda, no Centro Comunitário da Favela do Cantagalo, a propósito de uma homenagem a Maria de Fátima; também aconteceu em parceria nas exibições de repescagem do Cine Favela da Rocinha e na sessão do CineClube do Cine Manguinhos, com a temática infanto-juvenil. Essas sessões e discussões tinham como motivadores os encontros de produtores locais e o pensamento que circunda essas imagens e representações que ora reproduzem, ora rompem com certos estereótipos. Uma produção audiovisual que estabelece uma comunicação com a História, contando, reproduzindo ou criando narrativas.

Somente após a premiação do “Favela Criativa” é que o projeto ganhou a possibilidade de ser efetivado enquanto Mostra, com estrutura e parcerias, e, de forma introdutória, promoverá a visibilidade de alguns indivíduos e grupos que realizam filmes ou formas de expressão audiovisual cujos espaços para exibição sejam inexistentes. As coordenadoras Fabiana e Ludmila convocam a todos que residam em favela e que produzam seus filmes com qualquer temática a se inscreverem e fazerem dessa Mostra mais um espaço de cultura, memória e arte dessa cidade. As inscrições seguem abertas até o dia 31 de agosto para qualquer tipo de filme. A Mostra Imagens e Complexos acontecerá na última semana de setembro, no Cineteatro Eduardo Coutinho, ao lado da Biblioteca Parque Manguinhos.

 Segundo a coordenação, não é uma proposta da Mostra identificar, enquanto gênero, o filme produzido em favela, nem separar por território o cinema carioca – a favela faz assim e o asfalto faz assado. Mesmo que o processo de discussão esbarre no contexto “Favela Movie”, termo cunhado para caracterizar os filmes sobre favela e suas mazelas, que guarda em suas características principais a violência e o papel da polícia, a exemplo de Cidade de Deus (2002) e Tropa de Elite (2007), o interesse da Mostra Imagens e Complexos recai nas Reflexões e encontros sobre a representação das favelas e periferias nas produções audiovisuais, é um interesse sobre qualquer tipo de filme que este sujeito esteja produzindo, em um momento em que a cidade não pode mais ser entendida sem a favela.

A Mostra não tem a pretensão de ser precursora no que tange a exibir separadamente filmes sobre favela e periferia, mesmo porque já existem eventos que se propõem a isso, como Visões Periféricas, Cine Favela Festival da Rocinha, entre outros Brasil a fora. O que importa é o mapeamento, é criar espaços de exibição com formação de plateia para um cinema mais orgânico, sem fronteiras e de fluxo constante.

SERVIÇO:

Mostra de Filmes Imagens e Complexos Edital.

01 a 31 de agosto de 2016 – inscrições por meio do formulário de inscrição.

09 de setembro de 2016 – divulgação dos filmes selecionados e da programação completa da Mostra pela fanpage Imagens e Complexos e pelos sites de nossos parceiros.

 

Compartilhe:
Comentar
?>