Publicidade

Jornal do Brasil

Blog do Reinaldo - JBlog - Jornal do Brasil

Rio, 11 de dezembro de 2017. Sorvete, Yayá

O sorvete nasceu há cerca de três mil anos, na China. Misturava­-se uma porção de neve das montanhas, suco de frutas e mel. Na sequência, Marco Polo trouxe a novidade para a Europa, embora tenha sido a incentivadora da gastronomia francesa — Catarina de Médici — quem incluiu a receita na pauta de seus doceiros, em Paris, quando se casou com o futuro rei da França, Henrique II, em 1553.
Mais tarde, por volta de 1800, nos EUA, blocos de gelo eram mantidos embaixo da terra, envoltos em serralho, até serem retirados para uso e exportação. Inclusive para o Brasil.
estoque de gelo

No dia 6 de agosto de 1834, chegava ao Rio o primeiro carregamento de gelo: ­­160 toneladas ­­ vindo de Boston.  Também envolvido
em serragem, o “pacote” foi enterrado em grandes buracos no sopé do Morro do Castelo, o que permitiu a sua conservação por quatro ou cinco meses.

Queima a língua”, diziam os primeiros cariocas que provaram sorvete.

Além disso, como naquela época não havia como manter a consistência do sorvete depois de pronto, as confeitarias anunciavam a hora certa de tomá-­lo, causando alvoroço na cidade. Consta que D. Pedro II, que adorava doces (e terminou diabético), gostava muita das “bolinhas geladas de pitanga”
20150114-20110131-horário para provar sorvetes

E até as mulheres, que então eram “proibidas” de entrar em bares, cafés e confeitarias, resolveram quebrar o tabu e faziam fila para experimentar a novidade. Pode-se dizer que o sorvete estimulou o movimento feminista.

O sorvete começou, então, a ser distribuído em escala industrial no país em 1941, quando nos galpões alugadas da falida fábrica de sorvetes Gato Preto, no

Rio de Janeiro, instalou-­se a U.S. Harkson do Brasil, a primeira indústria brasileira de sorvete.

Seu primeiro lançamento em 1942 foi o Eski­bon, seguido pelo Chicabon, ambos presentes na “memória da boca” de quem quer que tenha sido menino e adolescente a partir daí e por muitos anos mais.

Dezoito anos depois, a Harkson mudou o seu nome para Kibon.

Curiosidade: a taça de sorvete “sundae” surgiu no início do século 20, nos Estados Unidos e era servida aos domingos (donde a origem do nome Sunday) obviamente adotada em todos os países.

sundae

Hoje, a multi-variedade de insumos a serviço da tecnologia ou da manufactura artesanal­­ faz com que a palavra sorvete seja o termo “genérico” de um sem­ números de gelados. Desde os preparados com frutas — os “sorbets” (que limpam a boca entre condimentos diferentes de uma refeição), passando pelos cremosos, os picolés… os que acrescentam álcoois como cachaça, bagaceira ou poire, e os diets.

Segundo o Google: sorvete é um cristal de gelo, produzido através de uma mistura homogênea composta de água (ou leite, líquido ou em pó)
açúcares, gordura proveniente da manteiga e ou creme de leite, ou, ainda, gordura vegetal hidrogenada suco de fruta, emulsificante, espessante e “ar”.

E não queima mais a língua!

Compartilhe:
Comentar

Comentar:

?>