Publicidade

Jornal do Brasil

Blog do Reinaldo - JBlog - Jornal do Brasil

Rio, 2 de fevereiro de 2018. Yemanjá e N. Sra. da Conceição

Elas são a mesma “santa”?  Sim, e confiram no último parágrafo por que?  Mas como hoje é dia de Yemanjá, vamos começar por ela.
yemanja1

Observem que bonita essa representação da Mãe d’Água pintado por Caribé.

Yemanjá ou Iemanjá é a Mãe d’Água, a Rainha do Mar e, como toda rainha, tem mais de um nome: Janaína e Inaê e Princesa de Aiocá.  Aiocá é o reino das terras misteriosas da felicidade e da liberdade, uma espécie de Pasárgada africana… E segundo Lucas Barbosa, no seu blog Orixás e Búzios, ela é protetora dos pescadores e jangadeiros, porque controla as marés e é mãe dos seus muitos filhos: os peixes. Se nome deriva de Yé Yé Omó Ejá, que significa justamente isso: mãe cujos filhos são peixes”.

Sua origem é africana, obviamente e, por isso, vejam acima como é expressiva esta imagem nigeriana.  Mas sendo africana, nossa Rainha do Mar é gulosa e tem seus pratos preferidos: peixes (bingo!), acaçá, bolo de arroz, pata ou galinha branca, camarões, canjica…

tapas baianas

E o famoso Cuscuz de Yemanjá (ou Lua Cheia)

cuscuz de Yemanjá

Ingredientes:
1/2 xícara (chá) de óleo
1 de cebola picada
1/2 de pimentão vermelho
1 xícara de ervilhas frescas
1 xícara de palmito picado
1/2 xícara de azeitonas pretas picadas
1 lata de sardinha grande com óleo
1 xícara de molho de tomate pronto
4 xícaras de caldo de peixe ou camarão
1/2 xícara de salsa e cebolinha
2 xícaras de farinha de milho
½ xícara de farinha de mandioca
3 colheres de sopa de azeite de dendê
1 xícara de leite de coco
1 xícara de camarões limpos sem cascas
2 ovos cozidos para decorar
1 tomate para decorar
sal e pimenta a gosto

Para beber? Champagne, espumante ou soda. A Mãe d’Água gosta de borbulhas! E a maior festa de/para Yemanjá ocorre no Rio Vermelho em Salvador, Bahia, desde 1974. Lá se reúnem milhares de fiéis para celebrar o seu dia.

A festa começa com uma procissão que percorre as ruas de Salvador até o bairro do Rio Vermelho. A seguir, são realizadas orações e canções em homenagem a Mãe de Todos os Orixás. Na sequência, os devotos colocam bilhetes com pedidos e agradecimentos em pequenas cestas que são entregues aos pescadores. Estes, por volta das 4h da tarde, carregam seus barcos com flores e os diversos presentes. E partem em cortejo que dura algum tempo de navegação até já longe da praia lançam os objetos ao mar. E os devotos que assistem tudo do cais, também jogam flores, perfumes, velas e champanhe ao mar. Em Tambaú, João Pessoa, a procissão é menor mas semelhante

Finalmente: Yemanjá e N. Sra. da Conceição são as mesmas entidades?

Sim. Então por que duas comemorações? Segundo Rui Galdino Filho, da Paraíba, diz a história que a festa para N. Sra. da Conceição era comemorada no passado (e ainda hoje em 8 de dezembro) apenas pelos senhores de engenho e as classes dominantes, no mais das vezes nas capelas e igrejinhas dos próprios engenhos. Os negros e escravos da época, considerados pessoas inferiores, (mas que também eram cristãos) não podiam cultuar a mesma Santa das classes dominantes. Então, inventaram uma entidade afro-brasileira e passaram a celebrá-la numa outra data, com outra liturgia … E embora sejam cultuadas como mães protetoras, N. Sra. da (Imaculada) Conceição é “o outro nome” da Virgem Maria, concebida sem pecado, enquanto Yemanjá cumpre as suas funções de mãe, mas as acumula com as de quase sereia, sexy e sedutora, às vezes representada como uma Vênus de Iorubá (as atuais Nigéria, Benin e Togo).

Seja uma, duas, ou muitas: bênção! mãe dos mares. Nós e os turistas te saudamos de todas as praias brasileiras!

 

 

 

Compartilhe:
Comentar

Comentar:

?>